Questão 01 (Famerp sp)



Baixar 282,61 Kb.
Encontro21.07.2017
Tamanho282,61 Kb.

Questão 01 - (Famerp SP)

O Capitão-mor perguntou a todos se nos parecia ser bem mandar a nova do achamento desta terra a Vossa Alteza pelo navio dos mantimentos, para a melhor mandar descobrir e saber dela mais do que agora nós podíamos saber, por irmos de nossa viagem. E foi por todos ou a maior parte dito que seria muito bem. Perguntou mais se seria bom tomar aqui por força um par destes homens para os mandar a Vossa Alteza e deixar aqui por eles outros dous destes degradados. A isto acordaram que não era necessário tomar por força homens por ser gente que ninguém entende.

(Pero Vaz de Caminha. Carta a el-rei dom Manuel
sobre o achamento do Brasil, 1974. Adaptado.)
A carta de Pero Vaz de Caminha para o rei de Portugal, datada de 1 de maio de 1500, revela
a) o descaso dos navegantes, assim como da coroa portuguesa, para com um território densamente povoado por indígenas.

b) a necessidade de medidas para se ampliar o conhecimento da terra, considerando que a frota portuguesa devia partir para novo rumo.

c) o desconhecimento das sociedades indígenas sobre as regiões demasiadamente afastadas do litoral.

d) a intenção da coroa portuguesa em colonizar a terra recém-descoberta com prisioneiros e dissidentes políticos e religiosos.

e) a impossibilidade da exploração da mão de obra indígena na extração de recursos e riquezas abundantes no litoral.
Questão 02 - (UEFS BA)

As monarquias nacionais que se formaram ao longo dos séculos XIII, XIV e XV, embora tenham sido uma nova forma de exercício do poder (poder centralizado), oposta às monarquias medievais, mantiveram em sua essência a mesma natureza destas. Apesar, inclusive, de toda a importância e participação da burguesia no processo de consolidação do Estado nacional, o poder continuou sendo exercido pela mesma classe dominante, a nobreza, só que agora concentrado na figura do rei. (NEVES, 2000. p. 18-19).

NEVES, Vera M. da C. (org.). As terras do Brasil e o mundo dos descobrimentos.
Secretaria de Educação. Instituto Anísio Teixeira. Salvador: Boanova, 2000.
A influência da burguesia na estruturação das monarquias europeias deu aos monarcas, entretanto,
a) a oportunidade para fortalecer os laços de cooperação com a Igreja Católica, responsável pela confirmação do poder real.

b) o cancelamento do direito de acesso às “cartas de franquia” pelas vilas agrícolas medievais.

c) o poder de democratizar o acesso de servos, operários e trabalhadores braçais, aos estamentos mais elevados da sociedade.

d) a necessidade de dividir o poder de mando com representantes de outros reinos não cristãos do Oriente Médio.

e) os recursos necessários à organização de exércitos nacionais comandados por generais da confiança dos reis, excluindo os exércitos particulares da nobreza feudal.
Questão 03 - (IFPE)

Qual dentre as alternativas abaixo não corresponde a uma característica das monarquias absolutistas surgidas na Europa na Idade Moderna?


a) Nos regimes absolutistas, todo o poder político e administrativo estava centralizado na figura do Rei.

b) O poder do monarca foi legitimado por vários teóricos, como Nicolau Maquiavel e Jacques Bossuet.

c) A teoria do Direito Divino dos Reis afirmava que o poder do monarca absolutista tem como fundamento a vontade de Deus.

d) Mesmo com o poder centralizado, a população poderia fazer interferências em decisões reais, caso essas fossem impopulares.

e) A economia desses Estados era baseada em práticas conhecidas como Mercantilismo.
Questão 04 - (PUCCamp SP)

O texto de Adalberto Cruz e Silva faz referência ao humanista Nicolau Maquiavel, que escreveu O príncipe, espécie de manual de como governar. Nessa obra ele


a) formulou a concepção da bondade natural humana e sua capacidade de criar um governo capaz de construir mesmo a felicidade da população.

b) defendeu que a vontade do povo deve expressar-se sempre mediante o voto e essa vontade deve prevalecer sobre qualquer outra consideração.

c) considerava que a principal obrigação do governante era manter o poder e a segurança e, para isso, devia fazer uso de todos os meios.

d) afirmava que os governos têm por finalidade respeitar os direitos naturais e, caso não o façam, cabe à sociedade civil o direito de se rebelar.

e) negava o direito dos governantes de se autoaplicar o princípio do direito divino, e de outras prerrogativas fundamentadas em preconceitos.
Questão 05 - (UEG GO)

Leia o texto a seguir.


Após a decapitação do rei, o Parlamento sofreu nova depuração. Um Conselho de Estado, com 41 membros, passou a exercer o Poder Executivo. Mas o controle do Estado estava de fato nas mãos de Cromwell [...] Ofereceram-lhe a coroa, mas ele a recusou: na prática já era um soberano e podia até fazer seu sucessor.

PILETTI, Nelson; ARRUDA, José Jobson de A. Toda a História. São Paulo: Ática, 2000, p. 228.


Após a morte de seu líder, em 1658, o destino da chamada “República de Cromwell” foi marcado pela
a) deposição, já no ano seguinte, de seu filho e sucessor, Richard Cromwell, permitindo o início da fase de Restauração.

b) reformulação e fortalecimento do Parlamento inglês, num golpe militar conhecido como Revolução Gloriosa.

c) proibição das práticas puritanas, fazendo com que muitos membros do movimento migrassem para a América.

d) invasão de Guilherme de Orange, que implantou a Lei do Teste, obrigando a todos os funcionários públicos a se declararem católicos.


Questão 06 - (UNIMONTES MG)

O Antigo Regime pode ser entendido como o sistema político, social e econômico característico na Idade Moderna Europeia Ocidental. Do ponto de vista político e econômico, correspondeu a/ao


a) Liberalismo e Fisiocracia.

b) Absolutismo e Mercantilismo.

c) Medievalismo e Feudalismo.

d) Constitucionalismo e Liberalismo.


Questão 07 - (IFRS)

O pensador francês Jacques Bossuet (1627-1704) acreditava que a monarquia era algo sagrado. Na sua visão, os reis cristãos eram instrumentos de Cristo, os representantes diretos do próprio Deus na Terra, eleitos diretamente por Ele para reinarem.

Essa maneira de Bossuet pensar a política, de uma perspectiva religiosa, satisfazia principalmente aos interesses
a) das monarquias absolutistas.

b) da democracia das cidades italianas.

c) das nobrezas feudais.

d) do teocentrismo medieval.

e) dos camponeses supersticiosos.
Questão 08 - (IFRS)

O contexto de surgimento dos Estados Nacionais, no início da Idade Moderna, esteve atrelado a uma política centralizadora, onde a nobreza, que acumulou terras durante a Idade Média, temia a ascensão da burguesia mercantil, fato que levaria à consequente perda de seus privilégios. Falamos aqui da política


a) Capitalista.

b) Imperialista.

c) Absolutista.

d) Desenvolvimentista.

e) Liberal.
Questão 09 - (UCS RS)

Relacione os conceitos, apresentados na COLUNA A às características que os identificam, listadas na COLUNA B.


COLUNA A

1 Estado de sítio

2 Totalitarismo

3 Absolutismo


COLUNA B

( ) Forma de organização do Estado na qual o poder se concentra na mão de um pequeno grupo de pessoas de um único partido.

( ) Instrumento legal no qual o poder Executivo assume funções do Legislativo e Judiciário e que pode ser aplicada pelo Presidente da República em casos especiais.

( ) Forma de governo no qual o dirigente tem grande poder sobre toda a sociedade.


Assinale a alternativa que preenche correta e respectivamente os parênteses, de cima para baixo.
a) 1 – 3 – 2

b) 2 – 3 – 1

c) 2 – 1 – 3

d) 1 – 2 – 3

e) 3 – 1 – 2
Questão 10 - (UFU MG)

Se essa passagem de século tem hoje um sentido para nós, um sentido que talvez não tinha nos séculos anteriores, é porque vemos que aí é que surgem as primícias da globalização. E essa globalização é mais que um processo de expansão de origem ibérica. Em 1500, ainda estamos bem longe de uma economia mundial. No limiar do século XVI, a globalização corresponde ao fato de setores do mundo que se ignoravam ou não se frequentavam diretamente serem postos em contato uns com os outros.

GRUZINSKI, Serge. A passagem do século: 1480-1520 –
as origens da globalização. São Paulo: Companhia das Letras, 1999, p. 96-98. (Adaptado).
Na busca das raízes do conceito de globalização, os historiadores têm voltado suas atenções às grandes navegações, porque este momento histórico
a) permitiu, com anuência da Igreja, a formação de um verdadeiro mercado global de mão de obra escrava, composta de indígenas.

b) tornou a Igreja uma força política global, com hegemonia, por exemplo, sobre todo o continente americano.

c) representou a unificação dos mercados coloniais principalmente a partir do fornecimento de gêneros de subsistência.

d) foi decisivo na expansão da atividade comercial para além das fronteiras europeias e na ampliação dos mercados.


Questão 11 - (UEFS BA)

A íntima relação observada entre o Estado Absolutista e a teoria e prática do mercantilismo, nos séculos XVII e XVIII, indica


a) o crescente fortalecimento da classe dos mercadores, tornando-se uma força política hostil à concentração do poder na figura dos monarcas.

b) a expansão do colonialismo e a crescente perda do poder do Estado no controle das populações coloniais.

c) o financiamento do Estado à burguesia comercial para a expansão marítima, sem o que seria impossível a organização das expedições.

d) a permanência da ideologia religiosa que apoiava as atividades lucrativas, se fossem orientadas pela Igreja e pelo Estado.

e) a intervenção do Estado nas práticas econômicas, como instrumento para o fortalecimento do próprio Estado.
Questão 12 - (UNITAU SP)

O início da Idade Moderna, período que se estende pelo século XV, pode ser caracterizado por


a) consolidação do Estado Nação, supremacia marítima holandesa, ascendência da monarquia absolutista, comércio marítimo com a Índia.

b) consolidação do Estado Nação, ascendência da monarquia absolutista apoiada pela burguesia, grandes navegações, descoberta e colonização de novas terras.

c) consolidação do Estado Nação, descoberta e colonização de novas terras, ascensão dos déspotas esclarecidos, crise financeira burguesa.

d) consolidação do Estado Nação, crise da monarquia absolutista, supremacia marítima espanhola, descoberta e colonização de novas terras.

e) grandes navegações, fortalecimento dos estados de Portugal e Espanha, rompimento do comércio com a Ásia, decadência da monarquia absolutista.
Questão 13 - (UECE)

Ancien Régime (Antigo Regime) é um termo que foi utilizado inicialmente pelos revolucionários franceses para designar, com conotações pejorativas, o sistema de governo precedente à Revolução Francesa de 1789. Esse sistema de governo correspondia
a) à monarquia absoluta, sob as dinastias de Valois e Bourbon.

b) a um sistema político-econômico na defesa da liberdade individual.

c) à monarquia parlamentarista, que mantinha a soberania política e econômica da França.

d) à assembleia dos representantes eleitos pelos cidadãos.


Questão 14 - (Fac. Direito de Franca SP)

"A etiqueta foi, nos séculos do seu apogeu (do XV ao XVIII), minucioso cerimonial regendo a vida em sociedade: roupas, formas de tratamento, uso da linguagem, distribuição no espaço, tudo isso esteve determinado pela lei e pelo costume."

Renato Janine Ribeiro. A etiqueta no Antigo Regime.


São Paulo: Brasiliense, 1987, p. 7.
O papel da etiqueta no Antigo Regime pode ser associado
a) ao esforço da realeza para impedir a exposição pública da ostentação e da pompa que orientavam sua vida privada.

b) à dinâmica política do Estado absolutista, em que os governantes deviam acolher no seu espaço privado representantes de todas as classes sociais.

c) à disposição, natural na burguesia mercantil metropolitana, de buscar o luxo e a ostentação.

d) à lógica hierarquizadora da sociedade, em que cada pessoa devia conhecer seu lugar, sua posição e seu papel social.



e) ao papel regrador da sociedade, exercido pela Igreja Católica, que determinava o vestuário adequado dos fiéis.
Questão 15 - (Mackenzie SP)


“O Estado sou eu”, frase atribuída ao rei francês Luís XIV, traduzia o grau de centralização de poderes típica dos Estados absolutistas europeus. Tal forma de organização política destacava a figura do monarca como bem caracteriza a imagem acima. Assinale a alternativa correta que expressa o papel da monarquia absolutista.
a) O regente, ao aparecer publicamente com trajes suntuosos, exprimia a união entre o poder temporal e o espiritual, apoiado publicamente pelo Papa em cada aparição pública.

b) O monarca, ao se utilizar da pompa e da suntuosidade, sintetizava os anseios da própria nação e dos diversos grupos religiosos existentes no território francês.

c) A exposição pública da figura do monarca enfraquecia a nobreza e as tradições aristocráticas, ao mesmo tempo em que fortalecia os interesses burgueses.

d) O rei, ao simbolizar o próprio Estado francês, consegue articular o anseio do grupo mercantil em ascensão, articulando-os com os interesses da nobreza nacional.

e) Eliminar as revoltas camponesas francesas, recorrendo ao luxo e majestade configurados na imagem do monarca, garantia estabilidade a nação.
Questão 16 - (ESPM)

Morto o rei, em maio do mesmo ano, a república foi proclamada, o que dava a entender que as reivindicações dos nivela­dores estavam sendo atendidas, mas a revo­lução parou aí, e a sensação de traição foi virando certeza. A revolta dos niveladores malogrou.
Além da fracassada tentativa dos Ni­veladores, o país conheceu também o mo­vimento dos Escavadores, que, por meio da ação direta e pacífica, tentaram chegar a uma forma de comunismo agrário.

(Paulo Miceli. As Revoluções Burguesas)


O texto deve ser relacionado com:
a) a Revolução Puritana, na Inglaterra;

b) a Revolução Gloriosa, na Inglaterra;

c) as Frondas, na França;

d) a Revolução Francesa de 1789;

e) a Revolução de 1830, na França.
Questão 17 - (UNIUBE MG)

Leia o fragmento com atenção:


“O rei da França é príncipe por direito natural, já que esta forma de governo existe no país há mais de mil anos. O rei não obtém a coroa pela eleição do povo, e portanto não depende da sua aprovação. A sucessão real se realiza segundo as leis da natureza, do pai para o filho mais velho ou para o parente mais próximo. O reino não pode ser dividido e pertence a uma única pessoa.”
(Declaração de Henrique IV, 7 de fevereiro de 1599) In: MATTOS, Ilmar et. al.
História. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1977.
O fragmento acima se refere a determinado modelo político de organização do Estado, que é o(a):
a) Autocracia episcopal, fundamentada no direito divino de governo e na organização hierárquica.

b) Monarquia absolutista, em que o poder político está concentrado nas mãos do soberano.

c) Parlamentarismo hereditário, no qual o governo é transmitido por gerações, de pai para filho.

d) Oligarquia, em que poucos governam sob a prerrogativa de assegurar os interesses de seu grupo social.

e) Aristocracia, marcada por uma camada de nobres que, amparada na tradição, assegura seu domínio.
Questão 18 - (IFSP)

A tabela a seguir permite comparar preços e salários durante o século XVI na França. Analise-a e responda a questão a seguir.


(FREITAS, Gustavo de. 900 textos e documentos de História.


Lisboa: Plátano, s.d.p.217 Adaptado)
*Capão : animal castrado que se põe para engordar.


De acordo com a tabela, os trabalhadores na França do século XVI viveram a seguinte situação:
a) enquanto o salário de um pedreiro aumentou cinco vezes, o preço do trigo aumentou mais de vinte vezes.

b) o salário diário de um servente cresceu em progressão aritmética, enquanto o preço do trigo cresceu em progressão geométrica.

c) tanto o salário diário de um servente quanto o de um pedreiro eram suficientes, no período de 1570 e 1600, apenas para comprar 1 kg de açúcar.

d) na década que se estende de 1540-1550, houve grande redução de preços, enquanto os salários apresentaram um crescimento.

e) houve uma grande deflação, pois os salários caíram, enquanto os preços subiram assustadoramente.
Questão 19 - (FM Petrópolis RJ)

Na Idade Média, a autoridade do rei existia, mas era relativamente fraca, pois o poder era exercido, efetivamente, pelo senhor feudal. Com a crise do feudalismo, o poder central vê sua importância aumentar. Os senhores foram se enfraquecendo, de forma lenta, com a perda de terras e servos. Nesse contexto, uma nova política se fortalece, tendo como característica básica a monarquia de direito divino.


Essa nova política correspondeu ao surgimento do Estado

a) absolutista

b) constitucionalista

c) neoliberal

d) neocolonialista

e) social-democrata


Questão 20 - (UEFS BA)

“As leis prendem o ladrão

Que rouba um ganso aos comuns,

Mas deixam solto o outro

Que rouba a terra do ganso.”

(AQUINO et al. 1993, p.133).

AQUINO, R. et al. História das sociedades: das sociedades modernas
às sociedades atuais. 28. ed. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1993.
A canção popular, originária da Inglaterra do século XVIII, faz referência
a) ao confisco das terras de criadores de aves e de gado bovino, para a implantação de oficinas de artesanato.

b) à atuação de empresários e de burgueses junto à justiça inglesa, para desalojar os camponeses de suas terras.

c) aos privilégios adquiridos pelos camponeses, que entregavam suas terras em troca de empregos no serviço público.

d) à acumulação de capital pelos proprietários de fazendas de gado e vinhedos, alcançada com a ajuda do governo inglês.

e) ao movimento de cercamento dos campos, com o objetivo de garantir pastagens para a criação de carneiros, cuja lã alimentaria as fábricas de tecidos.
GABARITO:
1) Gab: B

2) Gab: E

3) Gab: D

4) Gab: C

5) Gab: A

6) Gab: B

7) Gab: A

8) Gab: C

9) Gab: C

10) Gab: D

11) Gab: E

12) Gab: B

13) Gab: A

14) Gab: D

15) Gab: D

16) Gab: A

17) Gab: B

18) Gab: B



19) Gab: A

20) Gab: E



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal