Projeto de lei nº 458, de 2006



Baixar 16,53 Kb.
Encontro02.07.2017
Tamanho16,53 Kb.



PROJETO DE LEI Nº 458 , DE 2006
Dá a denominação de Juventus-Mooca à atual Estação Bresser da Linha Vermelha do Metrô, no Município de São Paulo.



A Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo decreta:
Artigo 1º - Passa a denominar-se “Estação Juventus-Mooca” a atual Estação Bresser, da Linha Vermelha do Metrô de São Paulo.
Artigo 2º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.


JUSTIFICATIVA




A Mooca, o bairro mais antigo de São Paulo, completa 450 anos em 17 de agosto de 2006. Nessa região de tanta importância para a Capital, onde a colônia italiana e a indústria fizeram história, foi fundado, em 20 de abril de 1924, o Clube Atlético Juventus, na época ainda com o nome de Extra São Paulo. Com o tempo, o Juventus tornou-se um clube da divisão principal do futebol de São Paulo e, na década de 1960, ganhou um parque poliesportivo e social no Parque da Mooca, chegando a alcançar a condição de um dos maiores clubes do Brasil.

O Juventus e a Mooca merecem uma homenagem semelhante à que receberam outros importantes bairros e clubes paulistanos, cujas sedes estão localizadas junto a atuais estações ou a futuras estações do Metrô de São Paulo.



Já existe a estação Itaquera-Corinthians, na Linha Vermelha do Metrô, homenagem ao mais popular clube paulista, confirmada após a cessão de um terreno da Prefeitura para a agremiação, em Itaquera, para a construção de um centro de treinamento. No fim da década de 1970, também projeto para a construção de um estádio no local, o que não vingou.
Por sua vez, o Palmeiras ganhou o direito de ter seu nome ligado à Estação Barra Funda, da Linha Vermelha. E o São Paulo, antes mesmo de ser concluída a Linha Amarela, já foi homenageado, estando prevista para os próximos anos a Estação São Paulo-Morumbi.
Já o estádio da Portuguesa de Desportos fica junto às Estações Armênia e Tietê do Metrô. Recorda-se que a Estação Armênia ganhou este nome em homenagem à colônia armênia, pelo fato de estarem ali situadas duas igrejas da religião do povo armênio. Antes, o nome era Estação Ponte Pequena.
Este parlamentar apresentou, em abril deste ano, projeto de lei propondo que a Estação Tietê passasse a ter o nome de Portuguesa-Tietê e o governador Cláudio Lembo, igualmente acolhendo sugestão deste parlamentar, tratou de apressar a mudança, assinando o decreto para troca de nome em maio e em 10 de junho, houve festa da Comunidade Luso-Brasileira na estação para marcar oficialmente o novo nome, já pintado na estação.

Paralelamente, este parlamentar apresentou projeto para que o Santos Futebol Clube, mesmo tendo sede a 70 quilômetros da cidade de São Paulo, fosse também homenageado no metrô paulistano. Há razões de sobra para essa homenagem exatamente numa das estações mais antigas do metrô da Capital, a do Jabaquara, sendo proposta a adoção do nome Santos-Jabaquara. É no Jabaquara que surge o Terminal de Ônibus pelo qual passam diariamente milhares de pessoas que embarcam ou desembarcam de ônibus das linhas responsáveis pela ligação entre a Capital e municípios do Litoral. E o Santos Futebol Clube, além de ter sido o clube de Pelé, duas vezes campeão mundial, tem hoje uma enorme torcida.

Neste caso, por que não Juventus e por que não Mooca? A Estação Juventus-Mooca tem uma evidente razão de ser. O Metrô de São Paulo, administrado pela Companhia do Metropolitano, empresa ligada à Secretaria de Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, foi inaugurado em setembro de 1974 e passou a ter, nos anos 1980, a segunda linha, a Linha Vermelha, que uniria a Zona Leste à Zona Oeste, passando pela Praça da Sé. Ao longo dessa linha, há nomes que homenageiam os bairros da Zona Leste, como Brás, Belém, Artur Alvim e Penha. No entanto, a Mooca, exatamente o bairro mais antigo e um dos mais marcantes da cidade, fica no esquecimento.

Deve-se levar em conta que o nome Bresser para essa estação tem algo a ver com o fato de a estação ficar junto à Rua Bresser. No entanto, a família Bresser já recebeu inúmeras homenagens por meio de nomes de ruas e obras, como Rua Bresser, Rua Cândido Augusto Bresser Dores, Rua Eugênio Bresser, Rua Júlia Bresser, Rua Professor Alfredo Bresser, Travessa Doutor José Bresser da Silveira e Viaduto Bresser.

A Associação dos Moradores e Amigos da Mooca, por meio de sua presidenta, Crescenza Giannoccaro de Souza Neves, a Dona Zina, argumenta, com razão, que a Mooca merece ter seu nome numa das estações do metrô: exatamente aquela situada no próprio bairro, a atual estação Bresser. Fundado em 1556, apenas dois anos após o surgimento de São Paulo, do outro lado do Rio Tamanduateí, a Mooca tem uma história fantástica.

E o Juventus? O Moleque Travesso, apelido pelo qual ficou conhecido o Clube Atlético Juventus graças ao fato de seu time de futebol ter conquistado a fama de derrotar freqüentemente os grandes clubes do Campeonato Paulista, merece também uma homenagem no metrô. Seu estádio, o da Rua Javari, fica perto da atual estação Bresser. E foi lá que o clube foi fundado, em 20 de abril de 1924, como Extra São Paulo.

Nasceu a partir do idealismo dos antigos funcionários do Cotonifício Crespi, uma indústria surgida no fim do século 19, por conta da família Crespi. As cores originais do clube eram as mesmas do Estado de São Paulo: vermelho, preto e branco. No entanto, em 1930, o nome foi mudado para Clube Atlético Juventus, em homenagem ao clube Juventus, de Turim, na Itália, e a camisa ganhou a cor grená, parecida com a de outro grande clube italiano, a Fiorentina, de Florença.

O novo Juventus começou a disputar o Campeonato Paulista de futebol em 1930 e fez história. Chegou a passar por crises e viveu o rebaixamento, mas hoje faz parte da Série A do Campeonato Paulista e da Série C do Campeonato Brasileiro.

Foi no pequeno e romântico estádio da Rua Javari que Pelé marcou, pelo Santos, aquele que é considerado o gol mais bonito de sua carreira: foi em 2 de agosto de 1959. Também foi lá que outros grandes clubes paulistas tiveram dias de glória ou de sofrimento contra o valente Juventus.

Hoje, o estádio da Rua Javari continua uma história fantástica e é uma espécie de relíquia da Mooca, situado na Rua Javari 117, junto à Rua dos Trilhos e a uma quadra da Rua da Mooca. A sede do clube está no parque social e esportivo da Rua Comendador Roberto Ugolini, número 20, junto à Avenida Paes de Barros.

Diante da importância do bairro da Mooca e do Clube Atlético Juventus para o Estado de São Paulo, peço aos meus pares a aprovação do presente projeto de lei.


Sala das Sessões, em 12-7-2006


a) Afanasio Jazadji - PFL


SPL - Código de Originalidade: 665281 120706 1423





©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal