Teatro no Pequeno Auditório, de 10 a 12 de Outubro Projéc~ estreia “O guardador de rebanhos [um secreto teatro]”



Baixar 19,51 Kb.
Encontro11.09.2017
Tamanho19,51 Kb.

Nota à Imprensa | Sexta-feira, 4 de Outubro de 2013


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Teatro no Pequeno Auditório, de 10 a 12 de Outubro

Projéc~ estreia “O guardador de rebanhos [um secreto teatro]”
“O Guardador de rebanhos [um secreto teatro]” é a 20ª produção do Projéc~ e estreia no TMG na próxima quinta-feira, dia 10 de Outubro. Trata-se de uma encenação de Fernando Marques a partir do texto de Alberto Caeiro com a interpretação do actor André Gago. A peça ficará em cena até dia 12 (sábado) com sessões no Pequeno Auditório às 21h30. Está também prevista uma sessão aberta às escolas marcada para sexta, dia 11, às 14h30.

Sobre o espectáculo, o encenador refere que «O que surpreende (…) é o fascínio que sobre o leitor atual exerce este longo monólogo de um “homem” que procura “não pensar-se como homem, mas sentir-se como ser”. Numa definição que parte dos elementos da natureza para nos revelar que o mundo que julgamos construir pelas palavras nos afasta irremediavelmente da essência das coisas aconselha-nos “a despir a natureza do disfarce antropomórfico com que a vestimos” e a abandonarmos toda a retórica, todas as metáforas, toda a pressuposta subtileza que mais não é que uma elaboração do espírito para a si mesmo se justificar. Mas, ao desfazer-se das palavras o poeta condena-se ao silêncio definitivo, e talvez seja por isso que Alberto Caeiro decidiu morrer cedo. (…)»


Como encenador, Fernando Marques dirigiu grupos de teatro universitário em Paris e Versailles. Foi director do Grupo de Teatro do Odeon, companhia profissional constituída por actores luso-descendentes. Encenou obras de Gil Vicente, F. Garcia Lorca, Molière, Goldoni, Shakespeare, Fiama Hasse Pais Brandão, Yvete K. Centeno, Luís de Sttau Monteiro, F. Ramuz, Harold Pinter e José Régio. É doutorado Doutorado em Letras pela Universidade de Paris – Sorbonne e professor no Instituto Politécnico da Guarda.
Este monólogo é interpretado por André Gago, actor, encenador, professor e autor. Em 2004 criou o Teatro Instável, onde encenou e actuou em “A Gargalhada de Yorick”, “Hamlet, Heterónimos, Pessoas...”, “Noite Antiquíssima”, “Acerca de Música” e “Hamlet”. A Commedia dell'Arte e a sua paixão pela máscara levaram-no a estagiar com Ferrucio Soleri, no Piccolo Teatro di Milano. Adaptou Jorge de Sena e Aquilino Ribeiro para o palco, e traduziu e encenou “A Orquestra”, de Jean Anouihl, e “Hamlet”, de William Shakespeare. Com o conto “O Circo da Lua” ganhou o prémio Revelação da Associação Portuguesa de Escritores, a partir do qual criou o espectáculo de Novo Circo “Lua!”. Em 2010, publica o seu primeiro romance, "Rio Homem". Este é o seu segundo trabalho com Fernando Marques e com o Projéc~, a estrutura de produção teatral do TMG [em 2010, protagonizou “The Dumb Waiter”, de Harold Pinter].


Cinema no Pequeno Auditório, dia 15 de Outubro

Bestas do sul selvagem, de Benh Zeitlin

O Cineclube da Guarda apresenta, com o apoio do TMG, na terça-feira, dia 15 de Outubro, o filme “Bestas do sul selvagem”, do realizador Benh Zeitlin. A sessão tem lugar no Pequeno Auditório pelas 21h30.


O filme conta a história de uma comunidade esquecida e separada do mundo por um enorme dique. Hushpuppy, de seis anos, vive entregue a si mesma, num ambiente quase selvagem. Com a mãe desaparecida há muito e um pai ausente e descuidado, a pequena vê o mundo como uma frágil rede de seres que respiram, pulsam e de cujo perfeito funcionamento depende todo o Universo. Por isso, quando uma enorme tempestade faz subir as águas e submerge a aldeia e o pai descobre que tem uma doença terminal, Hushpuppy vê tudo à sua volta entrar em colapso. Desesperada por reparar a estrutura do seu mundo, salvar o pai e a sua aldeia inundada, a menina tem de aprender a sobreviver à própria custa e da solidariedade dos vizinhos.
Na Galeria de Arte até 27 de Outubro

Exposição “Meu Corpo Vegetal” de Alberto Carneiro

Está patente na Galeria de Arte do TMG desde o passado sábado e até 27 de Outubro a exposição “Meu corpo vegetal” do “escultor da natureza” Alberto Carneiro.


Alberto Carneiro nasceu em 1937. Entre os 10 e os 21 anos, aprendeu o ofício de santeiro nas oficinas de arte sacra da sua terra natal. Diplomado pela Escola Superior de Belas-Artes do Porto e Pós-Graduado pela Saint Martin’s School of Art de Londres. Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian: Porto e Londres e Professor Associado, Agregado pela Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto.

Leccionou no Curso de Escultura da ESBAP, no Curso de Arquitectura da FAUP e foi responsável pela orientação pedagógica e artística do Círculo de Artes Plásticas, Organismo Autónomo da Universidade de Coimbra. Dedicou-se ao estudo do Zen, do Tao, do Tantra e da Psicologia Profunda.Viajou pelo Oriente e pelo Ocidente para viver e interiorizar outras culturas. Expõe desde 1963. É um dos mais importantes escultores portugueses da actualidade.

Sobre esta exposição, o artista escreveu: «Estas esculturas são vivências vegetais do corpo como natureza, na busca da sua realização poética. O meu corpo vegetal revela quarenta e nove mementos estéticos sobre a terra e figura a Mandala do seu ser. Vinte e uma esculturas de uma única árvore, um castanheiro secular, para a unidade da exposição. E ainda o meu corpo floresta, árvore, flor e fruto: casa do corpo e da floresta».
A exposição poderá ser visitada de terça à sexta das 16h às 19h e das 21h00 às 23h, aos sábados das 15h às 19h e das 21h00 às 23h e aos domingos das 15h às 19h. É apresentada no TMG numa parceria com os Artistas Unidos. A entrada é livre.
Para mais informações, contactar:

Gabinete de Comunicação e Imagem

Culturguarda E.M. / Teatro Municipal da Guarda

Rua Batalha Reis, 12, 6300-668, GUARDA, PORTUGAL



Tel. 00351 271 205 240 • Fax. 00351 271 205 248

gci@tmg.com.pt

www.tmg.com.pt



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal