Visita-Espetáculo ao Teatro Municipal – Grupo teatral Os Anfitriões (ufsj)



Baixar 4,42 Kb.
Encontro10.09.2017
Tamanho4,42 Kb.

Visita-Espetáculo ao Teatro Municipal – Grupo teatral Os Anfitriões (UFSJ)
DIA 20 - QUARTA-FEIRA, 19h. DIA 22 - SEXTA-FEIRA, 16h30 e 20h00. DIA 23 – SÁBADO, 16h30. Teatro Municipal de São João del-Rei: Av. Hermílio Alves, 170 – Centro. 
A Visita-espetáculo foi criada em 2003 pelo Grupo de Pesquisas em Artes Cênicas da UFSJ sob o nome de “Visita Guiada ao Teatro Municipal”. Consistia num projeto de extensão orientado pelo Prof. Alberto Tibaji, que pesquisava o grupo de teatro amador de mais longa duração de São João del-Rei, o “Clube Teatral Artur Azevedo”. Para a criação do roteiro da visita, fez-se uma pesquisa sobre a história do prédio, além de entrevistas com funcionários antigos. As visitas ocorreram de outubro de 2003 a março de 2004. Em 2007, o projeto foi retomado pela atriz e pesquisadora Ana Dias, com o apoio da UFSJ. Ao ingressar em 2009 na UFSJ como professora de teatro, Ana Dias obteve a aprovação da atividade para um novo projeto de extensão, concebido para atuar simultaneamente nos campos do turismo cultural, da educação patrimonial e do teatro, visando a divulgação de uma importante tradição artística protagonizada por grupos de teatro amador, bandas e orquestras bicentenárias de São João del-Rei. Sua proposta também é desvelar os recantos do edifício teatral, incluindo aspectos arquitetônicos e simbólicos da fachada, funcionamento do maquinário, nomes e funções dos elementos da caixa cênica, conhecimento de elementos e funções já extintos, além da integração e valorização de artistas locais. A peça A Capital Federal, uma das mais encenadas do poeta, contista, escritor e jornalista maranhense Artur Azevedo (1885-1908), estreou no Rio de Janeiro, então Capital Federal, em 1897. O gênero e o autor escolhidos são representativos de uma época áurea para o teatro são-joanense (do início até meados do século XX), quando a preferência era por um teatro ligeiro, cômico e musicado. A escolha dessa peça é também uma homenagem, ainda que singela, a homens e mulheres que se dedicaram ao teatro com paixão e tenacidade, apesar dos sacrifícios que certamente tiveram que enfrentar. A direção, produção e coordenação geral é de Ana Dias.
 



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal