Titus livius historiador romano



Baixar 241,82 Kb.
Página1/2
Encontro28.09.2018
Tamanho241,82 Kb.
  1   2






TITUS LIVIUS

HISTORIADOR ROMANO

1 - Manga com leite faz mal?

R: A história da manga com leite remete ao tempo da escravidão. Para evitar que os escravos roubassem o leite das vacas, disseminou-se a crença de que a mistura da manga com o leite era prejudicial, podendo levar à morte. Segundo Mônica, a mistura é só uma vitamina, sem contra-indicações. "A manga tem diversas vitaminas e nutrientes, assim como o leite. Exceto para quem tem alergia ao leite, essa vitamina é bem saudável", garante.

06-03-2010 http://br.noticias.yahoo.com/s/04032010/25/entretenimento-especialistas-falam-ha-cientifica-nas.html

2 – Quais são as diferenças entre o Governo FHC e o Governo Lula de acordo com The Economist?

R: Indicadores sociais e econômicos publicados pelo Jornal “The Economist”, comparando os Governos FHC e Lula. 


 
 

The Economist publicou!

Frame1

Nos tempos de FHC

Nos tempos de LULA

Risco Brasil

2.700 pontos

200 pontos

Salário Mínimo

78 dólares

210 dólares

Dólar

Rs$ 3,00

Rs$ 1,78

Dívida FMI

Não mexeu

Pagou

Indústria naval

Não mexeu

Reconstruiu

Universidades Federais Novas

Nenhuma

10

Extensões Universitárias

Nenhuma

45

Escolas Técnicas

Nenhuma

214

Valores e Reservas do Tesouro Nacional

185 Bilhões de Dólares Negativos

160 Bilhões de Dólares Positivos

Créditos para o povo/PIB

14%

34%

Estradas de Ferro

Nenhuma

3 em andamento

Estradas Rodoviárias

90% danificadas

70% recuperadas

Industria Automobilística

Em baixa, 20%

Em alta, 30%

Crises internacionais

4, arrasando o país

Nenhuma, pelas reservas acumuladas.

Cambio

Fixo, estourando o Tesouro Nacional.

Flutuante: com ligeiras intervenções do Banco Central

Taxas de Juros SELIC

27%

11%

Mobilidade Social

2 milhões de pessoas saíram da linha de pobreza

23 milhões de pessoas saíram da linha de pobreza

Empregos

780 mil

11 milhões

Investimentos em infraestrutura

Nenhum

504 Bilhões de reais previstos até 2010

Mercado internacional

Brasil sem crédito

Brasil reconhecido como investimento grande

3 – Qual partido se colocou contra as cotas nas universidades?

R: Anticotistas dizem que debate no Supremo teve desigualdade. Crítica foi de advogada do DEM; ao todo, 29 pessoas falaram a favor das cotas e 15, contraEgbonmy Conceição Reis de Ogum, 56, como ontem era sexta-feira, estava luxuosamente vestida de branco. Adepta do candomblé, ela escolheu o traje usado nas celebrações para ir, assim, à audiência pública realizada no Supremo Tribunal Federal, a respeito das cotas raciais nas universidades. Foi barrada quando tentava entrar.Motivo: o segurança do tribunal não sabia como enquadrar nas exigências do protocolo a saia, a bata fechada, lenços e turbantes feitos de rico algodão bordado. Não era tailleur, tampouco calça comprida com blazer de manga comprida.Também barrada foi Mirewa Consolação Cruz Dias de Iansã, 66, roupas brancas e colares. As duas só poderiam entrar se concordassem em vestir um blazer sobre a roupa religiosa.Ialorixá, Mirewa não aceitou. Sexta-feira é dia de branco. E não se via um único blazer branco para elas. Às 10h30, chegaram às mãos das duas mulheres os crachás com a identificação: "Convidada - gabinete do ministro Lewandowski". Ninguém mais se meteu com elas.Eram 14h30 quando cerca de 50 pessoas, em sua maioria negras e negros, muitos com batas, sandálias e cordões, entraram. O ministro-relator da discussão das cotas, Ricardo Lewandowski, havia autorizado o ingresso do pessoal que, até ali, só havia conseguido assistir aos debates por telão, no andar de cima.Os advogados anticotas não ficaram satisfeitos. Para Roberta Fragoso Kaufmann, que representa o Partido Democratas em sua Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental contra as cotas raciais, "os três dias da audiência pública apresentaram uma clara desproporção entre os defensores das teses pró e anticotas, sempre em favor dos primeiros".No primeiro dia de debates, a diferença foi assim justificada pelo relator: "Não tem como discutir o câncer com pessoas que não têm a doença".Na contabilidade final, puderam falar a favor das cotas 29 pessoas. Contra, 15.

06-03-2010 http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff0603201007.htm

4 – Por que o Brasil se isola politicamente ao defender Teerã?

R: Defesa do Teerã reforça isolamento brasileiro A defesa da posição iraniana feita ontem pelo presidente Lula e pelo ministro Celso Amorim durante a visita de Hillary Clinton aumenta o isolamento de uma diplomacia que gostava de se vender como uma das mais ponderadas do Ocidente, a brasileira. E reforça a desconfiança sobre o que está por trás do que à primeira vista parece miopia ideológica temperada com antiamericanismo de centro acadêmico. A quase deselegância de Amorim com Hillary ontem coroa, para seus admiradores, uma suposta altivez do país emergente contra a potência imperialista. Para críticos menos deslumbrados, soberba. O caso do Irã condensa a era Amorim. O Brasil insiste que os EUA fazem com Teerã o mesmo que fizeram ao provocar a guerra no Iraque em 2003. A premissa é falsa. Há anos que a porta para o Irã está aberta, especialmente a partir de Obama, e tudo o que o regime fez foi emular o balé da Coreia do Norte rumo ao teste nuclear. Nem a aliada Rússia compra hoje pelo valor de face suas promessas, unindo-se à pressão mundial contra os iranianos. Soberania nacional é a argumentação básica do Brasil: tanto autoridades quanto gente do entorno do Planalto falam que, se abandonarmos o Irã, amanhã será a nossa vez. Seria apenas constrangedor, dada a ficha corrida do regime repressor e retoricamente genocida de Ahmadinejad. Mas pode levar a questionamentos sobre os reais interesses nucleares brasileiros, e Constituições não são intocáveis. Na retórica governista, discordar disso implica ignorar a hipocrisia americana de pedir o desarmamento enquanto é capaz de destruir o mundo "x" vezes. Significa esquecer que Israel exerce repressão contra os palestinos e já é uma potência nuclear (ainda que não prometa varrer alguém do mapa). Que temos de desconfiar dos grandes. Todas essas são verdades, mas elas não deveriam servir para escamotear ingenuidade ou coisa pior. Lembrarão ainda os lulistas que vendemos mais para o Irã hoje (quase nada, mas vá lá), como se política externa fosse trabalho para mascates. É significativo que tudo isso aconteça num período em que Lula tripudia de um preso político morto em Cuba e um cineasta dissidente é preso em Teerã. O Brasil rompeu com Washington? Claro que não, a agenda é muito mais extensa que isso. Mas hoje a relação amanhece pior que anteontem. 06-02-2010 http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc0403201011.htm



5 – Qual fato indica o fim dos guerrilheiros do Sendero Luminoso?

R: Policía peruana anuncia captura de líder do Sendero Luminoso. A polícia antiterrorista peruana capturou um importante líder do grupo armado Sendero Luminoso (SL) na cidade de Huanta, região de Ayacucho, informou neste sábado o ministro do Interior, general aposentado Octavio Salazar. O preso foi identificado como Ulser Pillpa Paitán, conhecido como "camarada Jhonny", de 23 anos, a quem a polícia aponta como o responsável pela propaganda do Comitê Central do SL, informou Salazar. Paitán trabalharia diretamente com Víctor Quispe Palomino, "camarada José", um dos atuais líderes das duas facções do SL, segundo o ministro. A outra facção é dirigida pelo "camarada Artemio". O ministro ressaltou o sucesso da ação conjunta da polícia e das Forças Armadas na luta antiterrorista. A polícia sustenta que a facção de Quispe atua em alianças com grupos de narcotraficantes nos vales dos rios Apurímac e Ene, onde as forças de segurança travam uma guerra pelo controle do território. Quispe nega que esteja seguindo o caminho do líder histórico do SL, Abimael Guzmán, preso desde 1992 em uma base militar de Lima e condenado à prisão perpétua. A guerra interna peruana deixou cerca de 70 mil mortos entre 1980 e 2000, de acordo com a Comissão da Verdade e Reconciliação.



06/03/2010 http://jbonline.terra.com.br/





  1   2


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal