Realidade e Verdade – a plurivocidade da verdade



Baixar 127,67 Kb.
Encontro30.07.2018
Tamanho127,67 Kb.

Realidade e Verdade – a plurivocidade da verdade

Haverá uma única realidade, ou várias perspetivas da mesma?

Qual das perspetivas é a mais verdadeira?

O que é a verdade?

A razão humana terá possibilidade de aceder a um conhecimento verdadeiro de realidade?

Ideias Quotidianas vs Ideias Filosóficas

As ideias quotidianas e tradicionais acerca da realidade são ilusões que procuramos fundamentar deurante grande parte das nossas vidas, mesmo correndo o considerável risco de tentar encaizar os factos na nossa definição de realidade em vez de fazer o contrário. Aquilo que de facto existe são várias prespectivas diferentes da realidade, algumas das quais contraditórias, mas todas resultantes da comunicação e não reflexos de verdades eternas e objetivas.

Plurivocidade da Verdade

  1. Verdade como correspondência ou adequação – verdade ontológica (unidimensional)

A verdade será a correspondência entre a proposição e a realidade. A verdade é verdade do enunciado enquanto corresponde com algo que se adequa ao enunciado.Critério adotado por Platão e Aristóteles.

  1. Verdade como coerência – verdade lógica (unidimensional)

Evidencia o acordo da razão com as suas próprias regras e princípios (aplica-se na lógica e na matemática). Verdade como coerência ou não contradição no interior de um sistema de ideias. É uma verdade derivada da verdade ontológica porque a verdade lógica pressopõe a verdade primeira do saber.

  1. Verdade como utilidade (multidimensional)

A verdade é uma característica do enunciado ou da proposição em que é útil acreditar - teoria pragmática. A verdade de uma afirmação pode ser definida em termos da utilidade que há em aceitá-l (é um alvo fácil de objeções). O que define a verdade é a possibilidade de produzir um efeito que se deseja, ao serviço de um objeto prático qualuqer. Verdade é, assim, a eficácia, a utilidade e a funcionalidade.

  1. Verdade como consenso (multidimensional)

Teoria da Argumentação – Perelman e “Ética do discurso” – Habermas e Apel.

A verdade é a retórica da verdade. A verdade é intersubjetiva, e uma vez que essa intersubjetividade é discursiva, o discruso retórico é o campo privilegiado da negociação de sentido. A verdade é o efeito de convencimento dos vários discursos de verdade em presença. Os consensos são formas de nos aproximarmos da verdade.

  1. Verdade como prespectiva (multidimensional)

Cada sujeito tem uma prespectiva subjetiva sobre o real. A conceção perspetivista de verdade admite a existencia de múltiplas verdades.



Necessidade contemporânea de uma racionalidade prática pluridisciplinar



Macroscópio – é o símbolo de uma nova maneira de ver, de compreender e de atuar.

Método analítico – isola os elementos e as variáveis, a fim de considerar um por um.

Método transdisciplinar ou sistémico – aproximação global dos problemas e dos sistemas que se estudam e concentram-se no jogo das interações dos seus elementos.

Nota:

  • Só uma racionalidade pluri e transdisciplinar poderá servir de propósito prático de resolução das grandes questões do nosso tempo (clonagem, aborto, eutanásia, etc.), pois são problemas práticos que não são reféns de nenhuma perspetiva disciplinar ou ramo do saber isolado.

Fenómeno social total – é todo o fenómeno que tem implicaçoes em vários níveis ou dimensões da realidade económica, social, antropológica e, por isso, pode ser estudado simultaneamente por várias disciplinas.

Conhecimento complexo – é o conhecimento que rompe com as fronteiras entre as diferentes disciplinas pois entende a realidade como um tecido complexo.



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal