Pm fahrvorstellung 718 Boxster pt



Baixar 40,23 Kb.
Encontro29.05.2017
Tamanho40,23 Kb.

Mais 35 CV de potência, menos 13% de consumo

Os novos roadsters de motor central Porsche 718 Boxster

20 anos depois da estreia do primeiro Boxster, a Porsche altera também a designação dos modelos por ocasião da mudança de geração: a nova geração chama-se 718 Boxster e 718 Boxster S. Os desportivos de dois lugares abertos são mais potentes e mais eficientes. A Porsche dá, assim, seguimento à tradição dos motores Boxer de quatro cilindros dos desportivos 718 com motor central. Nas décadas de 50 e 60, ganharam inúmeras corridas, entre as quais a lendária Targa Florio e Le Mans.

O coração da série de modelos é o novo motor Boxer de quatro cilindros com turboalimentação. O 718 Boxster debita 220 kW (300 CV) a partir dos dois litros de cilindrada, o 718 Boxster S produz 257 kW (350 CV) com 2,5 litros de cilindrada. No modelo S, a Porsche utiliza adicionalmente um turbocompressor com geometria variável (VTG). A Porsche é, assim, o único fabricante a utilizar a tecnologia VTG em veículos de produção em série com motores a gasolina, nomeadamente no 718 Boxster S, para além de no 911 Turbo. Convencem tanto pelo acréscimo de potência de 26 kW (35 CV) em comparação com os modelos Boxster anteriores, como pela eficiência dos novos motores turbo: os novos modelos Boxster 718 consomem até menos 13% de combustível.

O prazer de condução emocional e desportivo é garantido pelo chassis com nova afinação e os travões reforçados. Mas também o design da nova série de modelos foi sujeito a uma revisão profunda: à excepção da tampa da bagageira, do pára-brisas e da capota, é tudo novo. No interior, o cockpit é marcado pelo painel de instrumentos com novo design. Além disso, a última geração do Porsche Communication Management (PCM) vem de série com um moderno ecrã táctil. O módulo de navegação está disponível como opção.
Motor e caixa de velocidades

Os novos motores Boxer de quatro cilindros

Com o 718 Boxster, a Porsche introduz dois motores Boxer de quatro cilindros totalmente novos com turbocompressão. A potência e eficiência aumentaram face aos propulsores utilizados até aqui. Um pacote de inovações garante, além do mais, o prazer de condução típico da Porsche. Os motores distinguem-se por uma capacidade de resposta mais espontânea, alta rotatividade até às faixas de rotações mais elevadas e – não menos importante – pelo som emocional.

A Porsche utiliza os motores Boxer de quatro cilindros em duas versões de potência: com dois litros de cilindrada e 220 kW (300 CV) no 718 Boxster e como bloco de 2,5 litros com 257 kW (350 CV) no 718 Boxster S. Face aos modelos Boxster anteriores, tal corresponde a um aumento de potência de 26 kW (35 CV). Também o binário sofreu um aumento significativo. O motor de dois litros do 718 Boxster produz um binário de 380 Nm, disponível logo entre as 1950 rpm e as 4500 rpm. Isto corresponde a um aumento de 100 Nm, ou seja, 35%. O motor de 2,5 litros do 718 Boxster S desenvolve, entre as 1900 rpm e as 4500 rpm um binário de 420 Nm, mais 60 Nm do que o seu antecessor. É o maior aumento de binário na história do Porsche Boxster.

Salto do binário: acelerações mais rápidas a qualquer velocidade

Os novos modelos 718 Boxster concluem as retomadas de aceleração de forma claramente mais vigorosa e aceleram mais rapidamente a partir das baixas rotações. O 718 Boxster com PDK e pacote Sport Chrono acelera em 4,7 segundos dos 0 aos 100 km/h; 0,8 segundos mais rapidamente do que o modelo anterior. O 718 Boxster S, com o mesmo equipamento, consegue fazer o mesmo sprint em 4,2 segundos, sendo 0,6 segundos mais rápido do que o seu antecessor. Ao mesmo tempo, o motor demonstra a elevada rotatividade típica de um veículo desportivo: a faixa de rotações termina só nas 7500 rpm, sendo a quebra de potência da rotação nominal para a rotação máxima apenas de 5%. Nenhum outro motor turbo no segmento do 718 Boxster alcança este valor. Numa condução desportiva, o condutor aproveita a potência e o binário do motor ao longo de uma faixa de rotações mais ampla, sem ter de utilizar a alavanca das mudanças. E, em aceleração máxima, dispõe do binário total do motor turbo depois de engrenar a mudança. O aumento de binário é particularmente notório nas retomadas de aceleração na faixa de velocidades acima dos 100 km/h. A velocidade máxima alcançada pelo 718 Boxster é 275 km/h, o 718 Boxster S chega aos 285 km/h.

Potência e eficiência maximizada com o conceito turbo

Os motores Boxer turbocomprimidos da Porsche convencem em termos de potência e eficiência. O motor turbo de quatro cilindros com PDK no 718 Boxster consome, com 6,9 l/100 km em NEDC, menos 0,7 l/100 km do que o Boxster que vem substituir. O motor Boxer turbocomprimido de 2,5 litros com PDK no 718 Boxster S satisfaz-se com 7,3 l aos 100 km. Isto corresponde a uma poupança de 0,9 l/100 km em comparação com o modelo anterior. Feitas as contas, significa mais 35 CV de potência com até menos 13% de consumo.

As duas variantes do novo motor Boxer da Porsche não se distinguem apenas na cilindrada. No motor de base, um turbocompressor, designado de wastegate, introduz adicionalmente ar nas câmaras de combustão. Na versão com potência aumentada, o motor é sobrealimentado por um turbocompressor com geometria variável da turbina, como utilizado até aqui exclusivamente no 911 Turbo. No 718 Boxster S, um wastegate adicional opera o turbocompressor com pás direccionais ajustáveis sempre a um grau de eficiência optimizado, graças à regulação orientada do fluxo dos gases de escape. Deste modo, a energia no fluxo de gases é convertida de forma particularmente eficiente em propulsão.

Capacidade de resposta espontânea como de um motor atmosférico e função Dynamic Boost

Na afinação do sistema de turbocompressão dos gases de escape, os engenheiros da Porsche deram especial importância a um comportamento de resposta do propulsor comparável ao de um motor atmosférico. Para tal contribui, entre outras coisas, a “pré-tensão" do turbocompressor em regime de carga parcial numa condução desportiva. A válvula de bypass é fechada, o ângulo de ignição é atrasado e a válvula borboleta é aberta ligeiramente. Assim, o binário de tracção actual permanece constante, enquanto a quantidade de ar que passa pelo motor e a pressão de sobrealimentação aumentam. Quando o condutor acelera a fundo, a pressão de sobrealimentação mais elevada disponibiliza espontaneamente um maior binário. Mesmo quando o condutor levanta brevemente o pé do acelerador durante uma aceleração a fundo, o comportamento do motor turbo é equiparável ao de um motor atmosférico. A válvula borboleta fica aberta, apenas é cortada a injecção de gasolina. Assim, a pressão de sobrealimentação não é totalmente reduzida, o motor reage espontaneamente a uma nova aceleração.

A reacção do turbocompressor é semelhante ao premir o botão Sport Response, que, tal como nos modelos 911 com pacote Sport Chrono e transmissão PDK, se encontra na parte central do interruptor de selecção de programas localizado no volante. Inspirado no desporto automóvel, o motor e a transmissão são preparados, por um período de 20 segundos, para um comportamento de resposta mais espontâneo. Em regime de carga parcial, o wastegate do compressor é fechado. O resultado é o estabelecimento consideravelmente mais rápido da pressão de sobrealimentação. O motor reage mais espontaneamente aos comandos do pedal do acelerador e atinge rapidamente a sua potência máxima.

Refrigeração indirecta do ar de sobrealimentação através de um circuito de refrigeração ampliado

Outra inovação é a refrigeração indirecta do ar de sobrealimentação. Para não alterar o design e a aerodinâmica do 718 Boxster, os motores turbo utilizam as entradas de ar laterais atrás das portas para aspirar o ar e, agora, também para refrigerar indirectamente o ar de sobrealimentação. A redução da temperatura ocorre através de um circuito adicional no sistema de refrigeração. Para o efeito, existe um permutador de calor por cima do motor. Aí, o ar comprimido do turbo passa uma parte do calor para o líquido de refrigeração. Em seguida, o líquido passa por um radiador em cada entrada de ar.

As tecnologias dos motores biturbo de seis cilindros com 3 litros de cilindrada do 911 aumentam a potência e eficiência dos propulsores. Assim, a resposta do motor turbo a baixas rotações pode ser ajustada com maior precisão à espontaneidade desportiva típica da Porsche. Isto deve-se à introdução da árvore de cames de escape ajustável com comutação do curso das válvulas, adicionalmente ao ajuste das árvores de cames de admissão já conhecido do antecessor.

Sistemas de escape totalmente novos para um som emocionante

O novo sistema de escape garante uma experiência sonora emocionante, típica de um Porsche. No 718 Boxster, os gases de escape fluem por um sistema com ponteira oval única em aço inoxidável escovado. O 718 Boxster S dispõe de ponteiras duplas circulares em aço inoxidável escovado, em posição central. Duas ponteiras circulares desportivas, em posição central, são o sistema de escape desportivo opcional para todos os modelos.

Caixa manual de seis velocidades de série, PDK de sete velocidades a pedido

Os modelos 718 são equipados de série com uma caixa de velocidades manual de seis velocidades. A título opcional, está disponível a transmissão Porsche Doppelkupplung (PDK). Para aumentar a eficiência, a PDK dispõe da função Auto Start-Stop melhorada, que desliga o motor assim que o veículo começa a desacelerar. As mudanças virtuais para poupança de combustível também já são conhecidas da PDK. A uma velocidade constante o comando selecciona a mudança mais elevada possível. Para estabilizar as rotações e evitar os solavancos típicos a rotações muito baixas, a embraiagem da mudança em questão comuta para uma menor resistência.

Pacote Sport Chrono optimizado como opção

O pacote Sport Chrono opcional permite melhorar ainda mais as características desportivas dos novos 718 Boxster. Tal como no 911, inclui também o programa Individual, para além das três configurações “Normal", “Sport" e “Sport Plus". Através do respectivo menu no painel de instrumentos, é possível combinar individualmente as definições do PASM, o sistema de escape desportivo, a função Auto Start-Stop e o spoiler traseiro, com base nas configurações programadas. Nos desportivos com PDK, é adicionado o botão Sport Response, localizado na parte central do interruptor de selecção de programas. Com inspiração no desporto automóvel, torna o comportamento de resposta do motor e da transmissão de dupla embraiagem ainda mais directo, premindo um botão, por exemplo, para efectuar uma ultrapassagem. Em conjugação com o pacote Sport Chrono, o Porsche Stability Management (PSM) dos modelos 718 Boxster oferece ainda um programa separado: “PSM Sport". Neste programa de condução desportivo, os condutores mais ambiciosos podem explorar ainda mais os limites do seu veículo num ambiente seguro. O PSM permanece activo em segundo plano. Em combinação com o pacote Sport Chrono evoluído, o resultado é uma experiência de condução que coloca o roadster ainda mais próximo do desporto automóvel.
Chassis e sistemas de assistência

Chassis com suspensão desportiva, pela primeira vez chassis desportivo PASM como opção

Também no que toca à dinâmica de condução, os novos roadsters convencem com agilidade. O chassis com nova afinação melhora uma vez mais a velocidade em curva dos desportivos com motor central. As taxas de estabilização e amortecimento mais elevadas reduzem os movimentos de inclinação e de oscilação da carroçaria ao mínimo possível. Ao mesmo tempo, o 718 Boxster ganha em conforto. A afinação aumenta a solidez e melhora o amortecimento nas pequenas e grandes irregularidades do piso. A direcção electromecânica 10% mais directa permite manobrar os 718 Boxster de forma ainda mais fácil e ágil nos circuitos fechados e nas deslocações quotidianas. A Porsche espera melhorar o tempo de volta à Nordschleife do Nürburgring de um 718 Boxster S em mais de 16 segundos face ao modelo anterior.

Eixo traseiro reforçado para mais precisão e estabilidade transversal

Em prol de uma maior precisão e estabilidade transversal, os engenheiros da Porsche modificaram inúmeros pormenores na área do eixo traseiro. Uma nova barra transversal reforça o quadro auxiliar traseiro e aumenta, assim, a rigidez transversal. Amortecedores com maior diâmetro de pistão e de cilindro melhoram igualmente a precisão da trajectória das rodas devido à maior rigidez. As jantes traseiras com mais meia polegada de largura oferecem uma base de apoio mais larga aos pneus. Juntamente com os novos pneus especialmente desenvolvidos, contribuem substancialmente para o aumento da estabilidade em curva dos novos 718 Boxster.

Novo chassis PASM com rebaixamento de 20 mm

Para condutores especialmente ambiciosos, a Porsche oferece, pela primeira vez, a possibilidade de equipar o 718 Boxster S com o chassis desportivo PASM como opção. Para além da carroçaria rebaixada em 20 mm, também inclui uma afinação mais firme no modo Sport. Tal como até aqui, o Porsche Active Suspension Management (PASM) com rebaixamento de 10 mm continua a estar disponível como opção. O chassis activo, também com nova afinação, permite conciliar ainda melhor o conforto para as viagens de longa distância e a rigidez dinâmica para uma condução desportiva. Para poder ampliar a faixa de regulação, a Porsche apostou num sistema de sensores alargado. Em cada conjunto de amortecimento, um sensor de altitude mede os movimentos das molas. Além do mais, três acelerómetros registam a dinâmica dos impulsos. Assim, o comando pode regular o amortecimento com um grau de precisão e sensibilidade ainda maior.

Sistema de travagem reforçado com travão multicolisão

A condizer com as prestações aumentadas, os travões reforçados contam com discos de 330 mm à frente e 299 mm atrás. O 718 Boxster dispõe agora do sistema de travagem utilizado até aqui no Boxster S. Por sua vez, o 718 Boxster S herda, para o eixo dianteiro, as pinças de quatro êmbolos do 911 Carrera, em combinação com discos de travão mais espessos. Além disso, a Porsche equipa os 718 Boxster com um travão multicolisão. O sistema consegue reduzir a gravidade de um embate subsequente, ao travar automaticamente o veículo após uma primeira colisão.

Porsche Stability Management com novo modo PSM Sport

O carácter desportivo vincado dos roadsters abrange até mesmo o comando do Porsche Stability Management (PSM). Em combinação com o pacote Sport Chrono opcional, o sistema oferece o designado modo “PSM Sport", que pode ser activado separadamente através do botão PSM na consola central. Do ponto de vista funcional, este distingue-se do modo normal “PSM On" e agora também pode ser activado independentemente do modo Sport Plus do pacote Sport Chrono. Para informar o condutor, quando é activado o modo PSM Sport, acende-se uma indicação no painel de instrumentos, bem como uma luz amarela PSM Off.

Com o PSM Sport, os condutores mais ambiciosos podem explorar melhor os limites do seu desportivo, por exemplo, nos circuitos fechados ou nos treinos de condução de Inverno com valores de atrito baixos. Em comparação com o PSM On, a nova função permite movimentos de derrapagem muito maiores e um maior deslize nas rodas motrizes. Assim, é possível sentir melhor o desempenho dinâmico do desportivo. Mesmo para os condutores mais ambiciosos torna-se desnecessário desligar por completo o PSM. O modo PSM Off continua, no entanto, disponível e é activado premindo prolongadamente o botão PSM. Mas tanto no modo PSM Off como no novo modo PSM Sport, o apoio estabilizador do PSM volta a ser totalmente activado se for realizada uma travagem forte na faixa de regulação do ABS, até o condutor tirar novamente o pé do travão.


Design e equipamento interior

Novo design sublinha perfil apurado

A família 718 é reconhecível à primeira vista. A secção inferior dianteira do novo roadster mostra formas com um perfil claramente reforçado. A frente parece assim mais larga e masculina. Este efeito é ampliado pelas luzes dianteiras estreitas, por cima das entradas de ar laterais, que incluem as luzes de presença e os indicadores de mudança de direcção. A secção inferior dianteira é dominada, ao meio, por duas lamelas horizontais, que sublinham visualmente a largura do 718 Boxster. Com as entradas de ar de arrefecimento na secção dianteira, o novo conceito de motores turbo é transmitido também opticamente para o exterior de uma forma marcante. A frente do 718 Boxster é complementada pelos faróis principais bi-xénon com novo design e luzes LED de circulação diurna integradas. Como nova opção, estão disponíveis faróis principais LED com luz de circulação diurna de quatro pontos.

Quando vista de perfil, a nova série é identificável pelos guarda-lamas e embaladeiras com novo design, pelas portas sem os protectores do puxador e pelas duas lamelas nas entradas de ar à frente do eixo traseiro. É através delas que o motor aspira o ar de processo. Adicionalmente, também fornecem ar fresco aos intercoolers. Novas jantes de 19” – de série no 718 Boxster S – e opcionalmente de 20" reforçam o carácter desportivo do 718 Boxster. Tendo em conta que as rodas do eixo traseiro são meia polegada mais largas do que nos modelos anteriores, melhoram também a dinâmica transversal.

Também graças ao friso decorativo com a inscrição Porsche integrada entre os faróis traseiros, a traseira redesenhada do 718 Boxster parece substancialmente mais presente. Para tal contribui também a aresta adicional ao nível dos reflectores. A secção traseira tem linhas mais apuradas. As novas ópticas redesenhadas distinguem-se pela tecnologia LED marcadamente tridimensional e as luzes de travagem de quatro pontos.

Interior com novo Porsche Communication Management de série

No cockpit do 718 Boxster, o condutor encontra o familiar ambiente Porsche, valorizado com novos elementos. No interior é notória a qualidade elevada dos acabamentos. As superfícies revestidas a pele destacam-se pela costura contínua até ao porta-objectos. A nova parte superior do painel de instrumentos reflecte, com os sublimes difusores de ar, o design marcadamente tridimensional do exterior. O volante desportivo com um diâmetro de 375 mm e design do 918 Spyder permite dirigir o roadster ainda com mais precisão. Opcionalmente, está disponível o volante desportivo GT com diâmetro de 360 mm. A Porsche disponibiliza as opções multifunções e de aquecimento para todos os volantes. Cinco novas cores interiores proporcionam uma configuração mais personalizada dos modelos 718.

No centro do interior redesenhado está o novo Porsche Communication Management (PCM) de série, incluindo pré-instalação para telemóvel, interfaces áudio e Sound Package Plus com 110 watts. O PCM pode ser ampliado com módulos opcionais, para se adaptar aos requisitos pessoais. O módulo Connect opcional inclui uma superfície de apoio para o smartphone, para a ligação sem fios do smartphone à antena exterior, uma interface USB compatível com iPod na consola central, Apple CarPlay incluindo função de comando por voz “Siri" e o Porsche Car Connect.

Alternativamente, está disponível o módulo de navegação com comando por voz para a introdução confortável dos destinos de condução. O módulo de navegação oferece uma representação melhorada dos mapas, em duas dimensões ou em diferentes perspectivas. Em algumas áreas geográficas seleccionadas também estão disponíveis representações 3D. O módulo inclui a actualização gratuita dos mapas nos primeiros três anos. Como extra do módulo de navegação, está disponível o módulo Connect Plus, que propicia uma integração simples do smartphone no PCM e a utilização de funções online, tais como serviços de informações de navegação, acesso à Internet sem fios para dispositivos WLAN e um módulo de telefone LTE.
A história

Porsche 718 – lenda do desporto com motor central

Motor em posição central, construção de baixo peso e design, acrescido de propulsores potentes e eficientes de quatro cilindros: são estes os atributos que caracterizam a filosofia dos lendários Porsche Spyder com as designações de modelo 550 e 718. Construídos para as corridas de circuito fechado, de rua e de montanha, tanto a equipa oficial da Porsche como inúmeros clientes utilizaram estes desportivos de competição com grande sucesso, a partir de 1953 até meados dos anos 60. Inúmeros particulares e pilotos de excepção como Wolfgang Graf Berghe von Trips, Hans Herrmann, Graham Hill, Ricardo Rodriguez ou Joakim Bonnier conquistaram vitórias em mais de 1000 corridas com os velozes e ágeis carros de corrida da Porsche, agitando o mundo das corridas. Apesar dos pequenos motores Boxer de quatro cilindros, conseguiram repetidamente vitórias gerais contra os concorrentes com potência superior.

A história dos Spyder é um desenvolvimento progressivo e, logo, tipicamente Porsche. Enquanto primeiro veículo de competição puro de Zuffenhausen, o modelo 550 (89 unidades) construído a partir de 1953 marcou o início de uma série de evolução de carros de corrida de motor central. Seguiu-se, em 1956, o 550 A Spyder (40 unidades) com um quadro tubular e propulsores mais potentes. Em 1956, o italiano Umberto Maglioli ganhou num 550 A, de forma sensacional, a Targa Florio, a corrida mais exigente da época. O propulsor que ficou conhecido como o “motor Fuhrmann", com as suas árvores de cames superiores, atingiu quase o mesmo estatuto lendário do que os próprios veículos.

718 RSK conquista vitórias em todo o mundo e ganha o Campeonato Mundial de Construtores

Em 1957, estreava-se o 718 RSK (34 unidades) como sucessor do 550 A. O desporto automóvel e a tecnologia estavam bem patentes na designação do modelo. Enquanto “RS" é a abreviatura alemã de “Rennsport", ou seja, desporto automóvel, o “K" fazia referência às novas molas das barras de torção dianteiras, dispostas em forma de um K deitado. Adicionalmente, o 718 foi melhorado a todos os níveis em relação ao seu sucessor. O quadro em tubo de aço sem costura oferecia uma elevada rigidez aliada a uma construção de baixo peso máxima. O motor, o chassis e os travões de tambor também foram optimizados.

O 718 RSK celebrava vitórias no mundo inteiro, ora em Le Mans, no Nürburgring, na Argentina, em Riverside na Califórnia, bem como em inúmeras corridas de montanha. Também na Fórmula 2 tanto o 550 A Spyder como o 718 RSK deram provas do enorme potencial destas construções da Porsche. Numa evolução de monoposto, o 718/2 ganhava em 1960 até o campeonato de construtores da Fórmula 2.

718 RS 60 torna-se imediatamente a referência da sua classe



Quando o regulamento da FIA exigia aos veículos desportivos uma maior proximidade dos veículos produzidos em série, a Porsche reagiu com o 718 RS 60 (19 unidades) para a temporada de 1960. O automóvel tornou-se rapidamente a referência da classe de 1,6 litros. Os seus maiores êxitos desportivos foram as vitórias gerais na Targa Florio, nas 12 Horas de Sebring, bem como o Campeonato Europeu de Corridas de Montanha em 1960 e 1961. Em Outubro de 1960, nasce o 718 RS 61 Spyder (13 unidades), utilizado predominantemente por pilotos particulares. Um destaque técnico era o novo eixo traseiro com braços triangulares.

A fim de poder utilizar o potencial do 718 Spyder também nas 24 Horas de Le Mans, foi criada uma versão coupé do 718 RS 61. Em 1961, o 718 GTR participava nas corridas ainda com um motor de quatro cilindros. Para a temporada de 1962, foi equipado com um motor de 8 cilindros e 2,0 litros de cilindrada, bem como com travões de disco. O 718 W-RS Spyder, utilizado entre 1961 e 1964, recorria igualmente a estes motores. Apelidado carinhosamente de “avó" pelos mecânicos durante a sua longa carreira de corrida, este exemplar único venceu em 1963 e 1964 o Campeonato Europeu de Corridas de Montanha, provando uma vez mais o potencial do conceito de motor central da Porsche.



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal