Salazar e Salazarismo



Baixar 17,35 Kb.
Encontro11.09.2017
Tamanho17,35 Kb.

Salazar e Salazarismo
António de Oliveira Salazar foi a principal figura do regime do Estado Novo (espécie de “nome oficial” para o Salazarismo – 1933-1974) em Portugal. Salazar foi Ministro das Finanças e, posteriormente, Presidente do Conselho de Ministros por quarenta anos, cargo através do qual manteve Portugal em regime de Ditadura (consultar pág. 106 para mais detalhes sobre Salazar).

Em 1926 foi implantado em Portugal um regime de ditadura militar, movimento que teve por figura principal Salazar. Este tomou de imediato medidas em relação à economia portuguesa (enquanto Ministro das Finanças), aumentando os impostos e reduzindo as despesas do Governo. Assim, eliminou o défice financeiro, o que lhe valeu grande prestígio e influência, chegando mesmo a retirar aos militares o poder de que dispunham até ao momento.

Salazar tornou-se Presidente do Conselho de Ministros em 1932, e em 1933 terminou a Ditadura Militar e começou oficialmente o Estado Novo. Uma vez à frente do Governo, Salazar fez vigorar uma nova Constituição (a de 1933), que permitiu o fim da Ditadura Militar, e a qual tinha por principal mudança a dos poderes políticos:


  • O poder executivo pertencia ao Presidente da República e ao Governo nomeado por este;

  • O poder legislativo pertencia à Assembleia Nacional (eleita a cada quatro anos).

Apesar de na Constituição constar isso, os direitos dos cidadãos não eram respeitados e as eleições não eram livres, sendo manipuladas por todo o tipo de ilegalidades. A Assembleia Nacional, formada por deputados, tinha um poder muito limitado, e, apesar da hierarquia estabelecida pela Constituição, Salazar teve sempre um poder superior (e incontestado) ao do Presidente da Republica.
Características do Salazarismo (nas características é melhor lerem tudo):

  1. Regime conservador e autoritário (pressupõe intervencionismo estatal);

  2. Anticomunismo / antidemocracia / antiliberalismo;

  3. Corporativismo (o corporativismo retirou aos trabalhadores toda a capacidade reivindicativa);

  4. Repressão;

  5. Polícia Política (PIDE);

  6. Censura;

  7. Propaganda Política

  8. Partido Único;

  9. Educação da Juventude;

  10. Culto do Chefe;

  11. Protecionismo (nacionalismo económico – objetivo: autarcia; proteção em relação a produtos estrangeiros);

  12. Colonialismo/Imperialismo (Ato Colonial de 1930; Império Colonial Português – tema de propaganda política);


Estaline e Estalinismo
Estaline iniciou-se oficialmente na política como secretário-geral do Partido Comunista e, a partir desse cargo, tornou-se líder da URSS após a morte de Lenine (consultar pág. 112 para mais detalhes sobre Estaline).

Desde a época da revolução soviética, a URSS trabalhava para uma sociedade comunista e socialista. Quando Estaline tomou a chefia da URSS (cerca de 1927-1928 – o livro não diz a data), pôs termo à NEP instituída por Lenine e iniciou a grande viagem para o socialismo. Aplicou, assim, dois novos princípios na economia: a nacionalização total dos meios de produção

(com a qual o Estado obteve o controlo e a propriedade da terra, das fábricas e dos meios de transporte, praticamente eliminando a propriedade privada) a planificação (através da qual o governo dirigia a economia).

Na agricultura, procedeu-se à coletivização da terra (a propriedade privada passa a coletiva, na posse do Estado ou de cooperativas apoiadas por este). Os kulaks dividiram-se em sovkhozes (propriedades agrícolas do Estado) e kolkhozes (cooperativas de camponeses que trabalhavam em comum a terra). Estas mudanças só se deram sob uma violenta repressão policial para fazer face à resistência oferecida pelos kulaks. Houve fome devido ao abalo das transformações, e por causa da fome e da repressão, morreram milhões de camponeses.

Em 1936 foi aprovada uma nova Constituição da URSS que se baseava na ditadura do proletariado: o Estado deveria estar ao serviço da classe que seria a única, o proletariado. Consideravam esta uma forma de construção do Socialismo, no entanto, esta política apenas escondia a ditadura do partido único (Partido Comunista), subordinado ao poder de Estaline. Este controlava os aparelhos político e partidário e levou a cabo uma forte repressão a qualquer tipo de oposição ao seu regime, com os campos de trabalhos forçados, as depurações e execuções “em massa” de suspeitos de oposição.
Características do Estalinismo


  1. Partido único

  2. Repressão

  3. Polícia política (KGB)

  4. Culto da personalidade do chefe

  5. Comunismo/Socialismo



2ª Guerra Mundial
A guerra começou com uma fase de vitórias sucessivas para a Alemanha. Em pouco tempo, praticamente toda a Europa foi dominada, até apenas a Inglaterra combater a Alemanha.

Depois do ataque a Pearl Harbor, a entrada dos E.U.A. levou à entrada de outros países pelo lado dos aliados e ao início da derrota da Alemanha. O facto de o pacto germano-soviético ter sido traído e a pressão do Exército Vermelho contra os nazis contribuiu para o fim da expansão alemã.

A 8 de maio de 1945, todos os líderes militares alemães se renderam sob a pressão da derrota infligida pelos exércitos dos Aliados.

Em agosto de 1945, dez dias o Japão também se rendeu, após a utilização das bombas atómicas sobre Hiroshima e Nagasaki.


Fase da Guerra

  • 1936-39 – Guerra Civil Espanhola

  • 1937 – O Japão invade a China

  • 1938 – Pacto de Munique / avanço de Hitler sobre o País dos Sudetas / anexação da Áustria

  • 1939 Início da Guerra (entre 1 e 3 de setembro desse ano) / invasão da Checoslováquia/ pacto de não-agressão germano-soviético / domínio nazi sobre a Dinamarca, Noruega, Holanda, Bélgica e parte da França

  • 1940 – Hitler ordena bombardeamento de Londres / batalha entre a RAF e a Luftwaffe

  • 1941 – Invasão da União Soviética


Causas da guerra

- Tensões internacionais (crise económica, ascensão de regimes extremistas, Guerra Civil Espanhola, violação de fronteiras, ocupação de territórios);

- Tendências imperialistas das ditaduras;

- Passividade das democracias face à expansão nazi e fascista;


Fatores de mundialização do conflito

- Batalha de Inglaterra

- Ofensiva italiana contra o Egito

- Alemanha ataca a URSS

- Cerco de Leninegrado

- Ataque a Pearl Harbor


Consequências

- Cerca 50 milhões de mortos



- Destruição e estado caótico da Europa, especialmente da Inglaterra e da Alemanha, e do Japão






©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal