“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias a que deu o nome de ano, foi um individuo genial. Institucionalizou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão. Doze meses são para qualquer ser humano cansar e entregar os pontos



Baixar 433,66 Kb.
Página2/2
Encontro03.05.2017
Tamanho433,66 Kb.
1   2

Máfia pode ter afundado navio com lixo nuclear na Itália.

Autoridades italianas estão investigando o naufrágio de um navio na região da Calábria, no sul do país, após um informante ter afirmado que a embarcação continha dejetos tóxicos que poderiam ser inclusive lixo nuclear.

As autoridades chegaram à embarcação após o informante ter afirmado que afundou o navio como parte de um esquema da máfia para burlar a legislação que restringe a disposição de resíduos tóxicos na Itália.

O navio foi descoberto a cerca de 30 km da cidade de Cetraro, numa região conhecida por ser um dos centros de atuação da 'Ndrangheta, a máfia calabresa.

Investigações feitas com uma câmera submarina mostraram que a embarcação estava praticamente intacta no fundo do mar.

Nas proximidades dela foram encontrados barris amarelos com rótulos que indicavam que eles continham resíduos tóxicos.

O informante também afirmou ser o responsável pelo afundamento de pelo menos outros dois navios que continham dejetos tóxicos.

Segundo ele, o lucrativo esquema também envolvia o afundamento de navios contendo lixo nuclear. De acordo com as autoridades, se ficar provado que os barris encontrados contêm material radioativo, será iniciada uma busca por outros trinta navios naufragados que supostamente teriam sido sabotados pela máfia.

Organizações de defesa do meio ambiente como o Greenpeace já divulgaram listas de navios que teriam desaparecido nas costas da Itália e da Grécia nas últimas décadas e que poderiam fazer parte do esquema.

Fonte: BBC Brasil



 

Sondagem conclui que 45% dos tripulantes querem usar arma.

Quase metade dos marítimos britânicos e holandeses acredita que devem ser autorizados, em princípio, a ter porte de armas, em face da ameaça de piratas de acordo com uma pesquisa realizada on-line pela gestora marítima anglo-holandesa União Internacional Nautilus.

A sondagem parece ser uma mostra do dramático endurecimento de atitudes nos últimos anos, especialmente desde a explosão da pirataria na Somália, Nigéria e em outros países.

Resoluções com o mesmo efeito foram debatidas em conferências da Nautilus desde os anos 1990, mas até agora a idéia tem atraído o apoio insignificante entre os profissionais.

O resultado surpreendeu os chefes da União que continuam comprometidos com a política de não emissão de porte de armas de fogo para os marítimos. Ele também coloca uma crescente opinião de marítimos contra o consenso entre os armadores.

Giles Noakes, especialista em segurança da organização de armadores BIMCO, disse: “Nós somos totalmente contra o armamento dos marítimos. Acreditamos que este seria um movimento extremamente perigoso por uma série de razões”. “Quem iria treinar os marítimos? Quem seria responsável pelas regras de embarque de marítimos multinacionais? E assim por diante. Nós não consideraríamos isso uma atitude sábia”.

Os membros da Nautilus foram perguntados: a Organização Marítima Internacional tem o direito de descartar o armamento dos marítimos, em resposta à ameaça da pirataria?

Uma amostragem de várias centenas respondeu à pergunta com 45% favoráveis, 45% contra e 10% indecisos.

Um porta-voz da IMO disse ao Lloyd’s List: “Embora o conselho geral seja ‘não’, ainda há espaço lá para os Estados de Bandeira autorizarem, em consulta com os armadores e operadores de navios, ou mesmo incentivá-la”.

“Mas as melhores práticas de gestão e de orientação que têm sido acordadas não são suficientes para o armamento por causa do potencial para as coisas darem erradas. Se há uma visão de que isso precisa ser mudado, eles precisam voltar à IMO e isso será discutido”.

Após a votação, o Conselho Internacional da Nautilus discutiu um documento de posição detalhada sobre a questão, em uma recente reunião em Amsterdã. Um membro destacado da pesquisa sugeriu que isso era uma conseqüência do uso crescente de violência contra os trabalhadores marítimos.



Mas o secretário geral da Nautilus, Mark Dickinson, disse que a União deve manter a oposição ao uso de armas.

“Armar os marítimos não é a resposta e, na verdade, pode realmente aumentar os perigos que enfrentam em face da escalada dos índices de violência”, disse ele.

Os armadores devem investir nos cada vez mais sofisticados equipamentos antipirataria agora amplamente disponíveis, acrescentou. Eles também devem observar a evidência de que elevar o nível das tripulações é uma forma eficaz de reduzir o risco de ataque, aumentando as chances de detecção precoce e rápida ação evasiva.

O secretário geral da Federação Internacional das Associações de Comandantes, Rodger MacDonald, disse que relativamente poucos membros das tripulações tinham sido mortos, mas isso pode mudar se os marítimos começarem a atirar de volta.



Ele também questionou como armadores importantes agiram sobre a proteção de suas tripulações, dada sua relutância em comprar equipamentos de proteção.

O debate também viu o secretário geral adjunto da Nautilus Marcel van den Broek advertir que a pirataria não mostrou nenhum sinal de diminuir. “Na Somália há milhares de jovens que desejam se tornar piratas dispostos a correr risco de morte ou captura na esperança de concretizarem seus sonhos de riqueza”, disse ele.

Fonte: Lloyd’s List


A maior baleeira do mundo!


A Schat Hardin da Noruega construiu uma série de mega baleeiras e sistemas de turco destinados ao uso nos dois maiores navios de passageiros do mundo com 360m de comprimento e 45m de boca o “Oásis of the Seas” e o “Allure of the Seas”, ambos transatlânticos construídos pelo estaleiro STX Europe’s Turku Yard na Finlândia para a Royal Caribbean International. .
O primeiro navio, o Oásis of the Seas, já começou a navegar e tem capacidade para 5.400 passageiros e tripulação de 3.000 pessoas.

Um total de 18 mega baleeiras e sistemas de turcos foram construídos para cada navio. Cada baleeira acomoda 370 pessoas, isto é, mais do dobro da capacidade das baleeiras existentes construídas pela Schat Hardin. Os turcos são fixos e as baleeiras deverão ser seguras e rápidas para retirar facilmente as pessoas de bordo do transatlântico. Também são seguras para a navegação, pois possuem dois motores diesel totalmente fechados com potência de 52kw.


As baleeiras são disparadas pelo turco fixo a partir do local onde são estivadas, sem necessidade de disparo para fora da borda, reduzindo o tempo necessário para abandono em emergência.
Chamada de CRV55, cada baleeira é construída em um casco de catamarã e provida de excelente estabilidade. Mede 16.7m de comprimento x 6.6m de boca, pesa 16 toneladas leve e 44 toneladas quando está com 370 passageiros mais a tripulação.




Almoço de confraternização de fim de ano do CCMM.
O almoço de confraternização do Centro dos Capitães, realizado no dia 11/12 na cobertura do Hotel Guanabara, no Rio de Janeiro, reuniu um expressivo número de associados e suas famílias, sócios honorários, autoridades civis e militares e líderes sindicais e de associações de classe. Abrangendo cinco destaques distintos e integrados, teve, sob a batuta do nosso mestre de cerimônias CLC Juarez Oliveira, a execução do Hino da Marinha Mercante Brasileira, o pronunciamento do Presidente Álvaro José de Almeida Junior (ver íntegra na abertura deste Boletim), a homenagem à primeira Comandante da nossa Marinha Mercante Hildelene Lobato Bahia, o sorteio de uma tela de autoria do nosso colega Ventura a uma das damas presentes (foi agraciada a Sra. Dalva Nunes Mendes) e o lançamento do livro do nosso colega Carlos Nardin “O Comandante Bahia” com dedicatória do autor.

Como era esperado, a cerimônia repetiu o brilhantismo dos anos anteriores, destacando-se o sentimento cordial e alegre do prenúncio e perspectiva de um ano novo de trabalho e dedicação.



Formatura de novos praticantes alunos da EFOMM.

Em cerimônia no CIAGA que contou com a presença de destacadas autoridades civis e militares, foi formada mais uma turma de praticantes alunos da Escola de Formação de Oficiais da Marinha Mercante no dia 14/12/2009. A turma, que teve como patrono o Capitão de Longo Curso André Sabatié Fonseca, é composta de 146 praticantes alunos sendo 101 de náutica e 45 de máquinas. Bons ventos aos futuros Oficiais da Marinha Mercante.









Don’t ever take a fence down until you know the reason it was put up”



Gilbert Keith Chesterton (English author, 1874 – 1974)
Nunca derrube uma cerca antes de saber a razão pela qual ela foi erguida”.




Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe.

Oscar Wilde


Editor responsável pelo “Boletim Informativo”

CLC Luiz Augusto Cardoso Ventura

venturalac@yahoo.com.br
CENTRO DOS CAPITÃES DA MARINHA MERCANTE

Av. Rio Branco, 45 Sls. 507/ 508 - Centro

CEP 20.090-003 Rio de Janeiro / RJ

Tel.: 2253-4623 Tel. (fax): 2518-1638

centrocapitaes@radnet.com.br






ASSISTÊNCIA MÉDICA
O CCMM possui seguro “Plano Empresa” com a Golden Cross. Este tipo de contrato, por suas próprias características, apresenta custos mais atrativos.

OBS: O plano só inclui até 65 anos de idade.


ASSISTÊNCIA JURÍDICA
Temos convênio com dois colegas advogados que poderão prestar assistência aos nossos associados mediante remuneração com considerável desconto.

CLC Paulo Sérgio Rocha de Lima e CLC Carlos Alberto G. Cardoso


ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA
A Dra. Gabriela Calls atende

em seu consultório – Av. Rio

Branco 45/707 – Centro, aos

nossos associados, oferecendo

30% de desconto sobre a tabela

do sindicato dos dentistas.




O Boletim Informativo do CCMM entra em recesso de fim de ano. Voltaremos em fevereiro de 2010. Tenham todos um Feliz Natal e um Ano Novo com muita saúde e paz.




1   2


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal