Tormentos de amor



Baixar 119,99 Kb.
Encontro10.06.2018
Tamanho119,99 Kb.

TORMENTOS DE AMOR – Sinopse de Telenovela
TORMENTOS DE AMOR



DE JULIANO TENÓRIO




DATA DE FINALIZAÇÃO DA 1ª VERSÃO: 23 DE MARÇO DE 2011



Copyright by (seu nome)(ano) (seu endereço)

Todos direitos reservados (seu telefone)

Índice


  1. STORY LINE

  2. SINOPSE

  3. ARGUMENTOS

  4. PERFIL DE PERSONAGENS

  5. ESTRUTURA

    1. Época

    2. Ambientação

    3. Trilha Sonora Sugerida

    4. Objetos

    5. Cenários


1.INTRODUÇÃO

Nesta trama, o maior protagonista é o amor. O amor passional, carnal, maternal, filial – amor capaz das maiores belezas ou das maiores atrocidades. Valéria, Luanda, Marcela, três moças diferentes, destinos e histórias diferentes – mas todas ligadas por esse sentimento, pelas suas glórias e pelos seus tormentos.

Empresária, sonhadora, prostituta, evangélica, branca, negra, rica, pobre, todas tem o amor como elemento marcante em suas vidas, algumas como o redentor ou a fonte da própria destruição.

A TRAMA DE AMOR – Valéria e Henrique

Valéria parece ter tudo o que uma moça da sua idade poderia ter: é linda, rica, inteligente, viajada. Suas roupas são compradas na Europa ou, quando não tem tempo de viajar, nas caras lojas da Rua Oscar Freire, em São Paulo. No entanto, um olhar mais atento leva o telespectador a perceber que sua vida não é tão feliz quanto deveria ser. Valéria tem tudo, exceto amor. Sua mãe morreu de câncer quando Valéria tinha quinze anos, e seu pai, Alexandre, mal esperou o fim do período de luto para, casar-se com sua amante oficial, Laura. Laura assumiu o controle da casa e trouxe sua filha a tiracolo, a mimada e materialista Erica, cinco anos mais nova que Valéria. Dessa forma, Valéria, assim, passou a ficar aos cuidados da bondosa Inácia- a Nana –a governanta da casa e grande amiga da moça.

Nos dez anos que se seguiram a morte da mãe e a ao segundo casamento do pai, Valéria se tornou uma moça introspectiva, tímida, incapaz de acreditar em relacionamentos amorosos. Possuía pouquíssimos amigos. Namorado, nenhum. Enfim, era uma moça carente de amor e afeto, que sonhava todas as noites com um príncipe de armadura brilhante que apareceria em seu cavalo branco e a salvaria de uma família sem calor e carinho.

O príncipe aparece na figura de Caio Ferrer – na verdade, longe dos ideais nobres da realeza, e sim um jovem inescrupuloso e cheio de ambição. Seduzindo Valéria, pretendia apenas enriquecer facilmente. Não contava, entretanto, com a intromissão de Erica. Esta, como toda típica irmã da Cinderela, pretendia impedir a todo custo o final feliz da mocinha. No dia do casamento, forçou o noivo a beber um narcótico, deixando com que Valéria esperasse inutilmente pelo rapaz. Magoada, achando que Caio a havia abandonado propositalmente, Valéria tenta mesmo assassiná-lo, plano fracassado graças a intervenção de Alexandre e uma amiga da família, Sara Fonseca.

Decepcionada e desiludida, Valéria entra em profunda depressão. É então que Alexandre sugere que ela vá passar uma temporada na fazenda de seu irmão Aníbal, localizada na fictícia cidadezinha de santa Fé, em Mato Grosso. Tio Aníbal era meio afastado da família, mas certamente receberia uma sobrinha disposta a conhecer um pouco de sua realidade no interior do Brasil. Valéria aceita a proposta e acompanhada por nana, logo parte. Caio, por sua vez, observa o enlace, e sem chances de reconquistar Valéria, decide aceitar o plano de Erica de se unirem para roubarem a fortuna dos Sorrentino.

Enquanto isso, Valéria e Nana chega a santa Fé, cidadezinha esquecida no cerrado mato-grossense. Mas a viagem não transcorre de forma tranquila: pouco antes de chegarem, são atacadas por um grupo de salteadores, sendo salvas graças aos esforços de Henrique, um morador da cidade. A principio, Henrique e Valéria não se dão bem, mas Nana percebe que tanta raiva é uma mascara para o desejo mútuo que se acende entre os dois.

Finalmente Nana e Valéria chegam à fazenda e são recepcionadas. Aníbal, apesar de severo e autoritário, as recebe muito bem, já Augusta, irmã mais nova de Aníbal e tia de Valéria, é freqüentemente ríspida e irônica com a moça. Não aceita ser chamada de “tia” e ironiza o fato de uma moça da cidade vir passar umas férias na “roça”. Augusta, na verdade, sente grande inveja pela moça, e se valerá de artimanhas para ferí-la ou mesmo tentar mata-la. Ela também percebe que Aníbal sente algo muito mais carnal que o amor de um tio por Valéria, e se usa disso como uma carta na manga para manipulá-lo, como veremos mais tarde.

Durante sua estadia em Santa Fé, haverá muitas oportunidades para que Valéria e Henrique se encontrem. Ela descobre que ele é divorciado e tem um filho de dez anos, o que a princípio a impede de assumir seu amor pelo rapaz, forçando-a a voltar para São Paulo. No entanto, Henrique vai procurá-la (sob conselho da fada madrinha Nana) e declara o seu amor. Os dois iniciam um tumultuado romance. Embora o ame, Valéria tem medo de se casar. Está traumatizada com o abandono de Caio. Levará algum tempo para que Valéria aceite se casar com Henrique em uma cerimônia simples e modesta. Aliás, está cerimônia marcará o inicio da mudança da vida de Valéria, pois é nessa época que o golpe de Erica (lembram-se que ela se uniu a Caio para destruir os Sorrentino? ) é realizado. Graças a esse golpe, a empresa perde muito dinheiro, e Alexandre é acusado por desvio. Ele consegue responder ao processo em liberdade, mas tem todos os seus bens bloqueados. Alexandre pede ajuda a Aníbal, que, contrafeito, decide socorre-lo. Mas não acreditem na bondade de Aníbal. Ele não era nenhum santo, e alucinado por sua paixão profana, Vê, no retorno de Valéria a sua casa, a chance de saciar seus desejos incestuosos. Ele só não leva seus planos até o fim por que, pouco depois, é misteriosamente assassinado.

Com base em um testamente no mínimo suspeito, Augusta torna-se a única herdeira do irmão (Aníbal não tivera filhos, ao menos não tivera filhos legítimos, como veremos a seguir e nesse testamento, não deixou nada para Alexandre.) Triunfante, avisa que não aceitará Valéria, nem Henrique, nem mesmo o irmão Alexandre na sua fazenda. Assim, derrotados, Alexandre, sua filha e seu genro voltam para São Paulo, e sem alternativa, passam a morar em um casebre na Vila Boa Esperança (saberemos mais sobre este local em os Sonhos de Luanda).

Valéria, Henrique e Alexandre terão um grande aprendizado lá, pois à exceção de nana e de Sara Fonseca, os “amigos” da alta estirpe pareciam ter se esquecido deles. Os amigos de Valéria e Alexandre são agora os “populares”: Dolores, Rogéria, Januário, Clayton...

Mas como desgraça pouca é bobagem, mais fatos virão complicar a nossa trama: Henrique é formalmente acusado do assassinato de Aníbal e preso. Valéria descobre que está grávida. Ela nunca pensa em abortar a criança, embora Alexandre chegue mesmo a sugeri-lo. Ao ver Henrique preso, Alexandre vai procurá-lo na cadeia e, sem contar da gravidez de Valéria, implora para que ele não receba a moça, que finja que não deseja mais ser o marido de valeria. A intenção de Alexandre não é má, ao contrário, ele não quer apenas mitigar o sofrimento da filha. Henrique , envergonhando com a sua situação e emocionado com a postura de Alexandre, obedece. Em uma visita de Valéria, ele é grosso, diz que não a ama e que não quer mais vê-la. Essa humilhação a impede de contar que está esperando um filho desse homem que antes jurara amor, mas que agora a humilhava tão cruelmente. Valéria retorna a Vila Boa Esperança, aonde trabalha atualmente como lavadeira. Como sua vida mudara! Ela fora mesmo aquela menina rica que fazia compras na Oscar Freire?

Mas a vida continua. Apesar da vida humilde, Valéria se dá o direito de ter esperança: sua filhinha em breve virá ao mundo, Alexandre tenta criar um novo negócio (uma pizzaria) ali, mesmo, na vila... porém novos problemas irão atormenta-los.

Valéria começa a ter contrações no sétimo mês de gestação e com muita dificuldade, consegue dar a luz prematuramente. Mas a criança é muito fraca e nem mesmo os médicos sabem se ela conseguirá sobreviver. A situação alarmante de Valéria obriga Alexandre a tomar uma trágica decisão – a de suicidar-se. Em uma carta, ele explica que, com sua morte, Valéria poderá receber um seguro, um pequeno valor, mas que a ajudaria com as primeiras despesas com o bebê. Graças à intervenção dos vizinhos, Alexandre é socorrido a tempo.

Alexandre passa um bom tempo no hospital, e nesse meio tempo, ouve conselhos de muitas pessoas, que, nos tempos passados, ele não olharia duas vezes, por ser gente humilde. Todos eles tentam convence-lo a lutar, a resistir, pois, muito mais do que dinheiro, Valéria precisa do apoio do pai. Assim, Alexandre decide sobreviver e não fugir à luta.

Qual será o destino de Valéria? Ela conseguirá ser feliz ao lado de um algum novo amor? Ou sofrerá a vida toda pela rejeição de Henrique? Ela acabara se conformando com sua sorte, resignando-se com o destino que a levará a sofrer tantas agruras? O amor, diferentemente de outras novelas, será o arauto do sofrimento, em vez do previsível e esperado final feliz?

OS SONHOS DE LUANDA


A história de Luanda é a segunda de maior importância na trama e vai tratar de dois temas socialmente relevantes: a difícil e tortuosa busca pela realização de um sonho e a camuflada discriminação do negro em nossa sociedade.

Luanda é moradora da Vila Boa Esperança. É uma favela fictícia localizada no extremo sul de São Paulo, na região de parelheiros. Tem um pouco dos violentos morros do Rio de Janeiro (a maneira dos recentes filmes sobre o assunto e a novela Vidas Opostas, exibida com sucesso pela Rede Record ) e também um pouco das cidades dos filmes de faroeste. Existe muita gente boa, mas também gente malandra. No início da trama existe um trafico de drogas incipiente, que aumentará durante a história. As alternativas de lazer e de ascensão social são poucas.

Nesse mundo (porque a favela é um mundo a parte), nasce e cresce Luanda. Desde pequena, tem um sonho: o de se tornar cantora. Ela vê nessa profissão a esperança de ter uma vida melhor que a existência sombria e incerta da favela. Mas, num país como o nosso, a palavra “sonho” dificilmente pode fazer parte do dicionário de uma moça pobre e negra. Pelo menos é o que pensa Dolores e Januário, pais da garota. Dolores aconselha a filha a se conformar com a situação- “lugar de mulher preta e pobre é na cozinha, com uma pilha de louça pra lavar”. O pai, mais bruto, eternamente castigado pela vida, acha que a filha é uma preguiçosa, vadia, desejosa de uma “vida fácil”. As discussões entre os dois são constantes. Ele quer que Luanda arranje um emprego de faxineira, coisa que a moça detesta fazer. Ela não quer ser como a mãe.

Luanda só conta com um amigo para desabafar suas mágoas: Clayton, um jovem da sua idade e que secretamente gosta da moça. A mãe do rapaz, Rogéria, embora goste da moça, não se agrada totalmente dessa amizade: considera Luanda “avoada” e “sonhadora” demais.

Ao lado do sonho, existe o desejo se divertir, de rir e viver intensamente, como o de qualquer outro jovem. Luanda adora ir aos bailes funks dados na favela pelos traficantes. Em uma dessas festas, ela conhecerá Edmundo, numa situação insólita: o rapaz, machucado, esbarra nela e pede que o ajude a fugir de Coiote e Golias, dois dos traficantes que estavam aras dele para cobrar uma dívida. Luanda consegue esconde-lo na casa de Clayton. Quando melhora, Edmundo conta que viera a favela para pagara divida de drogas de um amigo, mas que os traficantes exigiram mais dinheiro. Surge uma instantânea atração entre Luanda e aquele rapaz misterioso, tão diferente dos rapazes da favela. Clayton, obviamente, antipatiza com o rapaz, mas é suficientemente racional para fazê-lo na frente de Luanda.

Os irmãos de Edmundo vêm buscá-lo, mas ele promete a Luanda que virá procurá-la. Eles iniciam uma amizade, mas logo se defrontam com as diferenças dos mundos em que vivem: em uma festa dada por Sara, mãe de Edmundo, Luanda é humilhada por Betina, namorada do rapaz , dizendo, entre outras coisas, “ que não existem contos de fadas com meninas negras”. Bem, talvez o de Luanda seja o primeiro.

Aos poucos, Edmundo termina seu relacionamento com Betina e inicia um namoro firme com Luanda. Betina, rica, bela, dissimulada, finge compreensão, mas logo maquina um plano para acabar com o namoro da “gata borralheira”. Unindo-se a Augusta, que lhe conta um segredo do passado de Sara (ver Sara, em personagens), ela chantagia Edmundo para que este largue Luanda e volte para ela. Edmundo, querendo proteger a mãe, aceita a barganha. Ele termina com Luanda, que sofre muito. Edmundo lhe prometera casamento e agora a abandonava! Betina, claro, faz questão que a noticia de seu casamento com Edmundo seja amplamente divulgada.

A noticia chega às mãos de Januário, que confronta Luanda. Envenenado por vizinhos invejosos, ele acredita que Luanda é uma moça vulgar, que se relaciona com homens ricos e comprometidos. Luanda tenta replicar, mas Januário não a ouve e ainda a expulsa de casa.

Luanda chega a passar a noite na rua, mas logo encontro ajuda na figura de Paulina, uma universitária em busca de uma colega com quem possa dividir as contas de seu apartamento. Luanda passa a morar com paulina, e enquanto procura um emprego e alimenta o seu sonho.

Um tempinho passa, e Luanda fica sabendo de um concurso de música e dança, patrocinando pela Grupo Manasses. Luanda se inscreve e facilmente vence várias etapas do concurso. O que ela não sabe é que o Grupo manasses pertence a Magnus Menasses, pai de Betina e Tito. Betina descobre que Luanda está no concurso e arma um plano para elimina-la. Luanda ouve dos jurados que “nunca chegará a nada” e que o melhor é que ela se torne “cantora de bordel”. Humilhada, a moça pensa em abandonar seu sonho e se resignar com uma vida normal. Mas o destino parece conspirar contra ela: seus empregos não dão certo, ela é sempre mandada embora ou mesmo se demitido. A certa altura vai trabalhar como faxineira em um hospital de crianças portadoras de deficiência. Uma das enfermeiras fica sabendo que Luanda gosta de cantar e sugere que a moça faça uma apresentação musical às crianças. Por coincidência, o poderoso Magnus manasses está presente e assiste a apresentação. Mais tarde, procura Luanda e decide ajuda-la em sua carreira.

Como não se podia deixar de esperar, Betina fica furiosa. Como não consegue arranhar a imagem de Luanda junto ao pai, começa a envenenar a mãe Isabel, dizendo que Magnus só está agenciando Luanda por que os dois são amantes. Isabel faz um escândalo, o que só piora a difícil situação enfrentada pelo casal. A verdade é que Betina não está totalmente enganada, pois Magnus está a cada dia mais encantado por Luanda, embora esta não lhe dê confiança.

A carreira de Luanda entra em ascensão – ela está ganhando dinheiro comprou uma bela casa, trouxe os pais para morar junto dela - mas suas esperanças amorosas entram em declínio: Edmundo casa-se com Betina e mantém uma relação estável, apesar de tudo. Betina sabe seduzir, se fingir de boa esposa para afastá-lo da “gata borralheira”. Mesmo assim, Edmundo é ainda apaixonado por Luanda, chega a procurá-la no camarim da moça na noite de sua primeira apresentação. Luanda o rejeita, mas sofre com essa situação. Essa dor acabará levando aos perigosos caminhos muitas vezes traçados pr aqueles que ascendem ao estrelado: o álcool, o prazer fácil, as drogas. Luanda se envolve com Mateus, um belo e problemático ator, envolvido em negócios escusos e viciado em cocaína. Os pais de Luanda, claro, não concordam com aquela situação, e voltam a viver na favela. Desamparada, com uma menina que não sabe decifrar seus sonhos e pesadelos - Luanda ainda mais naquele relacionamento conturbado, enquanto os flashes e a glória espocam a cada instante. Ela é feliz no palco e extremamente infeliz fora dele. No palco, ela brilha, emociona, estremece as fundações da terra com sua voz. Nos bastidores, é vitima da ambição, do orgulho, das agressões de um namorado violento e traiçoeiro.

O que a vida reservará a Luanda? A redenção ou a destruição? Ela conseguirá ser feliz me seu sonho de cantora? Será feliz ao lado de Edmundo? Ou sua vida terá um trágico e estúpido fim?

Só saberemos se a novela for produzida, se Luanda deixar de ser um personagem de papel e assumir a forma viva por uma atriz a altura dela.

OS BANDIDOS


Na favela Boa Esperança, o tráfico de drogas começa a se fortalecer sob o comando do faraó. Este já velho, contrariava o princípio de que “todo bandido morre novo”, sabia que seu reinado não seria eterno. Dois homens disputavam o posto de dono da “quebrada”, líder do tráfico da região.

Um deles é Escorpião. Desde pequeno iniciado na vida no crime. Órfão de pais, passou a infância e adolescência na Fundação Casa (na época, FEBEM). Também foi preso vários vezes. Mas se o que o poeta diz é certo, se “cadeia é pra homem”, Escorpião pode se considerar um homem a altura para encarar os seus objetivos.

O outro é Minotauro. Nascido Maicon, teve a vida humilde de um pobre trabalhador. Mas logo ele percebeu as diferenças e as injustiças do mundo. Sim, porque era injusto ver o pai trabalhar duro o dia inteiro para trazer alguns centavos para casa, enquanto os bandidos andavam de moto e roupas da moda, graças ao tráfico de drogas. Maicon tentou seguir pelo tão falado “caminho do bem”, arranjou emprego cedo, arranjou uma boa namorada ( Marcela) , mas é como a Bíblia diz, “ o caminho do bem é estreito, largo e espaçoso é o caminho da destruição”. E assim, Maicon partiu para o caminho da destruição ( pelo menos na mente dos escritores bíblicos). Em pouco tempo, conseguiu poder e prestigio, a ponto de fazer páreo a Escorpião.

Durante toda a trama, os dois rivalizaram na busca do poder. Em um primeiro movimento, Minotauro conseguirá colocar Escorpião de escanteio, ajudando a prende-lo, depois Escorpião o colocará atrás das grades. O retorno de Minotauro marcará o fortalecimento dos dois partidos, que se tornarão dois grandes comandos que trarão medo e pânico a cidade de São Paulo, à moda do PCC (na novela, Minotauro e Escorpião conseguirão marcar um horário de recolher para a população, da mesma forma que fez o Primeiro Comando da Capital em 2006).

Dentro de ambos os partidos existirão aliados, espiões e inimigos. No partido de Minotauro, por exemplo, surgirá um nome inusitado: o de Henrique. Mocinho e vilão se conhecerão na cadeia e uma curiosa amizade surgirá entre eles, que poderá alterar os valores morais de ambos. Quanto ao partido de Escorpião, estará a Augusta, tia de Valéria. Como ele chegou até ali, veremos no próximo tópico.


AUGUSTÍSSIMA


Augusta Sorrentino é uma mulher que nasceu nas sombras. Sua mãe morrer ao lhe dar a luz, o que lhe valeu o eterno desprezo do pai. Passou a ser criada sob a influencia e domínio de Aníbal. Vestia-se como uma asceta, mas seu coração enchia-se de pecado.

Seu único amor é Henrique, mas o rapaz nunca lhe dirigiu sequer um olhar. E quem olharia para aquela moça envelhecida antes do tempo, que se vestia de preto e só sabia tocar músicas tétricas no piano da sala de casa? Ao conhecer Valéria, a bela sobrinha paulistana, o coração da moça envelhecida encheu-se de inveja. Por que ela não poderia ser como a outra? A inveja e ódio aumentaram ainda mais quando Augusta percebeu que Henrique se interessava pela moça bonita de São Paulo.

Como mudar essa situação? Como enfrentar aquela rival - que nem rival poderia se dizer propriamente, uma vez que não parecia ter chances com Henrique? Como deixar de ser aquela mulher de aspecto soturno e se tornar uma mulher bela atraente?

Em busca de resposta, Augusta parte para São Paulo. Lá, faz amizade com Betina, que lhe mostrar o mundo da moda e do estilo. Augusta passa e se vestir bem e impressiona a todas, arrancando o comentário de Caio de que ela estava “escondendo a beleza”. Aliás, Caio se torna um dos vários amantes que Augusta terá durante a trama.

Mesmo assim, ela não atingiu o seu principal objetivo: a atenção de Henrique. Um encontro com Calama, que havia fugido da fazenda após seu malfadado ataque a Valéria (ver A Trama Central), leva Augusta a um outro homem: Escorpião.

Tudo começou com uma chantagem. Calama “pedia” certa quantidade dinheiro em troca de silêncio. Mas Augusta não cedeu. Então calama explicou que precisa do dinheiro para ajudar um terrível bandido da favela onde morava. Se não o ajudasse, certamente o bandido o retaliaria. Augusta toma conhecimento da história e decide conhecer o tal bandido. Ao saber que Escorpião estava num esquema lucrativo de tráfico de drogas, decide ajuda-lo, que a condição de unir-se a ele. Com Augusta, seria mais fácil realizar a “lavagem” do dinheiro, ela era inteligente, rica, poderia tratar dessa parte. E assim surgiu a união Augusta - Escorpião. Claro que a união não apenas profissional...

O poder do partido de Escorpião cresce em São Paulo, Augusta conhece o poder e o luxo advindos da miséria, mas seu coração ainda continua batendo por Henrique. Em uma das brigas entre seu partido e o do Minotauro, ele tornará a ver Henrique, recém-fugido da prisão. Será então que ela terá de fazer uma difícil escolha... o amor ou o poder?

A DEUSA DO AMOR E DA GUERRA

Ares, ou marte, é o deus da guerra. Poderoso, incisivo, imponente, teve um caso com Afrodite, mulher do feio e desengonçado Vulcano. Seus filhos – Marcelos e Marcelas de todo mundo - tem em seu nome a representação da força e audácia do personagem mitológica.

Em nossa trama, Marcela também faz tem uma guerra a enfrentar. Mas esta é bem diferente da de seu predecessor mitológico.

Marcela é prostituta. Entrou para a “vida” cedo, e apesar de bonita, ainda é a típica “prostituta de calçada” do grupo de mulheres que se vendem nas ruas, ou em “inferninhos” localizados na Rua Augusta. Sua iniciação aconteceu na Vila Boa Esperança, onde mora.

A mãe de Marcela havia morrido, o pai se tornara alcoólatra. Marcela só contava com a avó Guida e com o namorado Maicon. Mas Guida já estava idosa e Maicon era um rapaz confuso, embevecido pela vida do crime.

A queda ocorreu de uma maneira comum: Oséias, marido de Rogéria, ofereceu dinheiro a moça para que se deitasse com ele. Marcaram um encontra na própria casa de Oséias, enquanto geria saia em uma excursão com as amigas evangélicas, mas Rogéria voltou mais cedo, flagrando o marido e a moça. Rogéria perdoo o marido, mas atacou cruelmente a moça, espalhando o boato de que Marcela era prostituto. Maicon, revoltado, abandonou a moça e tornou-se Minotauro, o pai de marcela morreu de desgosto, e Marcela, sem alternativa, entregou-se a prostituição.


***

Essas são as tramas principais da história. Claro que existem outras tramas menores, de personagens menores, ou mesmo de personagens grandes, mas acabaria sendo cansativo enumerar todas elas, uma que já estão mais ou menos esboçadas nas histórias já descritas. Espero que, se o avaliador tenha chegado até aqui, as tramas tenha lhe interessado.



OS PERSONAGENS


Atenção: a ordem de colocação dos personagens não é, necessariamente, a ordem de importância de cada papel.
1 -VALÉRIA – Única filha biológica de Alexandre, Valéria é a pobre menina rica. Perdeu a mãe para o câncer quando tinha dez anos. Um mês depois, seu pai casou-se com a sua amante “oficial” Laura Camargo, que já possuía uma filha de outro relacionamento, Erica. Valéria sempre sofreu com isso e tornou-se uma moça introspectiva, fechada, incapaz de se relacionar com um homem. Sua única amiga verdadeira é a babá, Inácia (Nana).

Valéria se apaixonará por Caio Ferrer, um sedutor, mas será abandonada. Seu amor verdadeiro é Henrique Fellini, mas ela sofrerá muito para aceitar esse amor, devido a preconceitos (ele é divorciado e tem um filho de sete anos) e ao mistério que envolve a vida do rapaz (ele suspeita que Aníbal, tio de Valéria, assassinou seus pais).


2 – HENRIQUE FELLINI – branco,35 anos.Remanescente da família Fellini, Henrique é um auxiliar jurídico pro-bono. Foi criado humildemente, pois a fortuna de sua família passou para as mãos de Aníbal. Aos 23 engravidou Maria Flor, com quem se casou logo depois. Ele sonhava em se tornar delegado de justiça, mas não encontrou o apoio da esposa, que se envolveu com seu colega de faculdade, Gomes. Gomes roubou-lhe a mulher e passou no concurso, tornando-se o delegado de Santa Fé. Além disso, o juiz deu a guarda do filho Guilherme para Maria Flor.

Henrique odeia Aníbal e sonha com uma oportunidade de vingar-se. O aparecimento de Valério e o amor sincero que nutrirá pela moça confundirão seus sentimentos.


3 - LUANDA - Tem vinte e poucos anos, negra.Moça bonita e inteligente, Luanda sonha com uma vida melhor para si e sua família. Quer ser cantora, embora viva num mundo sem oportunidades. Moradora da favela Boa Esperança, é querida por todos, por sua simpatia e carisma. A única pessoa com quem se desentende é o pai, que quer vê-la trabalhando e ajudando no orçamento familiar. Mas Luanda é visionária, não quer para si a mesma vida que a mãe.

Apaixonar-se-á por Edmundo, um amor impossível, já que tanto seu pai quanto a família do rapaz se interporão contra a união. Luanda será expulsa de casa, e trilhará caminhos difíceis até chegar a estrelato. Sua antagonista é Betina, noiva e esposa de Edmundo, que fará de tudo para destruí-la.


A FAMÍLIA SORRENTINO
4 - ANÍBAL - 55 anos, bem apessoado, principal vilão da trama. Homem rígido, toma conta da fazenda a punho de ferra. Também possui um passado secreto: na verdade, ele é filho de Agenor com uma prostituta. A prostituta tentou haver os direitos da criança e foi assassinada na frente de Aníbal, que este tinha dez anos á época. Agenor expulsou Aníbal, mas Ana Lúcia, esposa de Agenor, uma mulher de bom coração e na época grávida de Alexandre, pediu que legitimasse o menino. Mas pai e filho nunca se entenderam, e em Aníbal chamejava o desejo de vingança. Seu plano era tomar toda a fortuna, e por isso decidiu que Agenor deveria deserdar Alexandre,. Quanto a Augusta, cujo nascimento levara Ana a morte, não via como obstáculo, ele apenas se preocupou em torná-la uma sombra sob seu domínio.

Para atingir seu objetivo, estimulou o romance entre Alexandre e Sara, do qual Agenor não concordava. Estimulou o pai a expulsá-lo, alegando que Sara não passava de uma aventureira, que engravidara de algum estranho. Agenor deserdou o filho e este foi para São Paulo.

Na época, Aníbal se apaixonou com Ofélia, uma mulher tão bela quanto perigosa. Ela queria apenas casar-se com Aníbal pela roubar-lhe a fortuna, pois seu verdadeiro amor era Leôncio Fellini, rapaz de família rica. Mas Aníbal descobriu a trama e planejou a morte dos dois. Ofélia estava grávida, e antes de morrer, deu a luz a Henrique. Mais tarde saberemos que Henrique é filho de Aníbal.

Aníbal sentirá um amor incestuoso por Valéria e fará de tudo para saciá-lo.


5 - ALEXANDRE – Filho do meio de Agenor (morto antes do início da trama), é um homem severo e calculista. Dono de uma empresa, é o típico executivo. É casado com Laura, mas possui várias amantes jovens, como a secretária Flora.

No entanto, seu grande amor é mesmo Sara. No passado, Sara era uma colona da fazenda. Alexandre apaixonou-se por ela, e mesmo contra gosto de Agenor, assumiram esse amor. Entretanto, Aníbal, seguindo seus pérfidos planos de tomar toda a herança para si, violentou a moça. Sara, que pedira para se entregar apenas após o casamento, apareceu grávida, e Alexandre, julgando-a uma mulher falsa e mentirosa, abandonou-a ao léu.


6 – AUGUSTA – Grande vilã da trama, ao lado do irmão mais velho, Aníbal. Dotada de pouco auto-estima, veste-se como uma freira, e tenta se comportar como uma mulher religiosa, embora seu coração seja repleto de pecado. Toca piano com maestria e é excelente organizadora.

Inveja Valéria do fundo do coração e fará de tudo para destruí-la. Durante a trama, abandonará o visual “asceta” e se vestirá ao gosto da moda. Conhecerá Escorpião, de quem se tornará amante, e o auxiliará no tráfico de drogas.


7 - LAURA – 36 anos. Segunda esposa de Alexandre. Tem uma filha, Erica. É uma mulher ainda apaixonada pelo marido, e sofre muito com sua indiferença. Tenta encontrar conforto na bebida. Seu personagem abordará o alcoolismo das mulheres.
8 - ERICA – 18 anos, filha de Laura, foi adotada formalmente por Alexandre. Odeia Valéria de forma quase infantil. . Age como uma menina mimada, mas é uma mulher fria e perigosa. Enquanto a mãe, Laura, é apenas uma mulher amargurada, Erica é ressentida e rancorosa. Vai se unir a Caio para destruir a família Sorrentino
9 – CAIO FERRER – 27/28 anos, branco, sem profissão definida, Caio é um espécie de bon vivant às avessas. Malandro, trabalhava como miché, envolvendo-se com senhoras e moças pouco satisfeitas com a vida amorosa e sexual. Conheceu Valéria, moça rica, bonita e inexperiente, e viu nela uma chance de subir na vida. Seduziu a moça rapidamente, a ponto de conseguir marcar o casamento poucos meses após conhecê-la. No entanto, a trama de Erica põe fim aos seus planos. Decide casar-se com Erica, embora a deteste, para se vingar de Alexandre, que sempre o desprezou e reaproximar-se de Valéria.

Seus sentimentos por Valéria são confusos e mal definidos.



A FAMÍLIA FONSECA



10 - SARA –50 anos. Nasceu moça simples, filha de uma colona da fazenda Sorrentino. Apaixonou-se por Alexandre, que lhe prometeu casamento. Mas a ambição de Aníbal resolveu aproveitar-se da situação e este a violentou. Alexandre, julgando que Sara era uma mulher vulgar, a abandonou. Sara descobriu que estava grávida e partiu para São Paulo em busca de uma vida melhor. Foi trabalhar na casa de um rico viúvo, Ricardo Fonseca, que se apaixonou pela moça e decidiu assumir a o filho da moça como seu. Assim, Cassiano foi registrado como filho sanguíneo de Fonseca. Anos mais tarde, se reencontrará com Alexandre, e perceberá que seu amor por ele ainda é forte.

É uma mulher doce, sensível, de bons sentimentos, ainda que facilmente manipulável. Cassiano e Betina diversas vezes a chantagearão.


11 - CASSIANO –30 anos. Filho mais velho de Sara. Vive ainda com a mãe, embora se ressinta disso. É cheio de preconceitos, ambicioso e invejo, bem diferente dos irmãos mais novos. Agride moralmente a mãe.
12 - RICARDO –26/27 anos. Segundo filho de Sara. É um rapaz tranquilo, despreocupado, gosta de festas e baladas noturnas. Não dá muita atenção aos problemas familiares, não por que desgoste da família, mas por simples alienação. Vai se apaixonar por Marcela. No decorrer da trama, descobrirá que está com AIDS.
13 - EDMUNDO – 24 anos. Filho caçula de sara, é mais idealista, com mais consciência social e política. Gosta de ajudar todos. Conhecerá Luanda e se apaixonará perdidamente pela moça. Mas terá que enfrentar as chantagens de Betina.
O NÚCLEO DA VILA BOA ESPERANÇA
14 - JANUÁRIO –55 anos, negro, pedreiro. Homem simples, humilde, nordestino, de princípios retos e um tanto conservadores. Não concorda com a ideia de Luanda se tornar cantora, acha que toda mulher artista é de certa forma, uma prostituta. Ao pensar que Luanda mantém um caso com Edmundo quando este for se casar com Betina, expulsa a filha de casa.
15 - DOLORES –50 anos, negra, faxineira diarista. Esposa de Januário. Mulher simples, de bons valores, honesta, carismática, dedicada à família e aos amigos. Vê o relacionamento da filha com Edmundo com desconfiança, pensa que o rapaz só quer aproveitar-se da moça. Sofrerá com a expulsão da filha e procurará encontrar-se com ela as escondidas.
16 - ROGÉRIA –50 anos, branca ou mulata, faxineira diarista. Mãe de Clayton. Evangélica, porém preconceituosa. Odeia a prostituta Marcela mais do que tudo, e não suportará o relacionamento do seu filho com a moça.
17 – CLAYTON – 20 anos, mulato ou negro. Sonha em fazer curso superior e mudar a vida dos moradores da favela Boa Esperança. É apaixonado por Luanda, mas depois se interessará por Marcela. Abandonará o sonho de ser advogado para se tornar policial. Possivelmente liderará um ataque a favela e aos traficantes.
18 - MARCELA – 25 anos, branca, cabelos tingidos de louro platinado. Marcela perdeu os pais em uma grande guerra entre traficantes que houve na favela. Sua avó, Guida, foi alvejada e ficou paraplégica. Sem recurso de qualquer tipo, Marcela foi obrigada a recorrer à prostituição. É humilhada por várias mulheres “decentes” da favela, inclusive Rogéria, mãe de Clayton. Após se tornar prostitua, restaram-lhe poucos amigos, como Luanda, Clayton e Dolores. A vida que leva roubou-lhe qualquer tipo de sonho, ela não vive, apenas sobrevive.

Durante a trama, se envolverá com Ricardo e Clayton, que disputarão seu amor. Ambos sabem que ela é prostituta e a aceitam como ela é. Ela aceitará o amor de Ricardo, mas se apaixonará por Clayton.


18 - GUIDA – 70 anos, branca, humilde e paraplégica. Sofre ao ver a neta se prostituindo, e ao saber que é do dinheiro advindo desse oficio que as sustenta. Será humilhada por Rogéria e por Minotauro.

OS BANDIDOS



19 - ESCORPIÃO – 28 anos, negro ou mulato. Já passou pela Fundação Casa e foi preso inúmeras vezes. Seu objetivo é tomar o “ponto” de Faraó e se tornar o maior traficante da favela. Rivaliza com Minotauro pela tomada do poder. Vai se unir a Augusta, e acabará se apaixonando. Terá uma reação violenta ao saber que Augusta é apaixonada por Henrique.
20 - MINOTAURO – 25 anos, branco. Entrou para o crime bem mais tarde, mas nem por isso é menos perigoso que Escorpião. É loucamente apaixonado por Marcela, um amor psicótico e que beira o sadismo. Brigará constantemente com Escorpião pela posse da favela.

OS MORADORES DE SANTA FÉ



21 – SEU MÁRIO – 40 anos, com forte sotaque caipira. Principal empregado da fazenda, bom caráter. Vai se apaixonar por Juventina, e abordará a moça toda vez que a ver.
22- FRANCISCA – 25 anos. Moça simples e ingênua, se casou com Calama cedo e teve um filho: Pé-de-Vento. Ainda ama Calama, embora seja frequentemente agredida por ele. Conhece Sara na época em que esta morou na fazenda. No inicio da novela, reatarão essa amizade. Será assassinada pelo marido no meio da trama.
23 - GOMES – 35 anos. Delegado da cidadezinha de Santa Fé. Corrupto e imoral, inveja Henrique, chegando a tomar-lhe a mulher. É um capacho de Aníbal e não raro se une a Augusta em planos sonhos. É safado, sensual, capaz de violentar a esposa Maria Flor e de sair com mulheres casadas.
24 – MARIA FLOR – 30 anos. Deixou-se levar pela lábia de Gomes e largou o marido Henrique para casar-se com ele. Hoje, é agredida por Gomes e ainda ma Henrique. Terá um grande ciúme de inveja de Valéria, fará de tudo para separá-la de Henrique.
25 – PÉ DE VENTO – 10 anos, filho de Francisca e Calama. É amigo de Guilherme.
26 – GUILHERME FELLINI -10 anos, filho de Henrique e Maria Flor. Seu sonho é que os pais voltem a viver juntos. Antagonizará Valéria por influência da mãe.
27 - CALAMA – 45-50 anos. Colono da fazenda Sorrentino, pau mandado de Augusta, comete diversos tipos de crime. Após um mal sucedido ataque a Valéria, foge para São Paulo, a procura do primo, que mora na favela Boa Esperança. Lá, começa a trabalhar para Escorpião.
28 – JORGE BARCELOS – 45 anos, médico da cidade. Dedicado ao trabalho, tenta ajudar os moradores muito mais do que só indicando receitas. É grande amigo de Henrique.

FAMÍLIA MANASSÉS



29 - MAGNUS - 55 anos. Elegante e bem-apessoado, dirige uma gravadora. Ajudará Luanda em sua carreira musical.
30 - ISABEL – 50 anos. Rica, socialite, soberba, preconceituosa. Dá valor a sobrenomes e posição social. Aceita passivamente os erros da filha, não tem coragem de repreendê-la e ainda impede que Magnus o faça.
31 - TITO – 28 anos, filho mais velho de Magnus e Isabel. Delicado, sensível, um tanto afeminado. No decorrer da trama, aceitará que é homossexual.
32 - BETINA – 24 anos, filha mais nova de magnus e Isabel. Arrogante e mimada, fará de tudo para ficar com Edmundo. Humilha Luanda por esta ser negra. Apesar de tudo, ama o irmão e o protegerá quando este assumir sua homossexualidade à família.

OUTROS PERSONAGENS



33 - MARCOS– 25 anos. Pilantra como caio, trabalha como michê. Usuário de drogas. Terá um romance com Flora.

34 - FLORA – 25-27 anos, amante de Alexandre, trabalha como secretária na empresa. É chantageada pelo irmão Golias, que lhe pede dinheiro. Quando o seu relacionamento com Alexandre vier á tona, este a mandará embora. Ela se unirá a Caio e Erica para se vingar.

35 – JUVENTINA – 35 anos, empregada da família Sorrentino. É petulante, engraçada e irreverente. Afora uma fofoca. Fugirá das investidas amorosas de Seu Mário.

36 - MANOLO – 45 anos, português dono do boteco da favela.

PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS E PERSONAGENS DE APOIO


FARAÓ – 50 anos, o primeiro chefe do crime na favela, será morto em uma cilada armada por Escorpião.

GOLIAS – 30 anos, branco, irmão de Flora. Mora na favela Boa Esperança, trabalha para Minotauro, mas o trairá a pedido de Escorpião. Morto nos primeiros capítulos.

HABACUQUE – 30 anos, mulato, assecla de Minotauro. Será mosto por Clayton.

ZOIO – 18 anos, magrinho, olhos grandes. Trabalha para Minotauro.

PAPAI NOEL – 40 anos, trabalha para Escorpião.

NILTINHO – 25 anos, trabalha para Escorpião.

TESTA – 20 anos, primo distante de Calama. Trabalha para Escorpião.

COIOTE – 25 anos. Trabalha para Minotauro.

SARARÁ - 25 anos, rapaz mulato ou negro com os cabelos oxigenados.Trabalha para Minotauro.


SENSEI – 25 anos, descende de japonês, perito no manejo de espadas. Trabalha para Escorpião. No início da trama, ainda não mora na favela, passará a morar quando Escorpião tomá-la de Minotauro.

LORDEIRO – 40 anos, policial que trabalha na delegacia de Gomes, em Santa Fé.


FIGURAÇÃO FIXA (SEM FALA)


Bandidos ( tanto comparsas de Escorpião quanto de Minotauro)

Personagens da cidade de Santa Fé.

ÉPOCA

A história se passa no tempo presente, mas em três cenários distintos: Alta São Paulo (bairros nobres), Periferia (bairros pobres) e Interior (fazenda de Aníbal e cidadezinha de Santa Fé). Embora a época seja única para os três ambientes, é importante analisar alguns contrastes temporais que podem existir nesses três ambientes. Na alta São Paulo entraremos em contato com a elite branca e a modernidade importada dos paises ricos, já na baixa São Paulo conheceremos o lado pobre da cidade e os atrasos em relação a tecnologia (alguns personagens não possuem celular, por exemplo). Finalmente, no Interior, a vida caipira e com seus últimos vestígios de inocência e o poder ainda grande dos latifundiários.

Portanto, mais do que simplesmente “copiar” a época da história de maneira alienada ou a la Globo, sugere-se, nesta telenovela, uma reflexão dos tempos e do mundo em que vivemos. O interior, ainda ingênuo, de pessoas inocentes, se mescla à violência da cidade grande, aos comandos da capital, ao tráfico de drogas, ao Estado paralelo, as modernas tecnologias.

A MÚSICA


Quanto à música, sugere-se um play list bem eclético. As novelas da Globo cometem o crasso erro de reunir músicas em português e recentes sucessos americanos – uma técnica comercialmente inteligente, óbvio, porém não traz inovações, não enriquece o patrimônio musical dos telespectadores.

Em Tormentos de Amor são tocadas musicas em português, francês, italiano, espanhol, japonês e russo.

A abertura da novela sugere-se “Tormento de Amor” de Marcela Morello, em espanhol. Esta será o tema do casal principal (Valéria e Henrique), além da italiana “Mi Mancherai”, na versão de Josh Groban (que foi tema da novela “Esmeralda”, na versão adaptada pelo SBT).

O segundo casal protagonista (Luanda e Edmundo) terão como tema “Akai Ito- 366 days”, na sua versão vocal e piano pelo grupo japonês HeartY e também “Entra em mi vida” de Sin Banderas.

Alguns personagens terão suas próprias músicas-temas, como Betina (“Immortelle”, de Lara Fabian) e Clayton (Um dia de domingo, Tim Maia e Gal Costa).
1.PLAY LIST


  1. Tormento de Amor, Marcela Morello - abertura

  2. Akai Ito, Hearty – tema de Luanda

  3. Um dia de domingo, Tim Maia & Gal Costa – tema de Clayton

  4. Esquadros, Adriana Calcanhoto

  5. I Skovens Dybe Ro, Sissel

  6. Mi mancherai, Josh Groban – tema de Valéria

  7. Je t’aime, Lara Fabian – tema de Betina

  8. Entra en mi vida, Sin Banderas

  9. Humanity, Ennio Morricone – tema de Aníbal

  10. Un coeur du houver, Ravel – tema de Augusta

  11. Encantado,Maria Bethania – Tema de Tito


OBJETOS

Alguns personagens possuem objetos que marcam seu personagem – por exemplo, o piano de cauda de Augusta, as armas de Escorpião. Fora isso, não haverá muitos objetos “particulares” para os personagens.



AMBIENTAÇÃO

A maior parte das cenas ocorrerá em São Paulo, com um bom numero de externas. Arquivos de imagens da Alta São Paulo (Avenida Paulista e bairros nobres) e também da Baixa São Paulo (bairros de periferia), durante o dia e durante a noite, são imprescindíveis.

Na baixa São Paulo, muitas cenas serão gravadas na rua, portanto, é necessário conseguir esses espaços, de preferência em uma favela real.

Contrapondo São Paulo, algumas cenas serão gravadas na cidade fictícia de Santa Fé. Deve ser uma cidadezinha simples, típica do interior, e portanto fácil de ser construída. Deve possuir delegacia, igreja, motel, mercadinho, casa de Henrique, escritório de Henrique, casa de Gomes.

O último cenário é a fazenda Santa Fé, pertencente a Aníbal. Sua casa é um casarão ao estilo colonial, semelhante aos da casa das novelas de escravidão.
CENÁRIOS
SANTA FÉ


  1. FAZENDA SORRENTINO

  1. EXTERIORES

    1. FACHADA DA MANSÃO, estilo colonial, semelhante a da época da escravidão.

    2. JARDIM, ali será realizado casamentos e os personagens poderão tomar o desjejum ou simplesmente prosear.

    3. ESTÁBULO, com cavalos ( Valéria é uma excelente amazona)

  2. INTERIORES

  1. SALA, ambiente interno principal, bem decorado, conservador, de mobília pesada, com um piano de cauda.

  2. ESCRITÓRIO DE ANÍBAL, com uma estante cheia de livros, uma escrivaninha pesada, muito bem decorada. É ali onde Tibério vive realmente, e onde se reúne aos seus asseclas;

  3. QUARTO DE ANÍBAL, quarto sóbrio, masculino, escuro.

  4. QUARTO DE AUGUSTA, é um quarto sóbrio, lembra um pouco a cela de freiras.

  5. QUARTO DE VALÉRIA, um quarto de hóspedes, que Valéria ocupará de quando em quando.

  6. COZINHA, bem típica de fazenda.



SANTA FÉ (A CIDADE)




  1. CASA DE GOMES

  1. EXTERIORES

  1. ENTRADA DA CASA

  1. INTERIORES

  1. SALA

  2. COZINHA




  1. CASA DE HENRIQUE

  1. EXTERIORES

  1. ENTRADA DA CASA

  1. INTERIORES

  1. SALA, bem simples, com uma estante cheia de livros jurídicos e uma mesa para estudo. Há um quadro da família de Henrique (pai, mãe e ele ainda bebê) na parede.

  2. QUARTO DE HENRIQUE, quarto simples, de solteiro, mas bem arrumado.

  3. COZINHA.

OUTROS EXTERNOS

-- RUAS DA CIDADEDEZINHA, COM DELEGACIA, MOTEL, IGREJA, ETC;

-- FACHADA DA CASA DE HENRIQUE E GOMES


OUTROS INTERNOS

-- INTERIOR DE IGREJA BEM SIMPLES, COM UM CONFESSIONÁRIO.

-- QUARTO DE APARTAMENTO SIMPLES E QUARTO DE MOTEL

-- SALA DE ESPERA DE HOSPITAL ONDE O DR. BARCELOS MEDICA

-- SALA DO DR. BARCELOS

-- DELEGACIA, COM SALA DE GOMES E UMA CELA.



ALTA SÃO PAULO


  1. MANSÃO SORRENTINO

  1. EXTERIORES

    1. FACHADA DA MANSÃO, trata-se de uma mansão de alto nível, localizada em uma bairro nobre de São Paulo.

    2. PISCINA, além de servir para os mais jovens darem festas.

    3. JARDIM, ali será realizado casamentos e os personagens poderão tomar o desjejum ou simplesmente prosear.

  2. INTERIORES

  1. SALA, ambiente interno principal, bem decorado, conservador, de mobília pesada.

  2. ESCRITÓRIO, com uma estante cheia de livros, uma escrivaninha pesada, muito bem decorada.

  3. QUARTO DE ALEXANDRE E LAURA

  4. QUARTO DE ERICA, é um quarto bem infantil, de menininha, com motivos rosa, ursinhos, entre outros.

  5. QUARTO DE VALÉRIA, um quarto feminino, mas nada exagerado, é uma decoração bem discreta.

  6. QUARTO DE HÓSPEDES

  7. COZINHA, onde os empregados conversam a maior parte do tempo.

  1. MANSÃO FONSECA

  1. EXTERIORES

    1. FACHADA DA MANSÃO, trata-se de uma mansão de alto nível, localizada em uma bairro nobre de São Paulo.

  2. INTERIORES

  1. SALA, ambiente interno principal, bem decorado, moderno.

  2. QUARTO DE SARA

  3. QUARTO DE CASSIANO, masculino, elegante.

  4. QUARTO DE EDMUNDO, segue o padrão do quarto anterior.

  5. QUARTO DE RICARDO, idem.

  6. COZINHA/COPA




  1. APARTAMENTO MENASSES

  1. INTERIORES

  1. SALA, ambiente interno principal, bem decorado, conservador, de mobília pesada.

  2. SALA DE JANTAR,

  3. QUARTO DE BETINA, um quarto feminino, bem moderno.

  4. QUARTO DE TITO, é um quarto pouco masculino, ou seja, com algumas decorações que se poderiam chamar de “femininas demais”

  5. COZINHA




  1. APARTAMENTO CAIO

Mesmo após a saída de Caio, será ocupado por Marcos.

  1. INTERIORES

  1. SALA, ambiente interno principal, bem decorado, bem simples.

  2. QUARTO , simples, masculino.

  1. QUITINETE PAULINA

  1. INTERIORES

  1. SALA, ambiente interno principal, bem decorado, conservador, de mobília pesada.

  2. QUARTO DE PAULINA, é um quarto bem pequeno, que ela dividirá com Luanda.


6. ESCRITÓRIO SORRENTINO

  1. INTERIORES

  1. SALA DE ALEXANDRE, bem decorado, conservador, de mobília pesada.

  2. SALA DE VALÉRIA, segue o padrão da sala de Cassandra.

  3. SALA DE SARA, segue o padrão da sala de Cassandra.

  4. RECEPÇÃO, onde ficam as secretárias Flora e Marisa



FAVELA BOA ESPERANÇA


  1. CASA DE JANUÁRIO

  1. EXTERIORES

  1. ENTRADA DA CASA

  1. INTERIORES

  1. SALA/COZINHA, bem simples, com móveis que pertenceriam à sala e a uma cozinha.

  2. QUARTO DE JANUÁRIO E DOLORES, quarto humilde, com um armário e uma cama de casal - só.

  3. QUARTO DE LUANDA, segue o mesmo padrão do interior, porém com um toque feminino.


CASA DE ROGÉRIA

  1. EXTERIORES

  1. ENTRADA DA CASA

  1. INTERIORES

  1. SALA/COZINHA, bem simples, com móveis que pertenceriam à sala e a uma cozinha.

  2. QUARTO DE CLAYTON E ROGÉRIA, quarto humilde, com um armário e duas camas - só.




  1. CASA DE MARCELA

  1. EXTERIORES

  1. FACHADA DA CASA, a fachada da casa para a favela.

  1. INTERIORES

  1. SALA/COZINHA, bem humilde, quase decrépita, mal cuidada.

  2. QUARTO DE MARCELA E GUIDA, em péssimo estado, tijolo aparente, cama quebrada, etc.




  1. BAR DO MANOLO

  1. EXTERIORES

  1. ENTRADA DO BOTECO.

  1. INTERIORES

  1. INTERIOR DO BAR




  1. CASA DE ESCORPIÃO

  1. EXTERIORES

  1. FACHADA DA CASA, a fachada da casa para a favela.

  1. INTERIORES

  1. SALA, onde se reúne com os amigos.

  2. QUARTO




  1. CASA DE MINOTAURO

  1. EXTERIORES

  1. FACHADA DA CASA, a fachada da casa para a favela.

  1. INTERIORES

  1. SALA, de poucos móveis, onde Minotauro se reúne com os amigos, guarda as armas, etc..

  2. QUARTO DE MINOTAURO.

  3. QUARTO ESCURO, um cômodo sem móveis, sem janelas,, onde são trancafiados os inimigos dos traficantes.

OUTROS INTERNOS

1- INTERIOR DE IGREJA EVANGÉLICA DE BAIRRO HUMILDE.

2- SALÃO DE BAILE FUNK.


OUTROS EXTERNOS

1- DESCAMPADO (UM CAMPO DE FUTEBOL) ÁREA A CÉU ABERTO, ONDE BANDIDOS CONVERSAM, DÃO FESTAS, ETC.

2- RUAS DA FAVELA
CENÁRIOS E LOCAÇÕES EVENTUAIS

1 – QUARTO DE APARTAMENTO EM SÃO PAULO A SER OCUPADO EVENTUALMENTE.



2 - HOSPITAL, INTERIOR E EXTERIOR, COMO TODA NOVELA, COMO OS PERSONAGENS DA BAIXA SÃO PAULO MORAM NA REGIÃO DE PARELHEIROS, SERIA INTERESSANTE GRAVAR EXTERNAS E INTERNAS NO HOSPITAL GRAJAÚ, UMA VEZ QUE TODAS AS PESSOAS SÃO MANDADAS PARA LÁ ( EM PARELHEIROS NÃO HÁ HOSPITAIS, ISTO É REAL).

E É ISSO, PESSOAL!

ESPERO QUE TUDO DÊ CERTO, QUE ESSE PROJETO SEJA ACEITO E APROVADO PELA EQUIPE E QUE, EM 2012, A EMISSORA FAÇA O ANÚNCIO DE “TORMENTOS DO AMOR” OU “JOGO DO DESTINO” OU “MARIA AMANHECER” ...







©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal