Projeto de lei nº 183, de 2004



Baixar 12,03 Kb.
Encontro11.09.2017
Tamanho12,03 Kb.



PROJETO DE LEI Nº 183, DE 2004
Torna obrigatória a inclusão das disciplinas Sociologia e Filosofia no ensino médio no Estado de São Paulo, e dá outras providências.

A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO DECRETA:


Artigo 1º - Fica obrigada a inclusão das disciplinas Sociologia e Filosofia em todos os estabelecimentos de ensino de nível médio no Estado de São Paulo.

Parágrafo Único: Considera-se aptos para ministrar as disciplinas Sociologia e Filosofia os professores habilitados, respectivamente, em Ciências Sociais e Filosofia, amparados pela legislação vigente.


Artigo 2º - O conteúdo programático e a carga horária das disciplinas serão definidos pela Secretaria de Estado da Educação e pelo Conselho Estadual de Educação, com a contribuição de especialistas e de entidades representativas da categorias profissionais envolvidas no Estado de São Paulo.
Artigo 3º - As despesas decorrentes da execução desta lei correrão à conta de dotações orçamentárias própria, suplementadas se necessário.
Artigo 4º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

JUSTIFICATIVA

No caso da Sociologia, sabemos que seus profissionais têm atuado com desenvoltura em amplos setores da sociedade, do Estado e da política. A profissão de sociólogo é reconhecida desde 1980, e desde 1936, com a formação da primeira turma pela Escola Livre de Sociologia e Política de São Paulo, temos profissionais atuando em diversos setores do Estado. No entanto, a despeito da vasta gama de conhecimentos que contemplam a formação do sociólogo e seu pleno reconhecimento junto a sociedade, estas não têm se relacionado diretamente com sua inserção nos demais níveis de ensino.

O Sindicato dos Sociólogos do Estado de São Paulo têm apoiado e defendido como bandeira os projetos estadual e federal, que reintroduzem as disciplinas de Sociologia e Filosofia no ensino médio publico e privado, como contribuição efetiva para a consolidação dos valores democráticos e de cidadania na nossa sociedade.

É fato incontestável que a escola deve se constituir em instância social de valorização e promoção da cidadania e nossos jovens. Como sabemos, constitui-se um dos objetivos fundamentais da educação, como direito de todos e dever do Estado, a preparação para o exercício da cidadania. Uma formação humanista, que auxilie o indivíduo a compreender o mundo em que vive, inserindo-se nele de modo crítico, é, portanto, fator crucial para a promoção de uma educação emancipadora.

Amparados pela Constituição Federal, que em seu artigo 205 afirma o direito universal à educação, e o artigo 36 da Lei 9394/1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional), que afirma a necessidade de suporte para a compreensão do sentido e legitimidade da vida social, da ciência, da ética e da política, temos por certo que a inserção destas disciplinas trará contribuição fundamental à formação de nossos jovens, atuais e futuros cidadãos.

Enfatizamos que aproximadamente 1200 escolas estaduais de ensino médio de São Paulo ainda ministram as disciplinas aqui defendidas, de modo que sua oferta às demais unidades da rede não se constituirá decerto tarefa hercúlea para o Poder Público.

Solicitamos, desse modo, o apoio dos nobres pares para a aprovação da presente propositura.

Sala das Sessões, em 23/3/2004



a) Enio Tatto - PT


SPL - Código de Originalidade: 506892 190304 1824





©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal