Richard simonetti



Baixar 321,2 Kb.
Página7/7
Encontro01.07.2018
Tamanho321,2 Kb.
1   2   3   4   5   6   7

DÉCIMA PARTE

EVANGELHO
Vem ao Mestre que ampara os pobrezinhos, que esclarece e conforta os sofredores!... Pois com o mundo uma flor tem mil espinhos, mas com Jesus um espinho tem mil flores!
Carmen Cinira, psicografia

de Francisco Cândido Xavier



40

A MORAL EVANGÉLICA

1 - Dizem que há muitos episódios no Evangelho que não são verdadeiros. Como identificar ali o pensamento de Jesus?

Ao escrever “O Evangelho Segundo o Espiri­tismo”, Kardec, sabiamente, deteve-se na moral do Cristo, sobrepondo-se aos conflitos exegéticos.
2 - Semelhante procedimento não limita o entendimento do Evangelho?

A mensagem cristã está toda contida na recomendação basilar de Jesus: “Amai-vos uns aos outros”.


3 - Não obstante dois mil anos de Cristianismo, o ser humano ainda não conseguiu vivenciar essa orientação. O que está faltando?

Jesus recomendou que devemos amar o semelhante como a nós mesmos. O problema está aí. Falta-nos o parâmetro do amor ao semelhante. Não amamos a nós mesmos.


4 - Por que não amamos a nós mesmos?

A característica fundamental do ser humano, no estágio de evolução em que nos encontramos, é o egoísmo. Com ele pode haver paixão mas dificilmente sobrará espaço para o amor.


5 - E qual a diferença?

Paixão é instinto, auto-afirmação, prazer a qualquer preço, sem perspectivas além da hora presente. Amor é sentimento, é desejo de doar-se, realizando-se no bem que estenda ao amado.


6 - Pode dar um exemplo?

O vício é um impulso passional. O viciado deseja momentos de satisfação e prazer, envolvendo-se com o álcool, o fumo, as drogas. Não há nenhuma preocupação com o mal que faz a si mesmo. Cogita da satisfação presente sem pensar nas amarguras do futuro.


7 - E o indivíduo que tem amor por si mesmo?

Este procurará o melhor para seu corpo, seu espírito, sua vida, sustentando o equilíbrio e a harmonia, tanto física quanto espiritualmente. Constrói o futuro de bênçãos a partir de nobres iniciativas do presente.


8 - Onde encaixaríamos a recomendação de Jesus — fazer ao semelhante o bem que desejaríamos nos fosse feito?

A Regra Áurea é o atalho divino para o amor. Na medida em que procuramos observá-la sufocamos o egoísmo. Sem ele fica fácil amar a nós mesmos e ao semelhante.



41

O CULTO DO EVANGELHO
1 - O ambiente em minha casa está uma “barra”? Todo mundo brigando! Tem Espírito ruim na Jogada?

Provavelmente, mas não confunda efeito com causa. O ambiente não pesa pela presença de Espíritos perturbadores. Eles se apresentam porque o ambiente está pesado.


2 - Nós os atraímos?

É como na velha pergunta: “Por que o cachorro entra na igreja?”. As portas de nossa casa ficam escancaradas às influências espirituais inferiores quando se ausentam o entendimento, o respeito, a compreensão.


3 - E como ‘fechar a porta” a essas influências?

Melhorando o ambiente. Experimente instituir

o Culto do Evangelho.
4 - Minha mãe sempre fala a respeito, mas meu pai e irmãos não se interessam.

Comece você e ela. Marque horário. Faça reuniões semanais. Aos poucos os outros serão atraídos.


5 - No que consiste o culto?

Algo muito simples. Uma oração, a leitura de «O Evangelho Segundo o Espiritismo” ou outro livro doutrinário de estudos evangélicos, a troca de idéias, alguns momentos de vibração em beneficio de pessoas acamadas ou com problemas, a prece de encerramento. Ponha uma jarra d’água para fluidificar.


6 - Qual o objetivo do culto?

Trocar idéias em torno das lições de Jesus, trazê-lo para o cotidiano, como um mestre a nos orientar nas atividades diárias. Ao mesmo tempo, nesses momentos estaremos recebendo a visita de amigos espirituais que higienização psiquicamente nosso lar, afastando influências nocivas e inspirando-nos em favor do entendimento e da harmonia.


7 - E quanto aos demais membros da casa?

Também serão beneficiados pela limpeza do ambiente e pela mudança de atitude sua e de sua mãe, à luz do Evangelho.


8 - Nosso relacionamento vai melhorar?

Experimente. Ficará surpreso com os resultados. Quando damos atenção aos ensinamentos de Jesus a Vida se ilumina. É como acender uma luz em plena escuridão.



42

NATAL
1 - Por que o Natal converteu-se nessa gastança e comilança que nada tem a ver com Jesus?

É uma velha tendência. Alimentando interesses imediatistas, sob inspiração da superficialidade, o homem sempre transforma o sagrado em profano.


2 - O que se perdeu no Natal?

O ensejo de reflexão em torno da vinda de Jesus ao planeta, substituído por festanças muito próximas das celebrações pagãs. É bastante ilustrativo o fato de que os animais que homenagearam Jesus junto à manjedoura hoje enfeitam as mesas natalinas, sacrificados para satisfazer à glutoneira dos fiéis que não guardam nenhuma fidelidade ao espírito natalino.


3 - Qual o verdadeiro significado do Natal?

Jesus, mensageiro divino que poderia nascer filho de rei, em berço de ouro, preferiu as palhas da manjedoura para dizer ao Homem que o caminho para Deus passa necessariamente pelos valores da simplicidade e da humildade.


4 - Não obstante os desvios humanos, há algo de positivo nos festejos natalinos?

Sem dúvida. Apesar de todas as deturpações, a lembrança do nascimento de Jesus desperta fortes impulsos de fraternidade. Os pobres ficam menos pobres, os doentes menos esquecidos, os companheiros difíceis menos incompreendidos. O Céu parece mais próximo da Terra, ante as manifestações de generosidade inspiradas pela mística do Natal.


5 - Como encarar a troca de presentes?

Há uma comercialização lamentável que, sob indução da propaganda, transforma o ato de presentear numa obrigação. Há quem se ofenda se não recebe algo dos familiares. É bom presentear, nos dá muita alegria. É sempre um gesto de carinho, uma manifestação de bem-querer. Ideal seria que não houvesse tempo certo para isso, uma obrigação inventada pelo comércio. Tira muito da espontaneidade do gesto e a magia da dádiva.


6 - Devemos comemorar o Natal no Centro Espírita?

Nada impede que companheiros façam uso da palavra, comentando os textos evangélicos relativos ao nascimento de Jesus, que programemos festas para as crianças, que exaltemos o significado do Natal. Cuidado, porém, para não transformar tudo isso num ritual, numa cerimônia especial, atendendo a um formalismo incompatível com a Doutrina Espírita.


7 - E em casa?

Há lares onde, reunida a família à mesa para a ceia, alguém fala sobre o Natal e exora as bênçãos do Céu. Toda comemoração natalina em família deveria sempre envolver manifestações dessa ordem. É sempre bom lembrar que nos reunimos para celebrar o nascimento de Jesus. Importante, portanto, falar do aniversariante, evocando o significado de sua vinda ao Mundo.


8 - As religiões tradicionais falam que Jesus voltará à Terra. Teremos um novo Natal?

Creio que Jesus já veio, segundo sua promessa, representado pelo Espiritismo, o Consolador a que se referiu na última ceia. Esse Espírito de Verdade da expressão evangélica, que nos surpreende, emociona e edifica com a beleza e profundidade de seus conceitos. Quanto ao novo nascimento de Jesus, ocorrerá, sim, um dia... Praza aos Céus aconteça em breve, o mais breve possível. Será naquele dia glorioso em que nos dispusermos a vivenciar integralmente sua mensagem. Então o Mestre nascerá em nossos corações!



DÉCIMA-PRIMEIRA PARTE

TEXTOS ESCOLHIDOS
A leitura é para a mente o que o exercício é para o corpo.
Richard Steele

43

UMA POESIA
O coração tem dois quartos:

Moram ali, sem se ver,

Num a Dor, noutro o Prazer.
Quando o Prazer no seu quarto

Acorda cheio de ardor,

No seu, adormece a Dor...
Cuidado, Prazer! Cautela,

Canta e ri mais devagar...

Não vá a Dor acordar...
Frederico Rueckert

44

UM PENSAMENTO
A única liberdade em que penso é a liberdade ligada à ordem; que não só existe junto àordem e à virtude, mas não pode absolutamente existir sem elas.
Burke

45

UMA ORAÇÃO
Senhor, no silêncio deste dia que amanhece, venho pedir-Te a paz, a sabedoria e a força.

Quero olhar hoje o mundo com olhos cheios de amor; ser paciente, compreensivo, manso e prudente.

Quero ver além das aparências teus filhos como Tu mesmo os vês, e assim não ver senão o bem em cada um.

Cerra meus ouvidos a toda calúnia.

Guarda minha língua de toda maldade.

Que só de bênçãos se encha meu espírito.

Que eu seja tão bondoso e alegre, que todos quantos se achegarem a mim sintam Tua presença.

Reveste-me de Tua beleza, Senhor, e que no decurso deste dia eu Te revele a todos.



46

UMA ANEDOTA
O hindu chega ao sacerdote de sua religião, que proíbe a bebida.

- Grande santo, as tâmaras são proibidas?

- Não.

- E as tâmaras na água são contra a religião?



- Absolutamente.

- E se as tâmaras fermentarem na água seremos castigados?

- De jeito nenhum.

- Pois ao fermentar, elas produzem o vinho de tâmaras. Por que é pecado, então, bebê-lo?

O homem santo sorriu e comentou:

— Se eu lhe atirar um punhado de terra à cabeça, não lhe farei mal algum.

- Claro.

— Se eu lhe jogar água misturada com terra, também não o ferirei...



  • Não.

— Mas se eu pegar esse punhado de terra misturada com água e o enfiar no forno para cozimento, transformando-o num tijolo e o atirar na sua cabeça, que será que pode acontecer?

47

UMA EVOCAÇÃO
Alegra-te, jovem, na tua juventude...

Recreie-se o teu coração nos dias de tua mocidade...

Anda pelos caminhos que satisfazem ao teu coração e agradam teus olhos.

Saiba, porém, que de todas estas coisas Deus te pedirá conta.


Eclesiastes

48

UMA TROVA
Amor ciumento parece

Um misto de afago e afronta,

Duro punhal que nos fere

Trazendo beijos na ponta.


Antonio de Castro, psicografia de

Francisco Cândido Xavier



49

UMA LIÇÃO
Queixava-se o jovem descontente:

- Há tanta gente rica e eu nada tenho. Se Deus não me agraciou como posso caminhar pela vida?

Um sábio ouviu sua lamentação.

- Deus não lhe deu uma mocidade saudável?

- Reconheço que sou forte e bem disposto.

O sábio tomou-lhe a mão direita e perguntou:

- Deixa-me cortar essa mão por mil rublos?

- Nem por doze mil!

- E a esquerda?

- Também não!

- E por dez mil rublos consentiria em ficar cego por toda a vida?

- Nem um olho eu daria por tal dinheiro!

O sábio sorriu.

- Deus lhe deu tão grande riqueza e você ainda reclama?


Léon Tolstoi

50

UM CURSO RÁPIDO DE RELAÇÕES HUMANAS
As seis palavras mais importantes:

Eu admito que cometi um erro.

As cinco palavras mais importantes:

Você fez um bom trabalho.

As quatro palavras mais importantes:

Qual a sua opinião?

As três palavras mais importantes:

Se você puder...

As duas palavras mais importantes:

Muito obrigado.

A palavra mais importante:

Nós.


A palavra menos importante:

Eu.
Fim


1   2   3   4   5   6   7


©livred.info 2019
enviar mensagem

    Página principal