Xepa a. J. Registro 197 Data de Nascimento 29/11/1974 Pai



Baixar 0,96 Mb.
Página2/14
Encontro12.07.2018
Tamanho0,96 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   14

LIVRO DE ELITE ESPECIAL MM-8


ABAÍBA BATUÍRA


Registro 002 Data de Nascimento 23/2/1974

Pai 0110 ABAÍBA MARENGO

Mãe 542 ABAÍBA CANÁRIA

Proprietário ALEXANDRE ROCHA DE MIRANDA

Criador ERICO RIBEIRO JUNQUEIRA(ESPOLIO)

Página 2 Volume 1


0110 - 5
ABAÍBA MARENGO

101 - 3
ABAÍBA RETRATO

ABAÍBA ELDORADO (*)

PROVIDÊNCIA BELEZA (*)

496 - 4
ABAÍBA NEGRITA (*)

ABAÍBA FIDALGO (*)

ABAÍBA ESGRIMA (*)

542 - 4
ABAÍBA CANÁRIA (*)

ABAÍBA NAIPE (*)

ABAÍBA ELDORADO (*)

ABAÍBA JAVA (*)

ABAÍBA NINFA (*)

ABAÍBA FIDALGO (*)

ABAÍBA HULHA (*)




Registro :

0959

Livro :

6

Sexo :

Fêmea

Nascimento :

23/2/1974

Nome :

ABAÍBA BATUÍRA

Tipado :

TS-AP






















Registro

Livro

Data de Nascimento

Animal







013298

5

1/2/1997

BACO DA SANTA TEREZINHA




BECO DO CHOPOTÓ

04552

5

24/8/1984

BATUY DA SANTA TEREZINHA




IRAPURU BELA CRUZ

010361

5

15/4/1993

BEJU DA SANTA TEREZINHA




BECO DO CHOPOTÓ

03346

6

19/3/1979

BELAÍBA DA SANTA TEREZINHA




IRAPURU BELA CRUZ

06658

5

25/2/1988

BUJUÍ DA SANTA TEREZINHA




IRAPURU BELA CRUZ

025916

6

11/2/1987

CANÁRIA DA SANTA TEREZINHA




IRAPURU BELA CRUZ

02701

5

28/1/1981

FENIX DA SANTA TEREZINHA




IRAPURU BELA CRUZ

03228

5

9/12/1982

GUINCHO DA SANTA TEREZINHA




IRAPURU BELA CRUZ

034319

6

19/1/1990

PASCOLINA DA SANTA TEREZINHA




TABATINGA ULTIMATO

04880

5

6/8/1985

REFRÃO DA SANTA TEREZINHA




IRAPURU BELA CRUZ

02070

5

23/2/1980

SANHAÇO DA SANTA TEREZINHA




IRAPURU BELA CRUZ

09711

5

6/12/1991

TRATADO DA SANTA TEREZINHA




ESTRIBO DA SANTA TEREZINHA

06368

6

2/1/1982

UYRA DA SANTA TEREZINHA




IRAPURU BELA CRUZ

04582

6

2/2/1978

XERETA DE AQUARIUS




TABATINGA MONDEGO

Escrever sobre Abaíba Batuíra é lembrar das palavras de Olinto Andrade, um dos criadores que dirigiram os trabalhos de seleção da Fazenda Santa Terezinha por muitos anos:


(...) Neste encontro com Dr. Meirelles, encontrei nele uma comunhão de pensamentos com o Coronel Erico, isto porque toda sua eguada era filha de Itu, com exceção da Piaba, filha do Naipe, e na época, duas potras, Abaíba Brasília e Abaíba Batuíra.

Perguntei ao Dr. Meirelles: ‘- qual o motivo de tanta filha de Itu em seu criatório?’

Ele me respondeu:’- Eu, como Erico, gostamos muito do Itu. E que achas do Marengo?’ Perguntei-lhe.
- Acho a tropa do Marengo um pouco sem calor, inclusive estou vendendo a Brasília e a Batuíra, ambas suas filhas.’
Eu respondi-lhe que me interessava pelas duas potras. A Batuíra havia se sagrado Campeã Potra na Exposição Especializada do Mangalarga Marchador na cidade de Juiz de Fora. E, assim, comprei dele as duas filhas de Marengo.(...)”
E assim, em 1976, lá se foi a Batuíra para o Haras Aquarius, primeiro nome do criatório de Olinto e Alexandre Rocha de Miranda. Seu primeiro produto em Governador Valadares foi a Xereta de Aquarius. Seguiram-se mais 13 produtos de altíssimo nível, a maioria gerada com o auxílio de Irapuru Bela Cruz, inclusive vários Campeões Nacionais: Batuy, Belaíba, Guincho, Uyra.
Batuíra também formou reprodutores de escol como: Bujuy, Beju e Refrão, além de ter se sagrado por duas vezes (1984 e 85), com seus rebentos Guincho e Belaíba, Reservada Campeã Nacional Progênie de Mãe (segundo muitos técnicos, a mais significativa disputa de títulos na raça).
Finalmente, cabe observar que sua genealogia encerra o sentido mais amplo da Linhagem Abaíba: filha de Marengo, neta de Retrato e Naipe, bisneta por duas vezes de Eldorado e Fidalgo.
(...) Eu vivo de maneira sagrada

...No paraíso eu convivo

Eu vivo de maneira sagrada

...Meus cavalos são muitos. (...)” Erico Ribeiro Junqueira
Talvez este provérbio indígena nos faça imaginar em parte o que sentia Erico Ribeiro Junqueira ao observar todos os dias, pela manhã da janela de seu quarto na Fazenda Abaíba, suas éguas subirem a estrada que ladeia a sede para serem tratadas.
A criação de cavalos por si só é uma atividade bastante gratificante, porém para Erico, teve um significado especial. Ele, que desde jovem já era responsável pela sua família e por seus negócios, encontrou na criação de cavalos a forma de expressão de toda uma metodologia, conhecimento e filosofia de vida.
Certamente todo gosto que tinha pela criação, somado à busca constante do aprimoramento, evolução e talento, lhe trouxeram como recompensa o reconhecimento nacional e a grande participação na formação da maior raça de eqüinos do Brasil, o cavalo Mangalarga Marchador – ‘O Cavalo Sem Fronteiras’.
Texto de Abertura – CatálogoCem Anos do Nascimento de Erico Ribeiro Junqueira – Um Século de Seleção Abaíba’ – Outubro de 2000
Por tudo que representa na história recente da raça, Abaíba Batuíra é daquelas matrizes que dignificam os Livros de Mérito MM - 7 e MM - 8. Servirá por muitas décadas como padrão de referência em qualidade zootécnica e notável capacidade de formar sua própria descendência.
Abaíba Batuíra - uma égua memorável sob todos os aspectos.



1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   14


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal