Recepção de propostas até ao final de Fevereiro SoniCC: tmg apoia bandas emergentes



Baixar 19,29 Kb.
Encontro11.09.2017
Tamanho19,29 Kb.

Nota à Imprensa | Sexta-feira, 10 de Fevreiro de 2012


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Recepção de propostas até ao final de Fevereiro
SoniCC: TMG apoia bandas emergentes

O Teatro Municipal da Guarda vai ajudar a revelar projectos e bandas emergentes na área da música. O TMG vai oferecer a possibilidade de diversos grupos se apresentarem no seu Café Concerto, garantido condições de qualidade para a revelação de novos talentos. SoniCC é o nome desta iniciativa. Trata-se de uma rara oportunidade de apresentar o trabalho criativo de jovens, num contexto de um equipamento de referência como é o do TMG. O TMG dará oportunidade de tocar no Café Concerto bem como ajudará a divulgar os projectos que lá actuarem.

As bandas interessadas devem candidatar-se enviando para o TMG uma demo da sua música (com dois temas) para que depois se confirme a apresentação. As candidaturas deverão ser enviadas até ao final de Fevereiro.
Teatro e desenho em tempo real no Pequeno Auditório, dias 17 e 18 de Fevereiro

Uma viagem pela história do teatro no espectáculo para as famílias

Na próxima semana, nos dias 17 (sessão para as escolas, às 10h00) e 18 (sessão do Famílias ao Teatro, às 16h), o TMG apresenta o espectáculo “Daqui vê-se melhor – uma viagem pela história do teatro”. O espectáculo é apresentado através da Rede 5 Sentidos e alia o desenho em tempo real ao teatro e tudo isto com uma forte componente pedagógica e segundo uma ideia de Susana Menezes.

«Um convite a todos - dos mais novos aos mais velhos - a conhecerem a história do teatro, contada e desenhada ao vivo. Não sabemos (mas queremos saber) quem construiu os primeiros teatros. Não sabemos (mas queremos saber) quem subiu aos primeiros palcos. Não sabemos (mas gostávamos muito de saber) o que disse, porque o fez, se foi aplaudido ou vaiado. Não sabemos também quem estaria do lado de cá, sentado ou de pé (não sabemos), o que foi ali fazer, se gostou do que viu e ouviu, se pagou bilhete ou se voltou», conta o texto de apresentação deste divertido espectáculo.

“Daqui vê-se melhor” é uma produção do Projecto Educativo Teatro Maria Matos segundo o texto original de Isabel Minhós Martins. A Imagem e desenho em tempo real são de Bernardo Carvalho e a coordenação e interpretação é de Suzana Branco, a narração é de Amadeu Neves, a música de Bernardo Devlin e Tânia Guerreiro.


Música no Café Concerto, dia 3

O Jazz envolvente de Elisa Rodrigues passa pelo CC quinta-feira

O Café Concerto é palco para o espectáculo do quarteto de Elisa Rodrigues na próxima quinta-feira, dia 16 de Fevereiro. A cantora acaba de lançar o disco Heart Mouth Dialogues e é este mesmo o registo que vai trazer ao TMG, num concerto marcado para as 22h00.

O quarteto de Elisa Rodrigues surge de fortes afinidades musicais. Embora tenha tido como ponto de partida a reinvenção de temas do cancioneiro americano, os apelidados “standards”, rapidamente se encontraram ligações com outros géneros musicais, integrando temas provenientes da “Bossa-nova”, do “Funk”, e mesmo da “Pop”. Trabalhadas pelo quarteto, canções (re)conhecidas tornam-se outras canções.

“Heart Mouth Dialogues” (editado pela JACC Records) tem conseguido excelentes críticas na imprensa nacional especializada.

Com esta edição a cantora passou a obter o reconhecimento que os seus parceiros Júlio Resende (piano) e Joel Silva (bateria) já gozam no meio jazzístico nacional. Nos grupos liderados pelo pianista ou em grupos como Ogre (com a cantora Maria João), Júlio Resende e Joel Silva têm-se afirmado como dois dos melhores intérpretes da sua geração. A completar o grupo aparece um outro nome a reter, o contrabaixista Cícero Lee, dotado de uma grande segurança e “swing” qb.

Um concerto imperdível e com entrada livre.


Tertúlia no Café Concerto, dia 14 de Fevereiro

Nova sessão de debate no Ciclo Rádio Café

Na próxima Terça-feira, dia 14 de Fevereiro, o TMG e a Rádio Altitude organizam novo debate do ciclo “Rádio Café” no Café Concerto às 21h30. Uma vez mais, a Guarda é o ponto de partida para o debate de ideias, procurando responder à questão “Que cidade queremos?”.

O objectivo é organizar conversas informais mas empenhadas, à vista de todos e a contar com todos.

Esta iniciativa tem entrada livre.


Exposição na Galeria de Arte até 11 de Março
Ângelo de Sousa [1938- 2011]: Ainda as esculturas

O TMG tem patente Galeria de Arte a exposição “Ângelo de Sousa [1938 – 2011]: ainda as esculturas”.

Ângelo de Sousa nasceu em 1938 em Moçambique e faleceu no Porto, a 29 de Março de 2011, onde viveu e trabalhou desde 1955. Em 1963 terminou o curso de Pintura na Escola Superior de Belas Artes do Porto, onde exerceu funções de docente entre 1963 e 2000. Em 1995 tornou-se o primeiro Professor Catedrático de Pintura na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto.

As suas experiências escultóricas datam dos anos 50, mas é em 1966, primeiro com as folhas de acrílico e finalmente com as chapas de aço, que as esculturas tomam as formas que hoje prontamente identificamos com o seu nome. Em 1967 Ângelo de Sousa foi bolseiro do British Council na St. Martin's School of Fine Art. Durante a sua estadia em Londres, matura o seu interesse pela escultura e começa a trabalhar com fotografia e filme. Forma o grupo Os Quatro Vintes, em 1968, com Armando Alves, Jorge Pinheiro e José Rodrigues, desfeito em 1972, altura em que lhe é atribuído o prémio Soquil. Desde essa altura, Ângelo de Sousa afirma-se como um dos artistas mais inovadores na cena nacional, expondo desenhos, esculturas, pintura, fotografia e filme. Em 1993, a sua obra foi objecto de uma exposição antológica na Fundação de Serralves onde, em 2001, expôs os seus trabalhos de fotografia e filme. Em 2000 foi-lhe atribuído o prémio EDP. A Fundação Gulbenkian e a Cordoaria Nacional acolheram uma grande mostra da sua escultura em 2006. Estas últimas exposições representaram uma oportunidade para o autor rever as esculturas que vinha a projectar desde os anos 60.

“Ângelo de Sousa [1938 – 2011]: Ainda as esculturas” ficará patente até 11 de Março e pode ser visitada de terça à sexta das 16h às 19h e das 21h00 às 23h, aos sábados das 15h às 19h e das 21h00 às 23h e aos domingos das 15h às 19h. A entrada é livre.

Esta exposição tem os apoios: Studio Ângelo de Sousa, Artistas Unidos e Galeria Quadrado Azul.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Para mais informações, contactar:

Gabinete de Comunicação e Imagem

Culturguarda E.M. / Teatro Municipal da Guarda

Rua Batalha Reis, 12, 6300-668, GUARDA, PORTUGAL



Tel. 00351 271 205 240 • Fax. 00351 271 205 248

gci@tmg.com.pt

www.tmg.com.pt



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal