Secretaria de estado da educaçÃO



Baixar 4,19 Mb.
Página5/16
Encontro28.05.2017
Tamanho4,19 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   16

Ações didático-pedagógicas da unidade Escolar



Ações e Projetos 2011 e 2012

Torneios Interséries

Promover a integração das turmas, conhecendo os seus limites e possibilidades do próprio corpo de forma a poder controlar algumas de suas posturas e atividades corporais, valorizando suas aptidões físicas.

Responsável: Alunos do Ensino Médio

Envolvidos: todos os alunos do Colégio

Disciplina contemplada: Educação Física
Dança e Expressão Corporal:

Promover através do uso do corpo movimentos previamente estabelecidos ou improvisados e mostrar que a dança pode existir como manifestação artística ou como forma de divertimento.

Como arte, a dança se expressa através dos signos de movimento, com ou sem ligação musical

Professoras responsáveis: Marcia Cristina Zanelatto

Envolvidos: alunos do período Matutino e Vespertino

Disciplina: Educação Física


Studio Musical/Carrão

Apresentação musical de alunos do colégio em parceria com a Studio Musical (loja de instrumentos musicais) no pátio do Colégio para estimular o interesse instrumental e pelo canto, além de proporcionar entretenimento

Responsável: Direção

Envolvidos: alunos da 3ª ano do ensino médio


Datas Comemorativas

Dia da Mulher, Páscoa, Festa Junina, Dia do Estudante, Dia dos Pais, Festival da Primavera, Dia da Juventude, Semana da Pátria, Natal.

Interação entre as diferentes turmas do colégio bem como, com os pais e a comunidade e que vem ao colégio assistir e participar das atividades propostas e organizadas pelos alunos

Responsável: Professores Célia Sergia, Rafael Amaral e Márcia Jouvelina

Envolvidos: alunos do ensino Fundamental, Médio e Profissional
Festa Junina

É tradicional em nossa escola a festa junina todos os anos, trata-se de uma quermesse com comidas e bebidas típicas, dança, apresentação de quadrilhas, show musical dos alunos que tocam instrumentos e cantam, conta com a colaboração dos professores, apresentação dos alunos vestidos a caráter para a quadrilha e participação maciça das famílias e comunidade, na ocasião é exposto em telão fotos das atividades e projetos desenvolvidos por nossos alunos e professores, é um momento de plena integração comunidade escola.


Teatro de Histórias Infantis
Este projeto foi feito especificamente com os alunos do turno vespertino, a fim de proporcionar uma atividade de interação entre os mesmos e a escola, com base em histórias, contos e fábulas infantis, orientado pela coordenação do curso.

Responsável: Professores de todas as áreas

Envolvidos: alunos do curso Formação de Docentes
EDUCAÇÃO ÍNDIGENA
Curso de Formação de Docentes

Responsável: Professora Tania Cristina da Silva Basso

Disciplina: Prática de Formação

Este projeto teve como objetivo principal , o conhecimento e interação com a diversidade na educação . Após estudos sobre a Educação Indígena , onde realizamos brincadeiras e tivemos a oportunidade de conhecer a realidade em que visem os índios.

A visita à Escola Indígena Cacique Koléj de São Jeronimo da Serra proporcionou aos alunos estagiários ampliar seus conhecimentos em relação à Educação ,em contatos com professores na tribo indígena constataram que existem mais línguas ensinadas na referida escola, além da Língua Portuguesa.

Foram confeccionados lembrancinhas com garrafa PET para serem distribuídas às 150 crianças que estudam no período vespertino da referida escola.


FÉRIAS DIVERTIDAS

Curso de Formação de Docentes

Responsável: Professora Tania Cristina da Silva Basso

Disciplina: Prática de Formação


Objetivo:

    • Ofertar atividades aos estudantes das escolas municipais (Educação Infantil e séries iniciais) no período de férias ,evitando assim que as mesmas ficassem nas ruas.

A programação estendeu- se em duas semanas contento oficinas com material reciclagem , contamento de historias , teatro de fantoches,cinema, rua de recreio e outros.

No ultimo dia foram realizadas atividades recreativas com cama elástica ,piscina de bolinhas e algo dão doce .

Os estudantes participaram ativamente da programação e os estudantes estagiários ficaram ainda mais empolgadas com o curso “Formação de Docentes”.



APAE – ALEGRIA
Curso de Formação de Docentes

Responsável: Professora Tania Cristina da Silva Basso

Disciplina: Prática de Formação

Na execução deste projeto realizamos uma visita à Escola de Educação Especial “ 12 de Outubro” de Assai , no intuito de conhecer melhor essa especialidade educacional e assim poder programar um dia de atividades recreativas aos alunos.

Após essa visita fizemos um encontro com as duas turmas de Formação de Docente para fazer o cronograma das atividades.

Na realização do projeto APAE ALEGRIA ,tivemos atividades como: futebol de salão ,cantinho da beleza , da Arte e da Alegria.

Os estudantes e estagiários interagiram também em brincadeiras na cama elástica , piscina de bolinhas e depois, foi ofertado um delicioso lanche.

Todos aprenderam muito com essa interação que proporcionou uma visão mais ampla em relação à educação Especial.




SER RESPEITADO POR SER DIFERENTE
Curso de Formação de Docentes

Responsável: Professora Tania Cristina da Silva Basso

Disciplina: Prática de Formação

Objetivo:

_ Conhecer a cultura afro-descendente ,bem como, suas conquistas e lutas.
Na realização de entrevistas com afro- descendentes , os alunos puderam conhecer a realidade e a discriminação enfrentadas pelos mesmos.

Construímos então um mural com fotos e frase que retratam as conquistas e lutas dos afro- descendentes. Para a conclusão do projeto, em novembro , para comemoração do Dia da consciência Negra faremos apresentações em relação ao tema para todos os estudantes do colégio.




FEIRA DE PROFISSÕES
Curso: Ensino Médio – 3º ano

Disciplina: Prática de Formação

Responsável: Rafael Elias de Oliveira
Para permitir contato com instituições de ensino superior e aproveitando a iniciativa de algumas de montar feiras de profissões , foi feita visita a PUC – Londrina com os estudantes do terceiro ano matutino e noturno.

No evento, os estudantes tiveram contato com as instalações da universidade além de visitarem estantes onde professores e alunos da instituição esclarecem dúvidas dos nossos formandos quanto a atuação dos profissionais ,mercado de trabalho e média salarial.

Mesmo se tratando de um evento comercial , o contato de nossos estudantes com IES da região, pode ser motivador para que eles busquem a continuidade dos estudos. Tal contato é positivo e deve ser incentivado sempre que possível.

O USO DA MÁSCARA NA CULTURA AFRICANA

Curso: Ensino Fundamenta

Responsável: Èlia Mika Kumagai

Disciplina: Artes


Objetivo:

    • Contextualizar a história das máscaras na Cultura Africana;

    • Executar trabalhos plásticos baseados na arte Africana;

    • Expressar gosto e admiração pela Cultura Africana;

    • Confeccionar máscaras seguindo as orientações da professora.

Conteúdo: Pintura Africana

Máscara Africana.
Primeiramente iniciar com o filme:” Kiriku e a Feiticeira” de Michel Ocelot – animação francesa de 1998.

Após assistir ao filme ,iniciar a conversa sobre a cultura africana, mostrar imagens de máscaras africanas orientando o estilo ,formato, cores e materiais utilizando na confecção, contextualizando em situação os povos africanos usavam as máscaras.

Produzir as máscaras a partir de materiais recicláveis com jornal ,botões, sementes.

Pintar e decorar as máscaras.

Expor os trabalhos.

PROJETO CONSCIÊNCIA NEGRA

Curso: Ensino Médio

Responsável: Inês Secci

Disciplina: LEM -Inglês


Objetivos:


  • Trabalhar através de pesquisas questões étnicas e raciais que marcaram a história ao longo dos tempos.

  • Discutir com os alunos as questões raciais (preconceito,racismo)

  • Resgatar nos alunos valores como: solidariedade , respeito,amor ao próximo, amizade e honestidade.


Metodologia:

Propor aos alunos pesquisar em livros e na Internet figuras de pessoas ilustres da raça negra que lutaram para defender seu povo da estupidez e crueldade humana. ( Nelson Mandela, Martin Luther king, Zumbi de Palmares, Princesa Izabel dentre outros.)

Assistir ao filme : “Amistad” e “ Invictus”.

Resenha dos filmes.

Questionário.

Avaliação:

_ Apresentação de seminário sobre o tema proposto.

_ Produção textual.




PROJETO GEOGEBRA PARA 3º ANO DO ENSINO
Curso: Ensino Fundamental

Responsável: Professora Leda

Disciplina: Matemática

Utilização do laboratório de informática com o software Geogebra com os conteúdos estudados de geometria analítica .

Após todo o conteúdo estudado os estudantes foram levados ao laboratório de informática com o intuito de fixação e aprofundamento dos conteúdos : Ponto, reta, circunferência e cônicas.

O software geo gebra permite a visualização da reta, circunferência e cônicas dadas as repetições, seus comportamentos bem como o seu posicionamento.




PROJETO GEOGEBRA PARA O 2º ANO DO ENSINO MÉDIO.

Utilização do laboratório de informática com o software geogebra para fixação e aprofundamento do conteúdo de funções trigométricas , bem como seu comportamento, período, domínio e imagem. Principalmente em relação às diferenças entre funções seno,cosseno e tangente e suas derivadas cossecante,secante e cotangente.



GIBITECA
Curso: Ensino Fundamental

Responsável: Professora Lucélia

Disciplina: História e Sociologia.

Objetivo:



  • Levar o aluno a praticar a leitura lúdica

  • Utilizar de novos instrumentos para a produção de textos, bem como criar oportunidades de troca de ideias.

A partir da coleta de gibis pelos alunos, os mesmos serão catalogados, organizados por titulos e disponibilizados na biblioteca para a devida utilização de todos os professores, bem como o empréstimo por parte dos alunos.


ALUNOS E COMUNIDADE NA MÍDIA ESCOLAR (INTERNET-BLOG)

Curso: Ensino Médio

Responsável: Professora Andrea Tamura Kazuma

Disciplina: Geografia

Objetivos:



  • Levar informações à comunidade escolar, bem como fornecer uma nova metodologia aos alunos do terceiro ano, que neste ano prestarão vestibular e não tem a oportunidade ou prática de ler e analisar artigos de jornais e revistas;

  • Propiciar uma aprendizagem diferenciada e aumentar o eixo de informações e de conhecimento dos alunos.

O projeto será realizado através da criação de um blog onde atividades da disciplina de geografia serão postadas e os alunos irão interagir entre si e com a professora discutindo, analisando e postando artigos e diferentes conteúdos relacionados à disciplina.

PREPARANDO ALUNOS PARA PROMOVER A INCLUSÃO NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA

Curso: Ensino Fundamental

Responsável: Aldaleci Fátima de Almeida

Disciplina: Educação Física

Definimos o objetivo desta unidade didática como sendo um material de apoio para alunos e professores no desenvolvimento de uma modalidade esportiva onde todos devem praticar um jogo de basquetebol com regras adaptadas a realidade de cada aluno.

O objetivo principal é que este material pedagógico venha auxiliar tanto professores como alunos na prática de uma modalidade esportiva, vamos procurando no decorrer deste trabalho mostrar caminhos para que, o aluno com Necessidades Especiais Motora possa participar junto aos demais alunos das aulas de Educação Física podendo assim praticar uma modalidade esportiva adaptada a sua condição de cadeirante, esta modalidade será o basquetebol.


EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM
Dimensão conceitual


  1. Entender a relação entre a atividade física e o desenvolvimento de hábitos saudáveis e melhoria na qualidade de vida;

  2. Conhecer novos jogos e suas variações, socializando e ampliando o repertório de práticas da cultura corporal.

  3. Conhecer as regras e os fundamentos do Basquetebol e suas variações;


Dimensão procedimental


  1. Construir e explorar materiais alternativos que possam ser utilizados para a prática dos esportes mencionados na unidade didática;

  2. Participar das práticas esportivas alternando o desempenho de diferentes funções de jogador, capitão do time etc;

  3. Adaptar, reconstruir e praticar a modalidade esportiva adaptando-se à realidade da escola e do grupo (número de alunos, espaço, quantidade de material, etc);

  4. Planejar e executar novas formas de jogar, melhorando e desenvolvendo suas habilidades motoras para jogar certo e bem;



Dimensão atitudinal


  1. Valorizar o espaço das aulas como um espaço de participação e construção coletiva;

  2. Respeitar as regras e as normas de convivência no que se refere às relações de grupo (escutar o outro nas rodas de conversa, deixar o colega falar, evitar comentários preconceituosos com relação à etnia, à obesidade e a habilidade para jogar, entre outros);

  3. Mostrar a importância da prática de atividades físicas para a melhora ou manutenção de seu condicionamento físico e qualidade de vida;

  4. Valorizar o trabalho e a convivência em grupo, respeitando os potenciais e as limitações de cada um;

  5. Jogar de forma cooperativa e com cada vez mais autonomia, sem a interferência constante do professor na solução e no encaminhamento dos conflitos.


CONSCIÊNCIA NEGRA

Curso: Ensino Fundamental e Médio

Responsável:Professor:Rafael Amaral Ferreira (coordenador)

Disciplina: Sociologia.


Educação não transforma o mundo. Educação muda pessoas .Pessoas transformam o mundo”. (Paulo freire).
A escola tem um grande papel na formação crítica de seu aluno, por ser um lugar de interação , é seu dever anular todo e qualquer tipo de preconceito.

Dentro desta proposta , a escola deve trabalhar a valorização da cultura afro- brasileira envolvendo toda a comunidade escolar .

Objetivo:


  1. Sensibilizar nossos estudantes para a importância e a necessidade de preservar a cultura afro – brasileira.

  2. Trabalhar de forma interdisciplinar o tema abordado de forma coerente .

Durante todo o ano letivo, a equipe multidisciplinar junto aos professores e equipe pedagógica trabalha a cultura afro -brasileira de acordo com sua disciplina e ao final do ano, no dia da “ Consciência Negra” faz a conclusão de todo trabalho feito com apresentações, palestras, seminários e outros.


Estágio Remunerado
A instituição elabora Plano de estágio que integra o termo de compromisso que é o instrumento pedagógico que norteia e normatiza o estágio dos alunos. Para os alunos do curso técnico o professor coordenador do curso fica responsável pelo acompanhamento e avaliação das atividades propostas, observando o rendimento escolar do aluno e preenchendo os relatórios, assinando os pareceres e informações contidas nos relatos das empresas após análise; no caso de alunos do ensino médio o acompanhamento é realizado por um professor pedagogo.

O estágio remunerado trata de convênios com a oferta de vagas aos alunos, através de aplicação de testes de seleção pelas empresas solicitantes e garantia de estágio remunerado por tempo determinado conforme a lei 11.788/08, afim de que as empresas colaborem com as instituições educacionais dando aos alunos oportunidade de trabalho. É de competencia da instituição educacional supervisionar a frequencia, bem como zelar pelo cumprimento do termo de compromisso fixado no ato da elaboração do convênio, viabilizando a formação completa de experiência para o mercado de trabalho.

As empresas que geralmente oferecem estágios aos estudantes são:


CIEE

Prefeitura Municipal

Copel

Cooperativa Integrada



Caixa Econômica Federal

Tornotécnica Jumbo

TEC Marca

IFV


Supermercados

Em nenhum de nossos cursos profissionalizantes o estagio é obrigatório, salvo o curso de Formação de Docentes, porém a contribuição para formação do aluno e o desenvolvimento de atividades relacionadas ao mundo do trabalho é extremamente valorizada, principalmente quando se inscreve a um emprego que requer experiência profissional, ou que esteja freqüentando um de nossos cursos.

Sala de Apoio a Aprendizagem

Esta modalidade foi regulamentada através da Resolução 208/2004 criado para atender os problemas relacionados à aprendizagem de Língua Portuguesa e Matemática dos alunos matriculados na 5ª série do Ensino Fundamental no que se refere aos conteúdos de leitura, escrita e cálculo. A partir de 2011, através de nova resolução a modalidade de sala de apoio foi estendida aos alunos de 8ª série.



Objetivos

    • Construir coletivamente a identidade da escola pública democrática e de qualidade.

    • Apontar um rumo, uma direção ou sentido explícito para um compromisso estabelecido coletivamente.

    • Realizar um planejamento em conjunto para que a interdisciplinaridade seja concretizada, tornando-se uma prática constante em todos os segmentos desta comunidade escolar.

A comunidade escolar do Colégio Estadual “ Conselheiro Carrão” de Assaí – Paraná, em atendimento:

    • ao Artigo 178 da Constituição Estadual de 05/10/1989, que dispõe sobre a Gestão Democrática e Colegiada das Instituições de Ensino mantidas pelo Poder Público Estadual

    • Deliberação nº 014/99 do CEE que traz indicadores da proposta pedagógica dos estabelecimentos do Ensino Médio da Educação Básica em suas diferentes modalidades e ind. 0004/99.

    • Ao Artigo 66 do Regimento Escolar que trata dos Currículos e Programas;

    • Instruções e orientações da SEED e Núcleo Regional de Ensino de Cornélio Procópio – Paraná, sobre a reorganização do Projeto Pedagógico da Escola vem justificar o presente Projeto Pedagógico nos termos a seguir.

O Projeto Político Pedagógico representa o eixo de toda e qualquer ação a ser desenvolvida no Estabelecimento de Ensino e visa:

    • Tomada de consciência dos principais problemas da escola, das possibilidades de resoluções e definições das responsabilidades coletivas e pessoais para eliminar ou amenizar as falhas detectadas, contribuindo assim para a melhoria da qualidade de ensino;

    • Oportunizar a adequação da Proposta Pedagógica da SEED, suas necessidades e expectativas;

    • Buscar avanços necessários para que a escola pública assuma sua responsabilidade na democratização da sociedade.

Desta forma, o Projeto Político Pedagógico representa a carta das intenções de toda comunidade escolar, que vivendo num mundo de transformações bruscas e aceleradas, deseja participar destas mudanças em todos os campos do saber pela reflexão profunda e praxis construtivas.
Plano de Ação da Equipe Formadora
Toda instituição escolar necessita de uma estrutura de organização interna e tal estrutura ordena e dispõe as funções que asseguram o funcionamento da mesma.

O Conselho Escolar, a Direção, o Setor Técnico-Administrativo, o Setor Pedagógico, as Instâncias Colegiadas – APMF e Grêmio Estudantil e o Corpo Docente fazem parte da estrutura organizacional, assim, evidentemente, compõem a Equipe Formadora.

A referida equipe tem um objetivo comum: formar, ou melhor, bem formar o professor-educador. Vale destacar que o setor pedagógico e o corpo docente, juntamente com a direção, assumem papel relevante nesta formação. Isto porque, a estes cabe a função básica de concretizar o objetivo prioritário da escola, o ensino.

Quanto à temática da gestão escolar é necessário implementá-la buscando a democracia como norte para as ações a serem tomadas para o bem do conjunto escolar, para tanto, o diretor deve pautar suas ações na participação de todo o coletivo escolar, discutindo, propondo ações que tenham como base fundamental o bom andamento do processo pedagógico.

Ao exercer sua função como gestor, o mesmo deve primar pela transparência, pela qualidade de sua escola, pela melhoria do que é ensinado, estando consciente do seu dever de prestar contas de suas ações, respeitando toda a documentação estabelecidas para o funcionamento da escola: Projeto Político Pedagógico, o Regimento Escolar e o Plano de Ação.

Os mecanismos de gestão perpassam pela necessidade de trazer a família e demais membros da comunidade à escola favorecendo assim, a participação de todos no processo educativo, debatendo resultados e necessidades para propor ações compartilhadas entre Conselhos Escolares, Associação de Pais, Mestres e Funcionários, Grêmios Estudantis para o acompanhamento da realidade da escola.

A organização e a gestão referem-se aos meios de realização do trabalho escolar, ou seja, à racionalização do trabalho e à coordenação do esforço coletivo dos profissionais que atuam na escola, envolvendo os aspectos físicos e materiais, os conhecimentos e qualificações práticas do educador, as relações humanas, o planejamento, a administração, a formação continuada e a avaliação do trabalho escolar, tendo como função atingir os objetivos, para isso é necessário uma ação racional, estruturada e coordenada. Por ser uma atividade coletiva, depende de objetivos comuns e compartilhados e de ações coordenadas pelos envolvidos no processo.

Assim, o plano de ação da Equipe Formadora exige:



  • Clareza política sobre a concepção de homem, sociedade, educação, escola, mundo.

  • Existência de Projeto Político Pedagógico da escola, construído coletivamente.

  • Domínio desse Projeto.

  • Compromisso ético – profissional por parte de todos os seguimentos da escola,

  • Coerência na construção de uma nova prática, a partir de análise das próprias práticas.

Enfim, a ação da Equipe Formadora tem como foco o acompanhamento do processo pedagógico, que envolve o ensino e a aprendizagem dos conhecimentos necessários para a atuação docente, bem como para a atuação do indivíduo como cidadão.

Vale destacar que a integração da escola com as Instâncias Colegiadas que faz parte do plano de ação da Equipe Formadora, isto porque a parceria com estes é imprescindível para a concretização dos nossos objetivos.



O relacionamento com os pais dá-se por meio de comunicados e informativos, reuniões previamente agendadas e o atendimento sempre que se fizer necessário (de acordo com a disponibilidade destes, independentemente do horário da equipe pedagógica), além da entrega formal, também marcada, dos boletins, quando necessário ocorre a participação do conselho tutelar na orientação familiar de comportamento e disciplina e em alguns casos a intervenção da promotoria da Vara da Infância e Juventude.


1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   16


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal