Vencendo o espirito de confusãO



Baixar 32,65 Kb.
Encontro13.07.2018
Tamanho32,65 Kb.

CULTO DE BATALHA ESPIRITUAL

Terça-feira, 01 de Setembro de 2015.

TOMAR POSIÇÃO PARA VIVER UM QUADRIMESTRE DE VITÓRIAS

Texto base: Dn 6.28 - Daniel, pois, prosperou no reinado de Dario e no reinado de Ciro, o persa..”
Daniel foi levado para a Babilônia no reinado de Nabucodonosor, por volta de 598 AC. Ali segundo o relato bíblico, ele passa pelo reinado de quatro governantes – o próprio Nabucodonosor, seu filho, Belsazar, Dario, o medo e Ciro, o Grande. Vamos entender que esse quatro reis representam um cilo de Deus – pois o cativeiro começa com Nabucodonosor e termina com Ciro, mas mais do que isso:
ESSES QUATRO REIS SÃO, PROFETICAMENTE, OS QUATRO ÚLTIMOS MESES DESSE ANO APOSTÓLICO DE DANIEL. Vamos nos preparar hoje para vive-los, vamos vencer todos os dominadores e encerrarmos o ano, encerrando também todo ciclo de cativeiro existente em nossas vidas.
Os 6.1Vinde, e tornemos para o SENHOR, porque ele nos despedaçou e nos sarará; fez a ferida e a ligará.”
Deus permitiu o cativeiro, criando assim esse ciclo, tratando Seu povo, exaltando a Daniel e posteriormente, ao encerrar o ciclo no reinado de Ciro, Ele leva o Seu povo de volta à Jerusalém.
QUATRO REINADOS – QUATRO MESES PARA FECHARMOS EM VITÓRIA MAIS UM CICLO DE DEUS EM NOSSAS VIDAS:
SETEMBRO – NABUCODONOSOR – ATAQUE À FAMÍLIA - Esse rei foi quem conquistou a Israel, tomou Jerusalém, e levou os judeus cativos para a Babilônia, inclusive o profeta Daniel. Em 598 a.C., após a revolta de Joaquim de Judá, que tinha o apoio do faraó Neco, Nabucodonosor o derrota. Nabucodonosor derrota os judeus uma terceira vez, e leva cativo o rei Jeconias de Judá em 597 a.C. Na última revolta, de Zedequias, Nabucodonosor arrasa Jerusalém (586 a.C.), fura os olhos de Zedequias e o deixa prisioneiro por toda a vida. – Nabucodonor representa a ASSOLAÇÃO DA FAMÍLIACom certeza, ao invadir Jerusalém, muitas pessoas foram mortas, familias foram totalmente destruídas. Daniel também foi separado dos seus familiares, quando levado para o cativeiro. Entretanto, Nabucodonosor, com toda a sua grandiosidade passou e Daniel permaneceu. Nabucodonosor precisou reconhecer que o Deus verdadeiro era o Deus de Daniel – Dn 4.37Agora, pois, eu, Nabucodonosor, louvo, exalço e glorifico ao Rei do céu, porque todas as suas obras são verdadeiras, e os seus caminhos, justos, e pode humilhar aos que andam na soberba.”. Nós vamos, nesse mês de setembro, vencer esse principado de assolação familiar e veremos a nossa família sendo abençoada! Is 61.9 “A sua posteridade será conhecida entre as nações, os seus descendentes, no meio dos povos; todos quantos os virem os reconhecerão como família bendita do SENHOR.”

OUTUBRO – BELSAZAR – O ATAQUE À RELAÇÃO COM DEUS – Dn 5.1-3O rei Belsazar deu um grande banquete a mil dos seus grandes e bebeu vinho na presença dos mil.2 Enquanto Belsazar bebia e apreciava o vinho, mandou trazer os utensílios de ouro e de prata que Nabucodonosor, seu pai, tirara do templo, que estava em Jerusalém, para que neles bebessem o rei e os seus grandes, as suas mulheres e concubinas.3 Então, trouxeram os utensílios de ouro, que foram tirados do templo da Casa de Deus que estava em Jerusalém, e beberam neles o rei, os seus grandes e as suas mulheres e concubinas.” – Belsazar era um rei ímpio e festas e orgias eram sua rotina. Entretanto, no dia em que ele resolveu tocar nos objetos de ouro e prata, que um dia foram consagrados a Deus, que foram trazidos de Jerusalém e estavam guardados no tesouro real, então Deus não mais tolerou-o. Deus não se importava se Belsazar desejava viver na iniquidade. Ele respeita a decisão do homem, ainda que seu desejo seja que todos se salvem. Mas o que Deus não tolera é quando se toca de maneira iníqua naquilo que é seu. TOCAR DE MANEIRA INÍQUA NAQUILO QUE É DE DEUS é fazer a sua obra de maneira negligente, é ser leviano com as coisas de Deus. Esse principado se levanta para te fazer pecar contra Deus, com palavras, atitudes e pensamentos. Naquela mesma noite da sua transgressão, Belsazar foi sentenciado por Deus – MENE, MENE, TEQUEL PARSIMDn 5.25-28 e 30 – “Esta, pois, é a escritura que se traçou: MENE, MENE, TEQUEL e PARSIM.26 Esta é a interpretação daquilo: MENE: Contou Deus o teu reino e deu cabo dele.27 TEQUEL: Pesado foste na balança e achado em falta.28 PERES: Dividido foi o teu reino e dado aos medos e aos persas.30 Naquela mesma noite, foi morto Belsazar, rei dos caldeus.” – Daniel venceu esse Rei – decifrou o enigma, foi honrado. Belsazar morreu e Daniel mais uma vez, permaneceu! O inferno não te fará ser leviano na tua relação com Deus. Seremos zelosos com nossos ministérios e com aquilo que o Senhor colocar nas nossas mãos.

NOVEMBRO – DARIO – A POLÍTICA HUMANA E A INVEJA – Dn 6.4 Então, os presidentes e os sátrapas procuravam ocasião para acusar a Daniel a respeito do reino; mas não puderam achá-la, nem culpa alguma; porque ele era fiel, e não se achava nele nenhum erro nem culpa.” – O tempo estava passando e Daniel, sempre prosperando. O Inferno então se levanta com uma potente arma – a inveja, somada à política humana, que quer destruir a nossa relação com Deus, para nos fazer mal (eles queriam impedir Daniel de orar, de se relacionar com o seu Deus. Apesar de Dario gostar de Daniel e de ele estar já vivendo um tempo de honra no reino da Babilônia, agora ele é afrontado de tal maneira tal, pois o plano do inferno era mesmo acabar com ele. Mais uma vez, Daniel venceu! No mês de Novembro, teremos a vitória sobre toda assolação do Inferno através da inveja, da política humana. Aqueles que desejam o nosso mal não hão de prosperar. Nossa certeza é essa – Dario também passou e Daniel permaneceu em honra e prosperidade na província da Babilônia. Gn 41.52“Ao segundo, chamou-lhe Efraim, pois disse: Deus me fez próspero na terra da minha aflição.”

DEZEMBRO – CIRO – ENCERRAR O CICLO DE DEUS EM VITÓRIA - Ciro II (Kuruš em persa antigo), mais conhecido como Ciro, o Grande, foi rei da Pérsia entre 559 e 530 a.C. Em 539 a.C. Ciro conquistou a Babilônia. Os registros bíblicos informam que Ciro teria recebido uma mensagem divina que o ordenava a enviar de volta à Palestina todos os Judeus cativos naquela cidade. De qualquer forma, foi o autor de famosa declaração que em 537 a.C. autorizava os judeus a regressar à Judeia, pondo fim ao período do Cativeiro Babilónico. Em uma noite de 5/6 de outubro de 539 A.C., Ciro acampou em volta de Babilônia com seu exército. Enquanto os babilônicos festejavam, engenhosamente Ciro desviava as águas do Rio Eufrates para um lago artificial. Eles puderam atravessar o rio com a água na altura da cintura e entraram sem lutar, visto que os portões estavam abertos. Is 45.1 – “Assim diz o SENHOR ao seu ungido, a Ciro, a quem tomo pela mão direita, para abater as nações ante a sua face, e para descingir os lombos dos reis, e para abrir diante dele as portas, que não se fecharão.“ – O cativeiro começa em Nabucodonosor e termina em Ciro. Dezembro será o mês de não apenas encerrarmos o ano, mas de também vermos findar o ciclo do cativeiro. Voltaremos para Jerusalém em honra, Deus levantará “Ciros” para nos abençoar”



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal