Processo nº 001049-11



Baixar 22,98 Kb.
Encontro28.05.2017
Tamanho22,98 Kb.

Processo nº 001049-11.00/12-1

Parecer n.º 276/12 CEC/RS

O Projeto "Vermelhos e demais matizes - Gisele Santi" é recomendado para participar da Avaliação Coletiva.

1 - O projeto "Vermelhos e demais matizes - Gisele Santi", habilitado pela Secretaria Estadual da Cultura e encaminhado a este Conselho, nos termos da legislação em vigor, consiste na gravação do segundo CD da cantora e compositora Gisele de Santi, intitulado "Vermelho e demais matizes", e seis shows de lançamento com entrada franca, entre os meses de outubro e novembro de 2012, em teatros das seguintes cidades do RS: Caxias do Sul (Teatro Sesc) , Passo Fundo (Teatro Sesc) , Porto Alegre (Teatro CIEE), Santa Cruz do Sul (Auditório da Unisc), Santa Maria (Theatro Treze de Maio) e Rio Grande (Teatro Municipal do Rio Grande), com um público estimado em 2.500 pessoas. O Proponente do projeto, que está inserido na área da música, é o produtor Fabiano Bonella Cunha, CEPC 3928. O cd terá 13 faixas, sendo 11 canções de autoria de Gisele, uma de Fabrício Gamboji e outra de Vitor Ramil, e demandará 170 horas para sua gravação e 80 horas para a mixagem.

Os shows terão entrada franca e aqueles que quiserem adquirir o cd o farão através da troca por um livro. A escolha das instituições que receberão os 2.464 livros arrecadados se dará em conjunto com as instituições parceiras no projeto: Sesc Caxias do Sul, Sesc Passo Fundo, UNISC e secretarias municipais, mas em síntese, serão destinados a instituições públicas de cada uma das seis cidades em que serão realizados os shows.

O valor total dos custos do projeto é de até R$ 275.844,18 (duzentos e setenta e cinco mil, oitocentos e quarenta e quatro reais e dezoito centavos), montante esse integralmente pleiteado ao sistema LIC. Não há previsão de comercialização do produto, nem de outras receitas complementares.

O projeto foi diligenciado pelo SAT, que acatou as alterações e adequações efetuadas pelo Proponente e sugeridas por aquele Setor, além das respostas e justificativas prestadas, e habilitou-o para análise deste Conselho em 24 de julho.
É o relatório.
2- Após sanados os problemas técnicos apontados pelo SAT, o projeto está numa formatação correta e apresenta um bom conteúdo. Seus custos estão em conformidade com o mercado local e são adequados à produção de seis shows em seis cidades diferentes (com seis músicos e mais duas participações por show), 2.464 CDs, material gráfico correspondente, gravação de DVD com registro de gravação do cd e plano de mídia. Nesse item, o SAT ressaltou que a análise da Planilha de Custos seria efetuada de acordo com o indicador de preços da cultura desenvolvido pelo FGV/MinC, ao que o Proponente respondeu com a correta afirmação: "Os valores dos cachês não podem ser baseados no relatório da FGV, uma vez que não se pode valorar a qualidade técnica de cada profissional envolvido." Os custos dos seis shows totalizam o montante de R$ 99.259,00, os da gravação do CD, R$ 89.125,00, mais R$ 6.000,00 de direção e produção musical do projeto, R$ 44.683,00 correspondentes à divulgação, R$ 27.500,00 à Administração e R$ 9.275,00 a impostos e taxas.

O projeto tem uma interessante proposta de contrapartida social ao oferecer seis shows gratuitos e, ainda, a doação de 2.464 CDs em troca de livros que serão destinados a instituições sociais de cada local.

Gisele de Santi é um jovem talento que, logo em seu primeiro CD, conseguiu ganhar o Prêmio Açorianos 2010 nas categorias de melhor intérprete e cantora revelação. Apontada pela crítica especializada como "uma das melhores vozes surgidas na cena musical local nos últimos tempos", a cantora e compositora, apesar da sua pouca idade, tem um trabalho de voz maduro e sofisticado, caracterizado pela diversidade rítmica, com um estilo que vai do jazz ao samba-rock e blues sem sair da MPB. Seu primeiro CD, financiado pelo Fumproarte, além do reconhecimento conferido pelo Prêmio Açorianos, foi lançado no Japão pelo selo Disques Dessine. Dona de uma voz delicada e moderna, Gisele tem um trabalho original e contemporâneo e tem tudo para conquistar seu espaço e reconhecimento não só no cenário local, mas no resto do país.
3- Em conclusão, o projeto "Vermelho e demais matizes - Gisele Santi" é recomendado para a Avaliação Coletiva em razão de seu mérito cultural, relevância e oportunidade, podendo vir a receber incentivos no valor de até R$ 275.844,18 (duzentos e setenta e cinco mil, oitocentos e quarenta e quatro reais e dezoito centavos) do Sistema Unificado de Fomento ás Atividades Culturais Pró-Cultura.

Porto Alegre, 08 de agosto de 2012




Beatriz Pilla Barcellos

Conselheira Relatora


Informe:
O prazo para recurso somente começará a fluir após a publicação no Diário Oficial.

O Presidente, nos termos do Regimento Interno, optou por: votar (X), não votar ( ) ou desempatar ( ).


Sessão das 10 horas do dia 23 de agosto de 2012.

Presentes: 23 Conselheiros.


Acompanharam o Relator os Conselheiros: Walter Galvani da Silveira, Ana Méri Zavadil Machado, Alcy Cheuiche, Isaac Newton Castiel Menda, Adriana Donato dos Reis, Paula Simon Ribeiro, Franklin Cunha, Hamilton Braga, Nelson Coelho de Castro, Nicéa Irigaray Brasil, Roque Jacoby, José Mariano Bersch, Nilza Cristina Taborda de Jesus Colombo, Neidmar Roger Charao Alves, Maturino Salvador Santos da Luz, Gilson Petrillo Nunes, Susana Frohlich e Gisele Pereira Meyer.


Abstiveram-se de votar: Adriano José Eli, Manoelito Carlos Savaris e Graziela de Castro Saraiva.
Adendo ao Parecer após a Avaliação Coletiva realizada no dia 29/08/2012
O Conselho Estadual de Cultura do RS comunica que:
Após análise, este projeto foi considerado prioritário, para captar recursos do Sistema Estadual de Incentivos às Atividades Culturais de acordo com a Lei 10.846, de 19 de agosto de 1996.
Porto Alegre, 29 de agosto de 2012


Loma Berenice Gomes Pereira

Conselheira Presidente do CEC/RS



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal