O babado nosso de cada dia Postado por Carla Kühlewein em 24/04/2012 14: 47



Baixar 7,59 Kb.
Encontro26.07.2018
Tamanho7,59 Kb.

O babado nosso de cada dia

Postado por Carla Kühlewein em 24/04/2012 14:47

“Diz que a fulana não está mais na cidade...”; “Diz que a cicrana já arrumou outro namorado...”; “Diz que o beltrano é bandido”. Ao som do “diz-que-diz” milhares de vozes se confundem, cessam e ressurgem a todo o momento, numa inesgotável criatividade. Assim caminha a humanidade: com vozes distorcidas e criatividade.

Poucas habilidades são tão imaginativas e perversas quanto a capacidade de comentar a vida alheia. Basta uma centelha de curiosidade para que a chama da fofoca se alastre. Difícil explicar, quanto mais entender. De alguma maneira há sempre um incendiário de plantão para fazer da mais pequenina faísca uma verdadeira catástrofe ambiental. Tal como vírus, ninguém parece estar imune de ser o infame ou o difamado.

E quem acha que fofoca é hábito exclusivo de humanos, engana-se. Na hilária ficção infantil de Amir Piedade, RIFIFI NA FLORESTA, ninguém mais ninguém menos do que a discreta onça decide “incendiar” a floresta com uma notícia bombástica. Ao pé do ouvido, revela secretamente ao tamanduá:

- SABIA QUE O LEÃO DORME COM PIJAMA DE BOLINHAS VERMELHAS E RONCA COMO UM URSO?

Como era de se esperar, o tamanduá jura segredo (eis aí outra habilidade extraordinária: jurar), mas não demora muito para que o bichano morda a língua e repasse o babado adiante:

- MACACO, VOCÊ PROMETE GUARDAR UM SEGREDO?

- PROMETO.

- NOSSO REI LEÃO DORME COM PIJAMA DE BOLINHAS VERMELHAS COM DESENHOS DE URSO.

O que há de tão interessante no modo como o rei da floresta dorme? Nada, ao mesmo tempo tudo. Só de imaginar a cena da figura real e sua vasta cabeleira embalada num pijama infantil dá uma coceira da língua... De boca em boca, o babado torna-se fato. Como o mundo é redondo (é bom que o seja), o boato vai parar no ouvido da comadre do leão, a girafa, que indignada corre confirmar a notícia:

- COMPADRE, É VERDADE QUE O URSO ESTÁ MORANDO NA SUA CASA E QUE, COMO ELE NÃO TEM CAMA, DORME COM O SENHOR, SUA MULHER E QUATRO URSINHOS AZUIS, QUE DEIXAM A RAINHA LEOA VERMELHA DE RAIVA DE TANTO QUE RONCAM E SE MEXEM NA CAMA?

Não é preciso fazer um grande esforço pra imaginar o quão vermelho de raiva o leão ficou ao receber uma notícia descabida dessas. Se bem que como rei da floresta, certamente os fofoqueiros tiveram uma punição à altura. Quer saber qual? Confira lá no livro! Mas vá rápido, porque o babado é forte, fortíssimo...

Afinal por que motivo há quem insista em provocar incêndios desse tipo? Bom, talvez porque diante do repetido cardápio de bebidas desfrutadas no dia a dia, seja tentador provar o gosto adocicado de um veneno. E que veneno!

Diante dessa venenosa tentação todo cuidado é pouco. O poeta, tradutor e jornalista brasileiro Mario Quintana registrou em versos o alerta:

NÃO TE ABRAS COM TEU AMIGO

QUE ELE OUTRO AMIGO TEM.

E O AMIGO DO TEU AMIGO

POSSUI AMIGOS TAMBÉM...

Mas será que é possível escapar ao efeito pérfido dos babados? No fundo, é a realidade dura e caroável a qual todos nós estamos sujeitos. Não importa de que lado se esteja: na frente ou atrás do buraco da fechadura da porta, cedo ou tarde inicia-se um fuxico, que instantaneamente transforma-se numa colcha de casal.

Psssst! Nem adianta disfarçar... Quem nunca fofocou que atire a primeira pedra!

Acesse: www.leiturinhas.com.br

Twitter: @leiturinhasBR



Clique e entre em contato com Carla Kühlewein!




©livred.info 2019
enviar mensagem

    Página principal