Paixão de cristo



Baixar 89,25 Kb.
Encontro13.07.2018
Tamanho89,25 Kb.

PAIXÃO DE CRISTO
1 – Toda a vida pública de Jesus: é ensinar a Lei de Deus.
Esta acção de Jesus manifesta-se por ensinar o amor e ensinar o caminho:

- honestidade; amor ao próximo; compreensão; compaixão; caridade; perdão; etc.

Tantas virtudes que aplicadas à nossa vida nos transformarão em bons cristãos e homens livres de grilhetas da carne e homens de corpo inteiro; dignos herdeiros do reino dos céus e dignos do amor de Jesus Cristo.
2 – Hoje vivemos na terra
Enquanto caminhamos na terra, é-nos muito difícil separarmo-nos da sua atracção.

Queremos ter tudo; queremos ser ouvidos; ser distinguidos, por vezes muito respeitados, não por aquilo que somos, mas pelo que temos.


A terra atrai-nos para o seu núcleo, criando sérias dificuldades ao nosso distanciamento das coisas materiais, mas este é o desafio que Jesus nos faz: “DEIXA TUDO E SEGUE-ME”, disse ele.
Quando rezamos o Pai Nosso o que dizemos nós?
- Perdoa Senhor os nossos pecados; como nós perdoamos a quem nos ofende!

- Dá-nos Senhor o pão nosso de cada dia

- Livra-nos de todo o mal
Ao ler os evangelhos, Jesus vai-nos preparando para que tenhamos consciência de uma outra realidade que é: o reino dos céus “eu não sou deste mundo” disse “Ele”.

Ele quer que nós aos poucos nos vamos preparando para a grande viagem que é a partida para a casa do Pai Celeste.

Ele quer em última análise que nós nos libertemos destas correntes que nos prendem a esta terra.

Não há dúvida que o desafio é enorme, só à altura dos grandes cristãos.

Como lição última a Sua paixão poderá ser vista como o caminho para esta realidade ou seja, o deixarmos o nosso corpo e preocuparmo-nos com o nosso espírito, a tal realidade eterna que fica, quando tudo termina.

A sua paixão transportada para os nossos dias, leva-nos ao nosso mundo interior, é ao olhar para este mundo que nós saberemos qual o papel que temos desempenhado nesta caminhada terrena.


3 – Irmãos
Qual será o papel que temos desempenhado?
- O de Pilatos? – lavamos as mãos e não queremos saber o que à nossa volta acontece?
- O de Barrabás? – Por um infortúnio da sorte consegue fugir à justiça e continuar a praticar o mal pela vida fora? – claro que não!
- Ou será mais o do pecador, que junto a Jesus na cruz se arrepende e pede-Lhe para o levar para o Céu? Eu creio que será mais este!
- E como Irmãos, somos como Pedro? Que O negamos quando confrontados com o nosso testemunho?
- Como elementos da sociedade qual o nosso posicionamento, somos solidários com os fracos ou pelo contrário gostamos da companhia daqueles que dominam; manipulam; como aqueles sacerdotes que manipularam a população para gritarem a morte de Jesus.
- Um bom cristão hoje e amanhã tem que ser um homem crítico, nada o deve cegar, para reconhecer a verdade, esta verdade foi-nos dada por Jesus quando disse: “Eu sou o caminho a verdade e a vida”.
Esta verdade nos nossos dias: Incomoda, torna-nos ansiosos, e porque será?

A resposta a esta pergunta é do foro intimo de cada um de nós, todavia é no nosso interior que ela se encontra; pois é lá que Cristo habita, assim nós queiramos.


Mas a grandiosidade da Paixão de Cristo não está no seu sofrimento (pois tudo isto fazia parte do plano de Deus para o Seu filho), mas sim no que ela hoje, Jesus nos ensina através da sua paixão; então vejamos:
1º. Calvário
Todos temos a nossa paixão para viver:


  1. Não temos todos o nosso calvário? Local onde depositamos as nossas penas, os nossos defeitos, os nossos pecados?


2º. A cruz
Não será ela a nossa própria vida? Não termos nós cada um a sua cruz? Pode ser maior ou menor, mais ou menos pesada, consoante o amor que tenhamos a Deus.

Não temos que transportá-la até ao fim? Este arrastar não será o nosso dia-a-dia com todo o rosário de problemas:


- O trabalho; os filhos; as preocupações com tantos e com todos, o nosso futuro e dos nossos filhos, dos nossos amigos, etc. Os nossos encontros e desencontros que vamos tendo neste caminho.
3º. O julgamento
Todos havemos de ser julgados um dia pelo: o que somos; o que fizemos; qual o amor que distribuímos; como nos comportamos. Ninguém escapa a este julgamento, mesmo que não seja essa a sua vontade.
4º. A flagelação
O que serão as doenças que nos vão tirando o vigor da juventude?

O que será ver partir alguém que amamos muito?

As noticias do mundo?

As acções da mãe natureza? Etc?

Todos temos de sofrer a flagelação para nos prepararmos para o grande final?
5º. A ressurreição
No Domingo de Páscoa contamos Aleluia; Aleluia estamos felizes e dizemos:

Aleluia Cristo ressuscitou! E fazemos bem! É verdade Ele ressuscitou, mas na minha opinião Jesus mostra-nos o seu Amor, dando a vida por nós, para que também nós ressuscitemos.


- Desta morte lenta que por vezes caímos, e sejamos o homem novo; ou melhor o homem ressuscitado em Cristo ou seja; como:
- Aquele médico que dedica toda a sua energia à ciência e põe esse conhecimento ao serviço dos irmãos. E assim servir a Deus.
- Aquele pai e aquela mãe que aplica todos os seus recursos físicos, mentais, espirituais e materiais; estão ao serviço de seus filhos, por vezes não descansam para que nada lhes falte.
- Aqueles avós, elo tão importante na célula familiar, que doam todo o seu amor, nada pedindo senão um sorriso dos seus tesouros – os seus netos.
- Aqueles sacerdotes que desistem da sua vida secular, e consagram-se a Deus para servir os seus irmãos, onde eles quase que desaparecem, para que Deus possa surgir?
- Aquele empresário que contra tudo e contra todos, lá vai cuidando da sua empresa, para que o pão não falte aos seus colaboradores, não é isto servir a Deus?
- Aquele trabalhador que vê no seu trabalho um dom de Deus, e assim respeita-o e respeita o seu local de trabalho, recebendo todo como uma dádiva de Deus; e deve ser respeitado com elevada consideração e dedicação?
- Aquela esposa que cuida da sua família, da sua casa sem se lembrar muitas vezes que ela própria existe e tem necessidades? Tantos exemplos recebemos destas mulheres. Basta termos os olhos abertos.
- Não será um homem ressuscitado aquele esposo que pára um bocadinho os trabalhos do dia-a-dia e colocando os braços em redor da sua esposa lhe diz: “meu Deus como és bonita, sou um privilegiado por te amar tanto”, ou simplesmente, “obrigado por seres minha esposa”.
- Aqueles filhos que antes de dormirem agradecem a Deus, os pais que têm.
- Aqueles amigos que agradecem a Deus o dom da amizade; e pedem pelos seus amigos.
- Por último
Não será um Homem Ressuscitado, aquele cristão que de joelhos, agradece a Deus, o amor do Seu Filho e o dom da nossa vida em Cristo.
Irmãos, em resumo:
Esta é a maneira como vejo nos nossos dias, no nosso tempo, A PAIXÃO/ RESSURREIÇÃO DO NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.
Assim conservo-a sempre comigo, para poder compreender as dores desta vida, e quando elas vêm (ultimamente têm vindo), levo-a ao meu calvário e tudo é oferecido por amor a Deus.
A ressurreição de Cristo
Recorda-me todos os dias o grande amor de Jesus aos homens, esse foi o seu legado:

- antes de deixar a sua forma humana, Jesus oferece-nos a sua Mãe (Bem mais precioso que um filho pode ter) - “Mulher eis o teu filho”, “Homem eis a tua Mãe, disse. Assim, antes de partir deu-nos uma protectora que iria cuidar de nós até ao fim dos tempos, grande prova de amor aquela.


CONCLUSÃO:
Jesus vive somente 33 anos, como um de nós e ensinou tanto que hoje faz sentido, aliás o único sentido para a nossa vida é sermos parte do seu projecto, não derivando para uma vida inútil e sem sentido.
Disse Jesus:
- Amarás o teu Deus acima de todas as coisas

- Honrarás o teu pai e tua mãe

- Amarás o próximo como a ti mesmo

- Amarás os teus inimigos

- Não matarás

- Não adulterás

- Serás simples e humilde pois assim entrarás no reino dos céus.
Encontro em Jesus tudo o que necessito para viver, Ele cuida de mim, assim eu abra a porta do meu coração a Ele.
Seja louvado Nosso Senhor Jesus Cristo.

Decolores







Pág.




©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal