Novela de Lívia Moura Direção: Lívia Moura Direção Geral: Lívia Moura Núcleo



Baixar 261,2 Kb.
Encontro12.07.2018
Tamanho261,2 Kb.

NOS SEUS OLHOS

Novela de Lívia Moura


Direção:
Lívia Moura


Direção Geral:
Lívia Moura


Núcleo:
Lívia Moura

Fade in.


CENA – EXT – COLÉGIO – DIA
Legenda: 2002
A câmera mostra um grande colégio, onde visivelmente acontece uma festa de formatura. É possível ver uma série de jovens vestidos com becas e andando animados pelos arredores do local.

Corta Para:


CENA – INT – COLÉGIO/SALA VAZIA – DIA
A câmera agora mostra uma sala do colégio escura e completamente vazia, a não ser por três jovens meninas que também vestem becas, que entram na sala.
GAROTA 1 (Olhando tudo ao redor): Nossa. Esse lugar fica tão estranho assim... vazio.
GAROTA 2: Acho que eu prefiro assim.
GAROTA 1: É sério que não vai sentir nem um pouco de falta disso aqui Suzana?
SUZANA: É claro que vou Marina, mas acabou pra gente. Chegou nossa hora de sair por aí e escrever nossa própria história.
GAROTA 3 (Sorrindo): Você já bebeu, né Suzana?
SUZANA: Muito engraçadinha Luana. O que eu to falando é sério. To ansiosa pelo o que vem pela frente.
LUANA: Bom, isso é fácil quando já se tem um futuro certo pela frente. Um belo futuro, aliás.
SUZANA (Fingindo decepção): ótimo... Agora me culpem por ter uma profissão aos dezessete anos.
LUANA (Rindo): Não é nada disso, senhorita modelo. Aliás, não foi pra isso que trouxe vocês aqui.
MARINA: Então, pra quê foi?
LUANA (Animada): Quero propor uma coisa a vocês... Pra gente não se esquecer desse dia.

Suzana e Marina esboçam expressões de dúvida.


LUANA (Ainda animada): Uma cápsula do tempo.
SUZANA (Sem entender): Uma o quê?
MARINA: Cápsula do tempo. É quando falamos sobre o futuro e depois de um certo tempo abrimos e vemos se o que falamos realmente aconteceu.
LUANA: É mais ou menos isso. Eis minha proposta... Vamos gravar um depoimento, cada uma vai falar sobre como pretende que sua vida esteja daqui a dez anos. Depois desse tempo a gente vê o resultado.
MARINA (Receosa): Confesso que isso me assusta.
SUZANA (Franzindo o cenho): Dez anos? Eu sei como vou estar daqui a dez anos. Velha.
LUANA: Ah, vamos lá garotas. É só uma brincadeira e uma promessa de que ha dez anos, mesmo se você Suzana estiver desfilando pelo mundo, ou você Marina, estiver em uma conferência muito importante promovendo seja lá o que vocês relações públicas promovem em uma conferência, vão pegar o primeiro avião pra cá pra nos encontrarmos nessa mesma sala e vermos juntas nosso vídeo.
Suzana e Marina pensam durante algum tempo e Luana pega na bolsa uma pequena filmadora e mostra a elas, como um incentivo.
LUANA: Vamos... Vai ser divertido.
MARINA (Esboçando um leve sorriso): Se daqui a dez anos nada que eu tenha planejado tiver acontecido e eu entrar em uma profunda depressão depois de ver esse vídeo, a culpa vai ser sua.
LUANA (Sorrindo): Seu futuro vai ser o mais brilhante de todos minha amiga. Qual é, é de Marina Silveira que estamos falando. A nerd mais linda da história.
Marina ri e faz um sinal negativo com a cabeça. Logo depois a atenção das duas se volta para Suzana, ainda pensativa.
SUZANA: Se nesse mesmo dia, daqui a dez anos, eu estiver em Milão, nós vamos poder adiar?
MARINA E LUANA (Em coro): Não.
SUZANA (Dando de ombros): Ok! Eu sou a primeira.
Suzana caminha pela sala e pega a filmadora da mão de Luana.
LUANA: Nós vamos esperar lá fora enquanto você grava.
MARINA: Antes me prometam uma coisa.
Luana e Suzana desviam sua atenção para Marina.
MARINA: Não importa o quão brilhante e atarefado seja nosso futuro, nós vamos continuar sendo amigas, certo?
Luana e Suzana sorriem.
SUZANA (Sorrindo): Essa é a maior certeza que tenho pra daqui a dez anos.
Marina também sorri e as três se abraçam por um tempo.
SUZANA: Agora, se vocês me dão licença, tenho um futuro para profetizar.
Marina e Luana, ainda abraçadas, caminham na direção da saída da sala.
LUANA: Vê se não demora.
SUZANA (Irônica): Você, no futuro, vai ser patroa, sabia? Mandar é a sua cara.
LUANA: Editora-chefe até que soa bem, não acha?
SUZANA: Perfeito!
Luana ri, pisca para Suzana e sai da sala junto com Marina.
SUZANA (Respirando fundo e ligando a câmera): Vamos lá... Oi futuro. Luana, você engordou ou é impressão minha? E Marina, é melhor se cuidar, já posso ver alguns cabelos brancos. Não, agora é sério...
A câmera vai se distanciando enquanto Suzana continua conversando com a filmadora.

Corta Para:

CENA – EXT – ILHA DO FAROL – DIA

[MÚSICA – EVERY TEARDROPP IS A WATERFALL – COLDPLAY]
Legenda: 2012
A câmera mostra diversas imagens do local, como praias, algumas movimentadas, outras desertas, o centro da cidade, um cais com alguns navios e belos iates ancorados e, por último, um belo farol aparentando estar abandonado.

Corta Para:


CENA – EXT – COLÉGIO – DIA
[MÚSICA – CONT]
A câmera mostra novamente o mesmo colégio da cena anterior, onde acontece de novo uma festa de formatura, com alunos vestidos de becas dançando, conversando e aproveitando a festa de maneira geral.

Corta e vemos três jovens garotas, que conversam um pouco isoladas de toda agitação.


GAROTA 1: Finalmente a faculdade. Sinceramente, não agüentava mais esses dias de colegial.
GAROTA 2: Parecia que não ia acabar nunca.
GAROTA 1: E você, Lia? Não vai dizer que vai sentir saudades, né?
LIA (Decidida): Não. Não vejo a hora de ir pra faculdade, Michelle.
MICHELLE (Animada): Então somos duas. Um verdadeiro cardápio de garotos bonitos pra escolher, festas, barzinho... Ah, que maravilha.
Lia sorri e faz um gesto negativo com a cabeça.
LIA (Ainda sorrindo): Você só pensa nisso?
MICHELLE: Mas é claro. Tenho dezessete anos, meu amor. Com o resto me preocupo depois.
GAROTA 2: E o seu pai, Lia? Ele já sabe que você desistiu de administração.
LIA: Não, mas vai saber logo. E além do mais, eu não desisti de administração, eu nunca quis na verdade.

GAROTA 2: Ele vai ficar uma fera.


LIA: Não to nem aí. Faz tempo que eu já me cansei de obedecer as vontades dele.
MICHELLE (Com tédio): Ah, chega. Nada de problemas hoje. Vou dançar.
Michelle faz um sinal para um garoto e ele se aproxima.
MICHELLE: Aconselho vocês a fazerem o mesmo. Carla, namoro a distância é uma droga, então é melhor aproveitar enquanto o Murilo ta aí e Lia, vê se dá uma chance pro nosso futuro prefeito, ele não parou de te olhar a festa inteira.
Michelle joga um beijo no ar e sai com o garoto.
CARLA: Odeio falar isso, mas ela tem razão. Vou procurar o Murilo. Te vejo na pista?
Carla olha para Lia, ansiosa.
LIA (Como se tivesse sido vencida): Tá bom. Hoje é um dia especial.
Carla comemora, dá um beijo no rosto da amiga e se aproxima de seu ouvido.
CARLA (Falando no ouvido de Lia): Eu não dou dois minutos pra ele vir.
Carla se distancia, pisca pra Lia e sai do local. Logo em seguida um rapaz se aproxima, animado.
RAPAZ (Animado): Não admito que você fique aí parada hoje. E aí, vamos dançar ou vou ter que te levar a força?
O rapaz olha pra Lia, sorrindo.
LIA (Rindo): Vamos Rafael.
RAFAEL (Surpreso): Será que eu ouvi direito? Peraí, preciso registrar esse momento.
LIA (Ainda rindo): Deixa de ser bobo. Vamos.
Rafael sorri e os dois vão na direção do resto dos formandos, que dançam animadamente na pista de dança.

A câmera continua mostrando todos dançando por algum tempo.


Corta Para:
CENA – INT – COLÉGIO/SALA VAZIA – DIA
[MÚSICA – FADE]
A câmera mostra a mesma sala vazia de 2002, sem muitas mudanças. Logo podemos ver Luana, Suzana e Marina entrando no lugar, agora mais velhas.
LUANA (Olhando tudo ao redor, surpresa): Não mudou quase nada.
SUZANA (Incomodada): Penetras em uma festa de um bando de pirralhos, Que decadência, hein?!
LUANA (Ainda olhando tudo): Fale por você. Eu estou aqui a trabalho.
SUZANA (Dando de ombros): Não sei o que é mais deprimente.
MARINA (Em repreensão): Suzana!
LUANA: Deixa Marina. É verdade.
SUZANA: Será que a gente pode ir logo com isso? Ainda trabalho hoje.
MARINA (Receosa): Ainda não sei se quero ver esses vídeos. Tenho certeza que não vou gostar nada dos resultados.
LUANA: A gente prometeu que viria e estamos aqui. Então, vamos ver.
SUZANA (Irônica): Pense pelo lado positivo, Marina. Nem tudo mudou. Luana ainda é a rainha das ordens.
MARINA: Vamos logo com isso antes que nos vejam aqui dentro.
Luana retira da bolsa a mesma filmadora de antes, coloca uma fita nela e se aproxima de Suzana e Marina para que as três possam ver. Logo Suzana aparece na tela.
SUZANA (Na tela da filmadora): Certo... Oi futuro. Nossa Luana, você engordou ou e impressão minha? E Marina, é melhor se cuidar, já vejo alguns cabelos brancos.
Luana dá pause na gravação.
LUANA (Para Suzana): Vai pro inferno.

SUZANA: Calma, foi só um palpite.


Marina ri e Luana volta a apertar o play.
SUZANA (Na tela da filmadora): Não, agora é sério. Vamos lá... Como minha vida vai estar daqui a dez anos? Nossa, é tempo à beça. Espero que eu já tenha desfilado em Milão até lá ou eu mato o desgraçado do meu empresário. Brincadeira Carlos, você sabe que eu te amo.
Suzana assiste seriamente e Luana olha pra ela, também séria.
SUZANA (Na tela da filmadora): Bom, vou focar em como vou estar no momento em que estiver assistindo essa coisa. Carreira consolidada. Um pouco menos de desfiles pra fazer, claro, essa profissão é cruel com a idade, mas já terei meu nome feito na carreira. Devo estar casada também... Depois de alguns affairs com famosos, finalmente me casei com Lucas, a gente nasceu pra ficar juntos, e arrisco até a dizer que estou grávida... De dois meses. Acertei? Ah, claro, e morando em uma daquelas mansões maravilhosas de frente para a praia principal. Aposto que está virando os olhos agora, Luana. Sabe como é, né? Nem todo mundo tem grana como você. Pra finalizar meninas, quero que saibam que amo vocês. Não sei como nossa relação vai estar daqui a dez anos, mas sei que vocês vão estar no meu coração pra sempre.
Suzana na gravação manda um beijo para a filmadora e, em seguida, desliga.
Luana e Marina olham para Suzana, que tenta fingir indiferença.
SUZANA: Parece que tudo que falei ali não é bem um sinônimo para “quase trinta anos, sem grana, morando com as amigas em uma pensão de quinta, além de dançar e servir um bando de bêbados em um bar”.
LUANA: Sabe que a culpada por isso foi você mesma, não sabe?
SUZANA: Que seja! Tá muito tarde pra falar sobre isso. Vamos, quero ver o próximo.
LUANA: Marina, acho que você é a próxima.
Marina não responde, com uma expressão séria.

Luana dá play na filmadora e Marina aparece na tela com um jeito tímido.



MARINA (Na tela da filmadora): Não sei bem como começar isso, então vou logo ao que interessa. Daqui a dez anos estaremos em 2012. Nossa, só de pensar já assusta. Espero ter me formado em relações públicas, conseguido um bom emprego na área, de preferência aqui na cidade, espero também já ter encontrado uma pessoa legal, mas já que não dou muita sorte com romances, me arrisco a dizer que isso ainda não aconteceu. Bom, mas não importa. Espero também que tenhamos continuado juntas, meninas. Acho que ficaria um pouco perdida aqui nessa cidade sem vocês. Acho que é isso. No que depender de mim tudo isso estará realizado daqui a dez anos ou, no caso, hoje, já que o dia que estaremos vendo isso será hoje pra gente... Ah, vocês entenderam. Beijos, eu amo vocês. Ah, e Suzana, você já tomou juízo, né?
O vídeo de Marina termina e as três permanecem em silêncio.
LUANA: As coisas podem ainda não terem acontecido do jeito que você esperava Marina, mas está mais próximo que nunca.
SUZANA: É... Você disse que o Mauro te prometeu uma boa promoção.
MARINA (Tentando se animar): É... Acho que ainda há uma esperança. Além do mais, esse é o motivo que ainda me mantém servindo cafezinho para aqueles executivos chatos.
LUANA: Você ainda vai crescer muito naquela empresa. Pode anotar.
Marina sorri.
SUZANA: Luana... É a sua vez.
LUANA: É, acho que é.
Luana, ansiosa, dá play e ela aparece no vídeo com uma expressão confiante.
LUANA (Na tela da filmadora): Olá fantasma do natal futuro. Queria tento me imaginar daqui a dez anos. Jornalista séria? Não, espero que nem tanto. Será que a “Porto de notícias” ainda existe? Será que continua fazendo tanto sucesso? Se a resposta para essas perguntas for sim, então podem apostar que estou trabalhando lá. Outra coisa que é possível presumir: eu ainda estou viva? Então ou assassinei meu pai ou saí de casa, e como não gostaria nada de ver esse vídeo graças a uma liberdade provisória ou coisa assim, acredito que a segunda opção é a mais provável. Isso é sério, se daqui a dez anos eu continuar na casa dele, me jogo do farol. Podem me cobrar meninas. Casada? Não, acho que não, mas espero sinceramente estar em um relacionamento sério com um cara gato e que não implique com a minha profissão quando eu precisar sair de madrugada para cobrir uma matéria de duas páginas. Fazer o que? Esse é o preço do sucesso. E vocês, meninas? Suzana, já foi pra sua tão sonhada Milão? Quanto a você Marina, nem vou perguntar. Me atrevo a dizer que já deve até ter ganhado um Nobel. Acho que terminei... E quando forem brilhantes e famosas, não se esqueçam que nessa pequena ilha tem uma jornalista que sempre vai amar vocês. Fui!
Luana dá um tchau pra câmera e o vídeo termina.
MARINA (Animadora): Ah, não foi tão ruim. Você trabalha mesmo na Porto de Notícias.
LUANA (Desanimada): ¼ de página sobre eventos dos quais ninguém se interessa não pode ser chamado de “carreira brilhante”.
MARINA (Ainda tentando animá-la): Você saiu da casa dos seus pais.
LUANA: E ainda acho que foi a melhor coisa que fiz nesses anos.
SUZANA (Irônica): Pense pelo lado positivo... Seu namorado gato não implica com sua saída de madrugada para cobrir a tal matéria. Claro, pra isso ainda seria necessário o namorado e a matéria de duas páginas.
LUANA: Já disse que te odeio?
SUZANA: Não foi isso que falou no vídeo.
LUANA: É que mesmo te amando, eu te odeio.
Suzana ri e, logo em seguida, Luana e Marina fazem o mesmo, como se tivessem sido vencidas.

MARINA: As coisas não saíram como a gente esperava, né?


LUANA: Nadinha.
SUZANA: Quer saber? E daí se as coisas não deram muito certo até agora? Nós sempre teremos nossa amiga vodka.
Suzana pega sua bolsa e retira dela uma garrafa de vodka, a abre e logo toma um gole.
MARINA (Assustada): Você trouxe bebida para uma festa de formatura do ensino médio?
SUZANA (Sorrindo): Como nos velhos tempos.
Marina faz um gesto negativo com a cabeça.
SUZANA: Ah, qual é? Sinto desiludi-la Marininha, mas essa garotada deve fazer coisa muito pior.
MARINA: Você perdeu o juízo.
SUZANA: Eu nunca o achei, pra começo de conversa. Não é o que vocês sempre dizem?
LUANA: Me passa isso.
Suzana dá a garrafa para Luana, que também toma um gole. Após um tempo Luana oferece a garrafa para Marina, que rapidamente faz um gesto negativo com a cabeça.
MARINA: Não vou fazer isso.
SUZANA: Deixa de ser tão certinha Marina. Onde isso te levou? Não estou vendo nenhum Nobel. Anda, vamos comemorar nosso fracasso.
Marina pensa por um tempo e, logo depois, pega a garrafa de Luana com impulsividade, também bebendo.
LUANA (Rindo): É isso aí garota.
SUZANA: Eu tenho pena desses garotos aí fora, se vocês querem saber. Alguém deveria avisar a eles que nada do que estão planejando vai acontecer.
LUANA (Ainda rindo): Isso soou tão frustrado.
Suzana dá de ombros.
MARINA: Estou com saudades do tempo em que tudo era um novo começo.
LUANA: Eu também minha amiga. Eu também...
As três continuam revezando a garrafa de vodka enquanto a câmera vai se distanciando da sala onde estão.
Costa Para:
CENA – EXT – COLÉGIO – DIA
A câmera mostra grande parte dos formandos reunidos, cada um com uma taça na mão e todos observando Michelle falando.
MICHELLE (Erguendo sua taça, animada): Um brinde ao começo pessoal. Porque é agora que nossa vida vai começar de verdade.
Todos que estão reunidos brindam animadamente.
MICHELLE (Rindo): E claro, vamos deixar pra comemorar realmente hoje à noite na praia.
Todos concordam animados e continuam juntos.

Corta Para:


A tela de divide em duas partes. De um lado a câmera mostra Suzana, Luana e Marina bebendo juntas na sala vazia com expressões desanimadas e do outro lado vemos Michelle, Lia e Carla, que se abraçam com empolgação e entusiasmo.

Corta Para:


CENA – EXT - PRAIA DOS PESCADORES – DIA
A câmera mostra uma praia cercada por algumas casas simples em sua encosta. O local está vazio, a não ser por alguns homens de idades variadas e com aparências simples que parecem se organizar para algo.
HOMEM 1 (Com desprezo): Nada me tira da cabeça que aqueles cretinos têm alguma coisa a ver com isso.
HOMEM 2: O que você tá falando é impossível Dorival. Como alguém vai vir aqui e fazer uma coisa dessas sem ninguém ver? Não tem cabimento...
DORIVAL: Você não faz idéia do que aquelas pessoas são capazes pra ver a gente fora daqui garoto... E eles podem fazer um trabalho bem feito. Dinheiro pra isso não falta.
GUILHERME: Uma noite, Dorival. Ninguém enche o mar de óleo em uma noite e simplesmente vai embora. Na certa foi algum navio que fez isso no meio do mar e só agora chegou aqui.

HOMEM 3 (Com seriedade): Eu concordo com o Guilherme, Dorival. Poluir a praia dessa maneira de propósito seria burrice.


(V.O): Não, Camilo. Não seria.
Todos os homens presentes no local se viram e avistam outro chegando e com uma expressão de frieza.
DORIVAL: Olha quem apareceu. Resolveu sair um pouco daquele maldito bar Diego?
DIEGO (Sarcástico): É... Vim conferir as novidades. Odeio ter que perder a diversão.
Dorival o encara seriamente.
DORIVAL: É melhor começar a levar as coisas a sério se não quiser sair daqui com uma mão na frente e outra atrás.
CAMILO: Ainda acho que o que aconteceu foi algum acidente. Foi como Guilherme disse. Um navio ou algo desse tipo derramou óleo e acabou chegando até aqui. Fim da discussão.
DIEGO: Só é curioso isso nunca ter acontecido antes, não acha?
CAMILO: Continuo achando que uma coisa desse tipo ser feita de propósito seria uma estupidez sem tamanho.
DIEGO: E por quê? Afinal, conseguiram deixar todos nós de mãos atadas, não conseguiram?
DORIVAL: Por enquanto. É só uma questão de tempo até o mar entrar nos eixos de novo.
GUILHERME: Enquanto isso a gente pode ir se virando com o restante da pesca da semana. Não é muita coisa, mas...
DIEGO (Interrompendo Guilherme): Ou eu posso ter uma idéia melhor.
Guilherme ri ironicamente e faz um gesto negativo com a cabeça.
GUILHERME: Vai em frente.
DIEGO (Irônico): Se sujaram nossa praia, talvez não se incomodem se a gente for procurar nosso sustento em outra. Felizmente essa não é a única praia da ilha.
CAMILO (Sério): Você não tá pensando em... Não. Isso não. E se não tiver sido eles? Pra quê comprar briga desse jeito?
DIEGO (Calmo): Foi só uma idéia. Os pescadores aqui são vocês. Dorival, você é o líder, não é?
Dorival se cala e pensa por um tempo com uma expressão séria.
De repente se escuta um forte barulho de helicóptero e todos desviam sua atenção e olham para cima, observando o mesmo, que passa pela praia. Eles continuam observando até que o helicóptero saia da vista.
GUILHERME (Preocupado): É ele?
DORIVAL: E quem mais chega assim nesse lugar? É claro que é o desgraçado.
Guilherme se cala.
DORIVAL (Decidido): Preparem tudo pessoal. Vamos dar as boas-vindas ao senador à nossa maneira.
A maioria dos homens presentes se dispersam e só ficam no local Guilherme, Camilo, Diego e Dorival.

Após algum tempo observando a movimentação, Diego esbanja um sorriso sarcástico e também deixa o lugar.


CAMILO (Preocupado): Você não pode dar ouvidos a ele, Dorival. O cara tem um ódio inexplicável desse pessoal, é claro que ele quer confusão...
DORIVAL (Franzindo o cenho): Inexplicável? Diego perdeu a esposa e o melhor amigo na mesma época pelo descaso dessa gente. Tá certo que eu e ele não somos os melhores amigos do mundo, mas é preciso confessar que motivos não faltam pra ele ter raiva de todas essas pessoas.
Camilo se cala, ainda insatisfeito.
CLOSE UP em Guilherme sério.

Corta Para:


CENA – EXT – ILHA DO FAROL – DIA
[MÚSICA – THE WORD WE LIVE IN– THE KILLERS]
A câmera segue o mesmo helicóptero da cena anterior, que sobrevoa alguns belos locais da ilha durante algum tempo até ser avistado uma grande e bonita casa próximo a outra praia do lugar, essa bem mais movimentada do que a anterior. O helicóptero sobrevoa a casa até seguir caminho até um grande campo um pouco afastado dali e aterrissar.

Após a aterrissagem alguns homens deixam o helicóptero até que, por último, um imponente homem desce e, ao descer, observa todo o lugar com atenção.


CLOSE UP no homem esbanjando um leve sorriso.

Corta Para:


CENA – INT – REDAÇÃO DA REVISTA PORTO DE NOTÍCIAS – DIA
[MÚSICA – DIMINUI ATÉ PARAR]
A câmera mostra Luana entrando na redação de uma revista e caminhando até se sentar em sua mesa de trabalho. Ao se sentar Luana respira fundo e olha tudo ao redor com uma aparência cansada.

Após um tempo uma mulher se aproxima dela com rapidez.


MULHER: Até que enfim você apareceu. Espero que tenha conseguido um furo muito bom pra explicar toda essa demora pra cobrir uma festa de formatura.
LUANA (Ainda cansada): Bom te ver também Isabella. E eu realmente gostaria de saber qual furo poderia ter em uma festa de formatura de colegial.
ISABELLA (Desanimada): Pelo visto nada de novo então...
LUANA: Nem o Senador deu as caras.
ISABELLA (Surpresa): O que? Mas foi confirmado que ele chegaria hoje. Tudo indicava que era pra formatura da filha.
LUANA: Mas não foi.
ISABELLA: E o prefeito?
LUANA: Sem chances. Ficou por pouco tempo e se recusou a falar com a imprensa... No caso, eu.
Isabella pensa por algum tempo com agitação.
ISABELLA: Certo... Já to cheia de publicações desse tipo sem nenhum atrativo. É por isso que a Brilho da Ilha tá na nossa cola. Fiquei sabendo que hoje a noite vai acontecer uma festa só entre os formandos na praia principal... Um monte de jovens importantes em uma festa sem a marcação dos pais... Pode ser uma boa, não acha?
LUANA (Desanimada): Não sei... Talvez sim.
ISABELLA (Empolgada): Ótimo, porque você vai lá. Quero que você fique de olho na filha do Senador e no filho do prefeito. Nem tente chegar aqui sem algo muito bom pra gente, Luana.
LUANA (Franzindo o cenho): É impressão minha ou hoje você está mais agitada que o habitual?
ISABELLA (Sorrindo): Você não faz idéia do que estamos prestes a fechar. Hoje nós vamos ter uma resposta definitiva e se tudo der certo, a Brilho da Ilha vai precisar de um verdadeiro canhão de luz no fim do túnel pra superar a gente nessa.
LUANA: Nossa... Pelo visto é coisa boa.
ISABELLA: Ótima Luaninha. Ótima. E se você me trouxer algo que realmente valha muito a pena da festinha dos nossos principezinhos da cidade, posso até pensar em te colocar nessa. Vai ser um salto e tanto na sua carreira...
Luana se cala e olha para Isabella, que continua sorrindo pra ela com expressão vitoriosa.

Corta Para:


CENA - EXT - PRÉDIO DA EMPRESA PATEL - DIA
A câmera mostra Marina chegando em frente a um imponente prédio comercial até que para ao observar duas pessoas saindo do prédio segurando caixas e carregando expressões de descontentamento.

Logo em seguida, Marina vai em direção a elas.


MARINA (desajeitada): Ei, Carmem, espera.

As duas pessoas param e olham em sua direção. Marina corre até que as alcança.


MARINA (Olhando para a caixa na mão de uma das mulheres): O que é isso?
CARMEM (Com raiva): Ah, você não sabe? O que isso parece pra você?
Marina não responde, sem entender.
CARMEM: Eu acabei de ser demitida, Marina. Nós duas fomos.
Marina, surpresa, olha para a outra mulher que também esboça uma expressão revoltada e concorda com a primeira.
MARINA: Demitida? Como assim? O que eles disseram?
CARMEM (ainda descontente e triste): Que estão em uma fase de transformação... E todas essas baboseiras que sempre dizem.
MARINA (Confusa): Eu não sei o que dizer.
CARMEM: Então não diga. Só torça pra não ser a próxima. Só hoje foram quinze demitidos.
Marina volta a arregalar os olhos e esboçar uma expressão assustada.
MARINA: Quinze? Não é possível. Como está o clima lá dentro?
CARMEM: Não está. Os que não foram demitidos, foram liberados por hoje. Amanhã eles farão um comunicado oficial, pelo menos foi o que disseram. Mas que seja, não tenho mais nada a ver com isso. Boa sorte Marina.
Carmem e a outra mulher voltam a andar, se distanciado do prédio. Marina fica imóvel por um tempo, parecendo pensar em algo, até que volta a correr na direção das mulheres.
MARINA (Desesperada): E o Mauro? O que ele falou sobre isso?
Carmem solta uma gargalhada nervosa e irônica.
CARMEM: Mauro foi o primeiro a dar o fora hoje, querida. A primeira notícia estranha do dia foi sua demissão repentina.
Marina coloca as mãos na boca e volta a ficar completamente imóvel. Carmem faz um gesto negativo com a cabeça e dessa vez sai definitivamente do local.

CLOSE UP em Marina desesperada.


Corta Para:


CENA - INT - CASA DOS SUTTER - DIA
A câmera mostra o mesmo homem que estava saindo do helicóptero anteriormente, agora entrando em uma grande e bonita casa. Logo uma mulher bem vestida vem ao seu encontro.
MULHER (Sorrindo): Oliver.
OLIVER (Sorrindo levemente): Oi meu amor.
Os dois se beijam rapidamente.
MULHER: Pensei que tivesse dito que chegaria ontem
OLIVER: É, esse era o plano, mas aconteceram alguns empecilhos. E Lia, onde está?
MULHER: Ainda não chegou. E se prepare, ela não deve estar nada feliz de você não ter ido em sua formatura.
OLIVER: Por favor, Amanda... Existem coisas mais importantes que uma festa de formatura do colegial. Lia vai entender.
AMANDA: Bom, vocês que se entendam. Só acho que o pai dela deveria estar presente em um momento tão importante.
OLIVER: Você está exagerando. Eu só perdi uma festa... Estou aqui agora, não estou?
AMANDA: Fala isso pra ela. Olha quem está chegando...
Oliver se vira e vê Lia, que está entrando na casa e também o avista.
OLIVER (Sorrindo e andando em direção a Lia): Olha, se não é a minha princesa.
Lia esboça um leve sorriso forçado e se deixa ser abraçada por Oliver.
OLIVER: Sinto muito não estar presente hoje, filha. Eu tinha a intenção de vir, mas acabaram acontecendo alguns problemas. Você não se importa, né?

LIA (Conformada): Não... Pode parecer estranho, mas eu já até me acostumei com essa situação.


OLIVER (Sorrindo): Eu sabia que você entenderia. Até porque, eu posso ter perdido a festa, mas estou aqui agora e orgulhoso da minha filha que logo vai ser a melhor administradora que a Ilha do Farol já ouviu falar.
Amanda olha para Lia, que também a encara antes de voltar a observar o pai.
LIA (Mais séria): Eu queria falar com você sobre isso mais tarde.
OLIVER (Sem entender): Falar o que? Algum problema?
LIA: Não, nós podemos conversar depois. É melhor ir resolver seus assuntos agora, sei que está ansioso pra ver como estão as coisas.
OLIVER: Não, primeiro você vai me dizer o que está havendo. Vamos, pode falar...
LIA: Eu realmente não queria falar sobre isso agora, pai. O senhor acabou de chegar, eu acabei de voltar da minha festa de formatura... É melhor não estragarmos isso.
OLIVER (Sério): Estragar? Por que estragaria?
Lia olha para Amanda, que faz um gesto positivo com a cabeça, como que em incentivo.
AMANDA: Vocês precisarão conversar sobre isso de qualquer forma...
Lia respira fundo e volta a encarar o pai.
LIA: Eu não prestei o vestibular pra administração, pai.
OLIVER (Franzindo a testa): Como não? O que houve? É a universidade? Porque se for, nós podemos escolher uma no Rio de Janeiro.
LIA: Não, eu não vou estudar no Rio de Janeiro e o problema não é a Universidade.
OLIVER: Então por que não fez o vestibular?

LIA: Eu fiz... Mas não pra administração.


OLIVER (Sem entender): O que? Mas nós combinamos que você iria...
LIA (O interrompendo): Não combinamos nada pai, foi você quem combinou.
Oliver muda a expressão de calmo para impaciente.
OLIVER: E posso saber pra quê você prestou vestibular?
LIA: Jornalismo.
OLIVER (Com raiva): O que? Você ficou maluca, Lia? Quem autorizou isso?
AMANDA: Acho que a Lia já é adulta o suficiente pra “autorizar” sozinha as questões da sua vida, mas se você quer saber quem assinou os papéis... Bom, fui eu.
OLIVER (Fazendo um gesto negativo com a cabeça): Não acredito... Você não podia ter feito isso sem minha permissão Amanda. E porquê, diabos, você conseguiu autorizar alguma coisa? Você nem é mãe dela.
Amanda encara Oliver seriamente.
LIA: Atualmente ela parece ser mais do meu sangue que você.
Oliver volta sua atenção para Lia, que o observa também muito séria.
OLIVER (Nervoso): O que é isso? Uma espécie de complô? Lia, eu não vou deixar você continuar com isso e Amanda, nós precisamos conversar.
LIA: Você não tem que deixar, pai. Já está decidido.
OLIVER: Você tem ideia da repercussão que isso vai dar? Não foi você que disse que não suporta o modo como a imprensa daqui te trata? É esse tipo de profissional que você quer se tornar, que sai correndo em busca de qualquer notícia boba de gente famosa?
LIA (Sorrindo sarcasticamente): Ah, não. Não é esse tipo de profissional que quero me tornar, mas talvez eu queira me tornar a profissional que desmascara 90% por cento desses seus amigos políticos que não valem nada e não aquela que cuida das finanças deles. Já está decidido pai, então nem tente fazer nada a respeito disso.

Lia sobe as escadas rapidamente em direção a outro cômodo da casa e sai da vista de Oliver.

OLIVER (Ainda tenso): Isso não vai ficar assim... Vou conversar com o reitor da faculdade e vamos dar um jeito nisso.
AMANDA: Oliver, por favor... Lia não é mais criança. Deixa ela tomar as decisões dela sozinha, pelo amor de Deus...
OLIVER: Carreira é um assunto sério Amanda. Não posso deixar ela fazer isso com o futuro dela.
AMANDA (Franzindo o cenho): É esse mesmo o problema? O futuro dela, quer dizer. Porque algo me diz que isso tem muito mais a ver com a imagem que você vai passar para seus parceiros políticos do que o futuro que Lia vai ter.
OLIVER: E se for? Eu preciso concorrer a Presidência, Amanda e isso não vai acontecer se eu não tiver uma família modelo. Praticamente todo político odeia essa raça maldita que são os jornalistas, então como eu posso explicar o fato da minha filha querer se tornar uma?
AMANDA (Calma): O que você precisa ter é uma família estruturada, Oliver e pra isso você precisa abrir mão de algumas vontades. Vê se pensa direito, tá?
Amanda dá um beijo no rosto de Oliver e deixa o local.
CLOSE UP em Oliver sério.

Corta Para:


CENA - INT - CASA DOS SUTTER/QUARTO DE LIA - DIA
[MÚSICA - DUSTLAND FAIRYTALE - THE KILLERS]
A câmera mostra Lia andando pelo quarto com uma aparência cansada, até que para na janela e pensa em algo por um tempo, respirando fundo. A cena continua mostrando ela alí por algum tempo.
CLOSE UP em Lia séria.

Corta Para:



CENA - EXT - CAIS DE ILHA DO FAROL - DIA

[MÚSICA - CONT]
A câmera mostra o cais da ilha, com belos iates, lanchas e barcos ancorados e, em destaque, um barco que parece estar chegando ao local, com algumas pessoas descendo do mesmo e outras proximas à ele, como se esperassem por tais pessoas.

Logo vemos um homem descendo do barco e observando todo o local, com uma expressão séria e observadora.

CLOSE UP no homem sério.
[MÚSICA - DIMINUI ATÉ PARAR]
HOMEM 2: Marcos!
Marcos se vira e vê um rapaz sorrindo vindo em sua direção.
MARCOS (Sorrindo): Veja se não é o mais novo morador do litoral.
Os dois se cumprimentam com um abraço.
HOMEM 2: Você é o mais novo, meu amigo. Eu já sou um veterano de guerra.
MARCOS (Rindo): Não precisa me lembrar disso.
HOMEM 2: Qual é... Você vai gostar desse lugar. Praias maravilhosas, gente bonita... Parece que todos estão de férias o ano inteiro.
MARCOS: Talvez você só tenha se esquecido que vim pra trabalhar...
HOMEM 2 (Rindo): Até o trabalho aqui é diferente. É o paraíso.
MARCOS (Surpreso): Se eu não te conhecesse há tanto tempo, nem eu mesmo acreditaria que há um ano atrás você vivia de terno e gravata sem nem cogitar a hipótese de sair da cidade grande, Gabriel.
GABRIEL: Pra você ver como as pessoas mudam... Logo logo você vai estar assim também.
MARCOS: Não mesmo... Isso aqui é completamente provisório, já te disse. O trabalho naquela Universidade que te disse está mais próximo que nunca, mas, ao mesmo tempo, não podia recusar uma oferta dessas. Só vou ficar até me chamarem e aí volto pro Rio. Isso aqui não é pra mim.
GABRIEL (Dando de ombros): Nem preciso perguntar se está animado pro novo trabalho... Sua clara forma de dizer que isso aqui é só pra passar um tempo já deixa claro.
MARCOS (Rindo): Eu não disse isso. Vou levar a sério como todos os meus outros trabalhos, se quer saber.
GABRIEL: Tá certo, senhor professor. Só prepare-se pro desafio. Um monte de filhos de pessoas importantes provavelmente não vão topar suas opiniões revolucionárias. Você está na boca do lobo.
MARCOS: Deixa que dos filhinhos de papai eu cuido... Até porque, convenhamos, eles não devem ser muitos na minha profissão.
GABRIEL (Sorrindo): É... a esperança é mesmo bonita.
Marcos ri e os dois caminham na direção da saída do cais.

Corta Para:



CENA - INT - BAR - NOITE
A câmera mostra um bar ainda sem muito movimento. Nele só estão algumas poucas pessoas, incluindo Luana, que está sentada em uma das mesas do lugar e Diego, sentado próximo ao balcão e bebendo.
Após algum tempo a câmera mostra uma garota entrando no local e indo na direção de Diego e parando bem próximo à ele.
GAROTA (Falando em seu ouvido): Desanimadinho isso aqui hoje, né?

Diego se vira, vê a garota e esboça uma expressão desanimada.


DIEGO: O que você tá fazendo aqui Maysa?
MAYSA: Vim te ver. Faz tempo que não te encontro na praia, Diego.
DIEGO (Sem paciência): ótimo, vou mudar minha pergunta... O quê você quer comigo Maysa?
MAYSA (Rindo e falando em tom de malícia): Com você? Tudo.
Diego faz uma expressão negativa com a cabeça e se levanta do balcão.
MAYSA: Ah, qual é Diego... Estou brincando. Só quero me divertir um pouco... Minha casa tá mais chata que nunca.
DIEGO: ótimo... Fica aí se divertindo que eu já vou.
Diego caminha na direção da saída do bar e Maysa, rapidamente vai atrás dele.
MAYSA (Séria): Não precisa ir embora por minha causa, sabia? Quando vai aprender que não sou igual ao meu pai e aos outros?
DIEGO (Sorrindo com sarcasmo): Ah, não. Não acho que você seja igual a eles... Não verdade se sé ou não, isso não me importa. Tô indo por que você é... você.
MAYSA: Filha do prefeito?
DIEGO: É... também. E uma encrenca das grandes.
Diego faz um gesto de tchau com as mãos para Maysa e deixa o local.
CLOSE UP em Maysa o observando ir e esbanjando um leve sorriso.

Corta Para:



CENA - INT - CASA DE OLIVER/ESCRITÓRIO - NOITE
A câmera mostra Oliver sentado na mesa de seu escritório falando ao telefone.
OLIVER - Ótimo... E você fez tudo como combinado?... Perfeito. Não vai demorar muito pra esses desgraçados saírem daqui... Ninguém viu você, né?... Ok, ótimo... Eu e o Pedro vamos fazer um discurso no centro da cidade daqui há uma semana, pra apresentar formalmente o Rafael, entre outras coisas... Quero que se certifique que nenhuma dessa gente vá aparecer por lá...

Nesse momento alguém bate na porta, interrompendo a conversa de Oliver.


OLIVER: Falo com você depois...
Oliver logo desliga o telefone.
OLIVER (Gritando): Entra.
Logo Rafael abre a porta e entra no local com um sorriso no rosto.
RAFAEL (Sorrindo): Finalmente chegou, padrinho. Pensei que não apareceria mais por aqui.
OLIVER (Sorrindo): Nem pensar que vou abandonar vocês. Meu lugar é aqui.
Oliver e Rafael se abraçam animadamente.
RAFAEL: Imaginei que tivesse ocupado com os preparativos pra concorrer à presidência.
OLIVER: E estou... muito. Mas consegui tirar alguns meses pra vir tomar conta da minha cidade. Minha, do seu pai e, futuramente, sua é claro.
Rafael sorri.
RAFAEL: E como foi a chegada?
OLIVER: Ótima... Tirando alguns problemas em casa. Você sabia dessa história da Lia trocar de faculdade?
RAFAEL: Ouvi algo a respeito... Não aprovo, se quer saber.
OLIVER: É, nem eu... Será que não daria pra você conversar com ela sobre isso? Vocês são praticamente namorados, ela te escuta muito mais que a mim.
RAFAEL (Sorrindo): Eu posso tentar... Hoje na festa vou falar com ela.
OLIVER: Festa?
RAFAEL: É... Os formandos organizaram uma festa na praia. Ela não falou nada? Eu vim justamente buscá-la.
OLIVER: Não, não falou. Mas ótimo... Vá falar com ela. A propósito, como estão as coisas entre vocês?
RAFAEL (Sorrindo): Você sabe que por mim já estaria tudo muito mais sério, padrinho. Mas não vai demorar pra gente formalizar um compromisso.
OLIVER (Animado): Ótimo. Seria ótimo que fizessem isso no discurso da próxima semana. Seu pai falou a respeito?
RAFAEL: Falou... Vai ser ótimo.
OLIVER (Sorrindo): É melhor se preparar, garoto. Depois desse discurso você já vai ser praticamente um candidato.
RAFAEL: Já estou preparado.
OLIVER: É assim que eu gosto. Agora vai falar com a Lia. Ela deve estar esperando.
Rafael concorda com a cabeça, sorri para Oliver e deixa o escritório animado.

Corta para:



CENA - INT - BAR - NOITE
A hora passa e, apesar de mais cheio, o bar continua desanimado. Nele algumas meninas dançam um pouco desajeitadas em cima do balcão e pessoas conversam e bebem sem muito entusiasmo.

Corta e vemos Luana ainda sentada sozinha em uma das mesas, pensativa, até que Marina entra no bar e rapidamente se junta à ela na mesa.


MARINA (Olhando tudo ao redor): Não gosto de frequentar esse lugar. Não consigo me acostumar.
LUANA: Fica fria Marina... Ninguém vai te levar lá pra cima(Luana aponta para as garotas no balcão). A não ser que você queria, claro.
MARINA: Muito engraçadinha... Onde está a Suzana?
LUANA: É exatamente isso que todos nesse bar têm se perguntado... Não a vejo desde cedo e sem ela isso aqui fica um verdadeiro porre.
MARINA: Logo ela aparece...
LUANA: E você? Tá com cara de preocupação.

Marina não responde e fica séria durante algum tempo.


LUANA (Franzindo o cenho): O que houve?
MARINA: Mauro foi demitido hoje.
LUANA: Mauro? O coordenador que te prometeu uma promoção? Esse Mauro?
MARINA: Ele mesmo... E junto com ele, mais um monte de gente.
LUANA (Sem entender): Como assim? Estão reduzindo o pessoal?
MARINA: Não estavam até ontem... Pelo menos não nos disseram nada. Não sei o que pode ter acontecido. Se eu for demitida amanhã eu nem sei o que faço Luana...
LUANA: Você não vai ser, ok? Você é uma das mais competentes daquele lugar... Não vão te tirar dessa maneira.
MARINA: Deus te ouça...
LUANA: E tem mais... Se esse tal Mauro caiu fora, dane-se. Vão reconhecer seu trabalho e vão te promover com ou sem a ajuda dele. A gente precisa ser otimista, pelo amor de Deus.
MARINA: Já vi que o vídeo de hoje te deu um choque de determinação.
LUANA: Deu... Deu sim. Trabalho numa revista que está em decadência, fazendo uma droga de coluna que nem eu mesma tenho vontade de ler... Isso é praticamente o fundo do poço de um jornalista. Daqui só dá pra subir minha amiga.
Marina não aguenta e ri.
LUANA: E é isso que vou fazer. Vou atrás de notícia que realmente interessa.
Marina sorri e aplaude a amiga.
MARINA: Tô gostando de ver.
LUANA (Erguendo um copo que está em sua mesa): À subida.
Logo ela deixa o copo na mesa e se levanta da mesma, dando um beijo no rosto de Marina.

LUANA: Vou trabalhar... Vê se bebe alguma coisa e relaxa. Amanhã é outro dia.


[EDGE OF GLORY - LADY GAGA]
Antes que Marina fale algo, Luana sai do local com pressa.
MARINA (Falando sozinha): ótimo Luana... Me deixe aqui sozinha.
CLOSE UP em Marina séria.

Corta Para:

Em outro canto do bar, uma mulher observa o pouco movimento.
MULHER: Alguém precisa fazer alguma coisa com esse lugar.
Ela bebe rapidamente o resto de bebida em seu copo, tira seu casaco e caminha na direção do balcão. Ao chegar próxima ao local, sobe no balcão com a ajuda de um homem e começa a dançar com as outras garotas de forma empolgada e sensual, despertando a atenção de todos no lugar, que se anima rapidamente.
A câmera mostra a mulher dançando durante algum tempo.

Corta Para:



CENA - EXT - PRAIA PRINCIPAL - NOITE
[MÚSICA - FADE]
[MÚSICA - GOOD LIFE - ONE REPUBLIC]
A câmera mostra a praia já cheia de jovens que dançam animadamente ao som da música.
Corta e a câmera mostra Luana chegando ao local parecendo um pouco desconfortável com a ocasião.
Corta e logo vemos Lia e Rafael chegando juntos ao local.
RAFAEL: Parece que está animado.

LIA: Não acredito que me convenceu a vir.


RAFAEL: É sua festa de formatura, Lia. Se não viesse iria se arrepender pro resto da vida.
Lia sorri e concorda com a cabeça.
LIA: Você até que consegue ser bem convincente.
RAFAEL: Uma das minhas grandes qualidades.
LIA: Ah é? E a humildade é uma delas?
Rafael ri.
RAFAEL: A propósito... Você tá linda.
LIA (Sorrindo): Sabe que não vou acreditar em você né? Eu peguei a primeira coisa que vi no armário.
RAFAEL: Pra você ver... Até assim consegue ficar linda.
Lia ri e faz um gesto negativo com a cabeça.
RAFAEL: Vou te confessar que tenho um pouco de medo desse novo começo, sabe? Toda a responsabilidade que vem junto com ele me assusta um pouco.
LIA: Acho que vai ser bom seguir um caminho diferente... Fazer nossas próprias escolhas, sabe?
RAFAEL: E por falar nisso... Você me deixou muito triste decidindo não fazer administração comigo, sabia?
LIA: Ah não... Não vou falar mais disso por hoje. Por favor...
A câmera mostra Luana se aproximando dos dois, os interrompendo.
LUANA: Com licença... Luana da Porto de Notícias. Será que poderia falar com vocês um minuto?
RAFAEL (Sem muita paciência): Estamos sem muito tempo agora... Luana, né? Mas que tal uma foto?
LIA: Rafael...
LUANA: Uma foto seria ótimo.
Rafael logo segura a mão de Lia e a abraça carinhosamente, posando para foto, deixando Lia desconfortável.
Luana tira a foto.
LUANA: Então os príncipes da cidade estão juntos?
RAFAEL (Sorrindo): Pode-se dizer que sim.
LIA: Rafael...
RAFAEL: Estamos indo agora.
Rafael segura a mão de Lia e os dois caminham para mais perto da areia.
LUANA (Séria): Eu, definitivamente, não nasci pra isso.

Corta e a câmera volta a mostrar Rafael e Lia caminhando pela praia.


LIA: Aquilo não foi legal.
RAFAEL: Ela queria uma foto e nós queríamos nos livrar dela... Todo mundo saiu ganhando.
LIA (Séria): Vai indo encontrar o pessoal... Vou resolver uma coisa e logo encontro vocês.
RAFAEL (Franzindo o cenho): Resolver uma coisa? Agora?
Lia faz uma afirmação com a cabeça e caminha sozinha na direção de outro local da praia.

Corta Para:



CENA - EXT - PRAIA DOS PESCADORES - NOITE
[MÚSICA - FADE]
A câmera mostra a praia dos pescadores vazia. Nela apenas alguns pescadores caminham pelo local.Logo a câmera mostra Suzana sentada na praia, com uma expressão pensativa e triste.
CLOSE UP em Suzana séria.

A câmera continua mostrando Suzana durante algum tempo.


Corta Para:

CENA - EXT - PRAIA PRINCIPAL - NOITE
Lia continua caminhando pela praia, já em um local um pouco mais vazio,até que avista Luana e corre em sua direção.
LIA: Luana.
Luana se vira e vê Lia.
LUANA (Sem entender): Posso te ajudar em algo?
LIA: Na verdade pode.
LUANA: Claro, pode falar.
LIA: Sei que te pedir isso não é legal, mas sei também que seu trabalho deve ser muito maior que uma foto...
Luana esbanja um leve sorriso.
LUANA: É o que estou pensando?
LIA: Não publica isso que você acabou de ver...
LUANA: Publicar essas coisas faz parte do meu trabalho, princesa. Vim até aqui hoje só por isso.
LIA: Você gosta da sua profissão, Luana?
LUANA: Eu amo.
LIA: Eu também. E é por isso que sei que pra você isso aí não deve valer nada.
LUANA: É, pra ser sincera não vale. Mas pra revista onde trabalho vale e muito.
Lia não responde, como se tivesse sido vencida.
LUANA (Sorrindo levemente): Você me lembra muito uma pessoa...
Lia não responde, também sorrindo levemente.
Luana pensa durante algum tempo.
LUANA: Fica tranquila, princesa. A Porto de Notícias não vai ter nem você nem seu namoradinho amanhã.
Lia sorri surpresa.
LIA: Brigada.
LUANA (Estendendo a mão para Lia): Foi um prazer te conhecer de verdade.
Lia e Luana sorriem uma para a outra e se cumprimentam com um aperto de mãos.

Corta Para:



CENA - INT - BAR - NOITE
[MUSICA - GIVE ME EVERYTHING - PITBULL]
A câmera mostra o bar já muito animado e as garotas, inclusive a da cena anterior, dançando no local.
Luana entra no bar e observa a nova garota dançando em cima do balcão até que caminha em direção a um homem que também observa a dança.
LUANA: Que palhaçada é essa, Heitor? Quem é essa?
HEITOR: “Essa” é a pessoa que salvou esse maldito bar, já que você não aparecia. Onde se meteu?
LUANA: É uma longe história.
HEITOR: Ela é ótima, né?
LUANA (Decidida): Não é melhor que eu.
Luana caminha na direção do balcão, sobe e também começa a dançar.
A câmera mostra Heitor sorrindo.
Corta e a câmera mostra durante algum tempo Luana dançando com as demais garotas. Ela dança durante um bom tempo ao som da música.
Corta e vemos um homem e uma mulher entrando no bar. Os dois observam o local com entusiasmo até que o olhar do homem para em Luana ao vê-la dançando.
O homem continua a olhando durante um tempo.
Corta e a câmera volta a mostrar Luana dançando animadamente, tentando disfarçar o desânimo. Ela continua dançando até que, de repente, para e olha diretamente para algo. A câmera segue seu olhar e podemos ver que ela olha o homem, que também está olhando pra ela fixamente.
Os dois se olham durante um longo tempo.

Corta Para:



CENA - EXT - PRAIA DO FAROL - NOITE
[MÚSICA - DIMINUI ATÉ TERMINAR]
A câmera mostra uma praia deserta de onde se avista um farol em uma minúscula ilha no meio do mar. Na praia podemos ver uma mulher, vestida com um vestido longo, caminhando calmamente na areia. Ela caminha durante algum tempo até que se aproxima de Lia, que está sentada na areia observando o farol.
MULHER: Deve ser uma festa bem chata para fazer você caminhar até aqui só pra fugir dela.
Lia desvia seu olhar do farol e olha para a mulher, que já continua caminhando se distanciando dela. Lia se levanta e vai na direção dela.
LIA: Peraí.



A mulher para e volta a se virar na direção de Lia.
LIA: Praticamente só nós duas frequentamos esse lugar e eu nem sei seu nome.
MULHER (Esbanjando um leve sorriso): Rubi.
LIA: Prazer Rubi. O meu é Lia.
RUBI: Eu sei. Sei mais sobre você do que você pensa.
Lia parece não entender.

RUBI: Sei que está perdida... Sei que se pergunta todos os dias se o problema é você...
Lia não responde, surpresa.
RUBI: Posso te responder com facilidade que não, o problema não é com você. Sabe por que? Por que a resposta pra essa pergunta já chegou... e está mais próximo do que você imagina.
Lia franze a testa.
[MÚSICA - EN EL MUELLE DE SAN BLÁS - MANÁ]
LIA: Quem é você, afinal?
RUBI (Esbanjando um leve sorriso): Eu? Ninguém. Só estou esperando meu marido.
Lia continua com uma expressão de dúvida.
RUBI: Até logo Lia. Logo logo te vejo... em dias muito melhores.
Rubi sorri para Lia e continua caminhando pelas areias da praia, olhando para o mar.
Lia, seriamente, observa a mulher caminhar.
CLOSE UP em Lia pensativa e séria.
Corta e voltamos a ver a mulher caminhando calmamente pelas areias, observando o mar com serenidade.

A câmera mostra Rubi caminhando durante algum tempo.


Corta Para:



CENA - EXT - PRAIA PRINCIPAL - NOITE
[MÚSICA - FADE]
[MÚSICA - EVERY TEARDROPP IS A WATTERFALL - COLDPLAY]
A câmera mostra os jovens festejando e a praia cheia deles, que dançam, conversam e bebem.

Corta e vemos Michelle e Carla, que conversam enquanto dançam.


MICHELLE: Murilo já foi mesmo?
CARLA: Amanhã ele embarca cedo... Não dava pra ficar até tarde.
MICHELLE: Não sei como vocês conseguem, sério... Uma semana se vendo e meses longe um do outro. Deus me livre.
CARLA (Rindo): Está dando certo, não está? Também não gosto da situação pra não tem outro jeito.
Nesse momento Rafael passa por elas e Michelle o observa atentamente.
MICHELLE: Nosso prefeitinho está sozinho? Isso não se faz...
Carla faz um gesto negativo com a cabeça.
CARLA: Sabe o que não consigo entender. Michelle? Como você pode viver empurrando Lia pra cima do Rafael se qualquer um pode ver que você é afim dele?
MICHELLE (Sorrindo): Lia e Rafael são o casal que esse cidade quer ver, minha cara... Mas até que não me incomodaria de ser uma espécie de Ana Bolena dele...
Carla faz um gesto negativo com a cabeça, como se não acreditasse no que acabou de ouvir.
CARLA: Então é isso que você consegue aprender das aulas de história?
MICHELLE (Sorrindo): Dá licença que vou tirar meu príncipe pra dançar...
Carla observa Michelle andando em direção a Rafael. Sob o ponto de vista de Carla podemos ver Michelle conversando algo com Rafael e logo depois os dois vão de encontro aos outros jovens e dançam juntos.
CLOSE UP em Carla sorrindo e fazendo um gesto negativo com a cabeça.
A festa está animada e a câmera continua mostrando essa cena durante algum tempo até que, de repente, mostra muitos pescadores chegando decididos ao local e indo em direção ao mar. Entre os muitos pescadores, estão Guilherme, Camilo e Dorival, esse tomando a dianteira.
RAFAEL (Observando a chegada dos pescadores): Mas que droga é essa?
MICHELLE: Eles não deviam estar na praia deles?
CLOSE UP em Rafael sério.
Todos os jovens que antes dançavam agora param e observam o movimento dos pescadores com expressões sérias.
Corta e a câmera volta a mostrar os pescadores invadindo a festa, até que chegam próximos ao mar e começam a preparar a pescaria.
GUILHERME: Pelo visto nós acabamos com a festa deles.
DORIVAL (Rindo): A nossa só está começando.
CAMILO (Sério): Não sei se foi boa ideia Dorival... Daqui a pouco eles chamam a polícia.
DORIVAL: Polícia? Vão levar a gente presos por pescar?
GUILHERME: O acordo foi usar apenas a outra praia pra pescaria... você sabe disso.
DORIVAL: A cada semana a gente tem um ataque diferente naquela praia... Querem tirar a gente dessa cidade a qualquer custo... Pra ser bem sincero estou pouco me lixando pra esse acordo. Vão precisar de mais pra me tirarem daqui.
(V.O) Qual de vocês é o líder dessa palhaçada?
Dorival, Guilherme, Camilo e os demais pescadores se viram e vêem Rafael e outros garotos bem próximos a eles.
DORIVAL (em tom de provocação): Algum problema?

RAFAEL: Todos. Vocês não podem ficar aqui.


Guilherme se aproxima de Rafael, com raiva.
GUILHERME: E quem vai tirar a gente?
Dorival com calma, tira Guilherme da frente de Rafael.
DORIVAL (Para Guilherme): Calminha garoto.
Camilo afasta Guilherme ainda mais e Dorival se aproxima de Rafael.
DORIVAL: Sinto muito atrapalhar sua festa, mas vamos continuar aqui.
RAFAEL (Em tom de desprezo): Não vão não. Essa praia é nossa. É melhor voltarem pro buraco de vocês.
Dorival sorri com sarcasmo.
DORIVAL: Não vou discutir com você moleque. Chega a ser covardia. Mas você merece palmas... Está aprendendo muito bem com seu pai e com o cretino do seu amigo senador.
RAFAEL: É a última vez que peço com educação... É melhor sairem daqui.
DORIVAL: Ou o que? Vai chamar o papai?
Dorival e Rafael se encaram friamente.
DORIVAL: Você ainda não é nada por aqui, garoto. Você só é bom quando está com sua turminha aí no muitos contra um. Para de acreditar em tudo que dizem sobre você... Você não é dono dessa cidade.
RAFAEL (com raiva): Isso não vai ficar assim... você sabe.
DORIVAL: Sei, claro que sei. Agora, se me der licença, tenho uma pescaria pra fazer.
Dorival dá as costas para Rafael e volta a fazer o que fazia anteriormente.
CLOSE UP em Rafael com muita raiva.
RAFAEL (Para os outros que estão com ele): Vamos... Vamos deixar a polícia e o senador cuidarem dessa.
Rafael se afasta ainda com raiva, e os que estão com ele também se afastam.
A câmera mostra Dorival, que olha para Guilherme e esboça um leve sorriso.
CLOSE UP em Guilherme sorrindo.

A câmera se afasta e podemos ver Luana, que observa todo o acontecimento com uma câmera na mão.


LUANA (Sorrindo): Não vai ser bem seu romance que vai estampar as capas de amanhã, senhor príncipe.
A câmera mostra uma visão geral da praia. Boa parte dos jovens presentes na festa já dispersam para outros locais e um grande número de pescadores ocupa toda a área.


Fim do capítulo.





©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal