O sr. Reinaldo betãO



Baixar 15,5 Kb.
Encontro18.08.2017
Tamanho15,5 Kb.



O SR. REINALDO BETÃO (PL-RJ) pronuncia o seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, o PL se associa às celebrações pelo transcurso do Dia do Marinheiro, enaltecendo as qualidades e a atuação com que se distinguem os dedicados marinheiros a serviço da Pátria.

Ao mesmo tempo, presta-se o merecido tributo de respeito e reconhecimento ao Almirante Álvaro Alberto da Motta e Silva, que bem representa a excelência do trabalho desempenhado pela Marinha brasileira e a consciência sobre a importância estratégica da ciência e da tecnologia para a segurança e o desenvolvimento do País. Foi ele o emérito professor e almirante nacionalista que presidiu o grupo de trabalho encarregado da criação do CNPq e que teve participação decisiva como representante brasileiro na Comissão de Energia Atômica do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas. Seu nome vincula-se também de forma marcante ao êxito de duas outras instituições: a Escola Naval e a Academia Brasileira de Ciências.

Sobre a Marinha, num breve retrospecto de sua história, localizamos no período logo após a chegada de D. João VI ao Brasil em 1808, os primeiros esforços para a sua instituição como força organizada, a partir da criação da Academia e do Arsenal de Marinha.

A seguir, em função da proclamação da independência do País e sempre respondendo a grandes desafios, tornou-se urgente a necessidade de organizar a Marinha de Guerra, que, de início, contou com a contratação de marinheiros estrangeiros, na maioria ingleses. Vieram, então, para o País personalidades renomadas como Lord Cochrane, John Taylor, John Pascoe Grenffel e outros, entre os que concorreram para fixar as bases para a organização das forças navais no Brasil.

Gravadas em letra de ouro na memória nacional, cabe mencionar as campanhas vitoriosas dos marinheiros brasileiros durante as Guerras das Províncias Unidas do Rio da Prata e do Paraguai, com feitos gloriosos de Rodrigo Pinto Guedes, Tamandaré, Barroso e José Joaquim Inácio. Saudamos, pois, em nome desses, os homens do mar, os comandantes de grande valor e os ministros a cuja competência se deve o desenvolvimento das forças navais.

Trata-se de uma longa trajetória de lutas e superação de muitos obstáculos, fatos que comprovam o extraordinário valor da Marinha e de seus integrantes, profissionais altamente capacitados e dedicados, que respeitam e colocam acima de tudo os interesses de nosso país.

Sempre em sintonia com os principais acontecimentos da história pátria, desempenhou a Marinha papel decisivo, demonstrando competência e firmeza mesmo nos momentos mais difíceis, dando efetivo cumprimento aos seus deveres.

Firme no ideal de servir à Pátria, atuando nos mais diversos setores, a Marinha soma uma das mais expressivas contribuições já prestadas por uma instituição para o desenvolvimento social e econômico do Brasil. Exibe, com justificado orgulho, a mais notável folha de serviços, compreendendo segurança, ensino, pesquisa, ciência e tecnologia, com incorporação de novos conhecimentos, imprescindíveis para o progresso do País.

Cabe observar, sobretudo, a extensão das responsabilidades confiadas à Marinha na tarefa de defender o Estado, manter a paz social, a unidade e a integração nacional e garantir o pleno fortalecimento da democracia. Por conseguinte, é bastante elevado também o nível de exigência em termos de preparo e eficiência dos militares.

Tradicionalmente identificada com princípios e padrões rigorosos de disciplina, hierarquia, organização e ética, a Marinha detém, com justiça, o mais elevado conceito perante a opinião pública. O passado de glórias, os exemplos de coragem e amor ao País, a tradição de seus heróis, a bravura tantas vezes demonstrada e o serviço prestado às causas brasileiras despertam em nós os mais sinceros sentimentos de respeito, orgulho, admiração e confiança em relação à Marinha.

Impõe-se, por conseguinte, maior empenho a favor da valorização das forças navais, com a adoção de medidas que, na prática, correspondam de forma mais exata ao prestígio histórico e à importância da Marinha e dos supremos valores que ela representa.

Há, com efeito, questões seriíssimas que precisam ser resolvidas com urgência, no intuito de assegurar o máximo de eficiência na defesa da Pátria, da lei, da ordem e dos poderes constitucionais.

Aproveitamos, assim, a presente oportunidade para reafirmar o nosso compromisso com a defesa de condições favoráveis para o desempenho da importante missão da Marinha, enaltecendo os principais valores da instituição, o atendimento de suas prioridades e a importância de sua destinação constitucional.

No mesmo sentido, cumpre-nos prestar o tributo de reconhecimento ao Almirante Álvaro Alberto da Motta e Silva, por sua luta em defesa dos interesses nacionais, pela contribuição inestimável para fortalecimento da Marinha, pela determinação incansável e irreprimível para garantir avanços de grande valor estratégico para o desenvolvimento do País com base na ciência, na tecnologia e nos direitos de pesquisa e propriedade.

Para concluir, reiteramos as merecidas congratulações à Marinha brasileira e a seus insignes representantes, aos oficiais e marinheiros, a todos os dedicados profissionais militares, que se distinguem pelo preparo, por virtudes como a moral elevada, o senso do dever, a disciplina, e pelos mais relevantes serviços prestados à Marinha, à Pátria e ao progresso do País.



2003_8579_Reinaldo Betão







©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal