rea dos Assuntos Sociais e Cultura



Baixar 415,14 Kb.
Página8/14
Encontro27.09.2018
Tamanho415,14 Kb.
1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   ...   14

5.2.7 Num esforço de desenvolver ainda mais os espaços de espectáculos e destacar a identidade cultural de Macau, levámos a cabo as obras de reparação infra-estrutural do Teatro D. Pedro V e procedemos à segunda fase de obras de reparação interior, visando a reabertura dentro de breve ao público deste teatro com interesse histórico. Por outro lado, concluímos as obras de instalação do sistema de ar-condicionado na Igreja de São Domingos para que o público possa apreciar espectáculos num ambiente mais confortável. Além disso, também concluímos as obras do museu de arte sacra do Seminário de São José, onde serão expostas as pinturas a óleo e valiosos objectos de arte sacra do referido Seminário.

5.3 Planeamento global das actividades culturais e reforço do ambiente cultural da cidade


Em 2004, a cooperação artística e cultural entre Cantão, Hong Kong e Macau foi ainda mais implementada do que anteriormente. O Instituto Cultural participou activamente no convite conjunto para que espectáculos nacionais e internacionais viessem à região do delta do Rio das Pérolas, na co-organização de actividades do Dia Internacional de Museus em Cantão, Hong Kong e Macau, na visita de estudo efectuada às bibliotecas da região do delta do Rio das Pérolas, na construção da "Pearl River Delta Cultural Information Net" e na redacção conjunto da proposta de candidatura da ópera cantonense a Património Oral e Intangível da Humanidade, alargando assim o espaço de desenvolvimento cultural local. Simultaneamente, o Instituto Cultural arrumou e redistribuiu os recursos culturais existentes, no sentido de organizar de forma planeada actividades culturais mais variadas que, no seu conjunto, possam ter o efeito de incentivar a participação da população em actividades culturais e de aumentar a atractividade das actividades turísticas em Macau.

5.3.1 Temos melhorado constantemente a gestão do Museu de Macau, da Casa de Penhores Tradicional, do Museu da Arte Sacra, do Tesouro de Arte Sacra (Museu da Igreja de S. Domingo) e do Centro Ecuménico Kun Iam, optimizando os serviços prestados aos visitantes e organizando actividades diversas.

5.3.2 Nos últimos anos, temos desenvolvido várias obras de valorização das bibliotecas e aumentado a qualidade de serviço prestado. No ano de 2004, iniciámos as obras de ampliação da Biblioteca Sir Robert Ho Tung e as obras de valorização das Bibliotecas da Taipa e de Coloane, com vista a proporcionar um melhor ambiente de leitura ao público. Aumentámos as instalações das bibliotecas e pusemos em serviço uma nova carrinha da biblioteca itinerante. Empenhámo-nos na construção de uma base de dados de documentação sobre Macau para proporcionar um serviço de consulta aos cidadãos e aos investigadores e para fomentar as actividades de investigação. Além disso, digitalizámos livros antigos dos fundos bibliotecários para facilitar a sua consulta através da internet ou intranet.


A fim de estimular a leitura, tornar esta num hábito da sociedade e ensinar os cidadãos a aproveitar melhor os recursos das bibliotecas, organizámos várias actividades de promoção de leitura, realizando conferências temáticas e exposições bibliográficas.

5.3.3 Organizámos seminários e conferências temáticas sobre a história, a cultura e o folclore de Macau. Editámos livros culturais de todas as espécies e empenhámo-nos na sua promoção. Demos forte apoio às associações artísticas e culturais no desenvolvimento de actividades diversas. As actuações coordenadas do Conservatório de Macau, da Orquestra de Macau e da Orquestra Chinesa de Macau na comunidade, nas associações locais e em diferentes pontos turísticos trouxeram uma atmosfera cultural muito harmoniosa e muito forte à cidade de Macau. Além disso, no âmbito da celebração do quinto aniversário da transferência de Macau para a Pátria, organizámos a "Exposição do Aniversário do Centenário de Nascimento de Deng Xiaoping", um bailado pelo Conjunto Central de Ballet da China, o Concerto da Orquestra de Macau com Músicos Chineses Notáveis, entre outros, para destacar a identidade cultural de Macau que se baseia na cultura chinesa e funde com as culturas ocidentais, de forma a tornar a atmosfera cultural mais colorida em toda a cidade e permitir ao público gozar a cultura harmoniosa e o espírito tradicional de Macau.

6. No âmbito do Desporto


Nos últimos anos, o Governo da RAEM tem empenhado o seu esforço na promoção do desporto de Macau, nomeadamente ao nível do Desporto Para Todos, desporto associativo, do desporto competitivo e na formação de atletas e árbitros, bem como, dotando a Região dos equipamentos necessários, através da construção de novas infra-estruturas desportivas e da remodelação de instalações já existentes.
No âmbito do Desporto Para Todos, tem sido incentivada uma cooperação estreita com outros serviços públicos, com as associações locais e com organismos internacionais, no sentido de promover as mais variadas actividades desportivo-recreativas. Visando o pleno desenvolvimento do desporto associativo, tem sido procurado proporcionar às associações desportivas todas as condições indispensáveis para o aperfeiçoamento dos seus conhecimentos, pela atribuição de apoios financeiros (através do Fundo de Desenvolvimento Desportivo) e de meios, promovendo ao mesmo tempo, a internacionalização do desporto da RAEM.
No domínio do desporto competitivo, tem sido dada prioridade à promoção do desporto de alta competição. A formação de jovens atletas e a detecção de novos talentos, sempre em coordenação de esforços com as associações desportivas, a contratação de treinadores qualificados e experientes vindos do exterior, e a formação de juízes e árbitros, são medidas que temos privilegiado para desenvolver o desporto de competição.
Com o objectivo de intensificar os contactos com as federações internacionais, decorreram em Macau vários eventos internacionais de grande dimensão. Em simultâneo, foi reforçada a cooperação com as entidades desportivas do interior do País, assim como com o governo de Portugal com quem foi assinado um Protocolo de Cooperação.
Sendo Macau cidade anfitriã dos 4.os Jogos da Ásia Oriental em 2005, o Instituto do Desporto tem procurado assegurar todo o apoio na preparação das selecções locais, integrando um grupo de trabalho, que conta também com representantes do Comité Olímpico de Macau e das associações desportivas representativas das modalidades que vão integrar o programa de competições dos Jogos, no sentido de acompanhar os planos de treino dos atletas e encontrar as melhores condições e apoios a prestar.
O Centro de Medicina Desportiva presta às associações desportivas serviços médico-desportivos, e ainda organizou diversos cursos, palestras e seminários, que contribuíram para a divulgação de conhecimentos de medicina desportiva. Tendo em conta que a avaliação da condição física da população é uma das tarefas importantes no desenvolvimento do desporto, foi criado em 2001, o Centro de Avaliação da Condição Física da População, através do qual foram realizadas acções de avaliação da condição física da população adulta e infantil, respectivamente em 2001 e 2002, que usando métodos científicos, permitiu recolher informação importante, que no futuro, vai servir de base para a uma melhor definição da política desportiva.
Além disso, nota-se um acréscimo significativo anual na média do número de utentes das instalações desportivas. Com a conclusão das novas obras de construção e remodelação de instalações desportivas existentes, preve-se um aumento do espaço disponível para os residentes locais praticarem actividades desportivas.
Acções desenvolvidas no âmbito do Desporto em 2004
6.1 Elevação do nível do desporto de alta competição
Ao mesmo tempo em que termina a última fase de construção e remodelação de infra-estruturas desportivas, que veio dotar a RAEM de excelentes equipamentos preparados para as mais variadas modalidades desportivas, a promoção do desporto de alta competição assumiu-se com todo o destaque na definição da política desportiva de 2004. Precisamente na concretização dessa prioridade foi reforçado o investimento global neste capítulo, o que representou até Setembro, mais do dobro do valor executado em período homólogo do ano de 2003. Foi apoiada a realização de estágios fora de Macau, para 374 atletas, nomeadamente no interior do País, e em outros países e regiões como Coreia do Sul, Japão, Malásia, Taiwan, México e Hong Kong, intensificando-se os contactos desportivos e elevando assim a competitividade dos atletas de Macau.
Procuramos melhorar a interligação entre a alta competição e as outras áreas de intervenção da política desportiva do Governo da RAEM, nomeadamente quanto ao processo de formação de agentes desportivos (atletas, treinadores, dirigentes, árbitros, etc.) e no apoio à participação dos atletas locais nas competições internacionais realizadas fora de Macau. Pela mesma razão, temos colocado o mais possível as habilitações e capacidades técnicas do Centro de Medicina Desportiva ao serviço, também, da alta competição.
O Grupo de Trabalho formado pelo ID em parceria com o Comité Olímpico de Macau para a preparação dos atletas da RAEM que estarão presentes nos Jogos da Ásia Oriental do próximo ano de 2005, dá continuidade ao trabalho que vem desenvolvendo em conjunto com as associações desportivas envolvidas no processo.
6.2 Promoção do desporto associativo
Em todo o processo de dinamização do desporto de Macau a participação do movimento associativo tem-se revelado absolutamente decisivo. O relacionamento institucional entre as associações desportivas, clubes e o Instituto do Desporto tem-se revelado bastante produtivo. Com a intenção de possibilitar que os atletas e demais agentes desportivos adquiram experiência necessária para o futuro do desporto de Macau, até a Setembro do corrente ano, o Instituto do Desporto apoiou, directa ou indirectamente, 116 eventos desportivos organizados em Macau, e ainda a participação em 91 eventos realizados no exterior, tendo sido atribuídos, através do Orçamento do Fundo de Desenvolvimento Desportivo, subsídios a 53 associações desportivas, 8 clubes e 19 grupos sociais.

6.3 Diversificação das actividades no âmbito do Desporto para Todos


Ao nível do Desporto Para Todos, 2004 marca a consolidação da política desportiva seguida nos últimos anos, assente na ideia do desporto como meio indispensável para uma vida com saúde e com qualidade. Assim, foram organizados, em conformidade com as necessidades do público de diferentes escalões etários, várias actividades recreativas e cursos de manutenção.
Até Setembro do corrente ano, nos 363 cursos de manutenção concretizados estiveram envolvidos 11,201 participantes, o que representa um aumento de 35% comparado com período homólogo do ano passado.
Na vertente das actividades recreativas de grande dimensão, nota-se um aumento no número de actividades e de participantes (aproximadamente 10%), em comparação com os registos de período homólogo de 2003, destacando-se entre essas actividades, os Jogos de Xadrez integrados nas comemorações do Ano Novo Lunar, o Dia do Desporto para Todos, o Passeio de Cicloturismo Macau-Shiqi, o Festival Desportivo das Mulheres, o Dia Internacional do Desafio, o Dia Mundial do Atletismo, etc.
As Actividades de Férias, organizadas em conjunto com a Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, registaram este ano, a participação de 18,016 crianças e jovens, distribuídas por 625 turmas, num total de 61 modalidades desportivas.
Até ao final do ano está programada a realização de muitas outras iniciativas populares como sejam, “Festival Desportivo das Entidades Públicas”, “Correndo em Comemoração do Dia Nacional - Dia Mundial da Marcha”, “Dia Internacional dos Idosos - Jogos Recreativo-Desportivos para Idosos” e “Actividades de Animação por ocasião da Cerimónia de Içar Bandeira Nacional no dia de transferência da soberania”, numa estimativa de cerca de duzentos mil participantes.
6.4 Intensificação de actividades de formação de agentes desportivos
A formação desportiva constituiu a base de desenvolvimento integral das modalidades desportivas, pelo que temos destinado à formação forte investimento de meios e de recursos para o corrente ano.
A formação é com toda a certeza o meio, tão decisivo quanto indispensável, para o crescimento do nível competitivo dos nossos atletas, aparecimento de novos talentos e melhores prestações desportivas das nossas selecções. Em 2004, foi impulsionado na prática o projecto da Escola de Futebol Juvenil, que contou com muitos interessados, que preencheram todas as vagas disponíveis (160 crianças estão inscritas em cursos de um ano). Os participantes são crianças e jovens entre os 8 e os 14 anos, o que foi em si mesmo uma importante evolução em Macau (a maioria dos cursos de futebol organizados até agora tinham sido dirigidos a jovens com mais idade). No mesmo sentido, teve lugar no passado mês de Janeiro, o Dia da Selecção de Talentos, com mais de 180 crianças e jovens envolvidos e ainda, em Fevereiro, uma acção de formação com um reputado treinador de futebol português de visita a Macau, ambas as acções promovidas pela Escola de Futebol Juvenil.
Até Setembro do corrente ano, foi dado apoio a 114 acções de formação, 73 locais e 41 no exterior, realizaram-se 29 conferências, como forma de preparar os agentes desportivos locais, nomeadamente atletas, dirigentes, treinadores e juizes, para os Jogos da Ásia Oriental em 2005 e outros eventos de grande dimensão a realizar no futuro. Até ao final do ano, está previsto o envolvimento de mais de 3000 agentes desportivos no programa de formação 2004.
6.5 Organização de Eventos Desportivos de Grande Dimensão
Na escolha dos eventos a organizar, temos procurado ser inovadores, promovendo ao mesmo tempo modalidades de interesse do público, não só quanto aos espectadores - o Asiático de Futsal contou com uma assistência média bastante interessante e integrará o programa de competição dos Jogos em Recinto Coberto em 2007- mas também no que toca aos praticantes desportivos, como foi o caso do Action Asia. Em 2004 tiveram igualmente lugar, o Open de Golf de Macau, as Regatas Internacionais de Barcos Dragão de Macau e o 16.° Campeonato Asiático de Triatlo. Até ao final do corrente ano, estão previstos outros grandes eventos desportivos, onde destacamos, a Maratona Internacional de Macau, a 3.a Edição do Torneio de Futebol de Cantão e Macau e no Ciclismo, a "Volta ao Mar do Sul da China” em Macau.
6.6 Participação em provas internacionais
Até Setembro passado a RAEM esteve representada, através das associações desportivas das modalidades, em 57 competições internacionais, com 427 atletas, sendo relevante apontar a dignidade dos resultados desportivos obtidos. Destaca-se o triunfo da selecção de hóquei em patins da RAEM que se tornou no Japão campeã asiática da modalidade, as 2 medalhas de ouro, as 4 de prata e as 2 de bronze conquistadas no Ciclismo Asiático em recinto coberto organizado em Macau, e os 2.° e 3.° lugares no 6.° Campeonato Asiático de Karate-Do.
Até ao final do corrente ano, prevê-se ainda a participação de representações da RAEM em cerca de 49 competições desportivas internacionais ao nível asiático e mundial, onde se destacam, o Campeonato Asiático de Wushu na Birmânia e as Regatas de Barcos de Dragão ao nível asiático e mundial, a ter lugar em Shanghai e Sichuan, respectivamente. O número de atletas, treinadores e dirigentes envolvidos está próximo dos 1000 participantes.
6.7 Internacionalização do desporto da RAEM
Foi dada sequência aos contactos com os diferentes organismos e entidades desportivas internacionais, assim como se deu apoio, em todas as ocasiões, ao Comité Olímpico de Macau, no seu papel de afirmação junto dos outros Comités Olímpicos Nacionais e do próprio Comité Olímpico Internacional.
Macau esteve em contacto com 34 Federações Internacionais e Asiáticas e 106 organismos desportivos internacionais, delegações da RAEM deslocaram-se a seminários e congressos internacionais, na procura de uma crescente valorização dos seus recursos humanos, assim como, e por essa via, se foi divulgando Macau como cidade internacional do desporto.
A cooperação com a República Portuguesa e uma nova dinâmica para o Protocolo de Cooperação bilateral assinado em 2001 motivou uma deslocação oficial de uma delegação do Instituto do Desporto da RAEM a Portugal em Maio passado, tendo nesse momento sido definido as relações de cooperação mútua, a reactivar no futuro, assim como uma interacção da RAEM com as autoridades desportivas dos governos dos países de língua e expressão portuguesa.
6.8 Medicina desportiva e investigação científico-desportiva
A investigação científica e as actividades no âmbito do Centro de Medicina Desportiva assumem destaque em 2004, assente num processo de crescente modernização e eficiência dos serviços que disponibiliza, não só ao nível do desporto de competição e de apoio ao desporto associativo, mas também destinado aos praticantes enquadrados no Desporto para Todos, desporto para cidadãos portadores de deficiência, desporto escolar e desporto universitário. Comparado com igual período de 2003, o CMD reforçou a todos os níveis os serviços prestados, realizando ainda palestras e cursos de reabilitação.
Foram lançados os preparativos, nomeadamente ao nível dos equipamentos e da formação de recursos humanos, para a realização no próximo ano de 2005 do programa de Avaliação Geral da Condição Física da População.
O Centro de Avaliação da Condição Física da População desenvolveu o seu trabalho dentro das expectativas, é hoje bem conhecido da população, pelos serviços públicos que presta no campo do diagnóstico e da avaliação da condição física, e das actividades regulares no âmbito do estudo da condição física dos cidadãos.
6.9 Melhoramento das infra-estruturas desportivas
O ano de 2004 marca o fim das obras de construção e remodelação da maioria das instalações desportivas, sendo esperado que ainda este ano, ou no máximo nos primeiros meses de 2005, possam ser inauguradas e entrar em funcionamento. A alteração das regras de utilização do Pavilhão Desportivo de Mong-Há permitiu uma maior disponibilidade de espaço e com isso a possibilidade de oferecer melhores condições para a promoção do desporto em geral e do desporto de recreação em particular.
Até ao mês de Setembro do corrente ano, os registos marcam um total de 2,738,506 utentes nas instalações desportivas, o que significa um aumento na ordem dos 23%, quando comparado com o mesmo período de 2003, o que se torna ainda mais relevante pelo facto de algumas instalações estarem em processo de remodelação e portanto indisponíveis para os utentes, ainda que outras tenham entretanto entrado em funcionamento como são os casos do Pavilhão Polidesportivo do IPM, o Pavilhão de Mong-Há e a Piscina Olímpica.
6.10 4.os Jogos da Ásia Oriental de Macau
Em 2004, os preparativos dos 4.os Jogos da Ásia Oriental de Macau foram processados de acordo com o previsto e de forma progressiva. Os trabalhos das diferentes áreas, nomeadamente a recepção e gestão das instalações desportivas, tecnologias de informação, cerimónias de abertura e de encerramento, transmissão televisiva, serviços de imprensa, promoção, marketing, competições desportivas, segurança, serviços médicos, antidoping, transporte, hospitalidade, voluntariado, entre outras, decorreram em bom ritmo.
As obras de construção do Pavilhão Polidesportivo do Tap Seac, do Fórum de Macau e do Centro de Imprensa e Informação foram concluídas e iniciado o seu funcionamento no corrente ano, enquanto que as do Centro Náutico da Praia Grande, da Academia de Ténis e Centro de Bowling e da Residência da Ásia Oriental da Universidade de Macau serão também iniciadas sucessivamente. À medida do lançamento do Programa de Voluntariado, sob o lema "Divulgar a cultura olímpica, unindo a elite de Macau", a MEAGOC desenvolveu, de forma mais generalizada, as acções de formação dos voluntários. A MEAGOC tem estado a trabalhar de colaboração com a Administração Geral de Desportos do Estado, o Comité Organizador dos Jogos Olímpicos de Pequim e o Comité Organizador do Euro 2004, com vista a elevar o nível profissional das áreas de competições, tecnologias de informação, antidoping, formação dos voluntários, entre outras, dos Jogos da Ásia Oriental.
Foi constituído formalmente o comité para a transmissão televisiva dos Jogos da Ásia Oriental, tendo-se definido a colaboração da CCTV e da TDM na transmissão conjunta das cerimónias de abertura e de encerramento e as provas relevantes dos Jogos. A MEAGOC celebrou um protocolo de cooperação com "Beijing Beiao Grand Cultural & Sports Events Company", uma empresa altamente experiente na execução dos eventos de grande dimensão, cabendo à mesma facultar ideias e apoio técnico para as cerimónias de abertura e de encerramento, bem como para a cerimónia de acendimento da tocha. Já se encontram elaborados pela MEAGOC a proposta de exibição, os trabalhos de produção e o projecto de ensaio dos figurinos.
Prosseguiu-se o registo de marcas dos Jogos da Ásia Oriental e foi celebrado com a respectiva empresa comercial o protocolo de cooperação do licenciamento de exploração de marcas, tendo estado ainda a trabalhar activamente na procura de mais patrocinadores e parceiros. Por outro lado, prossegue-se, de forma activa, a preparação dos "Serviços dos Jogos da Ásia Oriental", o estudo e a implementação dos serviços de acomodação, transporte, hospitalidade, catering, entre outros.
6.11 2.os Jogos Asiáticos em Recinto Coberto
Sob a orientação de "uma equipa para duas marcas", a MEAGOC participou e apoiou integralmente as formalidades de registo dos 2.os Jogos Asiáticos em Recinto Coberto, na elaboração do Relatório de Progresso, bem como na promoção do estabelecimento do Comité Organizador dos 2.os Jogos Asiáticos em Recinto Coberto de Macau, S.A. (MAIGOC).
Em 2004, a MAIGOC iniciou a preparação dos planos de organização global dos 2.os Jogos Asiáticos em Recinto Coberto e a instalação do sistema de tecnologias de informação e de processamento dos dados, bem como as sedes da MAIGOC e do Comité Olímpico de Macau.
No que diz respeito à promoção e divulgação, editou a publicação "Desportos em Recinto Coberto" distribuída aos 45 países membros do Comité Olímpico Asiática e aos órgãos de comunicação social. Após a realização do concurso de criação da mascote dos 2.os Jogos Asiáticos em Recinto Coberto, proceder-se-á ao registo de marcas. Além disso, processou-se o delineamento preliminar do Programa Oficial Desportivo, propondo-se como modalidades oficiais: a Dança Aeróbia, a Dança Desportiva, os Desportos Radicais, o Futsal, os Jogos Electrónicos (E-Sports), o Atletismo em pista coberta, o Ciclismo de salão, o Hóquei em Patins e a Natação em pista curta.
6.12 1.os Jogos da Associação dos Comités Olímpicos de Língua Oficial Portuguesa
No corrente ano, foi concedido a Macau o direito de organização dos 1.os Jogos da Associação dos Comités Olímpicos de Língua Oficial Portuguesa, cabendo à mesma equipa da MAIGOC a execução do referido projecto.
Os membros integrantes da Associação de Comités Olímpicos dos Países e Territórios de Língua Portuguesa (ACOLOP) são: Portugal, Macau, Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo Verde, Brasil, Timor-Leste, São Tomé e Príncipe e Guiné Equatorial.
Os Jogos da ACOLOP terão lugar em 2006, estimando-se a participação de mais de 1400 atletas e oficiais, para as competições desportivas de atletismo, basquetebol, voleibol de praia, ténis de mesa, taekwondo e futsal, sendo as duas últimas modalidades apenas para as selecções masculinas, enquanto as outras modalidades serão para selecções masculinas e femininas. O referido evento representa a política de plataforma de ligação da Região Administrativa Especial de Macau com os países de língua portuguesa, a qual permite intensificar o intercâmbio desportivo entre os diferentes países e regiões, bem como rentabilizar os valiosos recursos dos Jogos da Ásia Oriental, incrementando a sua mais-valia.

PARTE II
LINHAS DE ACÇÃO GOVERNATIVA PARA O ANO 2005



1. No âmbito da Saúde
Nos próximos anos, os Serviços de Saúde vão continuar a cumprir o princípio "A boa qualidade dos cuidados de saúde começa pela prevenção"; a elevar a qualidade da saúde pública, a trabalhar para assegurar os cuidados de saúde a pessoas de diferentes idades, sexos e nível económico e social, a privilegiar grupos de alto risco e a comunidades desfavorecidas; a fortalecer e a melhorar a prestação de cuidados médicos actuais, a elevar a qualidade dos serviços prestados e a desenvolver a qualidade de vida dos residentes. Vão, por outro lado, participar activamente no intercâmbio de experiências na área de rede de informação internacional e local e consolidar o sistema de prevenção conjunta regional entre a Província de Cantão, Hong Kong e Macau com base no sistema de comunicação de doenças transmissíveis.
Em 2004, o Governo inicia o programa Cidade Saudável e aproveita planos existentes para continuar a melhorar o ambiente da cidade, o modo de vida da população e o estado da saúde pública, com o objectivo de elevar a qualidade global da saúde dos residentes. Deste modo, os cidadãos de Macau e as suas famílias têm oportunidade de gozar de uma vida com qualidade.
De acordo com recomendações e critérios da Organização Mundial de Saúde sobre a prevenção e tratamento de doenças transmissíveis, será estudada, igualmente, a construção de um Edifício de Doenças Transmissíveis.
Os Serviços de Saúde estão a estudar a construção de um laboratório definido pela Organização Mundial de Saúde como laboratório de segurança de nível III, que possibilitará o desenvolvimento do trabalho laboratorial sobre doenças transmissíveis em Macau e um maior apoio ao respectivo trabalho de prevenção e controlo.
Os Serviços de Saúde vão consolidar medidas destinadas a responder aos casos de emergência no serviço de Urgência, implementar um sistema de triagem e aumentar os recursos humanos. Será aperfeiçoado, por outro lado, o plano de prestação de serviços pelas pessoas do grupo especializado de urgência individual, com vista a colaborar no desenvolvimento do Serviço de Urgência de longo prazo. Entretanto, as instalações e equipamentos internos deste serviço vão ser melhorados para prestar mais e melhores cuidados de saúde.
A fim de permitir uma melhor recuperação dos doentes com alta hospitalar, reduzindo, assim, a possibilidade de recaídas, os Serviços de Saúde vão estudar a viabilidade de instalação de um serviço de recuperação e cuidados prestados, em cooperação com instituições privadas de saúde, explorar mais recursos de saúde na comunidade e melhorar o serviço de recuperação depois de saírem do hospital e regressarem à comunidade.
De acordo com o desenvolvimento da cidade e com o aumento da população nas ilhas, os Serviços de Saúde vão analisar e estudar do ponto de vista tecnológico, dos recursos humanos e financeiros necessários e do desenvolvimento social global, a viabilidade de estabelecer um hospital nas ilhas.
No âmbito do aperfeiçoamento da rede de saúde comunitária, tiveram início, em 2004, as obras de construção de um novo Centro de Saúde na Areia Preta, o qual não só prestará os serviços existentes, como irá fornecê-los no âmbito da medicina chinesa, da medicina física e do serviço médico de reabilitação. Estudar-se-á, por outro lado, a viabilidade de juntar os Centros de Saúde do Porto Interior e de São Lourenço.
No sistema de gestão da segurança alimentar de Macau, os Serviços de Saúde vão desempenhar o papel de gestão geral, de fiscalização, de organização e de colaboração, criar o "Centro da Segurança Alimentar" e promover a elaboração de um enquadramento jurídico em matéria de segurança alimentar e de padrões de higiene alimentar.
Estava previsto que o trabalho do Conselho Consultivo da Reforma de Saúde de Macau estivesse concluído no fim de 2004. A sua complexidade, porém, obriga a prolongar o mandato do Conselho. Os três grupos especializados vão proceder mais rapidamente às consultas e discussões, no âmbito das suas atribuições. Por outro lado, no sentido de demonstrar a determinação e os efeitos na reforma de saúde, prevê-se a revisão da lei orgânica dos Serviços de Saúde, assim se permitindo que as respectivas subunidades deste serviço exerçam melhor as suas funções, e, também, consolidando o funcionamento da estrutura orgânica.
A fim de desenvolver o Sistema de Saúde de Macau para o nível internacional mais avançado, vamos:
1. Fortalecer os contactos com a Organização Mundial de Saúde, facilitar o intercâmbio internacional e a cooperação regional, e ainda introduzir um sistema de avaliação e reconhecimento médico a nível internacional.
2. Melhorar o sistema de saúde, elevar o nível da tecnologia terapêutica e a capacidade e eficiência médica do Serviço de Urgência, Internamento, Consulta Externa, Centros de Saúde e comunidade e reforçar a confiança pública em relação ao serviço de saúde.
3. Intensificar a cooperação com instituições não governamentais de saúde, estimular a participação activa dos residentes nas actividades de saúde comunitárias, promover a divulgação e educação e enriquecer o conhecimento público sobre saúde e prevenção de doença, assim, contribuindo para melhorar a qualidade global de vida da população.
4. Aproveitar melhor os recursos existentes, aperfeiçoar a rede de serviço médico gratuito e estudar a viabilidade de medidas como "Quem tem capacidade económica, deve pagar as despesas de saúde", subsídio de saúde de diferentes níveis ou a introdução de um sistema de seguro de saúde da população.
Com o surgimento das doenças transmissíveis no mundo, nos últimos anos, compreendemos melhor que um bom serviço de saúde se deve construir com base no trabalho com qualidade de prevenção da doença. Tendo como finalidade assegurar e promover a saúde pública, por outro lado, deve-se disponibilizar sempre um serviço de medicina global aos residentes e elevar a qualidade da saúde. Ainda que manter uma boa saúde dependa muito da iniciativa individual, os Serviços de Saúde devem desempenhar um papel dinâmico, promovendo activamente a prática de um modo de vida saudável, estimulando a educação para a saúde e outras actividades de divulgação nesta área. Deste modo, Macau terá um bom ambiente e qualidade de vida e toda a sua população criará em conjunto uma Cidade Saudável.
Linhas de Acção Governativa no Âmbito da Saúde para 2005
1.1 Criar programa Cidade Saudável
É necessário criar um bom sistema de saúde, aperfeiçoar o trabalho de prevenção das doenças, assegurar a saúde pública, incentivar a participação da comunidade nas actividades relativas a um modo de vida saudável, estabelecendo, igualmente, um ambiente de vida limpo e seguro. Por outro lado, temos de incentivar os residentes a praticar mais exercício físico, a manter uma dieta equilibrada e a deixar de fumar, a fim de melhorar o modo de vida e o estado de saúde da população, criando assim, uma nova cultura de vida saudável.



1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   ...   14


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal