Planejamento de arte



Baixar 0,85 Mb.
Página1/3
Encontro30.07.2018
Tamanho0,85 Mb.
  1   2   3





PLANEJAMENTO DE ARTE

Elaborado por Diulie em 03/04/2016






PROPOSTA




Série:



Ensino:

Fundamental I

Conteúdo:

Artes visuais Joan Miró, Vicent Van Gogh e folclore, bonecas Abayomis

Tema:

Grandes artistas/folclore




2










Objetivos:

  1. Conhecer a vida e as obras de Joan Miró e Vicent Van Gogh, as influências artísticas, características das obras, cores utilizadas, temas abordados, entre outros.

  2. Fazer a leitura formal e interpretativa de uma obra de cada artista. Apropriar-se da obra e criar obras inéditas, com diferentes materiais e técnicas, partindo dela.

  3. Conhecer a cultura afro-brasileira, a história e importância das bonecas abayomis.

  4. Trabalhar com habilidades manuais sem os recursos corriqueiros, instigando o lúdico e a imaginação.





Aula

faixa

Procedimento de aula

Orientações práticas

Produto

Final








Aula 1

  1. Apresente o artista a ser trabalhado Joan Miró, passando por sua trajetória e influências artísticas. Converse sobre a obra a ser trabalhada: O Jardim (anexo).

  2. Apresente música catalã associando com o artista, se possível através de vídeos.

  3. Entregue uma folha de desenho A3 (180 g/m²) para cada aluno para a pintura com giz.

  4. Finalizado o giz, inicie a pintura da camada de tinta Nanquim Preta sobre o giz, solicitando que seja passada uma demão por toda a folha.

Deixe a música ligada durante a produção, criando um clima para trabalhar com o artista catalão.

Orientar a pintura da folha com cada parte de uma cor, priorizando as cores presentes na obra, devendo a pintura cobrir toda a folha.

Orientar a demão de nanquim em toda a folha, em uma camada suficiente para cobrir o giz.



O Jardim em Raspagem.







Aula 2

  1. Apresente novamente a obra a ser trabalhada, agora com maior ênfase na estética e elementos da obra. Peça para que observem. Converse sobre.

  2. A partir da observação da obra “O Jardim” de Miró, inicie o desenho sobre o trabalho através de raspagem (com clip, palito de dente, de churrasco, material disponível na unidade), para que apareça o giz embaixo formando o desenho em negativo.

  3. Exponha na unidade.

Oriente sobre a raspagem. Mostre um modelo do produto final com o efeito para exemplificar.







Aula 3

  1. Apresente as outras técnicas que serão utilizadas na releitura de “O Jardim” de Miró.

  2. Inicie com a base, entregue 1/16 avos de papel Paraná para cada aluno e peça para que pintem de verde.

  3. Após colocar para secar a “base”, entregue 1/2 caixa de massinha e 5 pedaços de 10 cm de arame de alumínio.

  4. Inicie a modelagem com a massinha, criando os elementos da obra nas cores correspondentes, utilizando o arame para criar as antenas e demais elementos correspondentes na obra.

Oriente sobre limpar os pincéis e organização em sua mesa de trabalho.

Oriente sobre as formas e cores, auxilie com o arame e corte em pedaços menores se julgar necessário.



O Jardim 3D.







Aula 4

  1. Entregue as bases e peça para que colem (cola branca sem diluir) as peças em massinha. Obra pronta, peça que finalizem com uma camada de cola por todas as peças.

  2. Exponha na unidade.

Oriente quanto a quantidade de cola e cuidados para não desmanchar as peças, oriente sobre a paciência na execução do trabalho.








Aula 5

  1. Apresente o artista a ser trabalhado Van Gogh, passando por sua trajetória e influências artísticas. Converse sobre a obra a ser trabalhada: O Quarto (anexo).

  2. Converse sobre a proposta. Reprodução do quarto em 3D.

  3. Entregue uma folha desenho A3 (140g/m²) para cada aluno e oriente as dobras, após inicie a demarcação com lápis das paredes, chão e de onde será dobrado e colado. Peça para que cortem as sobras e o vértice necessário a montagem do quarto.

  4. Com a demarcação e corte prontos, inicie o desenho e pintura a giz das paredes e chão do quarto (ainda plano).



Oriente a montagem passo a passo. Peça para colarem as abas apenas após a pintura das paredes, pois não tem como pintar com o “quarto” montado.





O Quarto em maquete de papel.







Aula 6

  1. Entregue uma folha desenho A4 (140mg/m²) por aluno, para o desenho do mobiliário com as medidas pré-determinadas e formato que possibilitará a montagem em maquete. Sendo uma mesa, duas cadeiras e uma cama.

  2. Inicie a colagem dos móveis com referência a obra de Van Gogh, finalize os acabamentos.

  3. Exponha na Unidade.

Oriente quanto às medidas dos móveis que deverão ser desenhados com auxílio da régua.
A posição dos elementos do quarto remeterá a obra, devendo seguir a localização da cama, mesa, cadeiras, janela e quadros que compõe a obra. A pintura dos alunos poderá ser livre quanto a motivos decorativos e cores do quarto, remetendo ao próprio quarto do aluno.







Aula 7

  1. Retome a apresentação do artista, trazendo novas informações sobre Van Gogh. Converse sobre a obra a ser trabalhada: Os girassóis (anexo). Apresente o origami e como ele será usado na produção.

  2. Entregue 3 folhas papel criativo A4 (75 g/m²) , sendo uma amarela e 1 marrom e 1 verde para cada aluno. Peça para que desenhem nas medidas e recortem para a dobradura dos girassóis e caules. Inicie a dobradura.

Para os girassóis utilize:

Pétalas: quadrados amarelos de 10 X 10 cm.

Miolo: quadrados marrons de 4 X 4cm

Caule: retângulos verdes de 08 X 4 cm.


Oriente a montagem passo a passo do origami de girassol e do caule. Auxilie nas dificuldades.

Os alunos que já aprenderam podem auxiliar os colegas.

Oriente na produção das pinturas.


Os girassóis em origami e pintura.







Aula 8

  1. Retome a produção dos origamis.







Aula 9

  1. Entregue uma folha sulfite para cada aluno para que desenhem a obra os girassóis, como projeto para a produção.






Aula 10


  1. Entregue uma folha papel para pintura A3 (300 g/m²) para cada aluno, peça para desenharem a obra sem os girassóis.

  2. Entregue pincéis e tintas nas cores amarelo, branco, marrom e azul. Inicie a pintura.







Aula 11

  1. Retome a produção.

  2. Peça para que colem os girassóis e os caules na pintura, faça os acabamentos.

  3. Exponha na unidade.









Aula 12

  1. Faça uma explanação do tema folclore, cultura popular e conte a história das bonecas Abayomis.

Mostre diferentes bonecas abayomis e como são feitas.



  1. Inicie a montagem da boneca. O tecido maior será utilizado para a cabeça, o tronco e as pernas e o tecido menor para os braços. Monte a boneca junto com os alunos na seguinte sequência:

  1. No retângulo maior faça um nó em uma das pontas, esta será a cabeça;

  2. No lado oposto, cortar ( tipo Tesoura) o meio do tecido para fazer as pernas. Após, para os pés, fazer os nós nas pontas de cada lado;

  3. Para os braços, o retângulo menor é amarrado transversalmente no resto do corpo já pronto, faz um nó em cada ponta para as mãos.

Traga uma boneca confeccionada previamente ou imagens/vídeos.
Recorte para a próxima em malha fria preta: 1 retângulo de 24x12 cm e um retângulo de 24x5cm por aluno.

Oriente sobre os nós para a cabeça, braços e pés. Oriente sobre esticar o tecido para então dar o nó.


Nomeie os trabalhos com fita crepe.

Boneca Abayomi.







Aula 13

  1. Retome a produção.

  2. Disponha tecidos de chita para a roupa (vestido). Escolhido o tecido, oriente que seja cortado na medida de 14x8cm para retângulo ou de 7 cm de diâmetro para formato circular. Após um buraco no centro, dobrando o tecido do meio para facilitar. Este será a gola do vestido. Com os retalhos coloridos de malha, oriente para fazer os detalhes como turbante e faixa na cintura da boneca.

Oriente no corte do tecido.

Oriente sobre a estética da boneca e a possibilidade de criar detalhes como queiram.










Aula 14

  1. Finalize a produção da boneca, fazendo os acabamentos cortando o cabelo e sobras das mãos e pés.

  2. Entregue papel (papel médio a grosso que esteja disponível na unidade) para escrever o nome e as fitas para colocar a etiqueta na boneca.

  3. Exponha na Unidade.

Oriente sobre a etiqueta e como serão nomeados os trabalhos.













Material

Unidade

Quant.*




Material

Unidade

Quant.*





LISTA

DE

MATERIAL






Papel Sulfite A4 90g/m2

folha

50




Tinta látex branca

lata

1/2







Papel Desenho A3 branco 140g/m²

folha

10




Potes descartáveis com tampa

tira com 50

1







Papel Desenho A3 branco 180g/m²

folha

10




Caneta permanente preta 2.0

caixa

1







Papel Pintura A3 branco 300g/m²

folha

10




Caneta permanente preta 1.0

caixa

1







Papel Desenho A4 branco 140g/m²

folha

10




Fita adesiva marrom 3M

rolo

2







Cola branca

kg

0,5




Tecido “malha fria” preto

metro

1







Papel Paraná

folha

1




Tecido “malha fria” retalhos coloridos

kg

0,1







Arame de alumínio para artesanato preto 1,00 mm

metro

5




Tecido de chita de várias estampas

metro

0,5







Massinha de modelar

caixa

5




Fita de Cetim verde nº 2 (10 mm)

metro

0,5







Folha A4 papel criativo/dobradura dupla face marrom 75 g/m²

folha

10




Fita de Cetim vermelha nº 2 (10 mm)

metro

0,5







Folha A4 papel criativo/dobradura dupla face amarelo 75 g/m²

folha

10




Fita de Cetim amarela nº 2 (10 mm)

metro

0,5







Folha A4 papel criativo/dobradura dupla face verde 75 g/m²

folha

10

















*A cada 10 alunos.
Joan Miró
Miró nasceu em Barcelona, em 1893. Cursou a Escola de Belas Artes de sua cidade e a Academia de Gali. Em 1919, visitou Paris, onde foi contagiado por aspectos dos movimentos estéticos fovistas e dadaísta. O Fovismo, movimento artístico que nasceu na França, tem como características marcantes a simplificação das formas, o uso indiscriminado e arbitrário das cores, a utilização de temas leves, retratando emoções e a alegria de viver, não tinha intenção crítica. O Dadaísmo é caracterizado pela oposição a qualquer tipo de equilíbrio, pela combinação de pessimismo irônico e ingenuidade radical, pelo ceticismo absoluto e improvisação. Enfatizou o ilógico e o absurdo. Entretanto, apesar da aparente falta de sentido, o movimento protestava contra a loucura da guerra. Assim, sua principal estratégia era mesmo denunciar e escandalizar. 
Miró era pressionado a estudar em cursos que o capacitassem ao trabalho com o comércio. O resultado dessa pressão é que o jovem Miró acabou por desistir de estudar, foi trabalhar no comércio e teve uma profunda depressão, necessitando de tratamento de saúde. A mente de Miró mostrou-se muito criativa ao longo de sua vida. Durante os seus estudos de arte, por orientação dos seus professores, treinava desenhar objetos que conhecia apenas pelo tato. Também treinava pintando paisagens gravadas na mente. Ia a um lugar, observava e depois voltava ao atelier para começar a trabalhar. Talvez esses exercícios, somados a uma tendência natural, tenham feito de Miró uma mente privilegiada. Joan Miró deixou-se influenciar prazerosamente por todas as correntes de arte com que tomou contato. Influências cubistas, surrealistas, abstracionistas são facilmente percebidas em seus trabalhos e a maneira de ver dos cubistas combina fortemente com a sua visão das coisas. 
No início dos anos 20, conheceu Breton e outros artistas surrealistas. Na pintura “O Carnaval de Arlequim” – 1924, inaugurou uma linguagem cujos símbolos remetem a uma fantasia inocente, sem as profundezas das questões surrealistas em 1925. Em 1928, viajou para a Holanda e pintou a tela “Interiores Holandeses”. Em 1937, trabalhou pintando grandes murais, mais tarde, em 1944, iniciou-se em cerâmica e escultura. Miró alternou fases de dificuldades financeiras intensas com fases de prosperidade, mas aos poucos foi afirmando-se como um artista do primeiro time.  Essa forma interpretativa através de símbolos preenche completamente grande parte dos seus quadros, onde tudo é mostrado unicamente através de traços, símbolos e sugestões. No final de sua vida Miró reduziu os elementos de sua linguagem artística a pontos, linhas, alguns símbolos e a cor, passando a usar basicamente o branco e o preto ou jogando tinta preta sobre as telas depois de pintadas, deixando escorrer. Morreu em 1983, em Palma de Mallorca, na Espanha. 

Fonte: “Fazendo arte com os mestres II” – Ivete Raffa – Ed. Escolar.



Exemplos de Música Catalã: Paco de Lucia, Xavier Coll, Paola Requena.



  1   2   3


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal