Página de Marcação Iniciação ao Hermetismo



Baixar 1,12 Mb.
Página51/51
Encontro12.07.2018
Tamanho1,12 Mb.
1   ...   43   44   45   46   47   48   49   50   51

Resumo de todos os exercícios do grau X


I. Instrução mágica do espírito:

A elevação do espírito a planos superiores.



II. Instrução mágica da alma:

1. A ligação consciente com seu Deus pessoal.

2. O relacionamento com divindades, etc.

III. Instrução mágica do corpo:

Diversos métodos para a obtenção de capacidades mágicas.


Conclusão


Como mencionei na introdução deste livro, esta obra de iniciação não é um meio para um fim; não se destina à obtenção de riqueza, poder, glória a fama, mas é um estudo sério sobre o homem, portanto sobre o microcosmo em relação ao macrocosmo, com as suas leis. Em conseqüência disso o leitor poderá formar uma perspectiva totalmente nova sobre a magia a nunca mais re­baixá‑la à condição de feitiçaria e evocação do demônio.

Natural­mente cada leitor avaliará esta obra de iniciação de um ponto de vista muito individual. Uma pessoa de visão totalmente materialista, que não acredita em nada a que não sabe nada sobre o mundo sobrenatural, mas só conhece o mundo material, definirá esta obra como simples utopia.

Não é função deste livro despertar alguma crença nessa pessoa ou conquistá‑la, mudando a sua opinião a convencendo‑a a adotar outro ponto de vista. Este livro é dedicado principalmente àqueles leitores que procuram a mais pura verdade e o conhecimento mais elevado.

Muitas vezes a pessoa é convencida ou até induzida a seguir alguma direção espiritual, a passa pela experiência de ver essas diversas tendências tomarem‑se inimigas, por causa da inveja ou da prepotência. O verdadeiro mago sentirá pena dessas pessoas, seitas e tendências espirituais (?), mas não deverá odiar, falar mal ou desprezar ninguém; ele deverá dar a devida atenção a toda a pessoa que também segue ou busca o caminho que leva a Deus.

É triste, mas é verdade que os teósofos, espiritualistas, espíritas, ou como todos eles se chamam, se opõem mutuamente a se tomam inimigos, como se todos os caminhos não levassem a Deus. Todas as pessoas que procuram o caminho que leva a Deus deveriam lembrar‑se bem das palavras de Cristo, o grande Mestre dos Místicos: "Ame o próximo como a si mesmo." Essas palavras deve­riam ser um mandamento sagrado para todo o buscador que trilha a senda espiritual.

Muitos seres que tiveram de deixar o nosso mundo material e não tiveram a oportunidade de alcançar o verdadeiro conheci­mento espiritual, alegaram, nas esferas mais elevadas, que em nossa Terra o verdadeiro conhecimento era, no passado, reservado só para alguns eleitos, a portanto não estaria disponível para todos. Por causa disso os Mistérios, ocultos por milhares de anos, são mostrados pela Providência Divina, gradualmente, a todo o habitante da Terra que realmente almeja saber a verdade a obter o conhecimento.

Os frutos do conhecimento não cairão do céu só através da leitura; a pessoa terá de conquistá‑los superando muitas dificuldades a obstáculos. Muitos, talvez até a maioria, vão querer primeiro convencer‑se da autenticidade das leis para só depois acreditar nelas a decidir se enfrentarão o caminho da iniciação. O verdadeiro mago sabe que essa postura do homem está errada. Ele está convencido de que, para acreditar, a pessoa deverá primeiro ser instruída a formada através da iniciação. Com a simples leitura desta obra poderemos obter o conhecimento intelectual, mas não obteremos a sabedoria. O conhecimento pode ser transmitido, mas a sabedoria só pode ser obtida através da experiência a da vivência. Estes por seu lado dependem da maturidade espiritual de cada um, que também depende do desenvolvimento espiritual conquistado de forma prática no caminho da iniciação.

Toda a pessoa que já leu algo sobre o tarô sabe que além da primeira carta, em que os mistérios egípcios, o berço da sabedoria, é representado pelo mago, ainda existem outras vinte a uma cartas, chamadas de arcanos maiores. E cada uma dessas outras cartas possui um sistema próprio de iniciação. Ao lado dos vinte a dois arcanos maiores ainda existem cinqüenta a seis cartas correspondentes aos arcanos menores, que também simbolizam os pequenos mistérios; para cada uma delas há uma explicação a ser dada. Dependerá exclusivamente da vontade da Providência Divina dar­ me a possibilidade de escrever sobre cada uma das cartas do tarô e publicar esses escritos.

Depois do estudo minucioso desta obra instrutiva o leitor se convencerá de que não se pode falar de uma magia branca ou negra, a que não existem diferenças entre magia, misticismo ou como se chamam todas essas ciências ou tendências.

Na introdução também comentei que toda ciência pode ter finalidades malévolas ou benévolas. A idéia da existência de uma magia negra deriva do fato das pessoas não terem conseguido, até hoje, ter uma noção correta do que é magia. Em cada capítulo a seus respectivos métodos de instrução repeti várias vezes que esse conhecimento só é destinado a objetivos muito nobres.

Além disso enfatizei sempre que ao longo do seu desenvolvimento o mago deveria enobrecer o seu caráter ao máximo se não quisesse parar na sua evolução, ou o que seria pior ‑ retroceder. O enobrecimento da alma caminha lado a lado com a evolução e o desenvolvimento. Quem estiver só preocupado em adquirir capacidades a forças ocultas a vangloriar­se delas, terá feito um trabalho inútil, pois a Providência Divina permanecerá inexplorada em sua obra a cedo ou tarde afastará do caminho essa pessoa que só almeja dominar as forças ocultas. As capacidades ocultas conseqüência da iniciação, devem ser encara­das como parâmetros do desenvolvimento a só serem usadas para objetivos nobres a ajuda aos semelhantes; por isso deverão permanecer restritas ao mago verdadeiro.

Quem trilhou o caminho da iniciação não precisa mudar a sua visão de mundo em relação à religião, pois a verdadeira religião já é a prática da iniciação aqui descrita; toda religião poderá ser colocada em sintonia com esse sistema iniciático.

Antes de entrar no caminho da verdadeira iniciação cada um deverá testar a si mesmo para saber se pretende considerar a verdadeira iniciação como a sua prática religiosa, como a missão de sua vida, a que ele poderá realizar apesar de todos os obstáculos a dificuldades do caminho, que uma vez trilhado, nunca mais o deixará. É óbvio que as condições básicas necessárias para isso são uma perseverança a uma paciência quase sobre-humanas, uma vontade férrea e uma enorme discrição sobre os progressos realizados.

A todos os leitores que querem se aperfeiçoar a elegeram esta obra como o seu guia, desejo muito êxito e a bênção divina.


O Autor





1 Publicado no livro “Iniciation into hermetics”, ou “Der Weg zum Wahren Adepten” em português com o nome Magia Prática o caminho do Adepto.


1   ...   43   44   45   46   47   48   49   50   51


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal