Observatório Natural de Monsanto (nom)



Baixar 2,29 Mb.
Página1/2
Encontro21.07.2017
Tamanho2,29 Mb.
  1   2



Santa Casa da Misericórdia de Canha (SCMCanha)

CANHA, PORTUGAL


Concurso
SENHORA DO MANTO LARGO E AS 14 OBRAS DE MISERICÓRDIA

(SML-14-OM)


INTRODUÇÃO

A Santa Casa da Misericórdia de Canha (SCMC) Canha-Montijo, Portugal é uma organização sem fins lucrativos (IPSS) cuja principal atividade é desenvolver ações tendentes ao bem estar da Comunidade onde está inserida, quer apoiando os mais idosos quer proporcionando um desenvolvimento psico social e educacional aos mais jovens. Promove ações de bem estar social, saúde, cultural, desportivo e habitacional, detém um pequeno departamento cultural que a par de outras actividades também, propõe concursos e outras actividades para jovens talentos.


Os desafios serão criados com a intenção de mobilizar as pessoas para o conhecimento da nossa MISSÃO, de forma a promover ações de auto estima coletiva dos residentes no local, preservação das suas tradições e costumes, acentuando uma ligação que se pretende forte e com vigor de forma a que Canha conheça e conviva com a sua Casa de Misericórdia.
Relembrando a universalidade das 14 Obras de Misericórdia, com uma expressão contemporânea de sentir a ligação secular desta Instituição à terra que justifica a sua existência.
Reconhecendo o valor de uma ideia e sabendo do impacto que esta pode ter no nosso futuro, procuramos ser um lugar de encontro multidisciplinar para compartilhar ideias, projetos, visões e análises sem conhecer limites espaciais ou temporais. Num mundo em constante mudança onde Arquitetura sustentável, novos materiais e design ecológico são já elementos incontornáveis do panorama arquitetónico contemporâneo e futuro, acreditamos que os jovens de hoje com pensamentos do amanhã podem ser uma das chaves para a abertura de novas possibilidades e a construção de um mundo melhor.


OBJETIVO
A Santa Casa da Misericórdia de Canha procura, através deste concurso de ideias, identificar a melhor proposta de intervenção num dos pontos mais significativos de Canha e da sua Casa de Misericórdia - O edifício designado Hospital- sito na zona mais antiga da pequena localidade e pertença da Instituição desde 1664, fornecendo as ferramentas necessárias à observação do estado atual das coisas, incentivando ao olhar critico e design criativo, por forma a levantar discussões e temas esquecidos que a todos dizem respeito.
Embora se pretenda o estudo da envolvente deste edifício e dele próprio, fixa-se a prioridade na apresentação de elemento arquitectónico a erigir na entrada aberta para a rua 25 de Abril.
Ao edifício pretende-se que continue com a mesma volumetria, e recupere a sua traça original

LUGAR
O “Hospital” situa-se na zona mais antiga do casario, Canha, concelho de Montijo. Foi desde há séculos o local onde os habitantes do antigo concelho de Canha e ora freguesia de Montijo, bem como caminhantes e visitantes, encontraram um lugar seguro para alivio das suas dores físicas e espirituais . Ocupa uma pequena área coberta e outra descoberta onde ainda funciona uma pequena clínica mas que a Instituição pretende reabilitar para pequenos apartamentos “ a casa de aldeia dos meus avôs” onde se pretende que se fixem seniores que possam usufruir das condições de apoio social, de saúde, culturais e de lazer, mas com a vertente de poder receber os mais jovens da família que podem com eles partilhar o espaço e também usufruir das actividades de tempos livres que a Instituição pode também dispensar.
Pretende-se contribuir para uma leitura urbanística do espaço designado Hospital e da sua envolvente. Nomeadamente a sua relação com a Igreja da Misericórdia.

Hospital da Misericórdia de Canha
A primeira referência documental, que temos do Hospital da Misericórdia de Canha data de 1664. Contudo, a documentação aumenta a partir do século XIX, nomeadamente a relacionada com as questões financeiras.
Com uma atividade permanente até à data da sua extinção, este equipamento tinha como objetivo prestar cuidados de saúde a toda a população. Tendo sempre aceitado utentes de várias localidades.

Apesar de todas as dificuldades as várias Mesas Administrativas, conscientes da importância deste equipamento para a população, investiram sempre muito na melhoria das instalações. Assim, em 1931 foi construída a sala de operações, tendo a partir de 1932 começado a funcionar a Sopa dos Pobres num barracão construído para o efeito no pátio do Hospital.


Atravessando sempre algumas dificuldades, o Hospital viria a ser extinto com a lei da nacionalização dos hospitais (Dec-Lei nº618/75 de 11 de Novembro de 1975) em 1975 e com ele a extinção, também, da Sopa dos Pobres. Passando o edifício à função de Lar de Idosos, de 1 de Maio de 1978 a 25 de Janeiro de 2005, data da inauguração do Lar de São Sebastião. Atualmente, funciona no edifício a Clínica da Santa Casa da Misericórdia de Canha

Coordenadas geográficas: 38°46'00.3"N 8°37'32.0"W



ELEMENTOS PISTA
O objectivo do concurso SENHORA DO MANTO LARGO E AS 14 OBRAS DE MISERICÓRDIA (SML-14-OM), é o de criação de ideias para um projecto que se possa construir como porta de entrada/oratório, de pequena dimensão, subordinado ao tema e que permita em simultâneo a perceção da padroeira das Misericórdias e de forma equitativa uma referência especifica a cada uma das 7 obras espirituais e das 7 materiais designadas globalmente “ as 14 Obras de Misericórdia”, é incentivada a reflexão acerca da estrutura ali presente. E a ligação com esta outra que se deve desenvolver de forma harmoniosa e volumetria conforme o edificado envolvente. A sustentabilidade e auto-suficiência do projecto serão também pontos importantes sujeitos a avaliação. O incentivo é o de pensar um espaço que domine a relação visitante/natureza urbana, um espaço que estimule o turismo religioso e convide o público a aprender sobre a importância de cuidar das memórias coletivas e a conhecer a génese da fundação de uma Casa de Misericórdia.

ORTOFOTOMAPA

LUGAR DE INTERVENÇÃO/ PROGRAMA
São indicadas sugestões projetuais que poderão, ou não, ser implementadas, ficando ao critério do participante na concepção do projeto. A possibilidade de fazer referência a qualquer norma vigente é também deixada à discrição do participante, e não faz parte da documentação do concurso. Apesar de se tratar de um Concurso de ideias, os candidatos deverão ter em conta a exequibilidade das propostas apresentadas, a fim de proporcionar um certo grau de realismo e viabilidade do projeto.




  1   2


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal