Unidade universitária



Baixar 44,82 Kb.
Encontro09.07.2018
Tamanho44,82 Kb.

UNIDADE UNIVERSITÁRIA
PROGRAMA

DE

ENSINO

DA

GRADUAÇÃO

2016

FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA

CURSO

ARQUITETURA E URBANISMO

HABILITAÇÃO

BACHARELADO

DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL

PLANEJAMENTO, URBANISMO E AMBIENTE – Substituto a contratar


IDENTIFICAÇÃO

CÓDIGO

DISCIPLINA OU ESTÁGIO

SERIAÇÃO IDEAL

PLA1155S

COMUNICAÇÃO E LINGUAGEM URBANA

2º ANO


OBRIG./OPT./EST.

PRÉ E CO-REQUISITO

ANUAL/SEM.

OBRIGATÓRIA




1º SEM

CRÉDITO

CARGA HORÁRIA

DISTRIBUIÇÃO DA CARGA HORÁRIA




TOTAL

TEÓRICA

PRÁTICA


TEÓRICO/PRATICA

OUTRAS

04

60







60




NÚMERO MÁXIMO DE ALUNOS POR TURMA

AULAS TEÓRICAS

AULAS PRÁTICAS

AULAS TEÓRICO/PRÁTICAS

OUTRAS

40










OBJETIVOS

Capacitar os alunos para interpretar e analisar áreas da cidade com vistas à identificação dos elementos que definem o seu caráter como, por exemplo, a paisagem urbana. Fornecer aos alunos os subsídios necessários para a interpretação da imagem da cidade a partir do conjunto de elementos que a definem. Subsidiar o desenvolvimento de projetos em áreas urbanas consolidadas em disciplinas posteriores. Destacar os efeitos dos elementos empregados pelos arquitetos em seus projetos sobre os utentes.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

  1. A comunicação e a linguagem como processos sociais e históricos

  2. Imagem e Imaginário urbano

  3. Introdução à Morfologia Urbana

  4. Introdução à Análise Visual

  5. Introdução à Percepção Ambiental

  6. Introdução ao Comportamento Ambiental

  7. A Cidade Histórica no âmbito analítico/interpretativo

METODOLOGIA DE ENSINO

  • Aulas expositivas, trabalhos em grupo e trabalhos de campo.

  • As aulas semipresenciais (até 20% da carga horária total da disciplina) constarão de atividades tais como: leituras programadas, resolução de exercícios, elaboração de relatórios, levantamentos arquitetônicos e fichamentos de textos.



BIBLIOGRAFIA


Básica:

BOGÉA, Marta. Cidade errante: arquitetura em movimento. São Paulo: Editora Senac, 2009.

CHOAY, Françoise. O urbanismo. São Paulo: Perspectiva, 1992.

CORRÊA, Roberto Lobato; ROSENDAHL, Zeny (org.). Introdução à geografia cultural. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

CULLEN, Gordon. Paisagem Urbana. Lisboa: Edições 70, 1983.

DEL RIO, Vicente. Introdução ao desenho urbano no processo de planejamento. São Paulo: Pini, 1990.

KOOLHAAS, Rem. Nova Iorque delirante. São Paulo: Cosac & Naify, 2008.

KOHLSDORF, G. et al.: Dimensões Morfológicas da Arquitetura. Brasília: ARQ-IESPlan, 2000.

LAMAS, José M. Ressano Garcia. Morfologia urbana e desenho da cidade. Lisboa: Gulbenkian, 1993.

LYNCH, Kevin. A imagem da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1997.


PORTAS, Nuno. A cidade como arquitetura. Lisboa: Livros Horizonte, 2007.

PRINZ, Dieter. Urbanismo II - configuração urbana. Lisboa: Editorial Presença, 1984.

ROSSI, Aldo. A arquitetura da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1995.


SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de linguística geral. São Paulo: Cultrix, 2006.
Complementar:

ARGAN, Giulio Carlo. História da arte como história da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

BENTLEY, Ian. et alli. Entornos vitales: hacia un diseño urbano y arquitetónico mas humano. Barcelona: Gustavo Gilli, 1999

CALVINO, Ítalo. As cidades invisíveis.Trad. Diogo Mainardi. São Paulo: Cia das Letras, 2003.

KOOLHAAS, Rem. Três textos sobre a cidade. Barcelona: Gustavo Gili, 2014.

LAMOUNIER, Alex Assunção. Atmosferas de ruas – identificação de componentes e qualidades em LEMOS,

PIANO, Renzo. A responsabilidade do arquiteto. São Paulo: BEI, 2011.

SUDKIC, Deyan; BURDETT, Ricky. Living in the endless city. Hachette: Phaidon Press, 2011.

VENTURI, Robert; BROWN, Denise Scott. Aprendendo com Las Vegas. São Paulo: Cosac & Naify, 2003.

VILLAÇA, Flavio. Reflexões sobre as cidades brasileiras. São Paulo: NOBEL, 2012.




CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

O aluno deverá ser avaliado, individualmente, por meio da participação nos debates em sala e; em equipe, por meio da avaliação dos seminários apresentados e dos trabalhos elaborados.

INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO

Trabalhos em equipe;

Trabalhos individuais;

Fichamentos de leitura;

Participação em sala de aula.

O Regime de Recuperação (RR), previsto na Resolução Unesp nº 106 de 07/08/2012, será constituído por uma avaliação contendo todo o conteúdo programático.


MATERIAL INSTRUCIONAL

Bibliografia recomendada

AUTO-AVALIAÇÃO

Combinada previamente entre o docente e os discentes

EMENTA (Tópicos que caracterizam as unidades dos programas de ensino)

A comunicação como processo histórico. Linguagem conceitual e códigos expressivos (signos). A sobreposição de formas de comunicação e linguagem urbana ao longo da história da cidade. Identificação do caráter da cidade. Definição da imagem da cidade.

HORÁRIO DE ATENDIMENTO AO ALUNO:

A combinar com o docente.


APROVAÇÃO DEPTO: 26/10/15




CONSELHO DE CURSO:


COMISSÃO P. DE ENSINO:









©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal