Xadrez treino técnico para competiçÃo apostila 6 Prof. Francisco Teodorico



Baixar 71,18 Kb.
Encontro10.09.2017
Tamanho71,18 Kb.

XADREZ - TREINO TÉCNICO PARA COMPETIÇÃO

Apostila 6 - Prof. Francisco Teodorico

______________________________________________________________________________



Onde os Reis se encontram

academiadexadrez@bol.com.br

www.geocities.com/academiadexadrez


TREINO TÉCNICO PARA COMPETIÇÃO

Apostila 10

Prof. Francisco Teodorico Pires de Souza

OS CAMPEONATOS DO MUNDO

IX CAMPEONATO MUNDIAL DE XADREZ
Lasker x Janowski, 1909

No ano seguinte ao que derrotou Tarrasch, Lasker participou do Torneio de San Petesburgo, empatando em 1° lugar com Rubinstein, de quem perdeu neste torneio. Se alguma crítica pode ser feita a Lasker como Campeão Mundial, é de não ter dado oportunidade a Rubinstein nesta época ou em 1912, já que ganhou de forma impressionante os torneios de Vilna, San Sebastian, Breslau (com Duras) e Pistyan.


Em fins de 1909, David Janowski (Walkowisk - Polônia, 1868 * Hyeres - França, 1927), um jogador de origem judia que havia migrado em sua juventude para a França, teve sua oportunidade graças a seu protetor Nardus, grande amante do xadrez e do jogo brilhante, ao estilo de Morphy, que era o que praticava Janowski.
Janowski foi muito temperamental, que amava o risco e odiava o empate. Sempre buscava a vitória o que muitas vezes lhe custou a partida. Seu estilo era veemente e suas combinações harmoniosas; desprezava o final, pois afirmava que uma partida bem jogada terminava no Meio Jogo. Tinha obsessão pelo ataque direto e pela conservação do Bispo do Rei, que era para ele "a alma de seu jogo”. Chegou a derrotar em belas partidas os melhores de seu tempo, como Steinitz, Tarrasch, Pillsbury, Rubinstein, Schlechter, Marshall, Capablanca, Alekhine.
Sua carreira enxadrística foi longa e obteve importantes triunfos como suas vitórias nos torneios: Montecarlo, 1901; Hannover, 1902 e Barmen, 1905 (com Maroczy). Em matches venceu: Winawer, Viena, 1896, por +5-2=0; Walbrodt, Berlim, 1897, por +4-2=2; Showalter, New York, 1899, por +7-2=4; Marshall, Paris, 1905, por +5-8=4,etc.
Após a derrota diante de Marshall, em 07Mar1905 escreveu uma carta a este que foi publicada em La Strategie que dizia: "Senhor Marshall. Estimo que o resultado de nosso match está longe de ter demonstrado nossas forças, pois na maioria das partidas deixei escapar algumas vezes a vitória e outras, o empate, pelo que estou convencido que poderia ter vencido facilmente. Tenho, pois a honra de desafiar-lhe a um novo match de revanche com as seguintes condições: vencerá quem ganhe, primeiro, dez partidas, os empates não contam. Eu ofereço a vantagem de quatro partidas, ou seja, minhas quatro primeiras vitórias não contam...”.
Pouco antes de disputar o título mundial, havia enfrentado Lasker em um amistoso de quatro partidas, finalizado com duas vitórias para cada lado, o que incentivou o patrocínio de Nardus. Após o confronto-mor, Janowski decepcionou-se, pois o estilo metódico de Lasker se impôs facilmente no encontro de dez partidas. Apesar do título ter se confirmado na sétima partida, eles jogaram as três restantes.
Lasker x Janowski

Paris, 19Out - 09Nov1909





1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

TOT

Lasker

½

1

1

1

1

0

1

½

1

1

8,0

Janowski

½

0

0

0

0

1

0

½

0

0

2,0

Lasker iniciou o match com as Brancas.


ABERTURAS

DAS PARTIDAS

TOTAL

%

Quatro Cavalos

2,4,6,8

4

40

Ruy Lopez

1,3,5,7,9

5

50

Siciliana

10

1

10


A SEGUIR:

X Campeonato Mundial de Xadrez

Lasker x Schlechter, 1910

FINAIS I

3.6. Rei e três Peões x Rei e dois Peões

É mais fácil ganhar com três Peões contra dois Peões do que com dois Peões contra Peão. Geralmente reduz-se aos casos anteriores.


Diagrama: f5, g5, h5, Re5 x g7, h7, Re7

(1-0)
As Brancas ganham com ou sem o lance!
a) Jogando o Negro

PLANO

*****

Formar um Peão passado, apoiando seu avanço com o Rei.

PROCEDIMENTO

*****

a.1) 1 ... Rf7 2 g6+ Rg8 3 Re6 Rh8 4 Rf7 hg6 5 h6! gh6 6 fg6 (1-0)

a.2) 1 ... g6 2 hg6 hg6 3 f6+ Re8 4 Re6 (1-0)
b) Jogando o Branco

PLANO

*****

Manobrar através da triangulação para infiltrar o Rei em f7 apoiando o avanço do Peão.

PROCEDIMENTO

*****

1 g6 h6 2 Re4 Rf6 3 Rf4 Re7 4 Re5 Re8 5 Re6 Rf8 6 Rd7 Rg8 7 Re7 Rh8 8 f6 gf6 9 Rf7 (1-0)

As Brancas dão mate em dois.


Diagrama: a3, b4, c5, Rd5 x a6, b5, Rd7

1? (1-0)
PLANO

*****

Valorizar o Peão passado, infiltrar o Rei em b6 e tomar os Peões inimigos.

PROCEDIMENTO

*****

1 c6+ Rc7 2 Rc5 Rc8 3 Rb6 Rb8 4 Ra6 Rc7 5 Rb5 (1-0)
Diagrama: a2, b2, c2, Rg2 x Rb7, g7, h7

1? (1-0)
PLANO

*****

Avançar os Peões em linha e segurar os Peões negros com o Rei.

PROCEDIMENTO

*****

1 a4 h5 2 b4 g5 3 c4 h4 4 Rh3 Rb6 5 a5+ Ra6 6 c5 Rb5 7 Rg4

Forçando o Rei negro a abandonar sua posição.

7 ... Ra6 8 c6 Ra7 9 b5 Rb8 10 b6 Rc8 11 a6 Rb8 12 c7+ Rc8 13 a7 Rb7 14 a8D+ Ra8 15 c8D++ (1-0)
Diagrama: a4, b3, g4, Rc3 x a5, g5, Rc5

1? (+-)
PLANO

*****

Formar um Peão passado.

PROCEDIMENTO

*****

1 b4+! ab4+ 2 Rb3 R move 3 Rb4 (1-0)

Observe que se 1 Rc2? Rc6 (1...Rb4 2 Rb2 Rc5 3 Rc3, ganhando como na linha principal) 2 Rd3 Rd5 (=)
Diagrama: a2, b3, h4, Rg3 x b4, f6, Rg6

Kmoch x Scheltinga, Amsterdam, 1936

1 ... ? (=)
Se jogassem as Brancas, a vitória seria fácil com 1 Rf4!

PLANO

*****

Avançar o Rei para apoiar a promoção do Peão do Peão ao mesmo tempo que o Branco.

PROCEDIMENTO

*****

1 ... Rf5! 2 Rf3 Re5! 3 Rg4!

Analise 3 h5.

*****

3 h5? Rf5, ganhando o Peão.

Continuando a analise principal...

3 ... Re4 4 h5 f5+ 5 Rg3 Re3 6 h6 f4+ (=)
A SEGUIR:

3.7. Rei e três Peões x Rei e três Peões

TÁTICA I

5. ATAQUE DUPLO DE PEÃO (“GARFO”)

Diagrama: a2, f2, Rb1, Bb2, Tc1 x Rb4, Te4, Cg4



1 ? (1-0)
PLANO

*****

Cavalo e Torre estão em posição de garfo.

PROCEDIMENTO

*****

1 f3 (1-0)


Diagrama: c3, d2, h3, Tc8, Tc7, Re3 x b6, c5, Dd5, Re5

1 ? (1-0)
PLANO

*****

Atrair a Dama para c5, ficando caracterizada a posição de garfo com o Rei.

PROCEDIMENTO

*****

1 Tc5! bc5 2 Tc5! Dc5 3 d4+ Rd5 4 dc5 Rc5 5 h4 (1-0)

As Brancas promovem um dos Peões.
Diagrama: f5, Rf3, Bh3 x e7, Bb6, Dd7, Rf7

1 ... ?
As Negras esquecem uma particularidade do movimento do Peão e jogam 1 ... e4??, com o que as Brancas empatam uma partida perdida. Como?

*****


2 fe6 e.p.
Diagrama: b4, c5, e5, Db2, Te2, Rf1 x d7, Dc7, Re6, Te7, Ch8

1 ... ?
Outro esquecimento negro: 1 d5??. O que você joga de Brancas?

*****


2 ed6 e.p.+ (1-0)

Ataque simultâneo a quatro peças.


Diagrama: a4, b2, e4, f3, g2, h3, Th6, Re1 x a7, e5, g5, h5, Bb6, Rf4, Th4

1 ? (1-0)
PLANO

*****

Possibilidade de garfo em g3, simplificação na ala Rei e formação de Peão passado na ala Dama.

PROCEDIMENTO

*****

1 Tb6! ab6 2 Rf2


O que pretende o Branco?

*****


3 g3++(1-0)

Continuando a analise principal...



2 ... g4

Analise 2 ... Th3

*****

Se 2 ... Th3, então 3 gh3 g4 4 hg4 hg4 5 fg4 seguido de b4 e a5, ganhando.

Continuando a analise principal...

3 g3+ Rg5 4 gh4 Rh4 5 hg4 hg4 6 fg4 Rg4 7 Re3 Rg5 8 b4 Rf6 9 a5 ba5 10 ba5 (1-0)
A SEGUIR:

6. Sacrifício de Dama

OS GRANDES MESTRES DO TABULEIRO

2.4. Partida nº 4



New York, 1857

Partida Francesa

Morphy x Meek
1 e4 e6

Levando em consideração a desvantagem negra da saída, estas deveriam, desde o começo, entorpecer a ação das Brancas, impedindo-as de abrir o jogo, já que o jogo aberto favorece sempre quem está melhor desenvolvido. Entre as defesas fechadas, a Partida Francesa é a mais antiga.



2 d4 c5

O correto é 2 ... d5. Com o lance do texto, as Brancas conseguem preponderância no centro.



3 d5 e5

De maneira geral, Morphy não jogava partidas fechadas tão bem como as abertas, mas o lance do texto que é perda de tempo, dá oportunidade de abrir o jogo com vantagem.



4 f4 d6 5 Cf3 Bg4 6 fe5 Bf3

Novamente uma perda de tempo. Antes da troca, as Brancas tem uma peça em f3, as Negras uma em g4. Após a troca, a peça negra desapareceu, enquanto que a branca, é substituída por outra.



7 Df3 de5 8 Bb5+ Cd7 9 Cc3 Cf6 10 Bg5 Be7 11 d6!

O sacrifício de Peão típico de Morphy, com a intenção de abrir uma coluna, decide aqui em seguida.



11 ... Bd6 12 0-0-0 (1-0)

Meek abandona porque perde uma peça.


A SEGUIR:

2.5. Partida nº 5

New Orleans, 1858

Gambito Evans

Morphy x Aficionado

(Uma das seis partidas simultâneas às cegas)

EXERCÍCIOS

Diagrama 10.1



a2, b2, d4, f2, g2, h2, Db3, Tc1, Cc5, Te1, Ce5, Rg1 x a6, b5, e6, f7, g7, h6, Ta8, Bb7, De7, Cf6, Tf8, Rg8

Simagin x Beylin, 1946
Simagin entrou na combinação:

1 Cg6? fg6 2 Te6 Df7 3 Cb7

Supunha Simagin que recuperava a peça ganhando um Peão (se 3 ... Db7 4 Tf6+). Sem dúvidas, o cálculo foi superficial, pois esquecia a debilidade de seu Peão f, que permitiu um decisivo contra-ataque com base no lance intermediário:



3 ... Cd5!

A Dama branca não pode tomar o Cavalo. Por que?

*****

Se 4 Dd5 Df2+, com mate a seguir.

4 Te2 Db7 5 Tc5 Tad8 6 Te5

Reaparece o tema anterior.



6 ... Df7!

Descravando o Cavalo e vencendo rapidamente.


Diagrama 10.2

a2, c3, c4, d3, e2, f2, g3, h2, Ta1, Dd2, Be3, Tf1, Cf5, Rg1, Bg2 x a7, b6, c7, d6, e4, f7, g7, h6, Ta8, Bb7, Cb8, Dd7, Te8, Cf6, Rh7

Hostinsky x Thelen

Brno, 1941
Hostinsky considerara um erro o último lance negro (Dama de d8 para d7) e decide-se por uma combinação que parecia beneficia-lo:

1 Cg7 Rg7 2 Bh6+ Rh7 3 Dg5 Tg8 4 Df6 Tg6 5 Df4 Th6 6 Be4+ Be4 7 De4+ Rg7 8 Da8

Estes 8 lances, evidentemente forçados foram calculados exatamente. Mas na posição resultante fica mais latente que Hostinsky não previu: a Dama branca pode ser desconectada momentaneamente do setor de luta e as Negras podem aproveitar esta circunstância para iniciar um poderoso contra-ataque baseado no forte lance ... Dh3.



8 ... c6!

E se 9 Db8 ?

*****

O mate é inevitável com 9 ... Dh3

O melhor é continuar com 9 h4 Th8, mas as Brancas, após ... Ca6 teriam que sacrificar a Dama em troca da Torre inimiga. O material torna-se superior ao Negro, que deve vencer pela difícil atividade de jogo das Torres brancas.



9 Tfb1 Dh3

Era preferível 9 ... Th8.

O que ameaçam as Negras?

*****


Mate em dois: ... Dh2 e ... Dh1++.

10 e3 Dh2+ 11 Rf1 Tf6! 12 Tb2

Ou 12 f4 Tg6 e contra 13 ... Tg3 não há defesa.



12 ... Dh1+ 13 Re2 Da1 14 Td2 Dg1 15 f4 Te6 16 e4 Th6 17 Db8

17 ... ? (+-)

*****

17 ... Th2+ 18 Rf3 Td2 (0-1)

BIBLIOGRAFIA
· LOS CAMPEONATOS DEL MUNDO - DE STEINITZ A ALEKHINE

Pablo Moran, Ediciones Martinez Roca, S.A., Barcelona - Espanha

Págs. 27-28 e128-132
· XADREZ BÁSICO

Dr. Orfeu Gilberto D'Agostini, Edições Ouro, São Paulo - Brasil

Págs. 127-129 e 210-212
· LOS GRANDES MAESTROS DEL TABLERO

Ricardo Reti, Club de Ajedrez

Págs. 28-29
· TÁCTICA MODERNA EN AJEDREZ - Tomo I

Ludeck Pachman, Colecion Escaques, Martinez Roca,

Barcelona - Espanha

Pág. 25-26



______________________________________________________________________________________

Página




©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal