Pequena cronologia distrital



Baixar 84,43 Kb.
Encontro04.08.2017
Tamanho84,43 Kb.

Pequena cronologia distrital 1
Ulisses Passarelli
(Ofereço à confreira sra. Mara Ávila)
Pouco antes de seu falecimento em 29/02/2000 o cajuruense José Alencar de Ávila Carvalho, deixou um pedido a mim e ao também confrade e seu sobrinho, igualmente do Cajuru, José Antônio de Ávila Sacramento: que voltássemos nossos olhos para a história distrital, sua cultura e seus aspectos geográficos.

Atendendo a seu pedido, apresento mais uma modesta contribuição ao conhecimento dessa história, numa rápida revisão bibliográfica, acrescida de notas jornalísticas. A coletânea visa facilitar a compreensão dos dados disponíveis que se encontram muito esparsos. Pela citação da origem dos informes, pode o interessado aprofundar no assunto procurando a fonte original.

A tabela seguinte expõe a população de cada distrito de São João del-Rei, os nomes que já tiveram e a quilometragem da vila que o encabeça à sede do município. Os dados demográficos procedem do senso do IBGE, que informa que a população total do município era de 45.575 habitantes em 1950 e de 78.616 habitantes no ano 2000. O número deste último é questionado por algumas pessoas, que o supõe maior.


DISTRITO

NOMES ANTERIORES

POPULAÇÃO (hab /1950)

POPULAÇÃO (hab./2000)


DISTÂCIA


(à sede)

São Gonçalo do Amarante

São Gonçalo do Brumado, Caburu

378

810

18 Km

São Miguel do Cajuru

São Miguel do Cajuru, São Miguel, Arcângelo

316

1.140

36 Km

Emboabas

São Francisco de Assis do Onça, Onça

200

1.129

35 Km

São Sebastião da Vitória

Victoria

264

2.003

17 Km

Rio das Mortes

Santo Antônio do Rio das Mortes Pequeno

693

2.586

12 Km

* * *


1722:

- Ano do compromisso da Irmandade de Santo Antônio do Rio das Mortes.


1727:

  • Uma provisão datada de 13 de janeiro, autoriza a construção da Capela de São Francisco de Assis, na localidade chamada Onça (WAB).


1728:

  • O Revdo. Dr. Manoel da Rosa Coutinho dá a bênção à capela do Onça (WAB).


1732:

  • Autorização por parte do bispado do Rio de Janeiro para a edificação da Igreja de São Gonçalo do Amarante, na vila homônima. (SOC).


1738:

  • A 10 de fevereiro é batizado Gonçalo, na igreja de São Gonçalo do Amarante. Era filho de Lourenço Ribeiro Brito e de Quitéria Corrêa de Almeida. O celebrante foi o capelão Pe. Dionísio Ferreira Alves. (SOC).


1746:

  • Auto de vereança determina a Francisco Ribeiro, ‘morador ao pé de S. Gonçalo’, a Francisco Martins Guimarães e a seu sócio Antônio Duarte, moradores no Sítio do Pega Bem, que providenciassem a abertura de caminhos”. (SOC).


1759:

  • A 21 de março, Francisco Lobo Rios é eleito almotacel2 do distrito do Rio das Mortes (SOC).


1829:

  • A 3 de julho, Manoel José da Silva é nomeado para o cargo de zelador da Capela de São Gonçalo do Amarante.(SOC)


1832:

  • Um decreto regencial de 14 de julho, “elevou a paróquias 32 curatos, rebaixou a curatos 10 paróquias e transladou de um lugar a outro duas delas”. Dentre os curatos favorecidos com promoção estava São Miguel do Cajuru e São Francisco do Onça (JVB)


1833:

  • Criação da Freguesia de São Miguel do Cajuru por provisão episcopal de 07 de agosto. Foi designado como responsável o Padre Isidoro Correia de Carvalho (WAB).


1840:

  • A 14 de abril, José Cândido Alves é confirmado para o posto de Inspetor de Quarteirão de São Gonçalo do Brumado. (SOC).


1850:

  • A lei nº 472, de 31 de maio, restaura o distrito de São Gonçalo do Brumado que fora abolido na primeira metade daquela centúria (WAB).


1864:

  • A lei nº1.199, de 9 de agosto, transfere a sede da freguesia do Cajuru para o Onça e altera as divisas entre os dois (JVB).

  • Lei nº 1.215 disponibiliza 1:500$000 para construção de uma ponte distrital, sobre o Ribeirão Barba de Lobo, entre São João e bom Jardim (JVB).


1865:

  • Lei nº 1.265, de 19 de dezembro, suprime o distrito de São Gonçalo do Brumado (WAB).


1866:

  • Lei nº 1.268, de 02 de janeiro, autoriza construção de uma ponte sobre o Ribeirão do Chaves, na estrada de São João del-Rei à Côrte (JVB).


1868:

  • Lei nº 1.561, de 20 de julho, restabelece o distrito de São Gonçalo do Brumado (WAB).


1870:

  • A lei nº1.671, de 17 de setembro, volta com a sede da Freguesia de São Francisco do Onça para São Miguel do Cajuru (WAB).


1871:

  • Lei nº 1.795, de 25 de setembro, marca as divisas entre as paróquias do Cajuru e Madre de Deus; lei nº 1.796, da mesma data, entre a freguesia do Cajuru e o distrito do Rio das Mortes (JVB).


1875:

  • A lei nº2.103, de 04 de janeiro extingue o distrito de São Gonçalo do Brumado (WAB).

  • A lei nº 2.142, de 28 de outubro, novamente restaura o mesmo distrito (WAB).


1876:

  • A lei nº 2.281, de 10 de julho, eleva a Capela de Santo Antônio, no Rio das Mortes a matriz paroquial. Engloba também o distrito de São Gonçalo do Brumado, como freguesia (WAB / JVB).


1880:

  • A lei nº2.674, de 30 de novembro, de novo traz a sede da freguesia do Cajuru para o Onça (JVB).


1883:

  • No Rio das Mortes as ruas estavam intransitáveis em virtude das intensas chuvas. A imprensa, avisando à Câmara, clamava calçamento para o fim da lama, sobretudo da entrada do Ribeirão das Pombas e da descida do Cascalho (Arauto de Minas, n.7, 20/04/1883).

  • A lei nº 3.117, de 17 de outubro, prevê a consignação de 400$ para a canalização de água potável no arraial do Rio das Mortes (JVB).


1884:

  • A lei nº3.199, de 23 de setembro ainda outra vez eleva o Onça a freguesia, depois de em data anterior (não identificada), ter perdido tal condição para o Cajuru (JVB).


1887:

  • A freguesia do Onça é elevada a paróquia em 11 de março, sendo primeiro pároco o Pe. Lourenço Sabatelli.

  • Inaugurada a estação ferroviária de Ibitutinga, a 20 de janeiro (JVB).


1890:

  • Decreto nº 131, de 03 de julho eleva o antigo distrito policial de Santo Antônio do Rio das Mortes Pequeno a distrito de paz e extingue a Freguesia de São Gonçalo do Brumado. Este também passa a distrito de paz (WAB / JVB).


1895:

  • Uma grande movimentação política é registrada no povoado de Ibitutinga, contra a candidatura do deputado sr. Severiano de Resende (O Resistente, n.7, 01/06/1895).

  • Professor ameaçado. Sabemos que no arraial do Onça, se premeditam violencias contra o professor publico, por ter o mesmo, no pleito do dia 9, protestado contra irregularidades do procedimento à mesa eleitoral”. (O Resistente, n.12, 19/06/1895). O nome desse professor era Antônio de Moura Freitas. Tentaram demití-lo, mas o caso terminou com sua transferência para Thebas, distrito de Leopoldina.

(O Autonomista, n.19, 10/10/1895).

  • Animada festa no Onça, religiosa e popular, de 3 a 6 de outubro, com pregação do Cônego Francisco da Rocha Nunam, Pe. João Câncio dos Reis Meirelles e Pe. Mestre José Pedro Guimarães. Festeiro: Mj. José Venâncio de Paula. “A musica regida pelo professor José Venacio de Paula, de Nazareth, esteve magnifica”. (O Autonomista, n.19, 10/10/1895).


1897:

  • A vacância nas cadeiras distritais de instrução primária seria preenchida por concurso: São Francisco do Onça (feminina), São Miguel do Cajuru (masculina), São Gonçalo do Brumado (feminina). (O Resistente, n.90, 13/05/1897)

  • O sub-delegado de polícia do Cajuru, Henrique Carvalho de Araújo, pede exoneração do cargo. (O Resistente, n.91, 20/05/1897)


1898:

  • São noticiadas as animadas festas do Santíssimo Sacramento em São Miguel do Cajuru (O Resistente, n.141, 12/05/1898).


1899:

  • O Directorio Republicano Constitucional Cajuruense, reuniu-se no dia 19 de Fevereiro de 1899, para deliberar sobre a escolha do que tem de ser eleito Juiz de Paz na vaga existente, pela renuncia do cidadão Henrique Martins Gonçalvez, fica resolvido, por maioria, que seja eleito o cidadão Capitão Jeronymo Ribeiro das Dores, para preencher a referida vaga. O Secretario, Joaquim Tiburcio de Carvalho” (S. João d’El-Rey, n.04, 25/02/1899).

  • Cajurú. O abaixo assignado penhoradissimo agradece ao brioso e independente eleitorado d’este districto, pela distincção de que foi alvo no pleito de 5 de Março, vendo sufragado o seu humilde nome para o espinhoso cargo de 1º Juiz de Paz. S. Miguel do Cajurú, 6 de Março de 1899, Jeronymo Ribeiro das Dores” (S. João d’El-Rey, n.7, 11/03/1899).


1900:

  • Lei municipal nº70, de 15 de janeiro, cria o distrito de “Victoria” (WAB / JVB).

  • Inauguração da ponte sobre o Rio das Mortes Pequeno, no distrito do Rio das Mortes, a 28 de outubro, com benção, missa e discursos (O Combate, n.21, 31/10/1900).

  • Lei municipal nº78, de 23 de novembro, suprimi o distrito de paz de São Gonçalo do Brumado (JVB).


1901:

  • Na festa do padroeiro do Rio das Mortes a imprensa destaca a atuação da orquestra local (O Combate, n.67, 01/06/1901).

  • Divulgação dos nomes das autoridades responsáveis pelo então recém-criado distrito de Vitória: Subdelegado – Dr. Salathiel Ribeiro de Paiva; Primeiro Suplente – Isidoro Ribeiro de Carvalho; Segundo Suplente – José Bueno da Silva; Terceiro Suplente – João Baptista de Carvalho (O Combate, n.101, 14/07/1901).

  • Moradores do Rio das Mortes rogavam um serviço de correio. Sugeriam para maior facilidade, que o carteiro do Cajuru, na ida e volta, passassem também por aquela vila (O Combate, n.88, 15/08/1901).

  • Dos pastos da Victoria, municipio de S. João d’El-Rey desappareceram há dias uma besta côr de pinhão, regulando sete palmos de altura, marchadeira, e com pequena esfoladura sobre o lombo direito – muito manteúda e fina de corpo. Quem della der noticias em S. João d’El-Rey, ao sr. Luiz d’Angelo & Irmãos ou aos srs. Grippi & Irmãos será gratificado” (O Resistente, n.412, 15-17/08/1901).

  • Animadas festas de Nossa Senhora Aparecida são efetivadas no Rio das Mortes, com missa, procissão, Te Deum Laudamus e terço para São Benedito (O Combate, n.103, 19/09/1901).

  • Inquérito sobre o assassinato de Bernardino Leite por causa de eleições: “perpetrado em acto continuo a uma eleição que acabava de ser concebida no districto do Rio das Mortes” (O Resistente, n.421, 19-21/09/1917).

  • Projeto de lei do Dr. Paulo Teixeira, aumenta as divisas do distrito do Rio das Mortes, o que foi possível graças à extinção do distrito de São Gonçalo do Brumado (O Combate, n.108, 01/10/1901).

  • Resolução n.271 da câmara, datada de 30 de outubro, autoriza o executivo a por em hasta pública o serviço de abastecimento de água do Cajuru, conforme orçamento do engenheiro municipal. A notícia só saiu na imprensa no ano seguinte (O Combate, n.137, 01/01/1902).

  • O Padre Francisco de Sales Torga, vigário do Cajuru, providenciava a compra de um aparelho de iluminação, a gás acetileno, para a matriz daquele distrito (O Combate, n.122, 09/11/1901).

  • Anúncio da imprensa de um festejo de Santa Cecília no Rio das Mortes, a realizar-se a 24 de novembro, prometia muitas confissões e comunhões (O Combate, n.123, 12/11/1901).


1902:

  • Segundo a resolução nº.271 da Câmara Municipal, datada de 30 de outubro de 1901, “fica o Agente Executivo auctorizado a por em hasta publica de accordo com o orçamento do Engenheiro Municipal, o serviço de abastecimento d’agua do districto de S. Miguel do Cajurú”. (O Combate, n.34, 01/01/1902).

  • Em Vitória, uma festa de São Benedito, promovida pela esposa do Major José Procópio, por uma promessa feita pelo restabelecimento de um filho (O Combate, nº166, 16/04/1902).

  • Em São Miguel do Cajuru realizou-se pomposas festas em honra ao Santíssimo Sacramento e Coração de Jesus e Maria, a 29, 30 e 31 de maio. O Conselho districtal muito tem contribuido para o realce dessas festas, promovendo o calçamento e asseio das ruas do arraial” (O Combate, nº169, 28/05/1902).

  • Ocorre grande confusão por questões eleitorais no Onça (O Combate, n.199, 18/09/1902).

  • Animada festa de Santa Cecília é noticiada no Rio das Mortes (O Combate, n.216, 27/11/1902).


1905:

  • A lei n.133, de 24 de agosto, cria uma escola municipal do sexo masculino, em Vitória (O Repórter, n.36, 24/09/1905).

  • No Cajurú, freguezia d’este municipio, a 4 leguas da cidade recomeçaram-se trabalhos de mineração (...) Freguesia do Municipio de S. João d’El-Rey, entre o pequeno e o grande Rio das Mortes. Possue minas de ouro que, supposto fossem outr’ora muito trabalhadas, não estão contudo esgotadas” (NS).


1906:

  • A Ponte de Moinhos que dá acesso ao Cajuru encontrava-se em péssimo estado de conservação, dificultando a travessia (O Resistente, n.796, 11-14/05/1906).

  • A lei n.142, de 27 de julho, aprova contrato firmado no dia anterior com Antidio Dias da Fonseca para a construção da Ponte de Moinhos, na estrada para o Cajuru (O Repórter, n.39, 28/10/1906).


1909:

  • Notícia de três dias festivos (10, 11 e 12 de junho) no Cajuru, em honra ao Santíssimo Sacramento e Nossa Senhora, com missas e procissões, sendo que, “em todos os actos tocou a corporação musical do districto, sob a regência do professor Christiano Müller”. Além do vigário, estiveram presentes o Monsenhor José Pedro Guimarães e o Padre Heitor Augusto da Trindade (O Repórter, n.47, 17/06/1909).



1910:

  • Em São Miguel do Cajuru “effectuaram-se no dia 8 do corrente os exames do collegio Coração de Jesus, deste districto, regido pela Professora normalista, a senhorita Gilda Fonseca, com comparecimento de muitas distinctas familias e autoridades locaes que deram ao acto toda solemnidade muito impressionando aos assistentes, pela boa harmonia e obzequiosidade da professora e família, e pelo adiantamento das alunas do dito collegio”. (A Opinião, nº70, 19/mar.).

  • Inauguração da agência dos Correios em Vitória (A Opinião, n.102, 16/jul.).


1912:

  • Um surto de varíola ataca as proximidades do Cajuru e assombra os moradores. José Pedro de Morais, Juiz de Paz dessa vila, oficia à administração municipal. O prefeito para lá enviou o Dr. F. Catão, com destino a tomar as providências necessárias para debelar aquele mal (A Opinião, nº129, 15/02/12). .


1913:

  • Em Vitória ocorre a inauguração do sistema de abastecimento de água a 19 de janeiro (SOC).


1917:

  • Enchente flagela o arraial do Rio das Mortes e seus arredores, causando vários danos, sobretudo nas plantações de arroz (O Zuavo, n.99, 21/01/1917).


1922:

  • Notícia de procissão no Rio das Mortes, terço, presença da banda local, passando o préstito religioso pela nova ponte, “onde uma multidão calculada em mais de mil pessoas, teve ocasião de verificar a solidez da construcção moderna e elegante da obra em boa hora, ordenada pela digna Camara Municipal”. Houve comício, com discursos em prol da reação republicana, tomando a palavra Álvaro Bastos, Alencar Assis, Alfredo de Carvalho, Francisco Theodoro e Antônio d’Angelo (O S. João d’El-Rey, n.102, 23/02/1922).


1923:

  • Lei nº843, restabelece a Freguesia de São Gonçalo do Brumado, com o novo nome de Caburu (WAB).

  • Instala-se serviço de correio no Caburu (A Tribuna, n.467, 08/04/1923).

  • Faleceu a 21 de agosto em São João del-Rei o famoso “Mestre Ventura” (Domingos Ventura Pinto), português, natural de Vila Paraíso, Porto, onde nasceu a 17/03/1879. Trabalhou muitos anos na EFOM., de forma especialmente marcante no distrito de São Gonçalo do Amarante, onde existiu inclusive uma estação com o seu nome, no quilômetro 127 da ferrovia. Foi demolida. Dela resta a plataforma de pedras, vestígios do alicerce e ainda a caixa d’água (obs.2005). Nomeia também um viaduto da Ferrovia do Aço naquele distrito (Tribuna Sanjoanense, nº411, 04/05/1923. Autor: Sebastião de Oliveira Cintra).


1924:

  • No primeiro dia do ano houve a solenidade de instalação do recém-criado distrito do Caburu. As intempéries prejudicaram a cerimônia. Houveram discursos e ao término, banquete (A Tribuna n.506, 03/01/1924 e ed. ss.).

- “Foi nomeado vigario da freguezia de S. Miguel do Cajurú, o Revmo.Pe. Bernardo de Oliveira Barreto, que no dia 20, perante o Vigario Foraneo, Monsenhor Gustavo e seu coadjuctor Frei Candido, fez a profissão de fé, conforme manda a pastoral collectiva (Acção Social, n.470, 22/05/1924). Foi nomeado vigario do Cajurú o remo. Padre Bernardo de Oliveira Barreto, que já se acha á testa daquela freguezia” (A Tribuna, n.547, 29/05/1924) O número seguinte d’A Tribuna, comenta a recepção local ao novo sacerdote. Ao fim dos festejos houve uma eleição para escolha da nova diretoria do “Sete de Setembro Foot ball Club”.

  • Realiza-se neste districto (Cajurú), a 14 e 15 do andante, uma tradicional e concorrida festa, que alli é feita brilhantemente todos os annos” (A Tribuna, n.551, 12/06/1924).

  • No Rio das Mortes, festa do padroeiro Santo Antônio e também em honra a Nossa Senhora, em 13, 14 e 15 de junho. Missa cantada pelo Frei Pedro, acolitado por Frei Zacharias e Frei Optato, professores do Ginásio Santo Antônio, de São João del-Rei. “De noite uma procissão encantadora percorreu as ruas do arraial indo em ala cavalheiros e damas, com grandes levas de virgens e creanças, cooperando para melhor realço dos actos religiosos a excellente banda de musica do mesmo districto.” O texto ressalta o foguetório e a afluência de rurícolas das vizinhanças (Acção Social, n.475, 26/06/1924).


(JVB).___1927'>1926:

  • O Caburu é instalado a 30 de maio como distrito judiciário, pelo decreto 7.232, de 18 daquele mês e ano (JVB).


1927:

  • Promovem-se neste districto (Cajurú), com grande enthusiasmo, as tradicionaes festas de Nossa Senhora, Corpo de Deus e Sagrado Coração de Jesus. Taes festejos devwerão realizar-se nos dias 15, 16 e 17 de junho corrente e promettem revestir-se de muita solemnidade e grande pompa, sendo por isso de esperar-se animadora concurrencia” (O Correio, n.39, 04/06/1927).


1930:

  • Inaugurada a 12/fev. a estação ferroviária de Mestre Ventura, no distrito de São Gonçalo (JVB).


1936:

- Fundada em 10 de maio a conferência vicentina em São Gonçalo do Amarante, no Caburu. Cintra fornece os nomes envolvidos. (SOC).



  • A Lei nº 15, de 31 de dezembro, cria escola nos povoados do Gregório (São Miguel do Cajuru) e Trindade (Rio das Mortes) e a nº 16, da mesma data, no Chaves (São Miguel do Cajuru) (Prefeitura Municipal – Leis e Resoluções – 29 de agosto de 1936-1937. Biblioteca Municipal).


1937:

  • Aos caçadores e ao publico. Os abaixo assinado, proprietarios das fazendas situadas na zona limitada pela placa da Estrada da Capella do Rio Grande proxima do Arraial da Victoria até ás proximidades do Arraial do Cajurú e as margens do referido Rio Grande fazem publico que, não mais consentem caçadas em terrenos de suas propriedades, usando das prerrogativas que lhes facultam as leis para cohibir os abusos, e, para que ninguem possa allegar ignorancia, fazem publicar este aviso nos jornais locaes. S.João d’El-rey, 12 de Maio de 1937” (O Correio, n.553, 15/05/1937).

  • Resolução nº 10, de 9 de novembro, autoriza o prefeito a contribuir com 3:000$000 para a reconstrução da Igreja do Onça. Seria nesta a reformulação que lhe conferiu o aspecto atual.

  • Resolução nº 29, da mesma data, trata da instalação da luz elétrica no povoado de Ibitutinga. (Prefeitura Municipal – Leis e Resoluções – 29 de agosto de 1936-1937. Biblioteca Municipal).


1938:

  • A caravana da Fundação Rockfeller segue para o Cajuru afim de vacinar a população contra a febre amarela, no dia 11 de maio. A 12 estaria em São Gonçalo do Amarante e a 13 em Ibitutinga (Diário do Comércio, n.55, 10/05/38).

  • Srs. Caçadores: os abaixo assinados, fazendeiros residentes no distrito de São Francisco do Onça, Município de São João d’El-Rey, avisam que dora avante é expressamente prohibido caçar em suas propriedades em qualquer epoca do anno. Fazem um apelo, para que, os mesmos respeitem este aviso. Os infractores serão punidos de acordo com o Codigo Civil e Codigo de Caça e Pesca, aprovados pelo decreto nº 23.672, de 02/01/1934”. Segue a lista de fazendeiros assinantes (O Correio, n.605, 14./05/1938).

  • Decreto-lei nº148, de 17 de dezembro reduz os nomes dos distritos: “São Miguel do Cajuru” para São Miguel e “São Francisco de Assis do Onça” para Onça, “Santo Antônio do Rio das Mortes Pequeno” para Rio das Mortes (WAB).


1939:

  • A Ponte do Patronato (sobre o Ribeirão São Francisco Xavier) estava em péssimo estado de conservação dificultando o acesso aos distritos de Caburu e Santa Rita do Rio Abaixo (na época distrito são-joanense; independente desde 1962 com o nome de Ritápolis). Esta ponte não existe mais, pois com a pavimentação da BR-... ela foi substituída por uma galeria, logo após o CETAN (Diário do Comércio, nº360, 20/05/1939).


1941:

  • O acesso a São Miguel do Cajuru estava muito prejudicado pelo péssimo estado de conservação dos mata-burro. A prefeitura desviou a madeira destinada ao seu reparo para outras obras na cidade, denunciava o jornal (Diário do Comércio, nº981, 08/06/1941).


1943:

  • A 31 de dezembro é alterado o topônimo São Miguel para Arcângelo e Onça para Emboabas, pelo decreto-lei nº1.058 (WAB).


1945:

  • O grupo escolar de São Gonçalo do Amarante desaba devido ao abandono no qual as autoridades o deixaram (Diário do Comércio, nº2254, 14/09/1945).


1947:

  • Sobre a pressão política no Rio das Mortes foi noticiado: “segundo informações fidedignas, teria estado ante-ontem, na vila do Rio das Mortes, um oficial da polícia, envergando vistosa farda, em companhia do juiz de paz Avelino Soares, recem-nomeado, autoridades essas que procuravam correligionários notórios do deputado Tancredo Neves, aos quais fizeram ver a inconveniência de continuarem fiéis a esse prócer politico e desenvolvendo atividade eleitoral, pelo que os intimaram a se retraírem. Esse simples relato denuncia o inicio de abusos que o nosso povo não tinha noticias a decenios” , etc. (O Correio, n.2.111, 15/06/1947).

  • Sobre esse caso supra-relatado, o Major José Marques Filho, de Belo Horizonte, enviou uma carta datada de 26 de junho, defendendo os acusados e justificando-os, taxando a situação de mal entendido (O Correio, n.2114, 06/07/1947).


1948:

  • Eleitor de Arcângelo. Só votando em JOSÉ GUIMARÃES terá o seu florescente distrito um representante direto na Câmara Municipal. Em JOSÉ GUIMARÀES terá esse distrito um devotado defensor dos vitais interesses do seu povo e esse povo altivo, com o seu voto, terá reafirmado a sua independência, impondo-se ao respeito daqueles que desprezaram o seu direito cívico” (O Correio, n.2.162, 16/05/1948).

  • Repetida a eleição em Arcângelo em razão de uma urna anulada. Severas críticas à UDN (O Correio, n.2.163, 23/05/1948).


1958:

  • A iluminação elétrica chega a Emboabas (O Correio, n.2.924, 18/05/1958). Deve ser uma extensão da rede de iluminação, pois J. V. Barbosa dá a data de 01/01/1930 como da inauguração da luz nesse distrito.


1962:

  • A lei nº2.674, de 30 de dezembro, cria o distrito de São Sebastião da Vitória. Aí atuou como pároco por muitos anos, de célebre e saudosa memória, o Pe. Antônio Domingos Batista Lopes (30/11/1988). Seguiram-lhe no cargo: Pe. José Roberto Vale Silva (Administrador Paroquial), Pe. Dr. Fábio Rômulo Reis e atualmente, Pe. Sílvio Firmo do Nascimento (D).


1967:

  • Criada a paróquia de São Francisco de Assis, de Emboabas, a nove de abril, sendo pároco o Frei Orêncio Vogels (D)


1969:

  • Lei nº 1.073, de dois de maio, “autoriza a celebração de convênio entre a Diretoria Regional dos Correios e Telégrafos de Juiz de Fora e a Prefeitura Municipal de São João del-Rei para a criação do Posto do Correio nos distritos de Emboabas e Caburu” (A Comunidade, n.10, 22/05/1969).

  • A 19 de junho é inaugurada a balsa ligando Capela do Saco (Carrancas) e Caquende (S.J.del-Rei). O bispo D.Delfim Ribeiro Guedes celebrou uma missa sobre a balsa. A seguir discursaram os prefeitos de ambos municípios. No final houve um churrasco confraternizador (A Comunidade, n.12, 15/07/1969).


1972:

  • O poder municipal constrói uma ponte em Moinhos, obra do Engenheiro Dr. Luiz Natali Baccarini (Ponte da Cadeia, n.243, 21/05/1972).


1974:

  • Corre notícia muito bem vista, da instalação de uma siderúrgica na área do distrito do Rio das Mortes (Ponte da Cadeia, n.331, 08-15/07/1974)


1977:

  • Uma disparatada notícia de que o Rio das Mortes passou à condição de bairro da cidade surge nesse ano: “embora a distância que existe até lá, foi elevado a Bairro, integrando-se definitivamente ao município de São João del Rei. Será receio do fantasma da emancipação? Com a (siderúrgica) BOZEL a antiga vila ficou muito importante” (O Sabiá, n.2, 31/03 – 07/04/1977).


1980:

  • A administração Otávio de Almeida Neves faz serviços de abastecimento de água em São Gonçalo do Amarante, ampliação do serviço de iluminação pública no Rio das Mortes e inaugura a 14 de setembro grupo escolar novo nos povoados da Vendinha e Chaves (Tribuna Sanjoanense, nº323, 08/12/1980).


1984:

  • Serviço de terraplenagem e pavimentação da rodovia ... que liga a BR-265 (e por conseguinte São João del-Rei) à Madre de Deus de Minas e sul do Estado. É a principal via de acesso ao distrito de São Miguel do Cajuru (Tribuna Sanjoanense, nº457, 20/09/1984).


1989:

  • Durante a administração municipal de Rômulo Viegas, ganham postos telefônicos a Vila de Emboabas, o povoado do Morro Grande (naquele distrito) e a Vila do Caburu (Jornal de S. João del Rey, n.138, 09/09/1989; n.139, 17/09/1989; n.140, 01/10/1989).


1990:

  • Noticiado um novo serviço de abastecimento de água no Rio das Mortes (Jornal de S. João del Rey, n.150, 25/02/1990)

  • Anunciada a instalação de água para o povoado de Largo da Cruz, no distrito do Rio das Mortes (Jornal de S. João del Rey, n.155, 15/07/1990)

  • Instalada uma escola primária no povoado do Caxambu, no distrito do Caburu (Jornal de S. João del Rey, n.156, 05/08/1990).


1998:

  • É instalado o serviço de abastecimento de água do povoado da Canela, no distrito do Rio das Mortes. Segundo a imprensa, obra do prefeito Fernando Félix Vera Cruz (Tribuna Sanjoanense, n.936, 02/06/1998)


1999:

  • Em fevereiro são retomadas em Ibitutinga as obras de fundação da nova Ponte de Santa Rita, entre os municípios de São João del-Rei e Ritápolis, sobre a BR-494.

  • Em fase de construção um posto policial na vila do Rio das Mortes (Tribuna Sanjoanense, n.980, 18/05/1999)

  • Em julho, o então prefeito Fernando Félix Vera Cruz, inaugura em Arcângelo a reforma do posto de saúde, que se achava muito precário. Na ocasião foi instalado o serviço odontológico, até então ausente. O autor dessa cronologia foi o dentista designado para aquela unidade de saúde pública.


2000:

  • As autoridades decidem conservar o lixão da cidade na estrada que vai para o Morro Grande, próximo ao presídio, contudo sob melhor controle sanitário (Gazeta de São João del-Rei, n.78, 22/01/2000).

  • Em março é enfim removido o quebra-molas que ao lado da igreja do Cajuru estava colaborando para abalar suas estruturas, devido ao trânsito freqüente de pesados caminhões carregados de carvão. A remoção só foi possível pelos esforços abnegados de José Antônio de Ávila Sacramento que transpôs barreiras de interesse político de um vereador natural daquele distrito (O Grande Matosinhos, n.6, abril/2000; Gazeta de São João del-Rei, nº84, 04/03/2000).


2003:

  • A três de maio, houve instalação de um novo cruzeiro no Cajuru, de grande valor artístico, construído pelo artista sacro Osni Paiva. Houve missa campal, jantar aos presentes, serenata, baile (Tribuna Sanjoanse, n.1.129, 13/06/2003. Texto de José Antônio de Ávila Sacramento).


2004:

  • Cajuru. Inaugurada a 1º de março pelo prefeito Nivaldo José de Andrade, a escola municipal de 1º grau “Padre Miguel Afonso de Andrade Leite”, com três salas de aula, cozinha, sala de professores, banheiros.

  • Criada em São Gonçalo a folia do Divino, sob a chefia de Lourival Amâncio de Paula (“Vavá”). Além de congadeiro, é também folião, afeito a outras modalidades de folia.


2005:

  • Falece a 05 de dezembro, José Leonardo de Paula (“Juca”), de São Gonçalo do Amarante. Folieiro antigo e capitão do congado local, era grande instrumentista, sendo exímio tocador de violão, banjo e caixa e figura conhecida nas quadrilhas, pastorinhas, além de tocar no coro da igreja. O mesmo “Vavá” supracitado, que já era o 2º Capitão, assume de a dianteira do congado.


2006:

  • Tentativa de homicídio é registrada em São Miguel do Cajuru a 12 de maio, fruto da briga de um casal. A mulher agrediu o homem com golpes de canivete e o mesmo foi hospitalizado. Ela foi presa em flagrante (Gazeta de São João del-Rei, n.403, 20/05/2006).

  • Em 23 e 24 de setembro realiza-se a VI Festa do Cavalo, em Emboabas, com concursos de marcha, baliza, tambor, tocadores de berrante, shows musicais (Folha das Vertentes, n.62, set./2006).

  • A mesma fonte da notícia anterior, denunciou poluição por esgoto do Córrego Tapera, em São Sebastião da Vitória, fruto do transbordamento de uma fossa séptica coletiva, por falta de manutenção.

  • Construção de várias quadras poliesportivas pela prefeitura, no segundo semestre: povoado de Zueira (distrito de São Miguel do Cajuru), São Gonçalo do Amarante, Rio das Mortes, Emboabas, São Sebastião da Vitória. Também uma rede de drenagem pluvial no Buracão, vila do Rio das Mortes.

  • José Antônio de Ávila Sacramento, Wainer de Carvalho Ávila e Osni Geraldo de Paiva, protocolizaram a 26 de setembro um pedido de abertura de processo de canonização do Padre Miguel Afonso de Andrade Leite, perante a diocese de São João del-Rei. O mesmo deixou vasta obra religiosa e social no Cajuru, onde está sepultado e é de memória respeitadíssima. O povo considera sua alma como santa (Jornal de Minas, n.76, 16-23/10/2006).

  • Lei nº 4058, de 06/09/2006, considera de utilidade pública, o Conselho Central São Sebastião da Vitória (Atos Oficiais, n.7, nov.2006).

  • Lei nº 4.063, de 04/10/2006, considera de utilidade pública, a Corporação Musical Aquiles Rios e Banda Lira São Sebastião (idem).


2007:

  • Distrito de Emboabas tem seu Posto do Correio fechado desde o princípio do ano e moradores sofrem prejuízos com atrasos para pagamento de contas, além de recebimentos atrasados de correspondências. O do distrito do Rio das Mortes também foi fechado e os dos demais distritos correm risco de fechamento. Foi criado um impasse com a prefeitura e os habitantes estavam se solução. No Emboabas ainda à mesma época o problema da falta de ambulância era outra aflição para os moradores. (Gazeta de São João del-Rei, n.445, 10/03/2007).

  • Moradores do Rio das Mortes sofrem com problema de falta de água. Escola local chega a interromper as aulas por este motivo (Gazeta de São João del-Rei, n.447, 24/03/2007)

  • No dia 11 de julho o Prefeito Municipal de São João del-Rei, sr. Sidney Antônio de Sousa, sancionou a Lei nº4.138 que recuperou o nome original do distrito do Rio das Mortes: Santo Antônio do Rio das Mortes Pequeno. Assim revogou-se o Decreto-lei nº 148, de 17/12/1938, o qual havia encurtado o nome histórico (Fotocópia da lei gentilmente cedida por José Antônio de Ávila Sacramento).

  • O secretário de saúde anunciou que os são-joanenses da zona rural não mais precisariam vir à cidade para fazer exames de sangue, urina e fezes, haja vista que as coletas estariam sendo feitas nas Unidades Básicas de Saúde dos próprios distritos (Gazeta de São João del-Rei, n.481, 17/11/2007).

  • No dia 27 o Ministério Público encaminhou recomendação ao prefeito, solicitando que o mesmo enviasse um projeto de lei à Câmara determinando o fim das isenções de pagamento da taxa de água dos distritos e funcionários públicos, sob alegação de ser inconstitucional. A isenção se baseia nos artigos 9º e 10º da Lei nº 3.277, de 1996, que foi incorporada à Lei Orgânica. A posição do gestor municipal foi a de aguardar a comprovação da inconstitucionalidade para então tomar as devidas providências (Gazeta de São João del-Rei, n.483, 01/12/2007).

  • Aprovado em segundo turno o Projeto de Lei nº 5.421 que concede isenção de pagamento de passagens aos maiores de 65 anos que residam em nossos distritos (Gazeta de São João del-Rei, n.485, 15/12/2007)


Breves comentários
Através da ligeira observação dessas notas e dos textos que lhes serviram de fonte, se observa com clareza, que nossos distritos desde sempre foram desassistidos pelo poder público municipal. As poucas obras tais como calçamentos, pontes, escolas, postos de saúde, postos telefônicos e de postagem, embora da obrigação administrativa, quando instalados ou reformados, no geral, eram tratados como favores promovidos por prefeitos e vereadores. São vias de arregimentar mais votos na próxima eleição. Daí a propaganda das obras ser maior que elas próprias. Passeando pelas ruas das vilas se nota que muitas vezes tais “benfeitorias” ficam muito aquém das reais necessidades de seus moradores e sua qualidade é algumas vezes duvidosa.

Uma verdadeira briga de influência se estabeleceu entre o Onça e o Cajuru, distritos ou freguesias repetidas vezes abolidos e restabelecidos, por razões desconhecidas, plausivamente por disputa de ordem política, entre chefes distritais, num jogo de influências. O assunto merece estudo específico.

O distrito de São Gonçalo do Amarante, o menor em extensão e população, foi também várias vezes anulado e reconstituído, provavelmente por questões políticas.

Em todos os distritos observava-se forte vida política, chefiada pelos ricos fazendeiros, verdadeiros “coronéis civis”, cuja ordem era francamente acatada. Notícias dão conta da amplitude dos comícios.

Quanto à população no município, o percentual em 1950 era muito equilibrado entre os meios rural e urbano, sendo respectivamente de 48,54% (24.560 hab.) e 41,54% (21.015 hab.). É bem verdade que nos anos seguintes, três distritos se emanciparam nesse período (Nazareno, Ritápolis e Conceição da Barra de Minas), diminuindo os totais. Apesar do crescimento dos cinco distritos remanescentes é notório como os percentuais de população diminuíram em 2000: estavam em 6,54% para a zona rural (4.831 hab.) e 93,46% para a urbana (73.785), denotando com clareza a força do êxodo do campo para a cidade nesse meio século.

As efemérides do historiador Cintra – obra monumental – expõem muitos dados sobre habitantes dos nossos distritos, com informações genealógicas e sobre suas atividades profissionais. O acesso é fácil através de seu índice remissivo.

Por fim há de se observar a grande importância das festas católicas nessas comunidades, anualmente quebrando a rotina e reunindo toda a população rural de derredor das vilas.
Referências bibliográficas e respectivas siglas
1- BARBOSA, José Victor. S. João d’El-Rey atravez suas ephemerides. São João del-Rei: Casa Assis, 1930. 47 p.il. (JVB)

2-BARBOSA, Waldemar de Almeida. Dicionário Histórico e Geográfico de Minas Gerais. Belo Horizonte: Saterb, 1971. (WAB)

3- CINTRA, Sebastião de Oliveira. Efemérides de São João del-Rei. 2v. (SOC)

4- SENNA, Nelson de. Chorografia mineira: municipio de S. João d’El-Rey. Revista do Arquivo Público Mineiro, Belo Horizonte, Imprensa Oficial, 1905. V.1 e 2. (NS)

5- Jubileu de Prata da Diocese de SJDR. Juiz de Fora: Esdeva, 1985. (D)

6- Enciclopédia dos Municípios Brasileiros. Rio de Janeiero: IBGE, 1959. V.27, R-Z, Minas Gerais.



1 - In: Revista do Instituto Histórico e Geográfico de São João del-Rei, v. 12, 2007.

2 - “Antigo inspetor de pesos e medidas que fixava o preço dos comestíveis” (Dicionário Prático Ilustrado, Lello & Irmão).




©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal