Universidade federal de campina grande centro de humanidades



Baixar 56,04 Kb.
Encontro09.09.2017
Tamanho56,04 Kb.




UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE

CENTRO DE HUMANIDADES

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS

RELIGIOSIDADES E SISTEMAS SIMBÓLICOS
PROF: RODRIGO DE AZEREDO GRÜNEWALD

PERÍODO: 2009 / 2

4 CRÉDITOS
EMENTA:
OBJETIVO:


1ª Sessão: Apresentação do Curso ou ... Magia e Religião: Perigo!
VAN GENNEP, A. 1978. Os Ritos de Passagem. (Apresentação e Cap. 1). Petrópolis: Vozes. [1908].

FRAZER, J. G. 1950. “Magic and Religion”. In: The Golden Bough. New York: Mamillan. [1922].

DOUGLAS, M. 1976. Pureza e Perigo. (Introdução e Caps.: 1, 2, 4 e 6). São Paulo: Perspectiva. [1966].

2ª Sessão: Magia, Xamanismo e Performance.
MAUSS, M. 1974. “Esboço de uma Teoria Geral da Magia”. In: Sociologia e Antropologia, Vol. 1. São Paulo: epu/Edusp. [1902-1903].

LÉVI-STRAUSS, L. 1975 “O Feiticeiro e sua Magia”. In: Antropologia Estrutural. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro. [1949].

LÉVI-STRAUSS, L. 1975 “A Eficácia Simbólica”. In: Antropologia Estrutural. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro. [1949].

ELIADE, M. 1998. O Xamanismo. (Prefácio e Cap. 1). São Paulo: Martins Fontes. [1951].

SCHIEFFELIN, E. L. 2005. The Sorrow of the Lonely and the Burning of the Dancers. New York: Palgrave. [1976].

3ª Sessão: O Pensamento Selvagem?
DURKHEIM, E. & MAUSS, M. 1984. “Algumas Formas Primitivas de Classificação”. In: J. A. Rodrigues (Org.). Durkheim. São Paulo: Ática. [1903].

LÉVI-STRAUSS, L. 1989. O Pensamento Selvagem. (Caps.: 1 e 2). Campinas: Papirus. [1962].

VIVEIROS DE CASTRO, E. 2002. “ Perspectivismo e Multinaturalismo na América Indígena”. In: A Inconstância da Alma Selvagem. São Paulo: Cosac e Naify.
4ª Sessão: Elementos de Religião
HUBERT, H. & MAUSS, M. 1981. “Ensaio Sobre a Natureza e a Função do Sacrifício”. In: M. Mauss. Ensaios de Sociologia. São Paulo: Perspectiva. [1899].

MAUSS, M. 1981. “A Prece”. In: M. Mauss. Ensaios de Sociologia. São Paulo: Perspectiva. [1909].

LEWIS, I. M. 1977. Êxtase Religioso. (Prefácio e Caps: 1, 2 e 3). São Paulo: Perspectiva. [1971].

DURKHEIM, E. 1978. “As Formas Elementares da Vida Religiosa - Introdução e Conclusão”. In: Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural. [1912].



5ª Sessão: Pensando e Repensando o Lugar da Religião
BERGER, P. 1985. O Dossel Sagrado: elementos para uma teoria sociológica da religião. São Paulo: Paulus. [1969].

BOURDIEU, P. 1987. “Gênese e Estrutura do Campo Religioso”. In: A Economia ds Trocas Simbólicas. São Paulo: Perspectiva. [1971].

GEERTZ, C. 1978. “A Religião como Sistema Cultural”. In: A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: Zahar. [1966].

BAUMAN, Z. 1997. “Religião Pós-Moderna?”. In: O Mal-Estar da Pós-Modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

APPIAH, K. A. 2008. “Velhos Deuses, Novos Mundos”. In: Na Casa de Meu Pai: a África na Filosofia da Cultura. Rio de Janeiro: Contraponto. [1992].

BASTIDE, R. 2006. “O Sagrado Selvagem”. In: O Sagrado Selvagem e outros ensaios. São Paulo: Companhia das Letras. [1973].



6ª Sessão: Filosofando... Religião e Alteridade.
BASTIDE, R. 2006. “Um Misticismo sem Deuses”. In: O Sagrado Selvagem e outros ensaios. São Paulo: Companhia das Letras. [1931].

BELLO, A. A. 1998. Culturas e Religiões: uma leitura fenomenológica. (Caps.: 4, 5 e 6). Bauru: Edusc. [1997].

CSORDAS, T. 2004. “Asymptote of the Ineffable: Embodiment, Alterity, and Theory of Religion”. In: Current Anthropology, 45 (2).

7ª Sessão: Colonialismo, Cura e Política da Identidade.
TAUSSIG, M. 1993. Xamanismo, Colonialismo e o Homem Selvagem. Rio de Janeiro, Paz e Terra.

FETT, S. M. 2002. Working Cures: healing, health, and power on Southern Slave Plantations. Chapel Hill: The University of North Carolina Press.

CSORDAS, T. 1998. “Ritual Healing and the Politics of Identity in Contemporary Navajo Society”. In: American Ethnologist, 26 (1).

8ª Sessão: Religiosidades no Brasil: Arrogância Colonial e Tradução Cosmológica
VIVEIROS DE CASTRO, E. 2002. “ O Mármore e a Murta: sobre a Inconstância da Alma Selvagem”. In: A Inconstância da Alma Selvagem. São Paulo: Cosac e Naify.

POMPA, C. 2002. Religião como Tradução. (Parte 2). Bauru, EDUSC/ANPOCS.

VAINFAS, R. 1999. A Heresia dos Índios. (Caps.: 1 e 2). São Paulo, Companhia das Letras.

WADSWORTH, J. E. 2006. “Jurema and Batuque: Indians, Africans, and The Inquisition in Colonial Northeastern Brazi”. In: History of Religions, 46.




9ª Sessão: Brasil Sincrético
BASTIDE, R. 1983. “Contribuição ao Estudo do Sincretismo Católico-Fetichista”. In: Estudos Afro-Brasileiros. São Paulo: Perspectiva. [1946].

BASTIDE, R. 2006. “O Encontro entre Deuses Africanos e Espíritos Indígenas”. In: O Sagrado Selvagem e outros ensaios. São Paulo: Companhia das Letras. [1973].

FERRETI, S. 1995. Repensando o Sincretismo. (Parte I). São Paulo: Edusp.

ARAÚJO, W. S. 1999. Navegando Sobre as Ondas do Daime. Campinas: Unicamp.

PACHECO, G. 2004. Brinquedo de Cura: um estudo sobre a pajelança maranhense. Rio de Janeiro: Tese de Doutorado em Antropologia Social / Museu Nacional / UFRJ.

MAUÉS, R. H. 2005. “Um Aspecto da Diversidade Cultural do Caboclo Amazônico: a Religião”. In: Estudos Avançados, 19 (53).

BOYER, V. 1999. “O Pajé e o Caboclo: de Homem a Entidade”. In: Mana, 5 (1).

BRANDÃO, C. R. 2004. “Fronteira da Fé – Alguns sistemas de sentido, crenças e religiões no Brasil de hoje”. In: Estudos Avançados, 18 (52).



10ª Sessão: Reordenando o Campo Religioso no Brasil
PIERUCCI, A. F. 2004. “Secularização e Declínio do Catolicismo”. In: B. M. de Souza & L. M. Sá Martinho (Orgs.). Sociologia da Religião e Mudança Social. São Paulo: Paulus.

STEIL, C. A. 2001. “Pluralismo, Modernidade e Tradição. Transformações do Campo Religioso”. In: Ciências Sociais e Religião, 3. Porto Alegre.

GUERREIRO, S. 2006. Novos Movimentos Religiosos: o quadro brasileiro. São Paulo: Paulinas.

CARVALHO, J. J. 1999. “Um Espaço Público Encantado: Pluralidade Religiosa e Modernidade no Brasil”. In: Série Antropologia 249. Brasília: UnB.

GIUMBELLI, E. 2002. O Fim da Religião: Dilemas da Liberdade Religiosa no Brasil e na França. (Introdução, Partes III e IV e Considerações Finais). São Paulo: Attar editorial.

11ª Sessão: Novos Sujeitos Religiosos
PRANDI, R. 1999. “A Religião do Planeta Global”. In: A. P. Oro & e C. A. Steil (Orgs.). Globalização e Religião. Petrópolis, Vozes. [1997].

VELHO, O. 2007. “Religiosidade e Antropologia”. In: Mais Realista do que o Rei: ocidentalismo, religião e modernidades alternativas. Rio de Janeiro: Topbooks. [1986].

VELHO, O. 1995. “Novos Sujeitos Sociais”. In: Besta-Fera. Recriação do Mundo. Rio de Janeiro, Relume-Dumará. [1990].

VELHO, O. 1995. “Impedindo ou Criticando a Modernização?”. In: Besta-Fera. Recriação do Mundo. Rio de Janeiro, Relume-Dumará. [1991].

VELHO, O. 2007. “Ensaio Herético sobre a Gnose”. In: Mais Realista do que o Rei: ocidentalismo, religião e modernidades alternativas. Rio de Janeiro: Topbooks. [1998].

SOARES, L. E. 1994. “Religioso por Natureza: Cultura Alternativa e Misticismo Ecológico no Brasil”. In: O Rigor da Indisciplina. Ensaios de Antropologia Interpretativa. Rio de Janeiro, Relume-Dumará. [1989].

GRÜNEWALD, R. 2008. “Jurema e Novas Religiosidades Metropolitanas”. In:L. S. Almeida & A. H. L. da Silva (Orgs.). Índios do Nordeste: etnia, política e história. Maceió, Edufal.

SHANNON, J. H. 2001. “Sultans of Spin: Syrian Sacred Music on the World Stage”. In: American Anthropologist 105 (2): 266-277.

VELHO, O. 2007. “Mudanças Epistemológicas e os estudos da Religião”. In: Mais Realista do que o Rei: ocidentalismo, religião e modernidades alternativas. Rio de Janeiro: Topbooks. [2002].

12ª Sessão: Religião e Diáspora
JOHNSON, P. C. 2007. Diaspora Convertions: Black Carib Religion and the Recovery of Africa. Berkeley: University of California Press.

13ª Sessão: Religião e Diáspora II: Embodiment.
DANIEL, Y. 2005. Dancing Wisdom: Embodied Knowledge in Haitian Vodou, Cuban Yoruba, and Bahian Candomblé. Urbana and Chicago: University of Illinois Press.

14ª Sessão: Cura e Catolicismo: Embodiment.
CSORDAS, T. 1983. “The Rhetoric of Transformation in Ritual Healing”. In: Culture, Medicine, and Psychiatry, 7.

CSORDAS, T. 1994. The Sacred Self: a Cultural Phenomenology of Charismatic Healing. Berkeley: University of Califórnia Press.



15ª Sessão: Etnografia e Experiência Espiritual
WEST, H. G. 2007. Ethnographic Sorcery. Chicago: The University of Chicago Press..

KRIPPNER, S. 2008. “Learning from the Spirits: Candomblé, Umbanda, and Kardecismo in Recife, Brazil”. In: Anthropology of Conciousness, 19 (1).

TURNER, E. 2006. “Advances in the Study of Spirit Experience: Drawing together many threads”. In: Anthropology of Conciousness, 17 (2).

SUGESTÃO DE LEITURA PARALELA AO CURSO: Aprendizado!


STOLLER, P. & OLKES, C. 1987. In Sorcery’s Shadow. Chicago: The University of Chicago Press.



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal