Templo budista ryushoji



Baixar 36,26 Kb.
Encontro12.09.2017
Tamanho36,26 Kb.



REQUERIMENTO Nº 1876 , DE 2011

Requeiro, nos termos do artigo 165, inciso VIII, da XIV Consolidação do Regimento Interno, que se registre nos anais desta Casa um voto de congratulações com a Comunidade do TEMPLO BUDISTA RYUSHOJI DE MOGI DAS CRUZES, pelo transcurso de seus 70 ANOS DE FUNDAÇÃO E HISTÓRIA.




JUSTIFICATIVA

A história do Templo Ryushoji começa com a chegada dos fiéis da Honmon Butsuryu-Shu, Zenichiro Seki e Rikiti Takahashi em Biritiba Ussu, arredores da cidade de Mogi das Cruzes, no dia 3 de julho de 1939. Fiéis fervorosos, logo iniciaram a missão de expansão do Budismo. No mês de agosto do mesmo ano, converteram um enfermo que sofrera derrame cerebral e com cinco dias de orações fervorosas conseguiram que ele recebesse a bênção de saúde plena. A notícia se espalhou pela cidade e esse episódio foi o ponto de partida para a expansão.

Nesse período foram convertidos Fusajiro Sassai e Kakuichi Nishiyama, posteriormente figuras fundamentais tanto para o futuro do Templo Ryushoji quanto para a HBS do Brasil.

Juntou-se ao grupo o Itizo Horigoshi que já era um praticante desde quando morava no Japão.

Em poucos meses o grupo atingiu o número de 30 famílias, fato esse que motivou o Arcebispo Nissui Ibaragui denominá-lo de "11º Grupo Taissen".

Os adeptos aumentavam cada vez mais.

No ano de 1941, o fiel Benjiro Komai, grato pela benção de cura da grave doença de sua esposa, fez uma doação 5 contos de réis (hoje aproximadamente R$280.000,00 - fonte: Gomes, Laurentino, 1808: como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a história de Portugal e do Brasil,São Paulo: Editora Planeta do Brasil, 2007), que possibilitou a construção do 4° Núcleo de Cultos da HBS no Brasil na cidade de Mogi das Cruzes, Rua Heliotrópolis, atual Rua Jardelina e como primeira responsável foi nomeada a Sacerdotisa Myoshun Teraoka. Depois disso vieram os Sacerdotes Seihan Sassaki, Guenshou Miyatake e Seiko Jimbo, até que em 1951 o Núcleo de Cultos foi elevado a Templo com a denominação de "Seifuzan Ryushoji" (Seifu é o nome de ordenação do Grande Mestre Nissen e Ryushoji significa "Templo da Prosperidade").

Em 1955, pela primeira vez um Sumo Pontífice da HBS veio ao Brasil. O então 11º Sumo Pontífice Nissatsu Kajimoto acompanhado do Bispo Nippaku Shimizu permaneceram por três meses. Viajaram por várias cidades do Brasil realizando discursos, promoveram a expansão do Budismo pelo país pregando a paz mundial e resgatando a emoção nas pessoas. Com isso, a chama da expansão foi novamente reascendida.

Em 1961, incorporou se um prédio semiconstruído, localizado na Rua Antônio Meyer, nº 141, no Bairro Vila Santista, de um médico chamado Dr. Ishihara, que planejava construir uma clínica. O espaço que era destinado para ser um amplo estacionamento para pacientes, se tornou em uma espaçosa Nave com capacidade de 300 fiéis sentados. Além disso, a localização privilegiada, perto do centro de Mogi das Cruzes, casou grande expectativa e incentivou os fiéis a comparecerem mais ao Templo.

Em 1964, o 15º Sumo Pontífice Nishin Tanaka, veio ao Brasil acompanhado de uma comitiva e nesta ocasião foi estabelecido o "Sistema de envio de Missionários Japoneses ao Brasil" (Brasil Haken Kyoumussei).

O primeiro enviado e nomeado como Bispo do Templo Ryushoji foi o Sacerdote Jyunyou Mimaki (posteriormente graduado como Nitigue Mimaki Shounin). Em 1966 o missionário Jyoushu Yokoya foi nomeado Bispo do Templo.

Com o aumento de fiéis, sentiu-se a necessidade de mais espaço para a realização de outras atividades e com isso, em 1967 incorporou se o primeiro lote de terreno na mesma rua (Rua Antônio Meyer, nº91), posteriormente, em 1974 incorporou se o segundo lote de de terreno para a construção de um ginásio poliesportivo, que foi construído em 1978.

Em 1978, o missionário japonês Sacerdote Senyou Shimizu recebe a nomeação Bispal tornando se a 15ª geração de Bispos do Templo Ryushoji.
Os 50 anos de história do Darma Sagrado em Mogi das Cruzes

Em 1986, a visão empreendedora da diretoria do Templo incorpora um terreno de 1.700m² no Bairro de Mogi Moderno (atual ginásio poliesportivo).

Em 1987, com o fim do “sistema de envio de Missionários Japoneses ao Brasil”, o Sacerdote Nitizai Oikawa é nomeado a 16º Bispo.

No ano seguinte, o Sacerdote Kyoei Suzuki recebe a nomeação Bispal, se tornando o 17º Bispo do Templo Ryushoji, representando o primeiro Sacerdote brasileiro a receber este cargo.

Para a comemoração de 50 anos de fundação do Templo Ryushoji iniciou se uma campanha de arrecadação financeira para uma grande reforma para suas instalações. No dia 26 de maio de 1991 iniciaram se as obras de reforma da cozinha e dos banheiros e, além disso, graças a grande colaboração e a enorme adesão dos fiéis local foi possível realizar uma ampliação que não estava no projeto inicial. Construíram se o segundo e terceiro andar em cima da cozinha do prédio anexo, no segundo andar foram feitas salas de reunião e salas para as Associações Feminina e dos Jovens e no terceiro andar, terraço com espaço para as crianças. As obras finalizaram na véspera da celebração do cinquentenário.

No dia 8 de setembro de 1991, o 19º Sumo Pontífice Nitiei Kajimoto celebrou na Nave do Templo Ryushoji os 50 anos de fundação em conjunto do Grande Culto em Gratidão ao Grande Mestre Nitiren Dai-Bossatsu.


Os 60 anos de fundação do Templo Ryushoji

No ano de 1996, objetivando as comemorações de 60 anos de fundação realizou se uma reforma da moradia bispal e do ginásio poliesportivo (localizado na mesma rua), que teve um palco construído, os banheiros reformados e pintura geral.

Com a determinação e devoção dos fieis a expansão não parou mais, a Nave localizada próxima do centro de Mogi das Cruzes não conseguia mais suprir as necessidades para a prática da fé e a necessidade da ampliação de suas dependências já era visível. Contudo, o crescimento do centro de Mogi das Cruzes impedia novas ampliações ou incorporações dos terrenos vizinhos.

No ano de 1997, inicia se uma campanha de arrecadação financeira através de cotas (1.000 cotas de US$500,00 cada, objetivando um total de US$500.000,00) para a construção de uma nova nave.

Em 1998, o 17º Bispo do Templo Ryushoji Kyoei Suzuki falece e o Sacerdote Sentyu Takassaky é nomeado como novo Bispo local.

No ano de 1999, inicia se a construção do atual ginásio poliesportivo.

No ano 2000, é incorporado um segundo lote de terras (atual cozinha, prédio anexo e moradia bispal), no Bairro de Mogi Moderno, de 3.000m² (vizinho ao terreno de 1.700m² incorporado em 1986) de Roberto Okabe, no valor de R$33.000,00. E neste mesmo ano incorpora se o terceiro e último lote de terra (atual Nave), de 2.500m² da família Koishi, no valor de R$45.000,00. Totalizando 7.200m² de aérea.

No ano de 2001, é vendido o ginásio poliesportivo da Vila Santista e com isso construiu se a atual cozinha, prédio anexo e moradia bispal.

No dia 18 de novembro de 2001, pelo 23º Sumo Pontífice Nitijyo Nozaki, celebra o Grande Culto em Gratidão ao Grande Mestre Nitiren Dai Bossatus e em conjunto os 60 anos de fundação na atual ginásio poliesportiva.
Os 70 anos de fundação
Em janeiro de 2005, realizou se a transferência de Nave com celebração do Grande Culto de Ano Novo na Nave provisória, na Avenida Pedro Machado, 710, Bairro Mogi Moderno. Assim, dando início há uma nova etapa da expansão no cinturão verde de SP.

Em setembro de 2007, com a vinda do Primeiro Secretário da HBS Nitiou Sato ao Brasil é realizado o lançamento da pedra fudamental (Didinshiki) no local da construção do Novo Hondo.

Após anos a espera de um comprador, em 2009 a antiga construção do Templo Ryushoji, na Vila Santista é vendida e com isso, as obras para a construção da Nova Nave em Mogi Moderno se inicia.

Às 19 horas do dia 4 de junho de 2011, realizou se a cerimônia de transferência da Imagem Sagrada e objetos religiosos da Nave Provisória para a Nova Nave. Nesta noite, um grande número de fieis ajudou e testemunhou a instalação da Imagem Sagrada e a Estatueta do Grande Mestre Dai Bossatsu no novo Altar Sagrado.

No dia seguinte, 5 de junho de 2011, às 9 horas na celebração do Grande Culto em reverência ao Grande Mestre Nissen Shounin, celebrado pelo Bispo Superior Homei Saito, oficialmente se encerra a obra da construção da Nova Nave.

O projeto realizado pela arquiteta e fiel Dirce Hiratsuka, do Templo Ryushoji tem como concepção valorizar a iluminação natural e facilitar prática da fé. A Nave tem a capacidade de receber 400 pessoas sentadas, o Altar Sagrado foi desenho pelo fiel Fukao Kanou, Templo Nikkyoji e construído pelo marceneiro japonês Masatoshi Tejima.

Hoje, o Complexo do Templo Ryushoji é o mais moderno e um dos maiores Templos em área construída do Brasil. Mas, tudo isso graças à determinação, dedicação, esforço, fé e amor dos fiéis pelo que é sagrado. Acreditando e sentindo que todos os Templos da HBS são uma extensão de suas residências e com o sentimento de querer melhorar para deixar como herança às próximas gerações, todos não mediram esforços para oferecerem donativos, para participarem da Ação entre Amigos, ajudarem na realização mensal dos Bazares da Pechincha, na realização bimestral da Festa do Yakissoba, na participação anual da Festa do Akimatsuri além outras atividades. Graças à esta devoção, os fiéis do Templo Ryushoji conseguiram arrecadar cerca de R$3.000.000,00 para a realização de todas as construções do complexo.

No dia 11 de setembro de 2011, foi realizado o Grande Culto em Reverência ao Grande Mestre Nitiren Dai Bossatsu quando também foram comemorados os 70 anos de fundação, a inauguração da Nova Nave e a homenagem aos idosos, tendo como celebrante o Diretor de Expansão da HBS, Bispo Nitigyo Hassegawa, como convidado especial o Diretor de Expansão Internacional Bispo Guenkyo Matsumoto, co-celebrante o Bispo Local Sentyu Takassaky, demais Bispos e Sacerdotes do Brasil.



O primeiro Bispo e mestre fundador do Templo foi Nissui Ibaragui Shounin. O atual Bispo Sentyu Takassaky é o 18º Bispo dentre as gerações de Bispos.

Geração de Presidentes do Templo Ryushoji

  1. Benjiro Komai 1941

  2. Itizo Horigoshi 1942

  3. Fusajiro Sassai 1943

  4. Kanji Nakayama 1944

  5. Itizo Horigoshi 1945-1948

  6. Hyogoro Ichigue 1949-1953

  7. Teizo Kimura 1954-1955

  8. Iwata Ueda 1956

  9. Seishin Nakano 1957

  10. Kazuo Hayakawa 1958-1960

  11. Teizo Kimura 1961-1962

  12. Zen-ue-mon Kawaguchi1963

  13. Kazuo Hayakawa 1964-1965

  14. Teizo Kimura 1966

  15. Akira Taromaru 1967-1968

  16. Kazuo Hayakawa 1959

  17. Yoshihiko Kinukawa 1970-1973

  18. Akira Taromaru 1974-1975

  19. Yoshihiko Kinukawa 1976-1985

  20. Akira Taromaru 1986-1987

  21. Teruo Atarashi 1988-1991

  22. Kinichi Nakano 1992-1995

  23. Mutsumi Kurita 1996-1997

  24. Yoshihiro Taromaru 1998-2001 (2 gestões)

  25. Cesar Kinukawa 2002-2005

  26. Kinichi Nakano 2006-2008

  27. Toyoji Nakano 2008


Geração de Bispos do Templo Ryushoji

  1. Nissui Ibaragui Shounin 1941

  2. Myoushun Teroaka 1941

  3. Seihan Sassaki 1945

  4. Guenshou Miyatake 1946

  5. Nitidou Jimbo Shounin 1948

  6. Seirou Okamura 1958

  7. Seihan Sassaki 1962

  8. Nitigue Mimaki Shounin 1965

  9. Jyoushu Yokoya 1966

  10. Shouhou Sassada 1968

  11. Guenwa Imai 1970

  12. Seietsu Umeda 1972

  13. Jyuntou Aoki 1975

  14. Seirou Okamura 1977

  15. Senyou Shimizu 1978

  16. Nitizai Oikawa Shounin 1987

  17. Kyoei Suzuki 1988

  18. Sentyu Takassaky 1998

fontes:

  • revista lótus, panfleto “Os passos da HBS do Brasil e o Templo Ryushoji”

  • panfleto “A história do Templo Ryushoji”



Sala das Sessões, em
Deputado Luis Carlos Gondim



SPL - Código de Originalidade: 1042139 171011 1857




©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal