Plano de aula



Baixar 146,73 Kb.
Encontro19.08.2017
Tamanho146,73 Kb.






PLANO DE AULA

Museu de Arte Sacra

Monitor:
Liciane




Data: Duração: 1h30
Objetivos: Proporcionar ao Jovem Aprendiz a conhecer a cultura Barroca e o Museu.

Materiais: slides demonstrativos, equipamento multimídia, dinâmica.

Conteúdos a serem desenvolvidos.
Conceituais: Arquivista

Procedimentais: Aula expositiva com slides e atividade.

Atitudinais: Pró-atividade, estimular a atividade em equipe, aguçar a percepção e censo critico-analítico.
Procedimentos.
PRIMEIRO MOMENTO – Apresentação dos slides
SEGUNDO MOMENTO – desenvolvimento do conteúdo
TERCEIRO MOMENTO – Atividade Pré Atividade Externa

- Pelo o que foi visto até agora, faça um roteiro do que mais lhe interessou, para ser visitado no dia da atividade externa;

- Crie questionamentos ou dúvidas que queira saber no dia da visita;

- Escreva um pouco sobre suas expectativas em relação a essa atividade externa.



Obs. Importante manter essa atividade guardada, para levar ao dia da visita. exposição

MATERIAL APOIO:

Museu de Arte Sacra

O Museu de Arte Sacra de São Paulo é fruto de um convênio celebrado entre o Governo do Estado e a Mitra Arquidiocesana de São Paulo, em 28 de outubro de 1969 e sua instalação data de 28 de junho de 1970. A partir desta data, o Museu de Arte Sacra de São Paulo passou a ocupar a ala esquerda térrea do Mosteiro de Nossa Senhora da Imaculada Conceição da Luz e a antiga Casa do Capelão, antes administração, e onde, desde 1999, está exposto o acervo de presépios do museu.

A parte mais antiga do complexo foi construída sob orientação de Frei Antônio de Santana Galvão para abrigar o recolhimento das irmãs concepcionistas, função esta que também se mantém até hoje.

O acervo do museu começou a ser formado por Dom Duarte Leopoldo e Silva, primeiro arcebispo de São Paulo, que a partir de 1907 começou a recolher imagens sacras de igrejas e pequenas capelas de fazendas que sistematicamente eram demolidas após a proclamação da República. Na década de 1970, foi possível ampliar significativamente esse acervo.

Atualmente, as principais atribuições do Museu de Arte Sacra de São Paulo são: recolher, classificar, catalogar e expor convenientemente objetos religiosos cujo valor estético ou histórico recomende a sua preservação; expor permanente, pública e didaticamente seu acervo; promover o treinamento, a capacitação profissional e a especialização técnica e científica de recursos humanos necessários ao desenvolvimento de suas atividades; incentivar e apoiar a realização de estudos e pesquisas sobre arte sacra e história da arte; promover cursos regulares, periódicos ou esporádicos de difusão, extensão e de treinamento sobre temas ligados a seu campo de atuação.

Mosteiro da Luz

A ideia de sua construção partiu da Irmã Helena Maria do Espírito Santo do Antigo Convento de Santa Tereza, por volta de 1772. Esta afirmava ter visões de Jesus pedindo a construção de um lugar de recolhimento. Frei Galvão, confessor da Irmã confirmou a veracidade das visões após discussão com sacerdotes e teólogos em São Paulo.

Para definir o melhor lugar para a construção foram então tomadas as primeiras medidas com o Governador do bispado, o Cônego Antônio de Toledo Lara e o Governador da Capitânia, o Capitão-General D. Luiz Antônio de Souza Botelho e Mourão, o "Morgado de Mateus".

Em 1774 existia nos "Campos do Guaré", atual bairro da Luz, uma capela em homenagem a Nossa Senhora da Luz, construída por Domingos Luís, O Carvoeiro em 1603. Morgado de Mateus já tinha conhecimento desta capela, pois quando chegou a São Paulo em 1765 a encontrou totalmente abandonada e ordenou seu restauro, bem como a construção de algumas casas ao seu redor para a celebração da festa de Nossa Senhora dos Prazeres. Para a fundação do Recolhimento, doou o terreno através de uma Carta de Sesmaria.

Uma lei do Marquês de Pombal proibiu a abertura de qualquer tipo de convento ou mosteiro. Então Frei Galvão encaminhou as freiras para que ocupassem as casas em torno da capela, não oficializando o local como religioso, mas sim como um recolhimento onde morava um grupo de senhoras que desejavam viver sob os conselhos evangélicos.

Essas casas foram ocupadas em 2 de fevereiro de 1774 sob o nome de Recolhimento de Nossa Senhora da Conceição da Divina Providência.

Pouco tempo depois Frei Galvão decidiu providenciar uma nova construção, pois a capela ameaçava ruir e as casas estavam inabitáveis. Projetou um novo edifício. Durante sua construção, além dos taipeiros e dos escravos emprestados pelas famílias das freiras, pôs mãos à obra e convidou as irmãs para que fizessem o mesmo.

Em 25 de março de 1788, as religiosas se transferiram para o novo prédio. No entanto foram precisos mais 14 anos para terminar a Igreja.

Durante toda a construção, Frei Galvão viajava constantemente para o interior arrecadando fundos. De acordo com o Padre Alberto Ortmann "...o convento da Luz é obra exclusiva de Frei Galvão. Foi ele o único diretor da construção e continuamente lhe assistia aos serviços, auxiliando-a com suas próprias mãos".

Após sua morte em 1822, seus sucessores não executaram o plano original que contava com duas torres para a igreja, conforme o "risco" deixado por ele na parede do Mosteiro da Luz.


Acervo

O projeto de inventariar o patrimônio de Arte Sacra no Estado de São Paulo começou em 2012, quando a Secretaria de Estado da Cultura, por meio da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico (UPPM) e do Sistema Estadual de Museus de São Paulo (SISEM), formou articulações para criar “redes temáticas” entre os museus de diferentes tipologias de acervo. Dentre as redes criadas, a de Museus de Arte Sacra, coordenada pelo Museu de Arte Sacra de São Paulo, foi pioneira.

O inventário é um tipo de registro documental utilizado para coletar informações mínimas sobre uma coleção e/ou acervo. Constitui-se, dessa forma, como uma etapa fundamental estruturante de todo trabalho de documentação em museus. Se consolidado e atualizado constantemente, o inventário funciona como instrumento de pesquisa de acervos.

A iniciativa de realizar o levantamento de acervos de Arte Sacra no Estado de São Paulo tem o objetivo de assegurar identificação, proteção, pesquisa e difusão do patrimônio museológico paulista de Arte Sacra. Funciona, ainda, como ferramenta auxiliar no combate ao tráfico de bens culturais entre obras de Arte Sacras.

Após um levantamento de dados em todo o Estado de São Paulo, definiu-se o universo de trabalho: inventariar uma estimativa total de acervo de 168 mil obras, em 71 instituições localizadas em 56 municípios paulistas, entre 2013 e 2015.

Esse tipo de acervo encontra-se não apenas nos museus denominados “Museus de Arte Sacra”. Está também em museus de arte, museus-casa, museus históricos pedagógicos e museus de cidade.

De modo geral, as peças procedentes de antigas igrejas e capelas do Estado que foram demolidas ou que tiveram seus objetos substituídos em função das transformações da liturgia católica. São provenientes, ainda, de doações particulares, cedidas aos museus a fim de preservar e difundir a memória de seus doadores.
Cemitério das Monjas

Quando fundado no século XVIII, o Mosteiro da Luz, além de paróquia, também foi utilizado como cemitério. A parte interna era reservada às monjas concepcionistas que residiam no recolhimento.

Escavações realizadas entre os anos de 2008 e 2010 pela equipe do Museu de Arqueologia e Etnologia da USP encontraram 11 remanescentes humanos de religiosas, cujas datações sugerem datas entre o final do século XVIII até meados do século XIX, com possibilidades de diferenças de longos anos entre um enterramento e outro.

Por exemplo, o caso da primeira carneira escavada mostra dois corpos de religiosas preservados, com base na datação realizada nos despojos, foi concluída uma diferença de aproximadamente 75 anos entre um enterramento e outro.

Ou seja, é possível que estas religiosas não tenham se conhecido em vida.

Chácara Conventual

É possível também que a área externa ao edifício do Mosteiro tenha sido usada como cemitério para paroquianos, uma vez que este era um costume da época, e até a década de 1850 não havia cemitérios públicos em São Paulo.

A ocupação da área onde hoje está o Mosteiro da Luz é, segundo registros históricos, anterior ao século XVI, pois há relatórios deste período que indicam a presença de comunidades indígenas na área. O fato de ser um local próximo ao rio, que garantia a pesca e ser uma região de rica fauna são outros indícios da probabilidade desta ocupação.

Um desabamento do muro que cerca a propriedade revelou que pode haver um depósito com amplas possibilidades arqueológicas.

Embora ainda não tenha sido possível realizar estudos aprofundados, é possível que escavações neste local revelem maiores evidências sobre o passado do local.
Frei Galvão e as Pílulas

Antônio Galvão de França, o Frei Galvão, nasceu na Freguesia de Santo Antônio da Vila de Guaratinguetá em 1739, filho do português Antonio Galvão de França e Izabel Leite de Barros. O pai de Frei Galvão era comerciante, homem de negócios do Vale do Paraíba e considerado a pessoa de maior autoridade política e influência social de sua terra.

Aos 13 anos foi enviado para estudar no Seminário de Belém na Bahia mantido pela Companhia de Jesus na Vila de Cachoeira. De acordo com o historiador Afonso de E. Taunay "Não houvesse ocorrido a extinção dos jesuítas é possível que o ex-aluno de Belém se congregasse na companhia".

Frei Galvão se juntou aos Frades Menores Descalços e foi recebido pelo Provincial Frei Francisco da Purificação e enviado ao Convento de São Boaventura na Vila de Macacu, na Capitania do Rio de Janeiro.

Recebeu o hábito aos 21 anos no dia 15 de abril de 1760, sendo seu guardião o Irmão Confessor Frei José das Neves. Abandonou o nome "França" para chamar-se Frei Antonio de Sant'Anna Galvão, em homenagem à padroeira de sua família.

Em 1761 termina o tempo de seu noviciado e no ano seguinte é ordenado sacerdote. Logo em seguida, foi enviado ao Convento de São Paulo para iniciar o Curso de Filosofia e depois o Curso de Teologia. Após os estudos, Frei Galvão voltou seus olhos para o Recolhimento de Santa Teresa, onde, por volta de 1769 tornou-se confessor das freiras que ali viviam.

Neste momento conheceu a Irmã Helena Maria do Espírito Santo.

Foi a partir de visões da Irmã Helena Maria que Frei Galvão passou a ocupar-se com a construção de um novo recolhimento que viria a se tornar o Mosteiro da Luz. Este projeto tomou boa parte de sua vida, tendo participado de todo o processo, desde as questões burocráticas até o planejamento das obras, além de constantes viagens ao interior em busca de fundos para a construção.

Em uma de suas enfermidades, Frei Galvão se encontrou incapacitado de realizar longas caminhadas diárias e obteve a licença do Bispo para mudar-se para o Mosteiro da Luz.

Morreu antes do término da construção, quando faltava apenas a conclusão da construção das duas torres da igreja, como sugere o "risco" que foi deixado na parede de uma das celas no Mosteiro da Luz. As causas de sua morte não foram identificadas. Seus sucessores terminaram a igreja pouco tempo depois de sua morte.

Dois séculos se passaram e no dia 11 de maio de 2007, Frei Antonio de Sant'Anna Galvão foi canonizado, sendo o primeiro santo do Brasil.

O Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Estado de São Paulo - CREA SP iniciou as comemorações de seu jubileu de diamante, conferindo a Antonio de Sant'Anna Galvão, o Frei Galvão, pela construção do Mosteiro da Luz, o título Honoris Causa de Engenheiro e Arquiteto, aprovado na seção plenária nº1.901 de 2 de outubro de 2008.



Legenda Áurea Brasiliense

A chamada “Legenda Áurea” foi escrita na Idade Média. Tratou-se de uma coletânea que compilou um calendário litúrgico relacionado a narrativas hagiográficas (sobre a vida dos santos), uma espécie de sistematização didática com o objetivo de auxiliar frades a pregar ao povo.

No século XX, o historiador francês Jacques Le Goff também produziu uma compilação de narrativas hagiográficas, como parte de seus estudos sobre a Idade Média.

Desde 2011, o Núcleo de Estudos e Pesquisas do Museu de Arte Sacra de São Paulo, coordenado por Pe. José Arnaldo Juliano dos Santos, mantém grupo de estudo para elaborar pesquisas sobre os santos de grande devoção popular no Brasil. O objetivo é produzir uma “Legenda Áurea Brasiliense”, desvendando as razões pelas quais determinados santos se tornaram tão populares em nosso país.

Esta seção do Portal do MAS será dedicada aos resultados obtidos pelo Núcleo. Disponibilizaremos aqui verbetes e imagens sobre homens e mulheres cujas vidas servem de inspiração a milhões brasileiros.

Biblioteca José Mindlin

A Biblioteca José Mindlin, do Museu de Arte Sacra de São Paulo, possui um acervo especializado de cerca de 4.500 volumes, contando com obras importantes, livros, periódicos e catálogos de exposições de arte sacra. Esta coleção compreende títulos dos séculos XVII, XVIII, XIX, XX, até a atualidade. Também existem raros livros litúrgicos.

Dentre as suas atribuições, a biblioteca tem a função de apoiar pesquisa e atividades de extensão do museu, oferecendo serviços e produtos para difusão de informação junto ao público externo.

Nossa biblioteca estará fechada a partir de 04/12/2013, devido à modernização de suas instalações, e será reaberta em fevereiro de 2014. Para mais informações: biblioteca@museuartesacra.org.br.



Obras Raras

O acervo bibliográfico do Museu de Arte Sacra de São Paulo conta com cerca de 80 livros raros, produzidos no Brasil e exterior. São exemplares de obras religiosas, missais, breviários, de ficção, tratados, livros históricos, dos séculos XVII a XX.


Relação de Livros Raros:

Título: Livro da missa e da confissão...

Imprenta: [Paris : Morizot, 1858]

Descrição: 372p.

Nota: Guardas em chamalote de seda. Fecho de prata.

Autor: Platina, Bartholomaeus

Título: Historia delle vite dei sommi pontefici

Imprenta: [Venetia : Basa], 1600

Autor: Pinto, Heitor

Título: Imagem da vida christam, [ordenada per dialogos, como mébros de sua composiçam ...]

Imprenta: Lisboa : [impresso por Antonio Alvarez] , 1591.

Descrição: v. 1

Autor: Pinto, Heitor

Título: Imagem da vida christam, [ordenada per dialogos, como mébros de sua composiçam ...]

Imprenta: Lisboa : [impresso por Antonio Alvarez] , 1591.

Descrição: v. 2

Autor: Pinto, Heitor

Título: Imagem da vida christam, [ordenada per dialogos, como mébros de sua composiçam ...]

Imprenta: Lisboa : [impresso por Antonio Alvarez , 1591.]

Descrição: v. 1

Autor: Pinto, Heitor

Título: Imagem da vida christam, [ordenada per dialogos, como mébros de sua composiçam ...]

Imprenta: Lisboa : [impresso por Antonio Alvarez] , 1591.

Descrição: v. 2

Autor: Franco, João

Título: Mestre de Vida

Imprenta: Lisboa: [s.n.], 1744

Título: La Journée du chrétien, [sanctifiée par la prière et la méditation.]

Imprenta: [Nantes : chez Mme Malassis] 1803

Nota: Encadernação em couro.

Autor: Chagas, Antonio das

Título: Obras espirituaes

Imprenta: [Lisboa : Na officina de Miguel Deslandes ..., & á sua custa impresso,] 1688.

Nota: Encadernação em couro.

Título: Missale romanum, [ex decreto sacrosancti Concilii Tridentini restitutum...]

Imprenta: Olisipone, Lisboa: Typ. Regia, 1793.

Autor: Lalande, Joseph Jérome Le Français de

Título: Astronomie

Imprenta: [Paris: Desaint & Saillant,] 1764

Descrição. v.1

Nota: Edição francesa

Autor: Bossuet, Jacques Bénigne

Título: [Discours sur l']histoire universelle,[pour expliquer la suite de la religion et les changemens des empires].

Imprenta: [Paris], 1765

Nota: Encadernação em couro. Edição francesa.

Autor: Fonseca, Jeronimo Osório da

Título: [Hieronymi Osorii] Lusitani De nobilitate et gloria libri.

Imprenta: [Conimbricae, 17--.]

Autor: Macedo, Joaquim Manoel de

Título: A torre em concurso: [comedia burlesca em tres actos].

Imprenta: [Rio de Janeiro : Garnier, 1863]

Autor: Fenelon, [François de Pons de Salignac de la Mothe]

Título: Les aventures de Télémaque

Imprenta: [Paris : Baudry,] 1846.

Nota: Encadernação em couro.

Autor: Bertrand, [Alexandre-Jacques-François]

Título: [Lettres sur] les révolutions du globe.

Imprenta: [Bruxelles : Wahlen,] 1843.

Autor: Bossuet, [Jacques Bénigne]

Título: Oraisons fúnebres...

Imprenta: [Paris : Librairie de Paris, 1863]

Descrição: v.1

Autor: [Perrodil, Victor de]

Título: [Elevations a Dieu : ouvrage suivi de] l'ordinaire de la sainte messe [et precede d'une notice sur Bossuet .]

Imprenta: [Paris: A. Royer, 1843.]

Autor: [Vasconcellos, Rodolfo Smith de Vasconcelos, Barão de,]

Título: [Archivo] nobiliarchico brasileiro.

Imprenta: [Lausanne, Imprimerie la Concorde], 1918

Autoria: [Dante Alighieri]

Título:La vita nuova [e il canzoniere per cura di Michele Scherillo.]

Imprenta: [Milano : Ulrico Hoepli,] 1921

Título: Breviário romano

Imprenta: Antuerpiae : Typographia Plantiriana, 1724

Autor: Agostinho, Santo

Título: De trinitate

Imprenta: Basileiae : Johann Amerbail

Título: Martyrologium romanum [Gregorii XIII., jussu editum Urbani VIII. et Clementis X., auctoritate recognitum ac deinde anno MDCCXLIX : Benedicti XIV. labore et studio auctum et castigatum].

Imprenta: [Mechlin : Hanicq], 1846

Título: Martyrologium romanum

Imprenta: 1776

Autor: Rozado, Antonio

Título: Tratados sobre os quatro novissimos com lugares comuns [dos padres sobre a mesma materia.]

Imprenta: [Porto : Impressos por I. Rodriguez,] 1622.

Título: Galeria de ordens religiosas e militares, [desde a mais remota antiguidade até nossos dias : adornada com muitas estampas].

Imprenta: [Porto : Typographia na Rua Formosa no. 94,] 1843.

Autor: [Ferreira, Guilherme Luiz dos Santos]

Título: Armorial português.

Imprenta: [Lisboa : Livraria Universal de A.J. Tavares,] 1923.

Nota: 2ª parte

Título: S. Bernardi [abbatis Clarævallensis Doctrina de Romani Pontificis jurisdictione in universam ecclesiam adversus nostri temporis scriptores vindicata.]

Imprenta: Romæ : [Excudebat Jo. Bapt. Cannetti,] 1791.

Autor: Gusmão, Alexandre de

Título: Escola de Belém: [Jesus nascido no presépio.]

Imprenta: Évora : [Na Officina da Universidade], 1735

Autor: Fonseca, Manoel da

Título: A vida do padre Belchior de pontes, [da Companhia de Jesus, da província do Brasil.]

Imprenta: Lisboa: Francisco da Silva, 1752

Título: Missal romano

Imprenta: 1815

Autor: Scupoli, Lorenzo

Título: Combate espiritual

Imprenta: Lisboa : Valentim da Costa Deslandes, 1707

Autor: Garcia, José Maurício Nunes

Título: Missa de Requiem

Imprenta: 1816

Título: Oficio da Semana Santa

Imprenta: Lisboa, 1786

Autor: Sarmento, Francisco de Jesus Maria

Título: Horas da Semana Santa: [empregadas na lição e meditação...]

Imprenta: Lisboa : Officina de Simão Thaddeo Ferreira, 1785

Autor: [Bellegarde, Jean-Baptiste Morvan de]

Título: A arte de conhecer os homens

Imprenta: Lisboa : [Na Typographia Nunesiana, 1789]

Autor: Gama, João Maria Saldanha da

Título: Tableau resume des richesses de l’Empire du Bresil

Imprenta: [Bruxelles : Imprimerie et Lithographie de L. Hoffmann], 1887

Descrição. 20p.

Autor: Tissot, James Jacques Joseph

Título: La vie de notre seigneur Jesus Christ

Imprenta: [Tours, France : Maison Alfred Mame et Fils], 1896

Descrição: t. 1, 272p.

Autor: Tissot, James Jacques Joseph

Título: La vie de notre seigneur Jesus Christ

Imprenta: [Tours, France : Maison Alfred Mame et Fils], 1897

Descrição: t. 2, 280p.

Autor: [Monteverde, Emilio Achilles]

Título: Manual encyclopedico para uso das escolas de instrucção primaria.

Imprenta: [Lisboa : Imprensa Nacional,] 1865

Edição: 8.ed.

Autor: Arato, Bernardo

Título: A santa comunhão

Imprenta: 1907

Descrição: 304p.

Título: Missale Romanum

Imprenta: [Rio de Janeiro] : Typographia Regia, 1808

Título: [Piccola] raccolta de preghiere della signora de fenoil.

Imprenta: itália : E. Pellionlibraja Editore, 1840

Edição: 9.ed.

Descrição: 416p.

Autor: Santana, Luiz Maria de

Título: Thesouro da juventude christa

Imprenta: São Paulo, 1930

Edição: 5.ed.

Descrição: 300p.

Título: Sacrosanct et [eocumenici] concilii tridentini

Imprenta: Madrid : Typog. Viduae Emmanuelis Fernandez, 1767

Autor: [Droin, René-Hyacinthe]

Título: De re sacramentaria contra [perduelles] haereticos.

Imprenta: Veneza : Thomas Bettinelli, [17--]

Descrição: 2t.

Título: Obras del venerable P.M. Fray Luis de Granada [del orden de Santo Domingo]

Imprenta: Madrid : En la Imprenta de Andrés García [de la Iglesia : a costa de Gabriel de León ..., 1676].

Nota: Tomo I

Autor: [Prado, João de S. José do]

Título: Monumento o sacro da fabrica e solenissima sagração da Santa Basílica do Real Convento de Mafra.

Imprenta; Lisboa : [Miguel Rodrigues], 1751

Título: Pequeno officio dos domingos

Imprenta: Portugal, [19--]
Autor: [Noydence, Bento Remigio]

Título: Promptuario moral [de luestoes praticas e casos...]

Imprenta: Lisboa : [off. Manoel Lopes Ferreira], 1691

Descrição: 488p.

Autor: [Kempis, Thomas de]

Título: L’Imitation de Jesus Christ

Imprenta: [Paris : Garnier], 1855

Descrição: 508p.

Autor: Vieira, Antônio

Título: Vozes saudosas, [da eloqüência, do espírito, do zelo...]

Imprenta: [Lisboa : Officina de Miguel Rodrigues], 1736

Descrição: 315p.

Autor: Vieira, Antônio

Título: Vozes saudosas, [da eloqüência, do espírito, do zelo...]

Imprenta: [Lisboa : Officina de Miguel Rodrigues], 1736

Descrição: 247p.

Autor: Vieira, Antônio

Título: História do futuro: [livro anteprimeyro prologomeno a toda a historia do futuro...]

Imprenta: [Lisboa Occidental : Na officina de Antonio Pedrozo Galram], 1718.

Descrição: 379p.

Autor: Vieira, Antônio

Título: Cartas [do padre Antônio Vieira]

Imprenta: [Lisboa, Na Officina de Congregação de Oratório], 1735

Descrição: t.1, 468p.

Autor: Vieira, Antônio

Título: Cartas [do padre Antônio Vieira]

Imprenta: [Lisboa, Na Officina de Congregação de Oratório], 1735

Descrição: t.2, 479p.

Autor: Vieira, Antônio

Título: Cartas [do padre Antônio Vieira]

Imprenta: [Lisboa, Na Officina de Congregação de Oratório], 1735

Descrição: t.3, 451p.

Autor: Vieira, Antônio

Título: Sermões [do P. Antonio Vieira].

Imprenta: Lisboa : [Officina de Ioam da Costa, 16--]

Descrição: v.1, 1119p.

Autor: Vieira, Antônio

Título: Sermões [do P. Antonio Vieira].

Imprenta: Lisboa : [Officina de Miguel Deslandes, 16--]

Descrição: v.2, 470p., índice p. 1-56

Autor: Vieira, Antônio

Título: Sermões [do P. Antonio Vieira].

Imprenta: Lisboa : [Officina de Miguel Deslandes, 16--]

Descrição: v.3, 574p.

Autor: Vieira, Antônio

Título: Sermões [do P. Antonio Vieira].

Imprenta: Lisboa : [Officina de Miguel Deslandes, 16--]

Descrição: v.4, 600p.

Autor: Vieira, Antônio

Título: Sermões [do P. Antonio Vieira].

Imprenta: Lisboa : [Officina de Miguel Deslandes, 16--]

Descrição: v.5, 624p.

Autor: Vieira, Antônio

Título: Sermões [do P. Antonio Vieira].

Imprenta: Lisboa : [Officina de Miguel Deslandes, 16--]

Descrição: v.6, [595p.]

Autor: Vieira, Antônio

Título: Sermões [do P. Antonio Vieira].

Imprenta: Lisboa : [Officina de Miguel Deslandes, 16--]

Descrição: v.7, 558p.

Autor: Vieira, Antônio

Título: Sermões [do P. Antonio Vieira].

Imprenta: Lisboa : [Officina de Miguel Deslandes, 16--]

Descrição: v.8, 536p.

Autor: Vieira, Antônio

Título: Maria Rosa Mystica

Imprenta: Lisboa : [Officina de Miguel Deslandes, 16--]

Descrição: [554p., índice p. 1-46]

Autor: Vieira, Antônio

Título: Sermões [do P. Antonio Vieira].

Imprenta: Lisboa : [Impressão Craesbeeckiana, 16--]

Descrição: 518p., índices p. 1-32; 1-24

Autor: Vieira, Antônio

Título: Sermões [do P. Antonio Vieira].

Imprenta: Lisboa : [Officina de Miguel Deslandes, 16--]

Descrição: v. 11, 590p., índices p. 1-23

Autor: Vieira, Antônio

Título: Sermões [do P. Antonio Vieira].

Imprenta: Lisboa : [Officina de Miguel Deslandes, 16--]

Descrição: v. 12, 441p. + [ índice]

Autor: Vieira, Antônio

Título: Sermões [do P. Antonio Vieira].

Imprenta: Lisboa : [Officina de Miguel Deslandes, 16--]

Descrição: v. 13, 260p. + índice p. 1-25

Autor: Vieira, Antônio

Título: Sermoens e Varios Discursos [do P. Antonio Vieira...].

Imprenta: Lisboa : [Valentim da Costa Deslandes, 16--]

Descrição: v. 14, 350p. + [índices]

Autor: Vieira, Antônio

Título: Sermões varios e tratados, ainda não impressos [do grande Padre Antonio Vieyra da Companhia de Jesus...]

Imprenta: Lisboa : [Officina de Manoel da Sylva, 17--]

Descrição: v. 15, t. 2, 434 p.

Autor: Vieira, Antônio

Título: Arte de furtar

Imprenta: Amsterdam, La Officina de M. Schagen, [17--]

Descrição: 409 p.

Autor: [Couto, Manoel Jose Gonçalves]

Título: Missão abreviada para despertar os [des]cuidados, converter os peccadores e sustentar o fructo das missões

Imprenta: Porto : Livraria Popular Portuguesa, 1891

Descrição: 721 p.

Nota: Errata.

Título: Methodo pratico para falar com Deus

Imprenta: Lisboa : Officina de Domingos Gonçalves, 1779

Descrição: 551p.

Autor: Tissot, James Jacques Joseph

Título: La vie de notre seigneur Jesus Christ...

Imprenta: [Tours : Alfred Mame et fils], 1897

Descrição. t. 20




Arquivo do Museu

O patrimônio documental de uma instituição, quando preservado, registra as memórias institucional e coletiva. O acervo arquivístico do Museu de Arte Sacra de São Paulo é composto por documentos que datam do século XVII aos dias atuais, doados, adquiridos, incorporados e gerados pela atividade da instituição.

O arquivo administrativo do museu tem 2.306 metros lineares. São documentos administrativos, pareceres e laudos técnicos, cartas, ofícios, atas, livros de tombo, Estatutos e regimento, materiais gráficos de divulgação das atividades do museu, processos de doação de obras de arte, entre outros.

Já o arquivo de interesse museológico tem 3.608 metros lineares, em que constam diversos tipos de documentos, alguns com valor histórico inestimável, como manuscritos dos séculos XVII e XVIII.


Parceiros

O Museu de Arte Sacra de São Paulo conta com o apoio de um importante grupo de parceiros. São instituições, empresas e pessoas que possibilitam a realização de um maior número de exposições, ações educativas, apresentações musicais, cursos e palestras oferecidos pelo museu.


Exposições:

São Carlos, SP: Crux, Crucis, Crucifixus

Duração:


20 dezembro 2013 - 05 abril 2014

O Museu de Arte Sacra de São Paulo, equipamento da Secretaria de Estado da Cultura, levou ao Museu TAM, no município de São Carlos, a mostra “Crux, Crucis, Crucifixus – O Universo Simbólico da Cruz”, que exibe um rico acervo do MAS. A exposição de um importante conjunto de símbolos religiosos dos séculos XVIII e XIX evidencia os significados da cruz e seu importante papel no cristianismo e em diversas culturas.

Com curadoria de Dalva de Abrantes, a exposição traz diversos oratórios, relicários e imagens do século XVIII e XIX, um verdadeiro tesouro da arte sacra que estará exposto no Centro de Acolhimento do Museu TAM até o dia 9 de março, das 10h às 16h, de quarta a domingo, com entrada franca.

Inaugurada em 2011, a exposição iniciou sua primeira itinerância neste ano no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) do Rio de Janeiro e alcançou público recorde de 76 mil visitantes em apenas dois meses.

Localizado em São Carlos, no interior de São Paulo, o Museu TAM é a realização do sonho dos irmãos Rolim e João Amaro de preservar a história da aviação para as futuras gerações. Com um acervo de 125 aeronaves (88 unidades expostas e outras 37 em restauração), o maior do mundo mantido por uma companhia aérea, a instituição já recebeu cerca de 290 mil visitantes e atendeu mais de 1.500 escolas e mais de 38 mil alunos gratuitamente.
Mosteiro da Luz, 240 anos

Duração:


02 fevereiro 2014 - 09 março 2014
O Museu de Arte Sacra de São Paulo – MAS/SP, equipamento da Secretaria de Estado da Cultura, exibe Mosteiro da Luz: 240 anos, com curadoria de Maria Inês Lopes Coutinho, pesquisa histórica de Dalton Sala e instalação de Wilson Sukorski. A mostra representa uma celebração do aniversário do Mosteiro e conta sua trajetória - por meio de fotos, mapas, pinturas, esculturas, textos e cronologias -, desde a fundação em 1774 até os dias de hoje, quando se estabelece como um símbolo da cidade e uma referência mundial em história.

Projetado e construído por Frei Antonio de Sant’ Anna Galvão (Frei Galvão), o Mosteiro da Imaculada Conceição da Luz - ou, simplesmente, Mosteiro da Luz -, é um exemplar significativo da arquitetura de taipa - técnica construtiva que utiliza argila e foi essencial para as edificações coloniais paulistas do início do século XVIII. É tombado pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), pelo CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico e Arquitetônico do Estado de São Paulo), e pelo CONPRESP (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo). Hoje, além do Convento das Irmãs Concepcionistas, que dedicam seus dias à oração e ao trabalho, abriga também a Igreja de Nossa Senhora da Luz e o Museu de Arte Sacra de São Paulo – MAS/SP.

Nesta exposição, que evidencia a história colonial a partir de documentos primários, o público encontra obras do acervo relativas a esse período e à história do Mosteiro. Como itens de destaque, temos uma instalação audiovisual assinada por Wilson Sukorski, com imagens do Mosteiro e entorno - a partir de mapas, daguerreótipos e imagens aéreas da cidade, entre 1810 e 2013 - e efeitos de áudio (sinos, etc.); o cemitério interno, onde as monjas foram sepultadas, terá sua porta aberta para permitir a visão do público – com certas restrições de acesso; exemplares de numismática do acervo do MAS/SP, como uma moeda de Alexandre (Séc. 4 a.C.) - outros 2 exemplares fazem parte do acervo do Metropolitan Museum of Art e do Harvard Art Museums; as esculturas de Nossa Senhora das Dores, de Aleijadinho, a primeira obra do MAS/SP; e de São Francisco Xavier (final do Séc. XVII, iní cio do Séc. XVIII), a mais recente aquisição.

Observada a complexidade arquitetônica do Mosteiro, resta a certeza de que o poder da fé imprimiu em São Paulo pegadas iniciais que viriam a se tornar, mais tarde, os alicerces culturais de uma metrópole latina.

Exposição: Mosteiro da Luz: 240 anos

Curadoria: Maria Inês Lopes Coutinho

Pesquisa histórica: Dalton Sala

Instalação: Wilson Sukorski

Abertura: 2 de fevereiro de 2014, domingo, às 10 h

Período: 4 de fevereiro a 9 de março de 2014

Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo

Endereço: Avenida Tiradentes, 676, Luz, São Paulo

Tel.: (11) 3326-5393 - visitas monitoradas

Horário: De terça a sexta-feira, das 9h às 17h, sábado e domingo das 10h às 18h

Ingresso: R$ 6,00 (estudantes pagam meia entrada); grátis aos sábados
Exposições Virtuais:

Exposição Virtual: Cartazes de São Roque

http://www.museuartesacra.org.br/pt/exposicoes/show/exposicao-virtual--cartazes-de-sao-roque

Duração:


15 agosto 2013 - Tempo indeterminado

Entre os dias 4 e 16 de agosto de 2013, o município de São Roque, distante 70 km da capital paulista, recebeu a exposição “SÃO ROQUE em SÃO ROQUE”, promovida pelo Museu de Arte Sacra de São Paulo, equipamento da Secretaria de Estado da Cultura, em parceria com a Prefeitura Municipal de São Roque, o Sistema Estadual de Museus de São Paulo (Sisem), a Arquidiocese de São Paulo e as famílias católicas de São Roque.

Nesta realização, procuramos exibir obras de arte de um jeito diferente: pelas ruas da cidade, foram espalhados 40 cartazes, cada um com dois metros de altura, contendo reproduções fotográficas de imagens de São Roque pertencentes ao acervo do Museu de Arte Sacra de São Paulo, além de textos contando passagens da vida do santo.

A distribuição dos cartazes acompanhou o trajeto da procissão que encerra “Festa de São Roque”, uma das mais tradicionais festas religiosas do interior paulista, que acontece todo ano, no mês de agosto. Agora, aquilo que somente a população e os turistas em São Roque puderam ver, está disponibilizado a todos os internautas.


Exposição Virtual: Cenas do Presépio Napolitano

http://www.museuartesacra.org.br/pt/exposicoes/show/exposicao-virtual--cenas-do-presepio-napolitano

Duração:


23 outubro 2013 - Tempo indeterminado

Visitar o Presépio Napolitano do Museu de Arte Sacra de São Paulo é uma experiência única.

O conjunto de 1.600 peças italianas do século XVIII propicia uma verdadeira viagem no tempo e no espaço. Além da tradicional cena da natividade de Jesus de Nazaré, as peças representam diversos profissionais urbanos (como ferreiro, sapateiro, barbeiro, verdureiro, entre outros), pastores, homens do campo, além de objetos, utensílios e móveis, em uma cenografia que ocupa 110 m².

Nesta exposição virtual, procuramos mostrar um pequeno apanhado de cenas deste importante patrimônio artístico. Retratar todas as cenas é tarefa impossível, pois os detalhes se revelam a cada olhar, em cada visita. É daquelas paisagens que nunca mudam e nunca são iguais.


Da Itália ao Brasil

Francisco Matarazzo Sobrinho, o “Ciccilo”, adquiriu o Presépio Napolitano na Itália, em 1949. O conjunto de 1.600 peças, confeccionadas em Nápoles no século XVIII, remontavam uma vila napolitana setecentista. Entre obras de artesãos anônimos, peças de artistas eruditos, conhecidos como figurinai, como Francesco Cappiello, Francesco Ingaldi, Giuseppe Gallo, Lorenzo Mosca, Matteo Bottigliero, Nicolla Somma, demonstram alto nível técnico.

No Brasil, Ciccilo desejava montar o presépio segundo a cenografia original. Entregou a empreitada a Lourdes Duarte Milliet, esposa do artista Sergio Milliet e irmã do estudioso Paulo Duarte. Para a reconfecção das vestimentas, Gabriella Pascolato, proprietária da Tecelagem Santa Constancia, forneceu os tecidos. As figuras foram recompostas pelo artesão Gregório Tinell; a cenografia, por Tullio Costa, com colaboração de Ítalo Bianchi.

Assim, em 4 de outubro de 1950, o Presépio Napolitano foi aberto para visitação pública na Galeria Prestes Maia, permanecendo em exposição por onze meses. Depois, foi recolhido e passou cinco anos guardado na Metalúrgica Matarazzo. Em 1956, o conjunto transferido para o antigo Pavilhão do Folclore, no Parque do Ibirapuera, onde permaneceu em exposição até 1985. Porém, as condições ambientais e técnicas do local colocavam este importante acervo em risco, razão que motivou sua transferência para o Mosteiro da Luz, que abriga o Museu de Arte Sacra de São Paulo.

Em 1998, o Museu resgatou o projeto do presépio. Paralelamente, o Museu reformou a antiga residência do capelão do Mosteiro da Luz para abrigar o conjunto. O artista Silvio Galvão foi chamado para desenvolver a cenografia, seguindo a concepção criada em 1950 por Tullio Costa. Em 1999, o Presépio Napolitano voltou a ser aberto à exposição pública, em condições que garantiam – e ainda hoje garantem – sua correta instalação, manutenção e preservação.
FICHA TÉCNICA

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Geraldo Alckmin

Governador do Estado

Marcelo Mattos Araujo

Secretário de Estado da Cultura

Renata Vieira da Motta

Coordenadora da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico

MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO

José Roberto Marcellino dos Santos

Presidente do Conselho de Administração – SAMAS

José Carlos Marçal de Barros

Diretor Executivo

Maria Inês Lopes Coutinho

Diretora Técnica

Luiz Henrique Marcon Neves

Diretor de Planejamento e Gestão
Programação

Além das exposições, a programação do museu conta com programa educativo, música, cursos, palestras e café teológico.



Música:

Ricardo Marçal

No dia 15 de fevereiro, o Museu de Arte Sacra de São Paulo apresenta o violonista belo-horizontino Ricardo Marçal, que interpreta peças de grandes mestres do instrumento, dos séculos XVII ao XX.

A apresentação integra o programa Tardes Musicais, com entrada gratuita e participação livre. O repertório interpretado pelo violonista considera obras de Domenico Scarlatti (1685-1757), Fernando Sor (1778-1839), Radamés Gnattali (1906-1988), Francisco Mignone (1897-1986), Agustín Barrios (1885-1944) e Carlos Guastavino (1912-2000).



Cursos:

Curso Livre: Arquivística Eclesiástica

Entre 31 de março e 04 de abril, o Museu de Arte Sacra de São Paulo promoverá o curso livre "Arquivística Eclesiástica", ministrado por Cristian José Oliveira Santos, doutor em Literatura e Práticas Sociais pela Universidade de Brasília (UnB). Com carga horária de 15 horas, o curso abordará os seguintes conteúdos:

1. História dos Arquivos Eclesiásticos

2. A Estrutura Orgânica da Igreja Católica e seus Arquivos

3. Os Códigos de Direito Canônico de 1917 e de 1983

4. Os Bens Culturais e a Nova Evangelização no Pontificado de João Paulo II

5. Gestão de Arquivos Eclesiásticos

O curso consistirá em aulas expositivas e discussão de textos em sala de aula, a partir da leitura prévia. Ao final, o museu emitirá certificado aos participantes.

Período: 31/03 a 04/04

Horário: 19h às 22h

Vagas: limitadas

Valor: R$ 300

Em caso de desistência, será retido 50% do valor pago.

Inscrições: mfatima@museuartesacra.org.br

Informações: (11) 5627.5393

Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo

Endereço: Avenida Tiradentes, 676

Metrô: Estação Tiradentes

Estacionamento gratuito: entrada pela Rua Jorge Miranda, 43

O museu emitirá certificado de participação
Café Teológico

No primeiro Café Teológico de 2014, dia 12 de março, o Museu de Arte Sacra de São Paulo convida o Dr. Sidnei Ferreira de Vares para discutir o tema "Arte e Filosofia na Grécia Antiga".

Quais as contribuições dos gregos do período antigo para a arte ocidental? Há uma relação entre o desenvolvimento da filosofia e a elaboração do universo categorial estético que, até hoje, permeia nossa cultura? Visando responder a essas questões, busca-se, por um lado, analisar a visão que os gregos nutriam acerca da arte e, por outro, demonstrar que concepções como as de “Belo” – calcada em noções como harmonia, simetria e proporcionalidade – são debitárias da filosofia que se desenvolve na Hélade grega.

Sidnei Ferreira de Vares, doutor e mestre em Educação pela USP, é professor do curso de extensão universitária do Museu de Arte Sacra de São Paulo. A participação no Café Teológico é gratuita, mediante inscrição prévia. O museu emitirá certificado aos participantes.

Tema: Arte e Filosofia na Grécia Antiga

Data: 12/03

Horário: 17h às 19h

Vagas: limitadas

Ingresso: isento

Inscrições: mfatima@museuartesacra.org.br

Informações: (11) 5627.5393

Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo

Endereço: Avenida Tiradentes, 676

Metrô: Estação Tiradentes

Estacionamento gratuito: entrada pela Rua Jorge Miranda, 43

O museu emitirá certificado aos participantes


REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS:


  • http://www.museuartesacra.org.br/pt/

  • http://www.cidadedesaopaulo.com/sp/br/o-que-visitar/208-museu-de-arte-sacra-e-mosteiro-da-luz

  • https://www.facebook.com/MuseuDeArteSacra

  • http://pt.wikipedia.org/wiki/Museu_de_Arte_Sacra_de_S%C3%A3o_Paulo



FQ-47 – Revisão 02




©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal