Professor orientador: tiago souza e silva de moura



Baixar 20,71 Kb.
Encontro26.10.2017
Tamanho20,71 Kb.

TÍTULO: GRAFITE: UMA CRÍTICA SOCIAL, UMA ARTE PÚBLICA

AUTORES: GUILHERME CARDOSO CONTINI1; CAIO PERIN2; FERNANDO SILVA BETIM 3; MATHEUS MANDRO 4; TIAGO GRISOTTO CASAROTO 5.

PROFESSOR ORIENTADOR: TIAGO SOUZA E SILVA DE MOURA

1Escola Particular Instituto Atlântico de Ensino (guicarcon@hotmail.com)

2Escola Particular Instituto Atlântico de Ensino

3Escola Particular Instituto Atlântico de Ensino

4Escola Particular Instituto Atlântico de Ensino

5Escola Particular Instituto Atlântico de Ensino

PALAVRAS CHAVES: Grafite, Crítica Social.

RESUMO: O trabalho aborda sobre o tema Grafite, baseando-se nas críticas sociais desta arte pública. Após muitas discussões e debates sobre o tema, elaboramos nosso entendimento sobre ele.

As primeiras manifestações dela surgiram em Paris, durante a revolução cultural em 1968, tendo este surgimento considerado pela expressão “arte de rua”, quando um grupo de jovens, que além de escrever, começou a desenhar nas paredes da cidade, o que é tido como vandalismo. Mas com o passar do tempo ela foi se aperfeiçoando e evoluindo para grandes pinturas em paredes e muros que colorem a paisagem urbana.

Assim, o Grafite tornou-se valioso, e foi tido como linguagem artística urbana, com o aprimoramento das técnicas de pintura e expressão. Surgiram artistas que visavam representar ideias ou críticas sociais vindas de sua imaginação e estudo e que atualmente tem um espaço reservado em galerias de arte.

Por isso, a elaboração deste resumo por todos os integrantes do grupo, gerou discussões e conversas sobre o tema, concretizando nossas opiniões que foram desenvolvidas através de nosso conhecimento e dedicação as pesquisas sobre grafite.




INTRODUÇÃO: A pesquisa tem como objetivo abordar a história do Grafite, com seu surgimento iniciado pelo vandalismo, mas se aperfeiçoando e evoluindo para grandes pinturas e desenhos em paredes e muros que retratam ideias ou críticas sociais. Retratamos o Grafite como linguagem artística urbana, tendo como base as críticas sociais envolvidas nessa arte.

Neste mundo globalizado é importante o compreendimento desta arte e forma de comunicação. Temos que excluir os preconceitos e vê-la com uma arte inovadora que está crescendo agora em pleno século XXI.

Na formação de uma sociedade particular, com sua própria ideologia, precisamos perceber e entender que o Grafite, assim como várias outras artes, ajudou a construir nossas perspectivas de vida. Referente a discussões e debates efetuados, percebemos que esta arte transfere o ideal da sociedade, tornando-a cada vez mais complexa e importante a todos.

MATERIAL E MÉTODO: A pesquisa foi desenvolvida em conjunto pelo grupo, por meio de encontros supervisionados pelo professor Tiago S. S. de Moura, o qual propôs o tema e acompanhou o desenvolvimento do mesmo.

Uma vez exposto, o referido tema foi analisado e iniciou-se uma discussão, na qual os alunos manifestaram suas opiniões e iniciaram a abordagem do tema.

Por conseguinte foram expostos diversos artigos, os quais se fundamentavam na arte do Grafite. Dessa forma, os alunos refletiram e formaram um novo conceito sobre o Grafite, considerando-o como uma crítica social, e não sendo um ato impulsionado pelo vandalismo.

Foram realizados vários encontros no período da tarde, na escola, onde os alunos participantes trouxeram informações mais amplas sobre o tema, a serem discutidas com todos, trocando opiniões, e elaborando o ideal da equipe. Cada um trouxe uma ou mais ideias que serviram como “pilares” para a pesquisa, impulsionando ainda mais a busca por informações.

Assim, nesta busca por conhecimentos e informações, desenvolvemos a pesquisa, por encontros e mais encontros, até fundamentarmos todo o resumo.


RESULTADOS E DISCUSSÕES: Decorrente de discussões referentes ao tema, concluímos a importância do Grafite e obtivemos resultados impressionantes referentes ao seu surgimento e concretização. O tema é bastante atual, o que gerou uma discussão interessante em nosso grupo, propiciando o diálogo entre ideias e conhecimentos. Muitas pessoas atualmente têm preconceito a respeito do Grafite, pois acham que é uma arte de pichação, impulsionada pelo vandalismo, que tem como decorrência a destruição da harmonia na cidade.

Após as conversas e abordagens sobre o tema, nos deparamos com controvérsias e dúvidas surgidas a partir das inúmeras informações, tanto para classificarmos um Grafite encontrado nas ruas como a própria obra, ou apenas pichações, quanto para os encontrar. Percebemos tamanha importância na forma de arte e comunicação que é o grafite, não só no meio em que vivemos, mas mundialmente.

Grafites estes que encontramos por todo o município, todo o país, em escolas, muros públicos ou até internacionalmente, como os grafites de alguns brasileiros em um castelo na Escócia.

Esse foi o grande centro de nossas discussões, incluindo também o pensamento negativo que a população tem sobre essa forma de arte. Alegamos que o Grafite é uma forma de expressão do ser humano, ou seja, uma nova arte que vem crescendo não só no Brasil como no resto do mundo.



CONCLUSÃO: Referente aos resultados obtidos, concluímos que este resumo, esta pesquisa, não nos ajudou apenas, e sim, desenvolveu novos pensamentos, novas perspectivas, que melhoraram nosso modo de olhar e opinar em diversos assuntos. São informações que mostram a importância do Grafite mundialmente e proporcionam a todos um melhor entendimento sobre essa forma de arte e comunicação.

Conceituamos a diferença entre o vandalismo, pichações e o “grafitismo” (arte do grafite), percebemos as ideias e críticas que são expressas em cada uma das obras, relatamos o início das manifestações do Grafite na sociedade como nas pinturas em edifícios, muros e entendemos o por quê do grafite ser atualmente muito bem reconhecido, tendo espaço em exposições e em galerias de arte.



Observamos os preconceitos relacionados ao Grafite e concluímos sua respectiva importância e atuação no espaço social em que vivemos.

AGRADECIMENTO: Agradecendo a colaboração, participação e contribuição dos alunos: Tiago, Caio, Fernando e Matheus, que juntamente comigo produziram o resumo, e do Professor Tiago, que auxiliou o projeto.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Sites:
BRASIL ESCOLA. Grafite. Localizado no endereço: http://www.brasilescola.com/artes/grafite.htm. Acesso em: 25 de junho de 2011.
PLANETA EDUCAÇÃO. Grafitismo educacional: Aprendendo com técnicas que surgiram na Pré-História. Localizado no endereço: http://www.planetaeducacao.com.br/portal/artigo.asp?artigo=507. Acesso em: 25 de junho de 2011.
APRENDEMOS. Grafite – uma forma de arte pública. Localizado no endereço: http://www.aprendemos.com.br/2011/01/grafite-uma-forma-de-arte-publica/. Acesso em 25 de junho de 2011.
COMO TUDO FUNCIONA. Como funciona o grafite. Localizado no endereço: http://lazer.hsw.uol.com.br/grafite.htm. Acesso em: 25 de junho de 2011.
Livros:
GANZ, Nicholas. O mundo do grafite: arte urbana dos cinco Continentes. Editora: WMF.
CHIN, Benson; FERREIRA, Breno; MANTO, Leandro Luigi Del; A.M.S, Thiago. Graffiti – Um conto urbano. Editora: Devir livrarias.



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal