Perguntas pessoais. Responda em portuguêS com frases completas e bem estruturadas



Baixar 26,97 Kb.
Encontro09.09.2017
Tamanho26,97 Kb.

PRT 202/290/490 Nome: ______________________________

Primavera 2002
Prova 5

(100 pontos / 50 minutos)



  1. Perguntas pessoais. Responda EM PORTUGUÊS com frases completas e bem estruturadas. (10 pts @ 2.5 cada, 1 gramática, 1.5 conteúdo)

1.

2.

3.


4.

  1. Escreva o contrário das frases abaixo (positive and negative words): (10 pts)




  1. Eu nunca como nada antes do meio-dia.




  1. Podemos comprar o livro de português em todo lugar.




  1. Ninguém veio à aula na sexta passada.




  1. Eu tomo ou Coca ou Pepsi no almoço.




  1. Eles conhecem algumas músicas de Lulu Santos.



  1. Responda com o pronome correto. (4 pts)


  1. Você viu o Pedro? ______________________________________________

  2. Você visitou sua avó? ___________________________________________

  3. Você já terminou seus deveres? ___________________________________

  4. Eles teleforam para vocês? _______________________________________




  1. Futuro do indicativo (near future), futuro do subjuntivo ou imperativo? (10 pontos)




  1. Eu __________________ (esperar) até quando eu ____________________ (poder)

  2. Se vocês ___________________ (precisar), me ___________________ (telefonar).

  3. Quando nós ____________________ (ir) ao shopping, nós ____________________ (passar) pela sua casa.

  4. Se os alunos ______________________ (tirar) uma boa nota na prova, o professor _____________________ (ficar) contente.

  5. Assim que vocês _______________________ (saber) a resposta, me _____________________ (dizer).




  1. Complete com o verbo no presente do subjuntivo, presnte do indicativo ou infinitivo. (30 pts)




  1. Quero que meus pais __________________ (vir) me visitar. Eles sempre _______________ (fazer) o possível para virem uma vez por mês embora quase não _______________ (ter) tempo.

  2. É provável que minha namorada me __________________ (visitar) hoje à noite. Eu fico contente que ela __________________ (vir) me visitar e ela _______________ (vir) sempre que _______________ (poder), porém ela sempre ________________ (querer) ir a um restaurante caro e eu quase nunca _________________ (ter) dinheiro.

  3. Eu quero __________________ (ir), mas quero que eles __________________ (ficar) em casa para esperar o Fedex. A não ser que o carteiro ________________ (chegar) antes das quatro, eles vão ter que ficar esperando.

  4. É incrível que nós nunca __________________(ter) tempo de almoçar.

  5. Ele quer que nós __________________ (estudar) com ele, mas ele só gosta de __________________(estudar) no Starbucks. Ele sempre _______________ (querer) tudo do jeito dele. É preciso que a gente _______________ (ter) muita paciência com pessoas assim, embora ele nunca ________________ (estar) disposto a fazer a vontade da maioria.

  6. Talvez eu __________________ (ver) um filme no sábado. _______________ ao cinema sempre que _______________ (sair) um filme novo.

  7. Meus amigos querem __________________ (dar) uma festa hoje à noite, mas eu prefiro que eles __________________ (escolher) uma outra ocasião, pois eu __________________ (estar) muito ocupada. Talvez __________________ (ser) melhor na sexta que vem. Eu quero _______________ (poder) ir à festa também.

  8. Fico contente que vocês __________________ (poder) viajar comigo. Tomara que tudo _______________ (correr) bem durante nossa viagem. É importante que nós ________________ (partir) cedo, antes que o trânsito _________________ (ficar) congestionado.


  1. Imperfeito do subjuntivo ou condicional? (10 pontos)




  1. Se vocês ___________________ (ter) mais tempo, nós _____________________ (poder) estudar juntos.

  2. Eu lhes disse que ____________________ (fazer) todo o dever de casa e que não _______________________ (ir) ao clube com os amigos dele.

  3. O médico sugeriu que o doente ______________________ (ficar) de cama e ______________________ (dormir) bastante.

  4. A gente _______________________ (ser) mais feliz se _______________________ (estar) mais tranquilos.

  5. Meus pais __________________ (querer) muito que eu me _____________________ (casar) com a Mariquinha, mas eu preferi me casar com a Chiquinha.




  1. Verbos pronominais e reflexivos. Conjugue os verbos no tempo adequado. (8 pontos @ 1.5 cada)




  1. Eu / despertar-se tarde todos os dias.




  1. Vocês / telefonar-se ontem à noite.




  1. Nós / lembrar-se de trazer uma garrafa de vinho para a festa amanhã.



  1. A gente / já esquecer-se daquele problema.



  1. Eles / encontrar-se sempre na escola quando eram pequenos.



  1. Você / nunca dar-se conta das besteiras que faz!

  1. Leitura. (11 pontos)


VERDADEIRO ou FALSO?. (8 pontos)

  1. ______ As chanchadas eram filmes de má qualidade.

  2. ______ Com o governo de Collor, o cinema nacional passou por uma grave crise.

  3. ______ O cinema brasileiro recomeçou a ter sucesso em 1995.

  4. ______ O filme de Carla Camurati foi indicado para o Oscar.

  5. ______ O filme que recebeu mais prêmios foi Central do Brasil.

  6. ______ No Brasil, o cinema nacional é tão popular quanto os filmes de Holywood.

  7. ______ Xuxa fez apenas um filme de sucesso, PopStar.

  8. ______ O mercado do cinema brasileiro permanece estável desde 1996.




  1. Quais são as causas dos problemas que sofre o cinema nacional? EM INGLÊS. (3 pontos)


  1. Tradução. TRADUZA UM (1) DOS PARÁGRAFOS. (7 pontos)


LEITURA
Cinema Brasileiro:

100 anos de euforia e (muitas) crises
Desde 1898, ano em que surgiu o cinema brasileiro, que o nosso cinema vem tentando conquistar o seu espaço. Iniciamos com obras ingênuas e filmes que mostravam o cotidiano de nossa gente. Passamos pelas imortalizadas comédias, mais conhecidas como chanchadas, da Atlântida e Vera Cruz. Tentamos revolucionar com Glauber Rocha e o Cinema Novo. Conquistamos o público, com filmes de baixíssima qualidade e de conteúdo erótico, as “pornochanchadas”. Chegamos na crise da Era Collor que praticamente paralisou a produção cinematográfica em nosso país. E agora, no início século XXI, estamos tentando voltar a fazer cinema no Brasil.
O nosso cinema está tentando renascer. Tudo recomeçou em 1995, com Carlota Joaquinaa princesa do Brazil, de Carla Camurati que conquistou tanto a crítica como o público. A produção a partir daí começou a crescer rapidamente e uma fase de euforia tomou conta da classe cinematográfica nacional. Para realmente provar que o nosso cinema estava de volta e produzindo filmes de qualidade internacional, vieram as duas indicações consecutivas para o Oscar: primeiro com O Quatrilho, de Fábio Barreto. No ano seguinte, O que é isso, companheiro? do irmão de Fábio, Bruno Barreto. E para a consagração, Walter Salles Jr. leva às telas do mundo inteiro a saga de Dora e Josué em busca do pai pelo sertão brasileiro, em Central do Brasil, vencedor de mais de cinqüentas prêmios e duas indicações ao Oscar.
Infelizmente, todos esses prêmios e críticas favoráveis aos nossos novos filmes não foram suficientes para conquistar o público. No ano passado, dos 350 filmes lançados no Brasil, apenas 31 foram nacionais. E dos quase 70 milhões de bilhetes vendidos, 7,1 milhões foram para filmes brasileiros. Número alcançado graças aos "blockbuster" O Auto da Compadecida, Xuxa Requebra e Eu Tu Eles. Xuxa a qual já coloca outro filme seu, PopStar, entre as maiores bilheterias do ano, que tem tudo para ultrapassar a marca de 3 milhões de espectadores.
Obviamente que se analisarmos que em 1996 dos quase 62 milhões de bilhetes vendidos apenas 1,7 eram para filmes nacionais temos muito o que comemorar. Que ouve um avanço e que pouco a pouco o público está se acostumando a ver filmes nacionais isso é indiscutível. Mas, infelizmente, isso é muito pouco. E o avanço está ocorrendo muito lentamente. As causas para essa apatia do público para filmes nacionais são inúmeras. Vão desde o preconceito, má distribuição, até o alto valor dos ingressos. Acho que ambas influem e espantam o público para filmes brasileiros. Mas a verdade é que sem público é impossível se fazer cinema, não apenas no Brasil como em qualquer lugar do mundo.
TRADUÇÃO
MEMORIAL DO CONVENTO de José Saramago
D. João V casa-se com D. Maria da Áustria, que sente dificuldades em dar-lhe um filho. Um religioso diz ao rei que se ele prometer construir um convento em Mafra, Deus lhe dará o desejado filho. Faz o rei a promessa e a rainha fica grávida, se é que já não estava e só tinha contado ao seu confessor… Num auto-de-fé, várias pessoas vão se castigadas, entre elas, a narradora: Sebastiana Maria de Jesus, mãe de Blimunda. A filha, enquanto a mãe é castigada, conhece um ex-soldado, de nome Baltasar Sete-Sóis, e o convida para ir para a sua casa na companhia do padre Bartolomeu Lourenço. Jantam. O padre sai. Ela convida Baltasar para ficar. O padre fez algumas experiências com balões e está construindo uma máquina para voar. Para construí-la pede ajuda a Baltasar.
Um dia, quando a máquina fica pronta, saem os três para um vôo experimental. Caem perto de Mafra, terra de Baltasar. O padre desaparece na noite. Baltasar esconde a máquina e vai para casa de seus pais com Blimunda. Ela jamais o abandona. Baltasar trabalha na construção do convento. Por volta de 1730, quase na época da inauguração da igreja do convento, Baltasar acidentalmente faz a máquina voar e desaparece. Blimunda, procura-o por todo o país, encontra-o finalmente em Lisboa, em 1739, sendo executado num auto-de-fé do Santo Ofício. Para o narrador, a verdade não está com os poderosos nem com a Igreja, muito menos com o Santo Ofício, mas, se a verdade existe, só pode estar com alguns pobres, de coração puro e livre.



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal