Shri Maa o Guru e a Deusa Vol. III



Baixar 342,66 Kb.
Página1/5
Encontro19.04.2018
Tamanho342,66 Kb.
  1   2   3   4   5

Shri Maa


o Guru e a Deusa

Texto integral e traduções do


Lalita Tris’ati

Traduzidos para o inglês por


Swami Satyananda Saraswati
Transliteração do Samskrit por
Vittalananda Saraswati

DEVI MANDIR PUBLICATIONS, USA

E

MOTILAL BANARSIDASS PUBLISHERS

PRIVATE LIMITED - DELHI

Título do original em inglês:


Shree Maa

The Guru and the Goddess


Copyright © 1995 by

Devi Mandir Publications

Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução parcial ou total deste livro.

TX 4-071-313



ISBN 1-877795-16-X
Saraswati, Swami Satyananda
Shri Maa , o Guru e a Deusa



  1. Religião Hindu

  2. Adoração a Deusa

  3. Espiritualidade

  4. Filosofia



ÍNDICE



Prefácio

4

Lalita Tris’ati

7

Introdução

8









































































































Lalita Tris’ati
Lalita Tris’ati
INTRODUÇÃO
Lalita é outro nome de nossa Mãe Divina. Significa Bela, Jogadora e Amada. Ela é bela tal como não há outra visão para comparar com a divindade de existência. Ela é jogadora porque tudo que é percebido é parte da lila de Deus, a manifestação do drama divino sobre o palco da consciência. Ela é amada porque todo outro amor tem um elemento de afeições egoístas, mas o Amor de Deus é amor puro.
Seu nome também significa Ela Que reside no lalat, ou no terceiro olho da fronte, no Ajña Cakra, ou cume da existência. Ela quem dirige e organiza a criação. Se Sada S’iva e S’akti reside em eterna união no Sahasrara, então Lalita distingui as formas individuais e nomes de objetos e relações nesta existência. Para olhar dentro de seus olhos e lhe falar o quanto eu o amo, eu devo recuar a partir de nossa união para dentro da dualidade de nosso amor. Lalita, a amada, é o Ser que eu vejo.
Todo o karma da criação é dirigido por Ela. Todas as ações da existência são autorizadas por Ela. É por Ela que nós fazemos todas as coisas, conscientemente ou não. Nós estamos constantemente buscando manifestar expressões de nosso amor a Ela. Quando temos sucesso Ela concede Sua aprovação assim como uma Mãe afetuosa, Ela nos dá o fruto de nossa conduta certa. Quando nós falhamos em seguir o caminho de dharma, Ela nos permite compreender imediatamente, e envia-nos o conflito e confusão, frutos da impropriedade.
Ela tem mil nomes. Realmente Ela tem muitos milhares de nomes. A verdade é que todo nome na existência é Dela. Dentro dos Mil Nomes de Lalita aparece o nome de Kames’vari, a de Deusa Suprema de todos os desejos. Este é também um nome de Kali. Nos mil nomes de Kali aparece o nome Padma. Este é também um nome de Laksmi. Dentro dos Mil Nomes de Laksmi aparece o nome Sarasvati. Todos eles são um. Há somente Um Deus. Há somente Uma Deusa. O Deus e a Deusa são Um.
A adoração com os mil nomes produz excelentes frutos.
rahasyanamasahasramahima yo mayoditah

sa s’ikaranu ratraikanamno mahimavaridheh

Aqueles que Me oferecem o segredo da grandeza dos mil nomes, eles são uma luz brilhando na escuridão da noite, tal é a glória desses nomes.


vagdeviracite namasahasre yadyadiritam

tatphalam kotigunitam namno-pyekasya kirtanat

Esses mil nomes brilham na consciência da Deusa de todas as Vibrações. Os frutos carregam dez milhões de qualidades das quais nem mesmo uma pode ser cantada.


Mas a adoração com trezentos nomes produz igualmente maior fruto.
etadanyairjapaih stotrairarcanairyatphalam bhavet

tatphalam kotigunitam bhavennamas’atatrayat

Qualquer que seja o fruto que possa ser produzido a partir de oferendas e canções e recitações contínuas de outros mantras, este fruto será multiplicado por dez milhões de qualidades para aqueles (que adoram com) esses trezentos nomes.


rahasyanamasahasrakotyavrttyastu yatphalam

tadbhavetkotigunitam namatris’atakirtanat

O fruto do segredo dos mil nomes produz dez milhões de imutáveis qualidades. Quem quer que cante esses trezentos nomes recebe dez milhões de vezes aquelas qualidades.



Lalita é S’ri Vidya. Ela é o Conhecimento do Mais Elevado Respeito, expressados pelos quinze eruditos mantras conhecidos como Kadi, aquele que começa pela letra K, a Causa Primária. Ela define as três formas de Maya: a maya de S’ankhya, a maya da ilusão, que obriga os muitos à olharem com apegos para os muitos, esquecendo totalmente a divindade inerente internamente; a maya do Tantra, a personificação da Mãe Divina, a relação entre os muitos e o Um, e o Um e os muitos; a maya do Vedanta, a Única existência eterna em harmonia consigo mesma.
Segundo o S’ri Vidya Ela tem três formas: Kadi, a Mãe Divina manifestando-se como a Causa Primária; Hadi, Senhor S’iva, Consciência Infinita; e finalmente como Sorasi, os dezesseis eruditos Kahadi, quem é S’iva e S’akti em indiferenciada comunhão, manifestando isso tudo como a Unidade da Natureza percebida pela Consciência.
Juntas elas tornam-se o S’ri Cakra Yantra, como Kadi os cinco triângulos da Mãe Divina em união com os quatro triângulos do Senhor S’iva; como Hadi, os cinco triângulos da Consciência Infinita manifestando-se com os quatro da S’akti; e como Kahadi, os quatro de S’iva e os quatro de S’akti, mais o Um de Kamakala, a união de todos os aspectos.
Mas Lalita tem outra qualidade a qual estende-se além das Filosofias do Tantra e Vedanta, Ela é uma Deusa viva, e Seus trezentos nomes, mesmo embora composto no Samskrt moderno (clássico), são escritos, abrangendo os elementos de Sama estabelecidos nos Vedas. No moderno (clássico) Samskrt, há três critérios para expressão poética: o significado, a métrica e a rima. No Sama, a canção marcada do Samskrt Védico, há um quarto elemento conhecido como o tom. Cada palavra tem uma energia particular, um bhava especial, uma intensidade de vibração, um poder interno inerente, para despertar dentro do buscador a atitude específica definida. Quando cantado com o Udgita, o modo especial de pronúncia, os trezentos nomes aproximam-se com vida e fazem nossa Mãe manifesta.
No Chandi Path, capítulo 4, verso 10, Ela é chamada a natureza intrínseca do som, especialmente da sabedoria dos Vedas pronunciada com Udgita.
s’abdatmika suvimalargya jusam nidhanam

udgitharamya padapathavatam ca samnam

devi trayi bhagavati bhavabhavanaya

vartta ca sarva jagatam paramartti hantri

Vós sois a natureza intrínseca do som e extraordinariamente pura como o Rig Veda, o Yajur Veda e o Sama Veda com o modo especial de pronunciação das canções em louvor ao Divino; vós sois o alicerce. Vós
sois os três Vedas e a Imperatriz Suprema. A criação e proteção do universo é o trabalho que vós manifestais. Vós sois a Destruidora do Medo e Angustia em todo o universo perceptível.
A palavra escrita não pode descrever o tom do som. Algumas coisas podem somente ser aprendidas observando e ouvindo-as de um guru qualificado. Nós precisamos ouvir e ver, e somente então podemos cultivar em nossas próprias vidas os tons da Mãe Divina. Como podemos descrever Sua existência? Após gerações de meditação, os Rsis Védicos puderam somente dizer “Neti neti, Na iti, na iti; Ela não é isto e Ela não é aquilo.” Como descrever os sons da eterna Mãe Divina? O tilintar de Suas pulseiras o abundante suspiro de Sua compaixão, a sinceridade na voz sufocada com a emoção ou tom elevado, chamando a divindade com alegria e respeito.
Chame a Mãe Divina, cante Seus nomes, narre as Suas histórias e torne-se inspirado para uma maior realização. Ela é a nossa Bela, Jogadora, Amada Mãe. Ela concede o fruto do karma. Adore-A com todo seu coração.
Eu A reverencio com todo meu ser. Eu reverencio Shree Maa, minha Guru, que levou-me além do significado intelectual das palavras para dentro de seu poder intuitivo. Eu reverencio todos os devotos e discípulos que estão se esforçando no caminho da purificação, e eu ofereço esta apresentação como uma inspiração adicional para ajudar-nos a cultivar as qualidades para as quais nos esforçamos.
japo jalpah s’ilpam sakalamapi mudraviracanam

gatih pradaksinyakramanamas’anadyahutividhih

pranamah samves’ah sukhamakhilamatmarpana drs’a

saparyaparyayastava bhavatu yanme vilasitam

Recite o discurso o mais artístico de todas as expressões naturais elucidadas, explique a ordem pela qual a existência evolui para a perfeição pelo caminho mais correto. Por oferecer nossa alma, nós nos tornamos completamente unidos dentro do deleite da percepção. Novamente e novamente nós circulamos com respeito ao redor daqueles que se transformaram em brilhantes luzes à nossa frente.



bindu-trikona-vasukona-das’arayugma-

manvas’ra-nagadala-samyuta-sodas’aram

vrttatrayam ca dharanisadanatrayam ca

s’ricakrametaduditam paradevatayah

A partir do único ponto, três ângulos, e oito outros triângulos, seguidos por dez triângulos dentro e fora, além disso quatorze ângulos; há oito pétalas de um lótus, novamente seguido por dezesseis. Estes suportam três círculos, três demarcações da existência, com quatro portas (bhupara). Este é conhecido como o S’ri Cakra,a expressão da mais elevada divindade.



purva bhaga

Prefácio


agastya uvaca

Agstya pediu:



hayagriva dayasindho bhagavan bhaktavatsala

tvattah s’rutamas’esena s’rotavyam yadyadasti tat

1. Hayagriva, o Senhor que é um oceano de compaixão para os devotos, deixai-me ouvir aquilo que é o principal para ser ouvido.



rahasyanamasahasramapi tvattah s’rutam maya

itah param ca me nasti s’rotavyamiti nis’cayah

2. Vós me dissestes o segredo dos mil nomes. Agora, dizei-me somente aquilo que está além, que com certeza



tatha-pi mama cittasya paryaptirnaiva jayate

kartarthyama praptamiva s’ocayisyamyaham prabho

3. irá trazer a vitória sobre as manifestações de minha consciência. Ó Mestre, sobre que outro objetivo deveria eu desejar ouvir.



suta uvaca

Suta narra:

(Hayagriva pergunta a Mãe Divina como responder)

kimidam karanam bruhi jñatavyams’o-pi va punah

asti cenmama tad bruhi bruhityuktva pranamya tam

4. Dizei-me, qual é a Causa Disto? Também, como a Sabedoria é manifestada? Dizei-me como a consciência conhece a existência, que unida com vossas palavras, eu possa oferecer respeito.



samalalambe tat padayugalam kalas’odbhavah

hayanano bhitabhitah kimidam kimidam tviti

5. Ponha um limite adiante de seus infinitos pés, ó Mãe Jogadora, com seios elevados. Para esta Cabeça de Cavalo (Hayagriva) este mundo é enorme, enorme. O que é isto, que é isto, sem fim?


muñca muñceti tam coktva cintakranto babhuva sah

ciram vicarya nis’cinvan vaktavyam na mayetyasau

6. Como as pessoas abandonam, abandonam estes pensamentos invasivos e tornam-se unidas ao Seu? Como alguém contempla a infinidade de pensamentos sem a ansiedade de ligações individuais?


tusnim sthitah smarannajñam lalitambakrtam pura

tam pranamyeva sa munistatpadavatyajan sthitah

7. Como alguém reside na satisfação, recordando a Sabedoria que a Mãe Jogadora está executando incessantemente? Eu reverencio àqueles seres de sabedoria duas vezes nascidos, os munis que continuamente residem nos Seus Pés.



varsatrayavadhi ca tau gurus’isyau tatha sthitau

tacchrnvantas’ca pas’yantah sarve lokah suvismitah

8. Como um discípulo ele residiu junto com o Guru por três anos. Então ele ouviu esta (sabedoria), e ouviu todas as palavras cheio de admiração



tatra s’rilalita devi kames’varasamanvita

pradurbhuta rahas’yevam hayagriva mavocata

9. da Respeitada Jogadora Deusa Mãe, que é Una com o Senhor do Desejo. Então aumentai o entendimento deste segredo que foi concedido sobre Hayagriva.



s’ridevyuvaca

A Suprema Deusa disse:



as’vananavayoh pritih s’astravis’vasine

tvaya

rajyam deyam s’iro deyam na deya sodas’aksari

10. Ó Cara de Cavalo, eu estou extremamente satisfeita com seu entendimento da universalidade das escrituras. Você está propenso ao reino, você está propenso ao domínio. Você está propenso ao mantra de dezesseis letras.



svamatrjaravadgopya vidyaisetyagamajaguguh

tato-tigopaniya me sarvapurtikari stutih

11. Renunciando a ignorância mundana no conhecimento do segredo de sua própria Mãe Divina, e agora muito profundamente entendendo meu segredo, deixo-lhe conhecer uma canção que me traz grande satisfação.



maya kames’varenapi krtva sa gopita bhrs’am

madajñaya vaco devyas’cakrurnamasahasrakam

12. Somente junto com o Senhor de Todo Desejo alguém pode entrar em meu segredo. Minha ordem fez os Deuses recitarem o círculo (ou guirlanda) de mil nomes.



avabhyam kathita mukhya sarvapurtikari stutih

sarvakriyanam vaikalyapurtiryajjapato bhavet

13. Eu agora lhe direi a canção que com menos palavras traz-me grande prazer. Quando recitada como Japa (continuamente) ela aperfeiçoa todas as ações sem dúvida.



sarvapurtikaram tasmadidam nama krtam maya

tadbruhi tvamagastyaya patrameva na sams’ayah

14. Portanto o cantar desses mantras Me traz toda satisfação. Você fale isto para Agastya, que somente é o recipiente adequado sem dúvida.



patnyasya lopamudrakhya

mamupaste-tibhaktitah

ayañca nitaram bhaktastasmadasya vadasva tat

15. Também sua esposa, Lopamudra, tem Me adorado com grande devoção. Eles estão procedendo com grande devoção, e portanto isto deve ser explicado à eles.



amuñcamanastvat padau varsatrayamasau sthitah

etat jñatumato bhaktya hidameva nidars’anam

16. Você deve permanecer sem observar peregrinação por três anos. Deste modo você deve fazer ser conhecido que só a devoção sincera faz alguém digno (de Me ver).



cittaparyaptiretasya nanyatha sambhavisyati

sarvapurtikaram tasmadanujñato maya vada

17. Não há outro agora ou no futuro, que tenha percebido a grande consciência como ele (Agastya). Ele tem trazido a Mim grande satisfação, e portanto, deve conhecer minhas palavras.



suta uvaca

Suta disse:



ityuktvantardadhavamba kame’svarasamanvita

athotthapya hayagrivah panibhyam

kumbhasambhavam

18. Assim unificando-se, a Mãe Divina voltou-se para dentro (tornou-se imperceptível), Ela que é tal qual o Senhor de Todos os Desejos. Então Hayagriva saiu em direção à Ele Quem Nasceu de um Cântaro (Agastya) e sua esposa.



samsthapya nikate vacamuvaca bhrs’avismitah

Ele se situou em íntima proximidade e chamou em uma voz extremamente maravilhosa:




hayagriva uvaca

Hayagriva disse:



krtartho-si krtartho-si krtartho-si ghatodbhava

19. Você é abençoado! Você é abençoado! Você é abençoado! Ó você quem Nasceu de um Cântaro.



tvatsamo lalitabhakto nasti nasti jagattraye

yenagastya svayam devi tava vaktavyamanvas’at

20. Nos três mundos não há ninguém igual a você em devoção à Mãe Jogadora. Somente para Agastya irá a Mãe Divina Mesma revelar como controlar a mente.



sacchisyena tvaya caham drstavanasmi tam s’ivam

yatante yaddars’anaya brahmavisnvis’apurvakah

21. Junto com seu verdadeiro discípulo, (sua esposa), Ela irá tornar-se perceptível para você como a Deusa da Bondade, percepção a qual é difícil mesmo para Brahma, Visnu e S’iva.



atah param te vaksyami sarvapurtikaram stavam

yasya smarana matrena paryaptiste bhaveddhrdi

22. Agora lhe direi a canção que é a causa de toda satisfação. Somente por recordar isto, vocês (respeitados seres) podem perceber a plena consciência.



rahasyanamasahasradapi guhyatamam mune

avas’yakam tato-pyetallalitam samupasitum

23. Ó Muni, isto é mesmo mais secreto que os mil nomes. É necessário que este conhecimento seja limitado somente àqueles que adoram a Mãe Jogadora.




Tadaham sampravaksyami lalitambanus’asanat s’rimatpañcadas’aksaryah kadivarnam kramanmune

24. Eu estou lhe falando isso em obediência às ordens da Mãe Jogadora: as respeitadas cinco letras conhecidas como a ordem de Kadi, ó Muni.



Prthagvims’atinamani kathitani ghatodbhava

ahatya namnam tris’ati sarvasampurtikarini

25. Das muitas quantidades de nomes diferentemente elucidadas, ó Você Que Nasceu de um Cântaro (Agastya), estes indestrutíveis trezentos nomes são a causa de toda satisfação



rahasyatirahasyaisa gopaniya prayatnatah

tam s’rnusva mahabhaga savadhanena cetasa

26. De todos os segredos, este é extremamente secreto, assim você deve proteger esta confidência. Ó respeitados seres, possam vocês ouvirem com aguçada atenção.



kevalam namabuddhiste na karya tesu kumbhaja

mantratmakatvametesam namnam namatmata-pi ca

27. Somente o conhecimento dos nomes será conferido, ó Você que Nasceu de um Cântaro (Agastya), e não os efeitos que eles produzem. Da prática desses mantras, você irá perceber as diferenças de um nome para os outros.



Tasmadekagramansa s’rotavyam bhavata mune

Portanto você deve ouvir com atenção, ó Muni.



Suta uvaca

Suta disse:



ityuktva tam hayagrivah proce namas’atatrayam

28. Assim Hayagriva explicou-lhe antes de ensinar-lhes os trezentos nomes.



om asya s’rilalitatris’atistotramahamantrasya

bhagavan hayagriva rsih, anustupchandah,

s’rilalitamahatripurasundari devata, aim bijam,

sauh s’aktih, klim kilakam, mama istasidhyarthe jape viniyogah

Om. Apresentando os grandes mantras da canção contendo os trezentos nomes da Mãe Divina Jogadora, o respeitável Senhor Hayagriva é o Vidente, Anustup é a métrica (trinta e duas sílabas ao verso), a Respeitada Mãe Divina Jogadora, a Pessoa Ilustre e Bela das Três Cidades, é a deidade, sabedoria é a semente, Consciência em união com Natureza é a energia, a dissolução de todas as ligações é o eixo, para o propósito de realizar meu objetivo desejado esta recitação está sendo aplicada.



Aimityadibhiranganyasakaranyasah karyah

A seguir é apropriado executar o estabelecimento, dos mantras adequados, no corpo e as mãos.



Karanyasah

estabelecimento nas mãos



om aim angusthabhyam namah polegar/dedo indicador

Om aim no polegar eu reverencio.



om klim tarjanibhyam svaha polegar/dedo indicador

Om klim no dedo indicador, eu sou Um com Deus!



om sauh madhyamabhyam vasat polegar/dedo médio

Om sauh no dedo médio, Purifica!



om aim anamikabhyam hum polegar/dedo anelar

Om aim no dedo anelar, Corte o Ego!



om klim kanisthikabhyam vausat polegar/dedo mínimo

Om klim no dedo mínimo, Suprema Pureza!



Role mão sobre mão para frente enquanto recitando karatal kara, e para traz enquanto cantando prsthabhyam, então bata as palmas das mãos quando cantando astraya phat.

om sauh karatal-karaprsthabhyam astraya phat

Om sauh eu reverencio com a arma da virtude.



anganyasah

estabelecimento no corpo


Mantendo tattva mudra toque o coração.
om aim hrdayaya namah toque o coração

Om aim no coração eu reverencio.



Mantendo tattva mudra toque o topo da cabeça.
om klim s’irase svaha topo da cabeça

Om klim no topo da cabeça, eu sou Um com Deus



Com o polegar estendido, toque atrás da cabeça
om sauh s’ikhayai vasat

Om sauh atrás da cabeça, Pureza!



Mantendo tattva mudra, cruze os braços.

.

om aim kavacaya hum cruze os braços

Om aim cruzando os braços, Corte o Ego!



Mantendo tattva mudra, toque os três olhos com o dedo médio

  1   2   3   4   5


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal