Rede sul brasileira de educaçÃo ambiental reasul



Baixar 186,82 Kb.
Página1/2
Encontro29.05.2017
Tamanho186,82 Kb.
  1   2



REDE SUL BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL – REASUL

1. Congresso Internacional de Educação Ambiental dos Países Lusófonos e Galiza
Atividade de Coordenação e articulação com os Pontos Focais do Congresso
 

 Diagnóstico preliminar do estado da arte da Educação Ambiental nas instituições-elo da Rede Sulbrasileira de educação ambiental – REASUL – Área de atuação: Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul

 

 

A Rede Sul Brasileira de Educação Ambiental (REASul) foi criada em abril de 2002, e fortaleceu-se com a aprovação do Projeto Tecendo Redes de Educação Ambiental na Região Sul financiado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) ,através do Fundo Nacional do Meio Ambiente (FNMA). O projeto foi desenvolvido por 5 instituições gestoras: Duas universidades (UNIVALI - Itajaí - SC - www.univali.br/pmae e FURG - Rio Grande - RS - www.educacaoambiental.furg.br), 2 unidades do IBAMA (NEA-Florianópolis e CEPSUL - Itajaí) e uma OSCIP (MATER NATURA - Instituto de Estudos Ambientais - Curitiba - PR - www.maternatura.org.br). Em 2007 a rede conta com 27 elos nos três estados.



A REASul é uma rede social resultante da articulação coletiva de pessoas e instituições com objetivos compartilhados que conectam presencial e virtualmente educadores, pesquisadores, gestores de políticas públicas, técnicos e participantes de ONGs, OSCIPs e movimentos sociais.

A REASul, como um dos elos da REBEA - Rede Brasileira de EA (www.rebea.org.br) busca também a formação, ampliação e fortalecimento de instituições-elo e de redes estaduais e redes temáticas no Brasil, particularmente nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Desde sua criação, a gestão compartilhada e planejamento participativo da rede é realizado pelas instituições-elo que formam a Comissão de Gestão Participativa (CGP) da REASul, e pela Secretaria Executiva da rede, instalada na Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI, junto ao Programa de Mestrado em Educação, Grupo de Pesquisa Educação, Estudos Ambientais e Sociedade (GEEAS).

As ações da CGP e Grupos de Trabalho (GT)  buscam fortalecer a comunicação, a inserção da dimensão sócioambiental nas práticas educativas e sociais e contribuir com a difusão dos objetivos e princípios da Educação Ambiental contidos em documentos no Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global (FÓRUM DAS ONGS, 1992), Carta da Terra, Lei 9795/99 e Programa Nacional de Educação Ambiental (ProNEA). (Ver o link Documentos)


Através de suas instituições-elo a REASul promove e apóia a realização de Cursos,  Oficinas de formação de facilitadores para redes, Atualização e Aperfeiçoamento em EA e gerenciamento ambiental para docentes, gestores de políticas públicas e participantes de ONGs e movimentos sociais. Também apoia e realiza de encontros, Seminários, e discussões de Grupos de Trabalho (GT), de forma presencial e através de listas eletrônicas e fóruns de discussão.

O site também é um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) cooperativa em EA para difusão de informações (notícias, eventos), conhecimentos, práticas educacionais e difusão de metodologias em EA.

A rede participa com seus elos em Programas de implementação de Políticas Públicas do órgão gestor da Política Nacional de EA no Brasil como o Programa Sala Verde, Coletivos Educadores e na Comissão Interinstitucional de Educação Ambiental – CIEA, no estado de Santa Catarina. A OSCIP Mater Natura e os Núcleos de Educação Ambiental do IBAMA participam do Projeto de Capacitação em Gestão Participativa de Unidades de Conservação na Região Sul e Mato Grosso do Sul, financiado pelo PDA/MMA e do Projeto Formação do Conselho da APA e elaboração do Plano de Manejo da APA Serra da Esperança.

O projeto Jovem, Mostre a sua Cara! promove atividades relacionadas à saúde e qualidade de vida, com atividades esportivas e de nutrição, junto aos jovens da Ilha do Mel, litoral do Paraná; além de oficinas de educomunicação, relacionadas ao rádio e jornal mural. Também foi realizada a Campanha de Conduta Consciente em Ambientes Recifais, em Porto de Galinhas-PE, Porto Seguro-BA e Praia de Maracajaú-RN, coordenada pelo MMA. No projeto Rios Por Onde Passo, em agosto definiu-se o modelo de estrutura para a exposição itinerante, que mostrará, através de painéis com textos e fotografias, a percepção dos ecossistemas do Paraná pelos caminhoneiros, complementada por informações técnicas e imagens ilustrativas desses ecossistemas. Ainda está em desenvolvimento o Projeto De Olho no Ambiente - Construindo a Agenda 21 Local de Comunidades.

Em Santa Catarina, o projeto Fortalecendo as ações da Sala Verde Vale do Itajaí, promovido pelo Programa de Mestrado em Educação da Universidade do Vale do Itajaí realiza a formação continuada em Educação Ambiental de membros da Sala Verde.

No que se refere à formação em Educação Ambiental 11 universidades estão integradas à REASul como instituições-elo. A Fundação Universidade Federal de Rio Grande (FURG) desenvolve um Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental com curso de Mestrado e, recentemente, esta Universidade instituiu o primeiro curso de Doutorado na área. Já a Universidade Federal do Paraná desenvolve um Curso de Especialização em Educação, Meio Ambiente e Desenvolvimento e um Programa de Doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento.

Outras universidades da região ligadas à rede como instituições-elo promovem a inserção da Educação Ambiental em seus Programas através de Grupos de Pesquisa, como é o caso da Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc-Joaçaba), Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB), Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul), em Santa Catarina, a Universidade Estadual de Maringá (UEM) em Maringá, estado do Paraná; e no Rio Grande do Sul a Fundação Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI) - Campus de Erechim, Universidade Luterana do Brasil – ULBRA, Universidade de Passo Fundo (UPF) e Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Unijuí).

Universidades como a FURG também tem procurado realizar os contatos com a Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal, localizada no interior do estado de Rondônia e com a Universidade Estadual do Maranhão, localizada na cidade de São Luiz, capital do Maranhão dando continuidade ao diálogo sobre a possibilidade de desenvolver o programa MINTER de Educação Ambiental, já em andamento com a Faculdade Estadual de Educação Ciências e Letras de Paranavaí-PR. Também intercâmbios internacionais como na visita da Profa Drª Isabel Orellana (Université du Québec à Montreal, Uqam, Canadá), com a finalidade específica de firmar convênios entre as Universidades da região. Um Projeto bilateral de pesquisa para quatro anos está em vias de elaboração no quadro ECOS SUD da Comunidade Européia.

Ainda sobre a situação da EA na região sul, a FURG desenvolve o trabalho "Como a região sul faz e pensa a educação ambiental" que apresenta os resultados parciais da pesquisa intitulada "O que fazem as escolas que dizem que fazem educação ambiental" que busca saber como as escolas fazem a educação ambiental, a eficácia das políticas públicas propostas e também sua preocupação com os processos avaliativos dessas ações e dessas políticas.

Como elos da rede os Núcleos de Educação Ambiental (NEA) dos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul participam da formação de gestores nos seguintes projetos:




  • Educação no processo de gestão ambiental pública

  • Gestão participativa de Unidades de Conservação - Ucs

  • Projeto Regional do PDA-Plano Demonstrativo Anual (RS-SC-PR e MS) de capacitação em gestão participativa de Ucs.

  • Gestão Compartilhada da Pesca (Educação Ambiental no Ordenamento Pesqueiro)

  • Cursos de formação em Educação Ambiental para professores, gestores, técnicos, ONGs e movimentos sociais.

A OSCIP Mater Natura – Instituto de Estudos Ambientais, de Curitiba, Paraná, vem desenvolvendo as seguintes atividades: (i) Participação na VII Assembléia Geral da Rede Brasil sobre Instituições Financeiras Multilaterais (Brasília-DF, dias 8 a 10); (ii) Reunião de instituições atuantes no mosaico de Unidades de Conservação na Serra do Mar entre São Paulo e Paraná (Curitiba); (iii) participação nas Reuniões do Conselho Gestor da APA de Guaratuba (Guaratuba-PR); (iv) Seminário Nacional sobre Experiências Exitosas em Educação Ambiental e Mobilização Social em Saneamento (Brasília-DF, dias 20 e 21); (v) reunião do Conselho Gestor do Parque Nacional Saint-Hilaire/Lange (Matinhos-PR, dia 21); (vi) Reunião conjunta do Conselho Gestor da APA de Guaratuba e do Conselho Gestor do Parque Nacional do Superagui (Guaraqueçaba).

Uma empresa pública estadual, a Companhia Rio Grandense de Saneamento (CORSAN), participa com universidades e ONGs gaúchas do Coletivo Educador do Planalto Médio Gaúcho e Sala Verde Itinerante, e da APPA (Assembléia Permanente para Preservação Ambiental de Passo Fundo), do Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Passo Fundo, além da participação em programas de rádio locais e divulgação em jornais locais das atividades realizadas pelo Coletivo, Sala Verde e pela empresa. Este Coletivo Educador organizou recentemente o Seminário Nossas Práticas Ambientais.
 A Produção científica dos últimos anos realizada por pesquisadores e professores(as) das universidades e outras instituições da região Sul, bem como as principais publicações é bastante significativa e está anexada ao final deste documento.

Quanto à Realização de eventos científicos na região Sul (Seminários, Jornadas, Congressos, Simpósios, Encontros, etc.), destacamos::




  • Simpósio Sul Brasileiro de Educação Ambiental – SSBEA - 2001 e 2003

  • Colóquio de Pesquisadores em Educação Ambiental da Região Sul CPEASul – 2003 e 2004

  • Seminário de Pesquisadores com Prof. Dr. Genebaldo Freire Dias ( Universidade católica de Brasília)- FURG

  • Congresso Nacional de Alfabetização e Educação Ambiental- FURG

  • Seminário sobre Pesquisa Qualitativa “ Fazendo Metodologia”- FURG

  • I Seminário Sul Brasileiro de Conselhos Gestores de Ucs Federais

  • Seminário Sul Brasileiro de Conselhos Gestores de Ucs Federais - IBAMA

  • Curso em Gestão Participativa de Unidades de Conservação - Viamão/RS -IBAMA

  • Simpósio Gaúcho de Educação Ambiental – SIGEA – URI

  • Encontro Paranaense de Educação Ambiental – EPEA

  • Palestra “Educação, Cultura, Direitos Humanos e Sociedade em Angola” com participação de delegação angolana - FURG.

  • Palestra “ Comunidades de Aprendizagem e Educação Ambiental” com Profª Drª Isabel Orellana ( Universiti du Quebec – Montreal – Canadá )- FURG

  • Palestra proferida no “Roda de Conversa/Núcleo de Educação Ambiental do IBAMA” sobre o Tema "ONGs e OSCIPs: como constituir e porque constituir” (Mater Natura - Curitiba);

  • Seminário Internacional - Interdisciplinaridade, Meio Ambiente e Desenvolvimento: Desafios e avanços do ensino e da pesquisa – UFPR- NIMAD-.

 Algumas das principais dificuldades encontradas na implementação da dimensão ambiental nas cidades em que as instituições-elo da REASul atuam e na região, são as seguintes:

 


  • Formação inicial e continuada de professores, na maioria das vezes não insere a dimensão ambiental no currículo.

  • A educação ambiental não é transversalizada nos currículos dos cursos de licenciatura e de formação profissional no campo ambiental.

  • As atividades relacionadas à inserção da dimensão ambiental nos cursos de graduação ainda é muito baixa.

  • poucas parcerias comprometidas com educação crítica e emancipatória

  • pouco comprometimento do Estado (federal e estadual principalmente) com questão ambiental

  • baixo (quase nulo) orçamento público para desenvolver processos educativos continuados

  • equipes de trabalho reduzidas, muito aquém das necessidades

  • A reestuturação do Ibama divide e enfraquece a educação ambiental crítica no processo de gestão ambiental pública e os processos de controle social em andamento;

  • falta de comprometimento dos demais segmentos da sociedade,

  • falta de recursos financeiros,

  • falta de qualificação do pessoal envolvido.

  • muita competição dentro das ONGs ambientalistas em algumas cidades, o que desarticula um pouco o movimento a nível local, gerando situações constrangedoras em reuniões e disputas por lideranças.

  • Influência de interesses econômicos, dependendo dos interesses políticos em que os territórios de poder e partidário, muitas vezes, são entraves de projetos que vem obtendo sucesso.

  • falta de integração entre programas do próprio órgão Gestor como da Agenda 21, Salas Verdes e Coletivos educadores;

  • falta de integração na discussão de implementação de políticas públicas como do Sistema Nacional de Informação sobre Educação Ambiental – SISNEA, no momento em consulta pública, que coloca as universidades e redes de Educação Ambiental em uma posição periférica.

Como estratégias de ação e perspectivas de articulações futuras entre os elos da rede na implementação do enraizamento da Educação Ambiental no Brasil propõe-se



  •  articulação interinstitucional visando a Educação e a gestão ambiental como um instrumento de gestão territorial

  • Realização de um maior número de encontros regionais e nacionais, com financiamento público estadual e federal;

  • Maior diálogo, articulação e parceria efetiva com as universidades, entidades como a ANPED, ANPPAS, redes de Educação Ambiental e outras instâncias na discussão das políticas públicas e encaminhamento dos programas de formação e atividades atualmente em andamento no país;

  • Financiamento público para realização de eventos em Educação Ambiental nacionais e regionais, em parceria com universidades, organizações governamentais e não governamentais e do terceiro setor.

Segue também em anexo relato do Coletivo Jovem de Meio Ambiente do Paraná – Região Sul do Brasil.


   Encaminhar informações e sugestões para a Secretaria da REASul - secreasul@univali.br ou guerra@univali.br

 

Balneário Camboriú, Santa Catarina, Brasil, 28 de setembro de 2007



Antonio Fernando Silveira Guerra

Secretário Executivo da REASul

ANEXO:
Principais publicações no campo da Educação Ambiental na Região Sul – Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul



  1   2


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal