Teatro aveirense



Baixar 73,85 Kb.
Encontro18.08.2017
Tamanho73,85 Kb.








Dossier de Imprensa







PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA '12






Janeiro. Fevereiro.

Assessoria Comunicação Social

Marta Santos

tel: 234.379.805 ou 234.400.920

e-mail: msantos@teatroaveirense.pt
TEATRO AVEIRENSE

Programação Geral: Janeiro – Fevereiro 2012


JANEIRO

CONCERTO ANO NOVO E REIS

Pela Orquestra Filarmonia das Beiras. Vitorino, artista convidado. Filipe Raposo, piano e arranjos. António Vassalo Lourenço, direcção musical.

Dia 1 Janeiro | 18h00 + Dia 4 Janeiro | 21h30 | Sala Principal

Preço Único: €5

150 MIN. | M/3
Para a Orquestra Filarmonia da Beiras (OFB), nada faz mais sentido do que começar o novo ano com música. O já tradicional Concerto de Ano Novo e Reis constitui um dos momentos marcantes da temporada musical da OFB, não só pelo extraordinário clima festivo que rodeia este espetacular programa, mas também pela habitual participação de um público que, ano após ano, atende com entusiasmo ao concerto para festejar a chegada do Ano Novo.

Para o início deste ano, a OFB, sob a direção do Maestro António Vassalo Lourenço, apresentará um programa onde exibirá, na primeira parte, as habituais valsas e polcas de Strauss, tão características e apropriadas para esta quadra. Na segunda parte, a OFB terá um convidado especial: o cantor Vitorino. Virtuoso e incansável, o cantor de alma alentejana é o retrato fiel de quem sempre viu na música emoções e não modas. Depois de ter enchido os coliseus para comemorar 35 anos de carreira, volta aos palcos, novamente acompanhado pela Orquestra das Beiras, para um espetáculo que trará calor e alegria ao público e ao novo ano.


Programa:


I Parte

Johann STRAUSS II (1825 – 1899)

Marcha Radetzky

Polca O Galope dos Bandidos

Valsa Vozes da primavera

Polca As Balas Mágicas

Valsa Accellerationen

Quadrille dos Artistas

II Parte

Vitorino, Artista convidado

Filipe Raposo, Piano e arranjos

Todos os Homens são Maricas quando estão com gripe

Ana II

Corto Maltese

Bárbara Rosinha

Poema

Cantar que Bom Seria

Traz Outro Amigo Também

Homens do Largo

Fado Triste

Queda do Império

CONCERTO PROMENADE

Pelo Conservatório de Música de Aveiro

Dia 8 Janeiro | 11h00 | Sala Principal

Bilhete: 2 Euros

60 MIN. | M/3
No primeiro domingo de cada mês, o Conservatório de Música de Aveiro de Calouste Gulbenkian associa-se ao Teatro Aveirense para a criação de concertos Promenade. Uma oportunidade de ouro para quem procura uma introdução à música erudita ou apenas momentos musicais de uma qualidade incontestável.
Programa

O. Respighi - Ancient Airs and Dances

Balleto


Gagliarda

Villanella

Passo Mezzo e Mascherada

Ney Rosauro - Concerto para Marimba e Orquestra

3º Andamento (Dança)

Jules Massenet - Meditation from “Thais”

George Bizet - Scenes From Carmen – suite nº 1

Prélude


Aragonaise

Intermezzo

Les Toreadors

Edward Elgar - Pomp And Circumstance – March nº1

Fernando Lapa - Para um Natal Português

Caminhando vai José, caminhando vai Maria

Pastores que andais na serra

Ó meu menino Jesus

Alegrem-se os Céus e a terra


O LAGO DOS CISNES

Pelo Ballet Teatro Nacional Russo de Moscovo. Música de Tchaikovsky. Coreografia Alexei Fadeechev.

Dia 13 Janeiro | 21h30 | Sala Principal

Preços: Plateia 35€ e 32€ + Balcão €28 e €25

130 MIN. | M/12
Esta obra prima do ballet clássico envolve-nos através de uma impressionante coreografia, num inesquecível conto de fadas. A jovem rainha Odette é vítima do feitiço do terrível bruxo Von Rothbart, que a converte em cisne e unicamente lhe permite adoptar a forma humana durante a noite. O feitiço acabará quando um homem lhe jure amor eterno. Sigfrido apaixona-se por Odette, mas o malvado bruxo coloca-lhes uma série de obstáculos para impedir o seu amor.

O Ballet do Teatro Nacional Russo de Moscovo representa esta obra única, captando a essência, a beleza da história e a harmonia da música de Tchaikovsky. Existem momentos em que as bailarinas que rodeiam Odette parecem autênticos cisnes e o espectador rende-se ao feitiço dos seus movimentos. Mais de 40 bailarinos pisam o cenário nesta versão da obra coreografada pelo famoso bailarino Alexei Fadeechev e apresentada pelo famoso Ballet do Teatro Nacional Russo de Moscovo.

O Lago dos Cisnes converteu-se num símbolo do Ballet, nesse tipo de espectáculos que vale a pena ver pelo menos uma vez na vida, e que uma vez que o fazemos é impossível não repetir.

Contudo, não deixa de surpreender que quando estreou foi um fracasso. Quando Thaikovsky estreou a obra, o público ainda não estava preparado e fracassou. Anos depois da sua norte, alcançou o êxito mundial que a converteu num clássico intemporal que seduz a qualquer geração.

A Euroconcert volta a trazer ao nosso país uma nova versão coreográfica de Marius Petipa e Lev Ivanov, estreada no teatro Maryinky a 8 de Fevereiro de 1885, com Pierina Legnani no papel duplo de Odette – Odile.


CICLO EDGAR PÊRA

Dias 20, 21 e 22 Janeiro | 22h00| Sala Principal

Preço: Normal: 5€ Estudante/+65/-25: 4€ Sócios: 2,5€

Duração (ver sessões) | M/6
No contexto da Rede Recentrar, que reúne o Teatro Aveirense, Teatro Académico Gil Vicente (Coimbra), Teatro- Cine de Torres Vedras, o Teatro José Lúcio (Leiria) e o Teatro Virgínia (Torres Novas), e com a vontade de voltar a olhar, no seu conjunto, uma obra cinematográfica singular no contexto português, convidámos o realizador Edgar Pêra a criar pequenos diários visuais sobre cada uma das regiões onde estes teatros se encontram, apontando diferenças e encontros entre os territórios, fortalecendo parcerias entre os lugares. Os Cine-Diários Regionais são Atualidades e Lembranças, memórias do passado e para o futuro. São visões elementaristas e cine-cosmopolitas duma região.

Cada dia deste ciclo será uma sessão dupla, com o Diário Regional realizado na região centro e um filme significativo no contexto da obra de Edgar Pêra.



Programa:

20 de Janeiro

Cine Diário Regional / Diários e Retratos (Concentrado de Filmes Pêra)

(sessão com a presença do realizador)

Há quase 30 anos que Edgar Pêra regista com imagens e sons, quase compulsivamente, entrevistas, registos de eventos, etc... Estes Diários & Retratos, feitos especialmente para este ciclo e ainda em fase de montagem, incluirão elementos do passado e do futuro: arquivos raros e inéditos, projetos em fases iniciais, cine-comunicações, visões únicas e irrepetíveis.



21 Janeiro

Cine Diário Regional / A Janela (Maryalva Remix)

Inserido na corrente estética Movimento Anti-Dogma 2000, este é um filme-artefacto, camaleónico, disruptor, desenhado na forma de um esquizo-fado, que aborda o destino e as (algumas das) suas versões, vantagens e desvantagens, da perspetiva do Senhor Ego, um local voyeur incauto duma realidade que não abarca nem compreende completamente.

Com: Lúcia Sigalho, Manuel João Vieira, Nuno Melo, José Wallenstein,

João Didelet, Miguel Borges Direção de Fotografia Luis Branquinho

Música: Pedro Ayres Magalhães.

Guitarra portuguesa: António Chaínho

Duração: 87 minutos

22 Janeiro

Cine Diário Regional / Movimentos Perpétuos – Cine Tributo a Carlos Paredes

Um tributo visual a Carlos Paredes, músico ímpar e singular, exímio performer e conhecedor da guitarra portuguesa. As imagens deste poema cinético têm como ponto de partida o som do primeiro concerto individual de Paredes em Portugal. As imagens são um contraponto à música e ao discurso de Paredes. Captadas em película Super 8, são registos do quotidiano das cidades referidas pelo músico. Juntamente com essas micro-histórias alternam depoimentos de amigos, colegas e especialistas.

Música: Carlos Paredes Viola Luísa Amaro



Duração: 70 minutos

CONCERTO THE GIFT

Digressão “Primavera e Explode – mil cores possiveis”

Dia 28 de Janeiro | 21h30| Sala Principal

Preços: Plateia €20 e €18 + Balcão €15

130 MIN. | M/12
Canções inspiradas na primavera, escritas no verão, gravadas no outono e ouvidas em pleno inverno...

Era isto. Canções simples, inspiradas em melodias que a mão direita insistia tocar no piano. A mão esquerda segurava o banco ou o copo de água fria que combatia o calor de fora ou pegava na filha que ainda bébé inspirava a mão direita... Esquerda, Direita. Harmonia. Melodia... Coisas simples que ditas de uma forma ainda mais simples se possam traduzir de várias maneiras. Cada um tem a sua Primavera. Um sitio onde se descobrem segredos, ínfimas histórias de cada um de nós. Primavera é um hino ao nosso. Apenas e só nosso, coisas nossas, suas. Canções que sempre aqui estiveram a percorrer as minhas duas mãos. Direita, Esquerda. 14 mãos. Sete pessoas, sete historias de vida, sete personalidades artísticas. Primavera é junção. Vozes. Uma só voz, calma, sussurrada, descontraída, naturalmente emotiva. Primavera é cantada ao ouvido. Em palco Primavera e Explode são mil cores possíveis, a historia é a nossa. Posso contudo adiantar que depois deste palco será também vossa.



nuno gonçalves - the gift
Músicos: SóniaTavares. Nuno Gonçalves. Miguel Ribeiro. John Gonçalves. Mário Barreiros. Israel Pereira. Paulo Praça.

FEVEREIRO
TODA A GENTE SABE QUE TODA A GENTE SABE

Texto de Miguel Falabella e Maria Carmem Barbosa. Adaptação de Teresa Guilherme e Miguel Dias. Interpretações de Teresa Guilherme, Sofia de Portugal, Rodrigo Saraiva, Heitor Lourenço, Lurdes Norberto

Dia 4 Fevereiro | 21h30 | Sala Principal

Preços: Plateia €12 + Balcão €10

100 MIN. | M/12
Toda a gente sabe que toda a gente sabe”, é uma comédia genial que vem confirmar o talento inquestionável da dupla de autores Miguel Falabella e Maria Carmem Barbosa. A versão Portuguesa, com adaptação de texto de Teresa Guilherme e Miguel Dias, dá-nos a conhecer a família “Mello da Cunha”, outrora afortunada e presença assídua na esfera da alta sociedade, actualmente falida, que continua no entanto a viver de aparências.

Evangelina (Teresa Guilherme) é a sobrinha de Maria das Dores que vive inconformada com o seu actual estatuto, em constante nostalgia pelo glamour perdido, numa incessante busca das luzes da ribalta de outros tempos;

Maria Inês (Sofia de Portugal), filha de Evangelina, menina rebelde que chocou a família ao fugir com um pugilista alcoólico. Já separada, volta a viver com a família sem nunca esquecer a sua fogosa relação, contrariando as aspirações sociais e morais da sua mãe;

Luis Ernesto (Rodrigo Saraiva), irmão de Maria Inês jovem corretor da bolsa, vive a sua sexualidade escondida … mas pouco!

Cláudio Oliveirinha (Heitor Lourenço), de origem humilde cuja família enriquece à custa de uma cadeia de pizzarias, é a presa perfeita para a salvação dos Mello da Cunha. Jovem recatado, deixa-se contagiar e descobre, para seu próprio espanto, a sua orientação sexual;

Maria da Dores (Lurdes Norberto) é a tia, mulher sábia que soube tirar proveito de todos os prazeres da vida, tem uma capacidade invulgar de conhecer melhor do que ninguém a sua família;

Toda a gente sabe que toda a gente sabe” é uma sátira da decadência de uma família disfuncional complementada pela vivacidade inigualável dos seus diálogos.

Toda gente sabe que…toda a gente sabe que é a comédia do ano…a não perder!



LUIS DE MATO CHAOS

Dia 25 Fevereiro | 21h30| Sala Principal

Preços: Plateia €15 + Balcão €12,5 + Menores 12 €10

130 MIN. | M/3

+ info: http://www.luisdematos.pt
“Luis de Matos CHAOS” é o novo “one man show” do mágico português mais premiado e distinguido de sempre. Luis de Matos, numa curta temporada no Auditório do Casino Estoril, estreia o seu novo concerto de ilusões… tão reais que desafiam a razão!

Da mesma forma que o bater de asas de uma borboleta em Tóquio pode provocar um furacão em Nova Iorque, também a presença de cada espectador se reflecte em cada representação de “Luis de Matos CHAOS”. Uma jornada inesquecível, plena de interacção e mistério, repleta de feitos inexplicáveis que perduram na memória de cada espectador que os vive.

Em “Luis de Matos CHAOS” os mais estranhos elementos interagem de forma mágica e surpreendente. Saramago disse um dia que o “caos” é uma ordem por decifrar. Em “Luis de Matos CHAOS”, o “decifrar” não é uma opção. Os noventa minutos de espectáculo são uma combinação única da imaginação colectiva de todos que nele participam.

“Luis de Matos CHAOS” é uma experiência mágica sem precedentes, uma colecção de mistérios tornados realidade em cada representação, constituindo uma viagem mágica pessoal, intransmissível e memorável. Ilusão ou realidade? A escolha é sua…

“Luis de Matos CHAOS” é um espectáculo para TODA a família!

À MANEIRA DE NIJINSKI

Oficina de Dança para Crianças por Leonor Barata

Dia 26 Fevereiro | 11h00 | Público Familiar

Preço Oficina: 6€ (Crianças + Adulto).

90 MIN. | M/3
À MANEIRA DE… pretendeu ser uma primeira abordagem à História da Dança, focada essencialmente em três mulheres consideradas pioneiras daquilo que hoje se considera a Dança Moderna: Isadora Duncan, Mary Wigmam e Martha Graham.

Neste sentido, o que se propõe agora é a continuação deste projecto desenvolvendo o lado masculino da dança do inicio do séc. XX e fazendo o percurso revisitando Vaslav Nijinski (1889-1959), Rudolf Laban (1879-1958) e Merce Cunningham (1919-2009): À maneira deles agora! A premissa mantém-se: Utilizar os seus métodos explorando em simultâneo o seu universo de criação e as suas biografias.



Nijinski

Nijinski, teve uma vida torturada, cheia de angústia e desilusões, mas a proposta formal das suas criações, em particular a Sagração da Primavera, fazem balançar os pilares da Dança Clássica, provocando incontáveis escândalos. Esta Oficina pretende desenvolver com as crianças, esse lado en dedans, que ele nos apresenta e que ainda hoje nos causa estranheza, com os corpos torcidos e em duas dimensões.


Partindo da ideia e pressuposto defendido por alguns autores, de que a Dança do século XX é eminentemente feminina e verificando, de facto, que algumas das grandes Revoluções desta área se deveram à determinação e coragem das suas pioneiras, criei estas oficinas que não pretendiam ser apenas mais uma lição de história.

Ao contrário, o que se pretendia era a exploração de uma linguagem própria e individual de cada interveniente utilizando os métodos, ou partindo das questões primeiras, que estas criadoras utilizavam. A oficina estava então grandemente apoiada nas danças de cada uma destas mulheres, mas também nas suas vidas e na forma como os acontecimentos condicionaram o seu fazer artístico. Assim, se com Duncan aprendemos a dançar descalços, com Wigman aprendemos o silêncio e com Graham a verdade do movimento.


DESTAQUES MARÇO
RADICAL WRONG

Direcção, Coreografia e Cenografia de Wim Vandekeybus. Criação e Interpertação de Máté Mészáros, Bénédicte Mottart, Julio Cesar Iglesias Ungo, Damien Chapelle, Melkorka Sigridur Magnusdottir, Ricardo Ambrozio, Dymitry Szypura. Co-criação de hi-Mai Nguyen. Produção Ultima Vez (Brussels, BE). Co-produção de Cultuurcentrum Hasselt, Krokusfestival (Hasselt, BE)



Dia 17 de Março | 21h30 | Sala Principal

À MANEIRA DE LABAN

Oficina de Dança para Crianças por Leonor Barata

Dia 18 Março | 11h00 | Público Familiar

A FUGA

Dia 24 Março | 21h30 | Sala Principal

Comédia com Maria Rueff, José Pedro Gomes, Jorge Mourato, João Maria Pinto e Sónia Aragão. Encenação de Fernando Gomes
(Comemorações do Dia Mundial do Teatro)


FIM






©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal