Nosso Deus é Maravilhoso!



Baixar 0,87 Mb.
Página2/6
Encontro12.07.2018
Tamanho0,87 Mb.
1   2   3   4   5   6

O Universo

Deus já existia antes do Universo. Ele o criou. Embora Ele seja totalmente separado do mundo, Ele está em todas as partes do mundo porque está presente em todas as coisas ao mesmo tempo.



Seu tamanho

Quão grande é o Universo? Na verdade ninguém sabe. Os astrónomos ainda estão tentando encontrar a resposta a essa pergunta. Sem a visão telescópica, podemos ver cerca de

2.000 estrelas. Até recentemente, nos anos 1920, pensávamos que nossa galáxia, a Via Láctea, representava o limite do cos­mos. Mas, com a introdução de telescópios mais poderosos, verificamos que ele era muito mais imenso que isso. Eins­tein estimou que a circunferência do espaço poderia ser de

210.000.000.000.000.000.000.000 anos luz.

O Telescópio Espacial Hubble alargou essa visão, mas ainda não nos deu uma resposta final. Com ele, podemos ver estrelas que estão bilhões de anos luz distantes da terra. Mas ainda há mais além delas. Na última contagem, há cerca de 50 bilhões de galáxias, cada qual com centenas de bilhões de estrelas, o que faz com que a contagem das estrelas seja bi­lhões de bilhões. Mesmo que houvesse apenas a metade desse número, não faria muita diferença para nós se estivéssemos usando a definição americana de bilhão (mil milhões) ou a definição britânica de bilhão (um milhão de milhões). As es­tatísticas são tão grandiosas que perdem seu significado para todos, exceto para os astrónomos.

Tendo dito isto, devemos nos lembrar que as numerosís­simas estrelas ocupam apenas uma pequena fração do espa­

10

ço. À medida que telescópios novos e mais poderosos estão em órbita no espaço, os números mudam e milhões de livros se tornam desatualizados.



Quando o Universo começou?

Quantos anos tem o Universo? Os cientistas atualmente estimam que esse tempo varie entre 10 e 20 bilhões de anos, e dão preferência pelo número mais baixo da variação. Como isso se enquadra com a visão bíblica? Primeiramente, deve ficar bem claro que Génesis 1.1 não traz uma data: ''No prin­cípio, criou Deus os céus e a terra ". Não é mencionado ne­nhum tempo específico.

Os cristãos que se apegam a uma visão de uma Terra jo­vem da cosmologia objetam quanto a uma Terra de um bilhão de anos. Eles diriam que Deus poderia ter criado a Terra com características de idade. Ele poderia ter criado a Terra com uma aparência interna de idade. Ele poderia ter criado as es­trelas de forma que parecessem estar a milhões de anos luz de distância. Isso, logicamente, é possível. Ele criou Adão como um homem adulto e não como um bebé.

Existe algum desacordo entre os cristãos quanto à idade da Terra desabitada. Mas, quanto à idade dos seres humanos na Terra, bom, essa é uma outra história. As genealogias do Antigo Testamento não dão margem a bilhões, nem ao menos a milhões de anos. Até com as lacunas nas genealogias, a idade do homem na terra dificilmente poderia beirar 10.000 anos.



Universo em expansão?

Será que o Universo está se expandindo? Está claro que os corpos celestes estão se movendo para longe de nós a uma velocidade enorme. A coisa espantosa é que os pla­netas e as estrelas não se espalham precipitadamente e em confusão. Embora as posições das estrelas mudem com re­lação às estações, elas não mudam com relação uma à outra.

Como suas posições são incrivelmente previsíveis, pode-se confiar nelas para a navegação.

Por que tantas estrelas?

Sempre me pergunto por que Deus pendurou tantas es­trelas no céu; eu certamente ficaria satisfeito com muito me­nos que isso. Mesmo sem a visão telescópica, o espetáculo da noite é tremendo!

Mas agora, como mencionado acima, sabendo que há bi­lhões de galáxias, cada um delas abrigando bilhões de estre­las, perguntamo-nos a nós mesmos "Por quê?"

Uma primeira tentativa de resposta é que elas são um testemunho da grandeza de Deus. Elas são um tributo a Seu eterno poder e divindade (Rm 1.20). O Projetista é maior que Seu projeto. O Criador é maior que Sua cria­ção. Se Ele pode fazer cintilar o espaço com tantos corpos celestes e chamá-los pelo nome (SI 147.4), Ele deve ser indescritivelmente grandioso.

No livro de Apocalipse, os 24 anciãos dizem:

"Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder, porque todas as coisas tu criaste, sim, por cau­sa da tua vontade vieram a existir eforam criadas" (Ap 4.11).

Logo, essa é uma outra razão para a existência de nu­merosas estrelas. Elas foram criadas para o prazer de Deus. Isso faz sentido! Quando Ele as fez, no quarto dia, por acaso nos surpreende que Ele tenha visto que tudo era bom? Por que Ele não deveria ficar satisfeito com as obras de Suas mãos nos céus estelares?

Agora chegamos a um outro motivo. Desta vez não é baseado na Bíblia, mas na física e na astronomia. Os físicos de hoje nos dizem que os aproximadamente 100 bilhões de trilhões de estrelas nos céus, não mais nem menos, são necessários para que a vida na terra seja pos­sível. "Evidentemente que Deus teve tanto cuidado com as criaturas viventes que construiu 100 bilhões de trilhões

- A MARAVILHOSA CRIAÇÃO DE DEUS

de estrelas e cuidadosamente as burilou ao longo de todo

o tempo do Universo para que, nesse breve momento na história do cosmos, os humanos pudessem existir e ter um lugar agradável onde morar".1

Não nos surpreende que um cientista não cristão te­nha reconhecido que um ser superinteligente tenha fei­to traquinagens com a física.2 Um outro, disse que "as leis [da física] parecem elas mesmas ser o produto de um projeto extraordinariamente engenhoso".3 O astrofísico George Greenstein, da Faculdade de Amherst, concluiu


  1. o seguinte: "À medida que investigamos todas as evidên­cias, surge insistentemente o pensamento de que alguma agência sobrenatural - ou melhor, Agência - deve estar envolvida nisso. Será possível que, subitamente, sem ter­mos a intenção, tenhamos nos deparado com provas cien­tíficas da existência de um Ser Supremo? Será que foi Deus que interveio e que tão providencialmente elaborou

  2. o cosmos para nosso benefício?"4

Estou satisfeito. As estrelas existem simplesmente na quantidade certa, nem mais, nem menos.



História nos céus

Onde estão as estrelas agora? Algo fascinante a respeito das estrelas é que nós não as vemos onde elas estão agora. Nós as vemos como elas eram quando a luz que agora entra em nossos telescópios as deixou. Portanto, as estrelas são história em vez de eventos atuais.

Quanto ao número das estrelas, Sir James Jeans, o físico, astrónomo e autor inglês, escreveu o que segue:

Poucas estrelas são conhecidas que sejam pouco maiores que a Terra, mas a maioria é tão grande que centenas de milhares de Terras poderiam ser empacota­das dentro de cada uma delas e ainda sobraria espaço; vez por outra nos deparamos com uma estrela gigante que é grande o suficiente para conter milhões e milhões de Terras. O número total de estrelas no Universo é pro­vavelmente algo como o número total dos grãos de areia em todas as praias do mundo. Tal é a pequenez de nosso lar no espaço, quando medido em relação à substância total do Universo.5

Deveríamos nos encher de espanto!

O Sol

No centro do Sol ocorre a fusão nuclear, descarregando explosivamente a radiação gama, que é igual a 100 bilhões de bombas de hidrogénio de um megaton por segundo.

A quantidade de energia que o Sol dispensa à Terra é de apro­ximadamente 15.000 vezes o consumo por ano atual de energia da população do mundo. A Terra recebe 10 vezes mais energia solar a cada ano do que aquela que existe em reservas fósseis (carvão, petróleo, etc.) somadas às reservas de urânio. Contudo, apenas dois bilionésimos da energia solar afeta a terra.

O Sol é do tamanho de 1.300.000 Terras. Mas, compa­rado à estrela Antarus, ele não é tão grande. Se Antarus fos­se oca, dentro dela caberiam 64 milhões de sóis. Epsilon, a maior estrela conhecida, poderia conter 27 bilhões de sóis em seu interior. Nossa mente não consegue compreender isso.

Um único dia sem o Sol significaria o esquecimento da vida na terra. Em sua proporção atual, o Sol se consumiria a si mesmo em cinco bilhões de anos. Ao contemplarmos os corpos celestes, temos que concor­dar com o poeta Joseph Addison:

Aos ouvidos da Razão elas se regozijam, E proferem em gloriosa Voz, Cantando para sempre enquanto brilham, "A Mão que nos fez é divina".



14

O planeta Terra

"O SENHOR fez a terra pelo seu poder; estabeleceu o mundo por sua sabedoria e com a sua inteligência estendeu os céus" (Jr 10.12).

"A Terra em si é uma obra prima, um organismo bem harmonizado girando pelo espaço. Desde os mundos subaquáticos escondidos brotando rapidamente com exóticas formas de vida até o poder destrutivo de um vulcão em erupção, a natureza é sempre extremamen­te impressionante".6

A Terra é uma partícula de poeira no Universo, e, como disse alguém: "O homem é uma partícula sobre outra partícu­la, chamada Terra, controlada por uma partícula - o Sol - em uma partícula, nossa galáxia".

Stephen Hawking descreveu a Terra como "um planeta de tamanho médio orbitando em volta de uma estrela mediana nos subúrbios exteriores de uma galáxia espiral comum, que é ela mesma apenas uma entre cerca de milhões de milhões de galáxias no Universo observável".7

A esfera giratória na qual nós vivemos é uma obra prima de criatividade. À medida que ela rodopia pelo espaço, sua direção é bem regulada e previsível. A despeito de sua movi­mentação ininterrupta, podemos viver nela confortavelmen­te sem nenhum sinal de tontura.

A terra gira a aproximadamente 1.040 milhas [mais de

1.600 km] por hora na linha do equador. Ela se move em re­dor do sol em uma velocidade média de 18,5 milhas [cerca de 30 km] por segundo. O sol se move em torno da Via Láctea a uma velocidade de 150 a 155 milhas [cerca de 240 a 250 km] por segundo. Nossa Via Láctea se move dentro de um aglomerado de galáxias a cerca de 75 milhas [120 km] por segundo. Gostando ou não, estamos na rodovia de alta velo­cidade do Universo.

O Planeta Terra é uma obra prima de beleza, seja quando fitamos as majestosas montanhas arroxeadas ou os picos co­bertos de neve. Há os oceanos esbranquiçados pela espuma das ondas, incessantemente batendo contra as praias e dando forma às fotogênicas dunas de areia. Ou os lagos plácidos ace­nando para nós em um convite para chegarmos com nossas linhas, anzóis e iscas. Os recém casados ficam em silêncio, observando as espantosas quedas do Niágara. Os turistas, car­regados com suas câmeras, tripés e filmes, tentam, em vão, captar uma vista completa do Grand Canyon, as escarpas mais profundas da terra. O panorama é ornamentado com flores que excedem a beleza das vestimentas reais de Salomão, e as matas e florestas dão à Terra o nome de Planeta Verde. Não podemos nos esquecer dos recifes de coral fervilhando de organismos vivos, da beleza ímpar dos desertos ou dos arco-íris que nos fazem emudecer. As quatro estações nos proporcionam varie­dades. À medida que o dia termina no ocidente, o horizonte cor de carmesim brilha por entre as pinceladas das nuvens.

Deus deve amar a beleza, Ele fez tantas coisas com ela.

Nosso meio-ambiente ideal

É maravilhoso observar quão adequado o Planeta Terra é para a sustentação da vida. Tanto quanto sabemos, é o único planeta que tem essa característica. Pegue, por exemplo, o ar que respiramos. Ele tem exatamente a combinação certa de nitrogénio, oxigénio, argônio e dióxido de carbono. O ho­mem expira dióxido de carbono, que é venenoso. As plantas expiram oxigénio. As plantas vivem do dióxido de carbono, enquanto que o homem precisa do oxigénio.

A distância entre a Terra e o Sol nos guarda de assarmos ou de congelarmos. Uma mudança de 2% na média da tempe­ratura anual seria desastrosa.

A velocidade da Terra ao redor do Sol é excelente para nos impedir de ficar perto demais do calor ou de nos afastar­mos para longe demais dele.

16

- A MARAVILHOSA CRIAÇÃO DE DEUS -



Você aprecia as quatro estações? Bem, isso é porque o eixo de rotação da terra está ajustado à inclinação adequada de 23° em vez de ser a 90° ou a algum outro ângulo.

A velocidade da rotação da Terra sobre seu eixo resulta em um dia de 24 horas, que não poderia ser mais bem plane­jado para as formas de vida.

Se a Lua estivesse mais perto da Terra, marés imensas inundariam a maior parte desta. Estudos recentes mostram que é a Lua que mantém a inclinação que sustenta a vida na Terra.

A proporção exata de terra e água cobre o planeta. Os 70% de água estabilizam tanto as alterações de tem­peratura do dia e da noite quanto a temperatura da su­perfície dos oceanos, depois proporciona a quantidade correta de precipitação de chuvas. Contudo, se as mon­tanhas fossem aplainadas, nosso planeta ficaria coberto de água. Incidentalmente, acredita-se que nosso planeta é o único no sistema solar que possui água em forma líquida. Que coincidência!

Como a maioria das substâncias, a água contrai quando é gelada, mas diferentemente de todas as outras substâncias, essa contração pára aos 4 graus centígrados. Então, a água dá uma meia-volta e se expande até congelar. O resultado é que as ligações entre as moléculas no gelo são tecidas com menor tensão. Em outras palavras, o gelo é menos denso que a água; consequentemente, ele flutua em vez de afundar em direção ao fundo dos oceanos e dos lagos. A camada de gelo em cima de um lago ajuda a manter uma temperatu­ra mais aquecida na água abaixo. Se o gelo afundasse, os oceanos e lagos ficariam sólidos de tão gelados, matando os peixes e as plantas aquáticas. Temos que apreciar a In­teligência criativa que faz com que a água líquida e o gelo se comportem dessa maneira tão peculiar. Se o ar se com­portasse assim sobre a superfície da Terra, a temperatura seria quente demais para os seres humanos, os animais e a vegetação sobreviverem.

A gravidade é a força na medida exata. Se ela fosse mais forte, as estrelas teriam se queimado muito mais rapidamente e com mais calor, e o sol há muito já haveria consumido seu hidrogénio. Se a gravidade fosse mais fraca, todas as estrelas seriam acanhados pontinhos vermelhos.

Como as condições na Terra são tão bem sintonizadas, temos os ventos que impedem as plantas e outras formas de vida de assarem. Os ventos levam a poluição para longe, e levam o oxigénio onde ele é necessário. Temos água, o sol­vente universal sem o qual não haveria nenhum ser vivo. O Sol aquece o oceano, fazendo com que a água evapore, suba ao céu, se condense em gotas que se formam em partículas para se tornarem nuvens. As nuvens levam a água por toda a face da Terra, depois a deixam cair em forma de chuva, neve, ou granizo.

Como a densidade da atmosfera é correta, a maioria dos meteoros se queima antes de se chocarem contra a Terra.

A maior parte da superfície da terra seca é coberta por solo arável, fervilhando de vida e de sementes, e produ­zindo vegetação.

As correntes oceânicas mantêm a maior parte da água em forma líquida. Em seu livro denominado Earth, the Place for Life [Terra,

o Planeta para a Vida], o astrofísico Hugh Ross especifica 33 maneiras nas quais o Planeta Terra foi criado e posicionado a fim de sustentar a vida humana.

Finamente sintonizada é uma descrição apropriada da criação. Apenas uma Mente Inteligente poderia tê-la executa­do. Pensar que ela é aleatória e não direcionada, sem planeja­mento nem propósito, é de uma ingenuidade sem limite.

Um artigo intitulado "Aquele Espantoso Criador -a Natureza" apareceu em Our Amazing World of Nature [Nosso Espantoso Mundo da Natureza], uma publicação de Readers Digest [ou Seleções]. É uma insensatez total atribuir à "natureza" o poder e a sabedoria que apenas Deus possui.

18

- A MARAVILHOSA CRIAÇÃO DE DEUS ­



O corpo humano

O corpo humano começa quando o esperma e o óvulo se unem para formar uma única célula viva. Essa célula contém um espiral de blocos de construção conhecido como DNA,

o qual carrega um código que determina como será a pessoa em formação.

A célula original se multiplica até que milhões de células formem o corpo. Mas não pense nessas células como se fos­sem gotas de gelatina inerte. Cada uma delas é uma entidade viva com vastas possibilidades. Cada célula sabe qual é a sua função e a que parte do corpo ela pertence. Embora seja mi­croscopicamente pequena, ela abriga atividades comparáveis às de uma cidade moderna.

Poucos escritores conseguem escrever com tanto entu­siasmo sobre a célula como Lewis Thomas. Falando sobre a maravilha de uma simples célula crescendo para se tornar um cérebro humano, ele escreveu o seguinte:

A mera existência daquela célula deveria ser uma das coisas mais estupendas da Terra. As pessoas deveriam an-dar para lá e para cá o dia todo, chamando outros com uma admiração imensa e interminável durante essas horas de caminhada, falando exclusivamente sobre aquela célula. É algo inacreditável, e, mesmo assim, ali está ela, entrando ni­tidamente em seu lugar em meio às células emaranhadas de cada um dos vários bilhões de embriões humanos em todo o planeta, como se isso fosse a coisa mais fácil desse mundo.

Uma célula é ligada para se tornar o aparato mássico com­pleto de trilhões de células para pensar e imaginar e, portanto, ficar surpreso. Todas as informações necessárias para apren­der a ler e a escrever, tocar piano, argumentar diante de sub­comitês de senadores, caminhar nas ruas em meio ao tráfego, ou o maravilhoso ato de erguer um braço e se recostar em uma árvore, tudo está contido naquela primeira célula. Toda a gramática, toda a sintaxe, toda a aritmética, toda a música.

Ninguém tem a menor ideia sobre como isso funciona, e nada mais na vida pode ser tão intrigante. Se alguém realmen­te conseguir explicar isso tudo, eu fretarei um avião daqueles que escrevem no céu, ou talvez uma frota toda deles, e os en­viarei às alturas para escrever um ponto de exclamação após o outro, em todo o céu até que meu dinheiro se acabe.8

Em OurAmazing World ofNature [Nosso Espantoso Mun­do da Natureza], Rutherford Platt, escritor de ciências, diz:

O núcleo de cada célula possui um espiral enrolado das moléculas raras, parecidas com uma fita, do DNA que con­tém em si o código da vida da mesma maneira que uma fita magnética contém em si uma música.

Quando futuras gerações olharem para o passado, para nossa idade espacial, elas poderão muito bem considerar a exploração do espaço interior - as profundezas da célula viva - como algo muito mais importante para a humanidade do que as espetaculares realizações dos astronautas.9

No livro The Incredible Machine [A Máquina Incrível], publicado pela Sociedade Geográfica Nacional, encontramos uma espantosa explosão semelhante:

Os eventos ...que levam a vida por todo o caminho des-de uma célula primitiva solitária até as circunvoluções de um cérebro humano e da auto-consciência da mente huma­na deveriam nos deixar tremendamente maravilhados.10

O cérebro

O cérebro é "o objeto mais complexo do universo conhecido". Os doutores Don De Young e Richard Bliss escrevem o seguinte:

No cérebro permanece uma fronteira da ciência; nós, de fato, sabemos muito pouco sobre ele, mas o que é conheci­

20


- A MARAVILHOSA CRIAÇÃO DE DEUS ­

do é estupendo. Além disso, cada uma das células nervosas dentro do cérebro contém um trilhão de átomos. Isso é como um universo microscópico, completo em ordem, com propó­sito e interdependência de seus componentes.11

Um artigo da revista Time admitiu que o modo em que "os milhões de células do cérebro humano funcionam em conjunto para criar a consciência é o maior problema não resolvido da biologia".12

A mente humana teoriza, filosofa, raciocina, julga, mo­raliza, teologiza. Ela chega a conclusões, forma convicções, inventa ideias, e as diferencia entre verdade e erro, boas e ruins. Ela lembra, compara e contrasta.13

Ela contém imaginação, moralidade, sensualidade, ma­temática, memória, humor, julgamento, religião, bem como um catálogo incrível de fatos e de teoria» e o senso comum para dar a estes toda a prioridade e significado.14

A coordenação da mente e dos músculos é fantástica. Veja o caso de um conhecido meu que é organista da igreja. Existem cinco teclados no órgão dele, com 61 teclas em cada um - num total de 305 teclas. Além disso, há 150 chaves e 32 pedais. A medida que ele lê as notas, o cérebro envia a mensagem para as mãos e os pés dele para tocar as teclas e os pedais simultaneamente e para apertar as chaves sempre que necessário. Como resultado, o prédio da igreja fica re­pleto de uma linda harmonia. Logicamente, ele precisa pra­ticar horas e horas para treinar seus dedos e seus pés, mas sua mente nunca vai para a posição neutra. Ele deve pensar constantemente sobre o próximo acorde que vai tocar e so­bre como produzi-lo.

O cérebro possui a distinção de ser a única parte do corpo que não é regenerada a cada 7 anos.

Roscoe Drummond, em um de seus momentos de humor, disse: "A mente é uma coisa maravilhosa. Ela começa a traba­

lhar no momento em que a gente nasce e nunca mais pára até

o momento em que a gente se levanta para falar em público".

É uma tortura para o senso comum pensar que tenha acon­tecido sem um Projeto Inteligente.

O crescimento do corpo

À medida que as células se multiplicam, algumas produ­zem proteínas que, por sua vez, fazem o sangue para suprir o oxigénio, a insulina para controlar a energia, e o colágeno para formar a pele. Logo os nervos, as veias, e os órgãos se formam nos lugares adequados e na sequência correta. Programados naquela única célula estão o coração, os pulmões, a bexiga, os rins, a cartilagem, o pâncreas, os olhos, os ouvidos, a pele, a estrutura esquelética, os nervos, o cérebro, e tudo o mais que é necessário para um corpo normal. Podemos descrever o que acontece, mas não sabemos como ou por quê.

Frequentemente, mulheres grávidas têm desejos de comer coisas estranhas. Parece estranho quererem pizza e sorvete ao mesmo tempo. Mas esses alimentos possuem ele­mentos químicos que o corpo precisa. Portanto, ele envia uma lista de desejos para o cérebro e o cérebro, por sua vez, trabalha em cima do apetite.

Logo antes de um bebé nascer, a placenta transfere uma por­ção da gamaglobulina da mãe para a corrente sanguínea do que está para nascer. Esse plasma ou soro contém anticorpos para lutar contra enfermidades que haviam previamente infectado a mãe. Isso evita que os bebés contraiam quaisquer daquelas doen­ças até que possam produzir seus próprios anticorpos.



Nasce um bebé

Em aproximadamente nove meses o bebé está bem for­mado e faz sua estreia em sua amorosa família. Os bebés nas­cem sem dentes, um ótimo arranjo para as mamães que os amamentam. As mandíbulas do bebé são feitas com tremendo

- A MARAVILHOSA CRIAÇÃO DE DEUS ­

poder de sucção, uma característica que é perdida à medida que a criança fica mais velha. Tente beber leite através de um bico de mamadeira de borracha.

Todos os nutrientes necessários para a boa saúde estão pre­sentes e em equilíbrio adequado no leite materno. O primeiro leite, chamado colostro, contém células que atacam as bactérias e são capazes de produzir anticorpos que destroem os vírus.

Aquele pequenino corpo humano tem seu próprio sis­tema de ar condicionado, seu manejo de dejetos, um centro de comunicação, uma usina de energia, um sistema de bom­beamento de água, e um hospital para combater infecções. Há um estúdio fotográfico no sistema olhos-cérebro, um hall de concerto com cordas vocais e um sistema auditivo, e um laboratório químico que funciona 24 horas por dia atuando em todas as células do corpo.

O bebé tem cada faculdade sensorial que ele terá para sempre: a gustação, o tato, a visão, a audição e o olfato. Daí em diante é apenas uma questão de se desenvolverem.

Uma pessoa poderia passar a vida toda travando conheci­mento com qualquer uma das partes do corpo. É por isso que temos os médicos que são "especialistas": cardiologistas, neuro­logistas, oftalmologistas, reumatologistas, e assim por diante.



Membros do corpo

Pensar sobre apenas algumas partes do corpo nos revela quão fantásticas elas são:



(a) O sangue. Cinco ou seis litros de sangue estão cons­tantemente fluindo através de mais de 90 mil quilómetros de vasos sanguíneos para transportar oxigénio dos pulmões aos 200 trilhões de células do corpo. Mas o oxigénio não é tudo o que o sangue fornece. Ele serve as células com sódio, potássio, cálcio, magnésio, aminoácidos, açúcares, nitrogénio, e uma sé­rie de outras coisas que nós nem sabíamos que precisávamos.

E mais, o sangue tem uma maneira sábia de juntar as impurezas, as toxinas e elementos químicos e gases indesejáveis, e desviá-los para órgãos que os eliminarão do corpo. Os rins são excelentes nessa função. Eles são filtros fenomenais.

Uma gota de sangue contém milhões de glóbulos ver­melhos e milhares de glóbulos brancos e plaquetas. Quando nos cortamos, as plaquetas se apressam para chegar à cena e fazem uma teia na qual os glóbulos vermelhos se agrupam; depois, o sangue coagula e o sangramento cessa.

O glóbulo vermelho se move com rapidez e eficiência impressionantes durante quatro meses. Então, ele se dirige para o baço onde é reciclado.

Quando bactérias prejudiciais invadem o corpo, os glóbulos brancos declaram guerra. Alguns usam armas químicas na bata­lha, outros usam munição mais pesada. Se não houver glóbulos brancos suficientes, a medula óssea envia reservas adicionais e os anticorpos as levam ao alvo intencionado. Os glóbulos brancos são projetados para alvos específicos. Uma célula anticatapora não resolverá o problema com a febre amarela. Uma vez que um linfonodo produza um anticorpo, ele mantém um registro da fórmula para uma referência a pronta entrega no futuro, porque leva tempo para o corpo decifrar o código de um invasor.

(b) Os ossos: Uma vez quebrei o quinto metatarso do meu pé direito. Tudo o que o médico fez foi passar uma gaze ao redor dele e chamou aquilo de gesso molhado. Ele me assegurou que o osso sararia sozinho e foi o que acon­teceu. Uma cartilagem se forma em torno da fratura, man­tendo os dois pedaços de ossos juntos. Não é por acaso que as articulações do corpo humano pos­suem um sistema de lubrificação. O fluido sinovial possibilita que os ossos suportem o peso do corpo enquanto se movem com facilidade e rapidez osso contra osso nas articulações. Imagine o que seria se caminhar e correr produzissem uma cacofonia de rangidos e chiados.

(c) A mão: Alguém chamou a mão de "um agrupamento espantoso de alavancas, dobradiças e fontes de energia, todo dirigido pelo computador principal, o cérebro".



(d) O polegar: Nós não valorizamos o suficiente o fato de termos um dedo oposto, isto é, que possamos tocar os outros quatro dedos de nossa mão com nosso polegar. É isso que tor­na a mão o instrumento mais versátil e importante do mundo. Imagine quão limitado você seria se perdesse um polegar. Você teria dificuldade para abrir uma lata, para desfazer um nó, ou para tocar piano. Com ele você pode fazer milhares de tarefas que, sem ele, estariam fora de questão. O polegar é o instru­mento mais útil para um médico estancar um sangramento.

(e) Os ouvidos: ouvimos quando as vibrações do som ba­tem no tímpano. O missionário e médico Paul Brand explica:


Conversações simples fazem com que as moléculas de ar vibrem e movam o tímpano uns meros dez milésimos de centímetro, mas com precisão suficiente para diferenciar todos os sons da fala humana. A membrana do tímpano possui a fle­xibilidade para registrar a queda de um alfinete tanto quanto o barulho do metro em Nova Iorque, que é cem trilhões de vezes maior. Dificilmente os ouvidos poderiam ser mais sensíveis; se a sensibilidade do ouvido aumentasse um mínimo que fosse, nós ouviríamos o movimento das moléculas de ar como um constante cicio (essa é uma aflição que realmente atormenta as pessoas, com efeitos alucinatórios desastrosos).

Os alunos que sobrevivem às aulas de biologia do ensino médio deveriam saber o que acontece depois que o tímpano vibra: três ossos minúsculos, informalmente conhecidos como martelo, bigorna e estribo, transferem aquela vibração para den­tro do ouvido médio. Tenho trabalhado com a maioria dos ossos do corpo humano, e nenhum deles é tão notável quanto esses três, que são os menores do corpo. Diferentemente de todos os outros ossos, esses não crescem com a idade - um bebé de um dia possui esses três ossinhos totalmente desenvolvidos. Eles estão em constante movimento, uma vez que cada som que nos atinge faz com que esses ossos entrem em ação. Trabalhando juntos, eles maximizam as forças que vibram o tímpano até que

o som fique vinte vezes maior do que quando entrou.15

- NOSSO DEUS E MARAVILHOSO! ­

O número de vibrações por segundo é o que determina a agudeza de um som específico.

(í) O nariz: Não pressuponha que seu nariz está ali e pronto. Ele é algo fantástico. Ele sente as fragrâncias, e o cérebro as registra. É por isso que podemos reviver uma refeição chinesa que tivemos em um restaurante em Hong Kong, ou reconhecer a fragrância de um pomar de laranjas em Israel após 40 anos.

O botão de uma flor pode durar por apenas três ou quatro dias, mas o cheiro é codificado no cérebro.

(g) Os pés: Se você viver até aos 70 anos, seus pés terão andado ao redor da terra três vezes. Isso não é o suficiente para deixá-lo cansado? Você nunca percebe quão importante é seu artelho grande até que ele se machuque ou seja amputado. Quando um jogador de basebol, cujo nome está no Hall of Fame, quebrou um artelho, ele observou que isto afetava seu arremesso e que indiretamente causava uma luxação em seu braço. Suas habilidades nunca mais foram as mesmas.

(h) A memória: Você já pensou como seria a vida se nós não tivéssemos o poder de lembrar? F. B. Meyer abordou o assunto da seguinte maneira:
A memória é um dos processos mais maravilhosos da na­tureza. É a faculdade que nos capacita a registrar e a recordar

o passado. Se não fosse por esse poder, a mente permane­ceria para sempre na condição vazia da infância, e tudo o que passou antes não deixaria nenhuma impressão além de imagens na superfície plana de um espelho. (...) O único fato que nos interessa é que ela possui uma qualidade retentiva universal. Nada jamais passou através de nossa memória que não tenha deixado um registro em suas tábuas maleáveis.16

Existe uma misericordiosa exceção na área da memória. A dor é rapidamente esquecida. Podemos lembrar que a senti­mos, mas não nos lembramos da dor em si. Jesus apontou para isso de maneira bem vívida:

26


"A mulher, quando está para dar à luz, tem tristeza, por­que a sua hora é chegada; mas, depois de nascido o menino, já não se lembra da aflição, pelo prazer que tem de ter nasci­do ao mundo um homem " (Jo 16.21).

(i) O aparelho digestivo: O sistema digestivo é um apa­rato vasto e complexo que realiza seu trabalho com estupenda precisão e interação bem cronometrada. Está além do escopo deste livro descrevê-lo em detalhes. O esquema a seguir reve­la apenas uma amostra do que está envolvido.

Grande parte de nosso corpo consiste em proteína, e o alimento que ingerimos contém proteína. Mas, como o cor­po pode digerir essas proteínas dos alimentos sem ao mesmo tempo digerir-se a si mesmo? Isso é magnífico!

Quando comemos proteínas como carne e queijo, o estô­mago estimula a produção de um hormônio chamado gastri­no que, por sua vez, estimula a secreção do ácido clorídrico. (Esse é o fluido que volta queimando à sua garganta quan­do você come pizza demais antes de ir dormir.) O ácido age como um anti-séptico e mata a maior parte das bactérias e das células estranhas. Ele também quebra as proteínas para auxi­liar na digestão das mesmas.

À medida que o alimento parcialmente digerido se move para dentro do intestino delgado, o alto nível de ácido dispa­ra o fluxo de um hormônio no sangue chamado secretina. A secretina diz ao pâncreas para produzir bicarbonato, a mesma soda que temos em nossa despensa. Isso protege o intestino delgado neutralizando o ácido.

À medida que as proteínas parcialmente digeridas entram no intestino delgado, um hormônio com um nome impronun­ciável produz três diferentes enzimas. Enquanto essas enzi­mas estão no pâncreas, elas não conseguem dissolver as pro­teínas das quais aquele órgão é feito. Elas são inibidas por um pequeno componente que atua como um interruptor.

Mas quando elas se movem para baixo, para dentro do intestino delgado com o alimento parcialmente digerido, uma enzima que é produzida apenas nesse intestino remove o com­ponente microscópico, desta forma ativando as enzimas. Elas, então, digerem as proteínas do alimento, mas protegem o in­testino delgado de se digerir a si mesmo.

Essa sequência maravilhosa de ações é apenas uma fração do que acontece quando nos alimentamos. E elas não pode­riam ter se desenvolvido ao longo de milhões de anos. Todas elas tinham que estar juntas desde o início para que o trato digestivo funcionasse adequadamente.

(j) O fígado: O fígado é uma máquina espantosa que produz 1.000 diferentes enzimas. Dentre outras funções, es­sas enzimas mantêm o sangue puro. Se um cirurgião cortar e remover parte do fígado de uma pessoa, esse fígado crescerá novamente e ficará de seu tamanho original em alguns meses.

Lewis Thomas tem alguns pensamentos excelentes so­bre o fígado. Se lhe dissessem para assumir o controle sobre seu próprio fígado e realizar as funções que o fígado realiza, ele disse que preferiria ser colocado para pilotar um jato 747, estando sentado no banco de uma diligência.

Eu sou, para encarar os fatos com honestidade, conside­ravelmente menos inteligente do que meu fígado. Além disso, sou constitucionalmente incapaz de tomar decisões hepáti­cas, e prefiro não ser obrigado a torná-las, jamais. Eu não seria capaz de decidir o que fazer primeiro.17

(k) Reflexos inconscientes: Algumas das funções de nosso corpo acontecem automaticamente. O coração bate e o sangue flui sem qualquer esforço de nossa parte. O sistema da digestão realiza seu importante trabalho sem nenhuma ajuda consciente de nossa parte. Não temos que controlar nossos rins, fígado, ou pâncreas. Eles sabem o que fazer e o fazem.

Comumente, nós respiramos de maneira instintiva, mas também podemos respirar de acordo com nossa vontade quan­do o médico coloca seu estetoscópio em nosso peito e nos manda inspirar e expirar. O impulso para respirarmos continu­

28

amente, acordados ou dormindo, é tão forte que não consegui­



mos pôr um fim em nossa vida segurando nossa respiração.

Podemos piscar quando queremos, mas nossas piscadas são geralmente espontâneas. Nós piscamos 20.000 vezes por dia. Se tivéssemos que dar início a cada piscada, nunca po­deríamos fazer nenhum outro trabalho. Portanto, Deus criou esse mecanismo para ter certeza de que a superfície de nossos olhos permaneça umedecida.



(1) Um misto de maravilhas: Por que um pai e uma mãe, em fertilizações separadas, não produzem bebés idênticos? Há tantas combinações de DNA possíveis que as chances de que isso aconteça são de cerca de uma em 70 trilhões. Em outras palavras, a chance é infinitamente pequena.18

Provavelmente você já leu a respeito de mulheres que pa­recem incapazes de gerar filhos. Em seu desespero, elas adotam uma criança. Logo depois disso, elas ficam grávidas. Por quê?

Uma vez um dentista passou por maus momentos para extrair um de meus dentes. O molar relutante fragmentou-se no boticão. Meses mais tarde, quando eu passei a língua na gengiva que estava sem o dente, senti uma aferroada aguda. No devido tempo, um fragmento do dente emergiu. Como aquele fragmento soube sair dali da maneira certa, não enve­redando para dentro do meu coração, furando-o?

Quanto custaria para se fabricar um corpo humano? O biofísico Harold Morowitz, da Universidade Yale, disse que, para formar as proteínas, enzimas, RNA, DNA, aminoáci­dos e outros complexos bioquímicos que fazem o recheio da vida, "deveria custar seis quatrilhões de dólares. Juntar

o total resultante de células em tecido, o tecido em órgãos e os órgãos em um corpo aquecido poderá acabar com todos os tesouros do mundo, sem nenhuma garantia de sucesso".19 E mesmo todos esses dólares não conseguiriam produzir a consciência e o espírito dentro do corpo.

Os tecidos de um porco são mais compatíveis com os tecidos humanos do que os tecidos de um chimpanzé. O cor­po humano os rejeita menos. Muitas pessoas estão vivendo



29

- NOSSO DEUS É MARAVILHOSO! ­

uma vida normal com uma válvula na aorta feita de pele de porco. Até mesmo o fígado de um porco já foi transplantado

em um ser humano.

Como o cérebro pode perceber o som do Dó médio no piano, e depois controlar as cordas vocais para produzirem exatamente aquele som?

Existe um vermezinho minúsculo e insignificante com o nome elegante de C. elegans. Ele é tão pequeno que você pro­vavelmente não o veria se não o estivesse procurando. Contu­do, a informação genética codificada em seus 97 milhões de pares básicos do DNA encheria mais volumes que um conjun­to completo da Enciclopédia Britânica.

O corpo possui poderes fantásticos para curar-se a si mesmo. É por isso que o médico diz: "Tome duas aspirinas e me ligue amanhã de manhã". A maioria das coisas fica melhor pela manhã.

O espírito humano

O homem é um ser tripartite consistindo de espírito, alma e corpo. O espírito é o que nos capacita a ter comunhão com Deus. A alma é o local que abriga nossas emoções. O corpo é a estrutura na qual nosso espírito e nossa alma habitam.

O corpo não é a pessoa. Podemos viver sem o corpo. Quando o crente morre, seu corpo vai para a sepultura, mas seu espírito e sua alma desfrutam de uma existência conscien­te no céu. Deus Pai não possui um corpo: Ele é Espírito. Antes da encarnação, Jesus não possuía um corpo; entretanto, Ele era uma Pessoa viva com intelecto, emoções e vontade.

A Bíblia sempre menciona o espírito primeiro porque ele é o mais importante. As pessoas invariavelmente men­cionam o corpo primeiro (corpo, alma e espírito) porque o corpo é a parte que se pode ver.

O espírito possui inteligência separadamente do cérebro. Cristãos que estão em coma, à beira da morte, raramente res­pondem a assuntos comuns de conversação; todavia, indi­

30

cam reconhecer quando uma porção da Escritura está sendo lida ou quando alguém está fazendo uma oração. Os crentes com o Mal de Alzheimer podem estar fora da realidade, mas geralmente irão mover os lábios quando a letra de um hino é cantada em sua presença.

O relato do rico e do Lázaro (Lc 16.19-31) confirma que há inteligência além do cérebro. Os dois homens morreram. Seus corpos, inclusive os cérebros, se desfizeram e finalmente voltaram ao pó. O homem rico foi para o Hades, enquanto que Lázaro achou-se no seio de Abraão, um termo poético para o céu. O rico podia falar, ver, sofrer, reconhecer Abraão, racio­cinar e interceder em favor de seus irmãos. Presumivelmente, Lázaro tinha essas mesmas faculdades.

Não há na Bíblia algo como um sono da alma. Paulo des­creve o corpo como em estado de dormência, mas nunca falou isso sobre a alma e o espírito. Estar ausente do corpo é estar presente com o Senhor (2 Co 5.6-9). Isto é muitíssimo melhor.

O espírito, a alma e o corpo são estreitamente relaciona­dos. O que afeta a um, afeta a outro. O periódico denominado British Medicai Journal certa vez relatou que não há uma úni­ca célula no corpo que seja totalmente removida do espírito.

Uma paciente de um hospital havia se recuperado fa­voravelmente de uma fratura nos quadris, e o médico disse à filha dela que deveria levar sua mãe para casa no dia seguinte. A filha tinha outros planos. Ela e seu marido ha­viam decidido colocar a mãe em uma casa para pessoas idosas. A mãe ficou desolada. Quando um médico resi­dente veio checar seu estado algumas horas mais tarde, a paciente estava mostrando uma deterioração física genera­lizada. Dentro de 24 horas ela morreu - não da fratura nos quadris, mas de um coração partido.



Todas as criaturas, grandes ou pequenas

"Mas pergunta agora às alimárias, e cada uma delas to ensinará; e às aves dos céus, e elas to farão saber. Ou fala

31

com a terra, e ela te instruirá; até os peixes do mar to conta­rão. Qual entre todos estes não sabe que a mão do SENHORfez isto? Na sua mão está a alma de todo ser vivente e o espírito de todo o género humano " (Jó 12.7-10).

Mamíferos

Os fazendeiros vêem a mão de Deus quando observam uma porca dando cria a seus filhotes. A mãe fica de lado, pronta para

o momento em que sua prole chegará. O primeiro porquinho aparece e imediatamente começa seu rastejar desajeitado. Ele poderia ir para o norte, para o leste, ou para qualquer direção entre essas duas. Mas não vai. Ele se move para o sul, se arrasta para perto das pernas traseiras da porca e ruma diretamente para a estação de alimentação. Um após o outro, os recém-nascidos seguem a mesma rota. Como eles sabem o que fazer?

A ideia de que a girafa possui o pescoço alongado para poder alcançar as folhas nas árvores a fim de sobreviver é um disparate. A razão para seu pescoço longo é porque Deus a criou assim. Se ela dependesse dos milhões de anos de evolu­ção, ela já teria sido extinta nesse meio tempo.

O camelo foi feito para a vida no deserto. O dromedário, por exemplo, pode viver da gordura de sua corcunda quando os alimentos estão escassos. Ele pode viajar oito dias sem beber água. Seus largos cascos possuem uma pele grosseira entre os dedos que impedem que as patas afundem na areia. Músculos especiais em suas narinas se fecham em parte, mantendo a areia do lado de fora, mas permitindo que o ar entre. Os longos cílios protegem seus olhos da areia que vem junto com o vento. Se um grão de areia passar por entre os cílios, uma pálpebra interna expulsa o grão dali.

O mamífero roedor do género geômis, que tem o tama­nho de um hamster, vive a maior parte do tempo debaixo da terra. Suas garras afiadas crescem cerca de 50 centí­metros por ano e os capacitam a construírem uma rede de passagens subterrâneas. Perto dos olhos está uma glândula

que produz um tipo de gelatina cujo propósito é bloquear a terra para que não entre nos olhos desse roedor. Seus lábios ficam por trás de seus enormes dentes incisivos; eles man­têm a terra à distância quando o bichinho mastiga um de­licioso pedaço de cenoura. Se o fazendeiro observar as fo­lhagens da cenoura subitamente desaparecerem para dentro do solo, ele já suspeita que um desses pequenos roedores está trabalhando.

Por causa do agudo sentido do olfato do cachorro, um cão Labrador chamado Snag ajudou o serviço de Alfândega dos Estados Unidos a fazer 118 apreensões de drogas que valiam 810 milhões de dólares.

O morcego é um mamífero voador noturno com olhos que conseguem localizar um inseto dormindo e ouvidos que conseguem perceber uma centopeia mastigando uma folha. Apenas nas noites mais escuras é que ele aciona seu sonar: esse sonar emite de 50 mil a 100 mil sinais de localização por meio de eco, por segundo, através do nariz, e depois ouve as ondas sonoras para saltar sobre sua pobre presa.20

Qual é o animal que mata mais pessoas que quaisquer outros exceto as cobras e abelhas? Se você disse que é o escorpião, você pode estar certo. Apenas uma pequena por­centagem deles é letal, mas o veneno de algumas variedades mortais é 100 mil vezes mais poderoso que o cianureto. Para muitas pessoas, o escorpião é um pesadelo encarnado. Eles foram denominados os organismos menos apreciados da terra (a menos, é claro, que você seja um menino de 10 anos fascinado por eles e chega mais perto para dar uma boa olhada, enquanto sua mãe tem um colapso emocional). Se você mora numa casa cujo telhado é feito de sapé, você po­derá vê-los se arrastando nas palhas sobre a sua cama. Essa probabilidade não foi calculada para assegurar-lhe uma boa noite de repouso.21

A baleia azul não é apenas o maior animal que existe; ela é o que emite sons mais altos. Suas pulsações de frequência baixa podem ser detectadas a 850 quilómetros de distância.

33

- NOSSO DEUS E MARAVILHOSO! ­

Se você ouvir alguém dizer que um aligátor [animal se­melhante ao jacaré e ao crocodilo] é gentil, você poderá achar que isso é uma contradição. Mas, a despeito de seus 70 den­tes, uma fêmea é gentil com sua dúzia de ovos.

À medida que os embriões ficam encubados ao sol, eles emitem dióxido de carbono, que se infiltra no ninho, formando um ácido fraco que agasalha os ovos. Vagarosamente a casca dos ovos vai ficando mais fina. Segurando gentilmente cada ovo em sua boca, ela rola o ovo para lá e para cá com sua língua, buscando sentir sinais de vida. Após nove semanas, al­guns animaizinhos recém chocados conseguem empurrar seus focinhos para fora da casca e emergem, enquanto que outros emitem uns grunhidos para solicitarem ajuda da mamãe.22

Dolly foi a primeira ovelha a ser clonada. Ela é uma cópia razoável de sua mãe. Entretanto, há um problema. Ela herda o código genético de sua mãe que determina as características físicas e milhares de processos biológicos de vida - e de morte. O animal maduro que foi usado para a clonagem possui um relógio biológico que já percorreu a metade do caminho. O clone parece herdar esse relógio biológico. Ela não vem à existência como um bebé recém­nascido, mas como uma criatura cujos anos já foram par­cialmente gastos.

Aves

Em um parque estadual na Califórnia, Estados Unidos, vi o seguinte cartaz: "O pequeno mundo de uma grande árvore. A casca grossa e fibrosa da sequoia isola a árvore dos fogos periódicos. Esquilos e rouxinóis tomam banho de terra na casca empoeirada, usando o tanino da árvore como repelente às moscas". Quem imaginaria que essas pe­quenas criaturas descobririam a propriedade inseticida da casca empoeirada de uma sequoia?

Nas matas existe cooperação. Um estudioso da vida sel­vagem viu um jovem pássaro trazer alimento para um pássaro adulto, um veterano grisalho, cujo bico estava quebrado.

Quando o pato blackpoll sente a geada do outono, ele de­vora grandes quantidades de gordura amarela para se nutrir em seu longo voo em direção ao sul. Ele come tanto que fica difí­cil para levantar voo, mas, uma vez voando, ele consegue ir do norte dos Estados Unidos até a América do Sul sem parar. Isso é uma distância de mais de 3 mil quilómetros. Ele sabe como evitar tempestades, e às vezes sobe a mais de 5 mil metros de altura para pegar o impulso dos ventos favoráveis. De uma forma ou de outra, ele consegue sobreviver com pouco oxigé­nio em altitudes em que nem você nem eu conseguiríamos.

O abutre de Ruppel consegue voar a uma altitude de 12 mil metros. Um colidiu com um avião naquela altura. O avião con­seguiu aterrissar em segurança, mas o abutre não conseguiu.23

Os Araus, ou papagaios-do-mar, vivem em penhascos ro­chosos no Ártico. São tão populosos em algumas regiões que as fêmeas põem seus ovos, umas ao lado das outras, em uma longa linha, em uma orla bem estreita. Há centenas de ovos, mas mesmo assim as fêmeas conhecem cada uma os seus. Se você trocar um de posição, a mãe vai encontrá-lo e retorná-lo ao seu lugar adequado. Como ela sabe?24

Uma jovem andorinha do mar nunca aterrissa por um pe­ríodo de três a dez anos até finalmente retornar à terra para se alimentar. Ela come, bebe e dorme em voo. A cada primavera, a andorinha do Ártico viaja cerca de 17 mil quilómetros sobre

o mar para chegar ao lugar de fazer o seu ninho.

Algum segredo genético em um chapim azul fêmea de­termina o sexo de seu descendente. Se o macho for saudável e forte, ela produzirá mais filhos machos. Se o macho não for robusto, haverá menos filhotinhos machos.25

O pica-pau tentilhão, nativo das Ilhas Galápagos, usa um espinho de cacto como ferramenta para retirar larvas dos bura­cos nas árvores. Se as árvores pudessem falar, elas agradece­riam a esses pássaros por libertá-las daquelas pestes. A seguir,



35

- NOSSO DEUS É MARAVILHOSO! ­

os tentilhões saem felizes mastigando as larvas. As gralhas da Nova Caledónia também fazem suas ferramentas. Como o pica-pau, elas fazem uma lança para puxar as presas para fora dos buracos. Elas são as únicas criaturas não humanas conhe­cidas que fazem uma ferramenta com um gancho na ponta.26

Para sua proteção, gaviões de colarinho branco constróem seus ninhos atrás das cachoeiras. Eles não se incomodam em voar no meio das cachoeiras para chegar a casa. Devido ao design de suas asas longas e estreitas, eles conseguem voar a uns 110 quiló­metros por hora a uma altitude de mais de 1.500 metros.

O gavião da palmeira do Velho Mundo constrói seu ni­nho do lado de baixo de uma folha de palmeira que cresce para baixo. Ele arranca um punhado de suas próprias penas; depois, com a saliva que se parece com uma cola, gruda as penas à folha. Depois de pôr um ovo numa superfície ho­rizontal, o gavião o leva para seu ninho e o segura ali com com sua saliva grudenta. Quando ele se senta sobre os ovos, cobre-os com a parte de seu peito onde as penas foram arran­cadas. A pele nua é mais quente.

O gavião da palmeira detecta quando o mau tempo está por vir através de mudanças na pressão barométrica. Então, ele muda de direção, voando em um ângulo reto em relação a sua posição original, desta forma passando ao lado da tempestade.

Quando a população de insetos está baixa, o tentilhão engan­cha suas garras em uma árvore ou em um celeiro efica em estado de dormência. Seu coração bate mais vagarosamente e sua respi­ração quase para. Desta forma a energia do pássaro é altamente eficiente até que as nuvens de insetos apareçam novamente.

Pássaros selvagens não conseguem pôr ovos se não tiverem um companheiro. Pássaros domésticos conseguem. Uma galinha pôs 1.515 ovos em oito anos sem jamais ter visto um galo.27

Uma galinha pode colocar um pedregulho em sua goela e derretê-lo para produzir as cascas dos ovos. Por que um ácido assim tão forte não destrói as entranhas da galinha? Toda vez que eu faço uma omelete fico feliz que o Senhor tenha feito as cascas de ovo da maneira que ele as fez. Imagine se elas fossem como uma porcelana feita de osso. Ela se espatifaria em mil pedaços e faria com que meu café da manhã fosse uma irritação em vez de uma delícia gastronómica. Como você sabe, Deus projetou a casca do ovo para ser revestida com uma membrana interna que impede que os pedacinhos que­brados caiam dentro da tigela. Fabricantes de carros copiaram essa ideia para fazerem os pára-brisas. Existe uma membrana entre as camadas de vidro que seguram os fragmentos de um pára-brisa quebrado de forma que ele caia em forma de um só vidro emaranhado.

Os talos das penas das aves são ocos. Isso significa me­nos peso para elas carregarem. Se uma pena cai de uma asa, a pena correspondente na outra asa também vai cair, desta forma assegurando o equilíbrio no vôo.

Será que um pica-pau tem dores de cabeça? Se ele tiver, será algo compreensível. A força com que a cabeça dele bate o bico contra uma árvore e depois pára subitamente deveria ser suficiente para misturar seus miolos, especialmente quando o movimento para frente é interrompido numa fração de segun­do. Mas isso não lhe mistura os miolos. O'crânio do pica-pau é construído para absorver o choque e seu bico é de uma força tal que pode penetrar a casca da árvore e a madeira sem se dobrar ou quebrar. Esse pássaro combina as características de uma metralhadora com as de uma britadeira.

Mas, por que ele suporta tanta pancadaria para fazer bu­racos em uma árvore? Esses buracos formam despensas ide­ais para armazenar os frutos dos carvalhos e são armadilhas para os besouros, uma verdadeira guloseima para pica-paus famintos. Para conseguir catar esses bocados apetitosos, o pássaro tem uma língua longa e grudenta. Quando não está em uso, essa língua pode se recolher para dentro da cabeça, como as rodas de um jato.

Um pica-pau tinha que ter todas essas características des-de o tempo do primeiro desses pássaros. Se elas tivessem sido acrescentadas gradativamente ao longo dos anos, nosso ami­go rá-tá-tá-tá não teria sobrevivido.

37

- NOSSO DEUS É MARAVILHOSO! ­

De uma maneira ou de outra, uma galinha de quintal perce­be que vai ter uma família, então ela junta palhas e varetas para fazer um ninho (a menos que o fazendeiro já lhe tenha fornecido um). Então ela começa a pôr uma ninhada de ovos fertilizados.

Os ovos devem ser mantidos aquecidos; então a galinha pa­cientemente se senta sobre eles. Logicamente que ela precisa saú­de tempo em tempo para se alimentar e beber água, mas ela sabe que não deve estender demais sua ausência do ninho, senão os ovos ficariam frios demais e a incubação seria interrompida.

De vez em quando os ovos devem ser virados. A mãe galinha primorosamente cuida desse procedimento sem o benefício das mãos.

Demora uns 21 dias para o pintinho ser formado dentro do ovo. Depois vem o problema de como sair dele. Tudo bem. O bebé pintinho é equipado com uma cobertura em seu bico que é dura o suficiente para quebrar a casca do ovo. Assim que isso acontece, a capa dura do bico é descartada. Já não é mais necessária.

A mãe galinha observa cuidadosamente seus bebés até que eles estejam seguros e sejam capazes de se arranjar sozinhos. Durante séculos essa cerimónia reprodutiva tem acontecido, cada passo sendo uma maravilha do Projeto Inteligente.

Todas as manhãs que o fazendeiro Brown ia para seu gali­nheiro recolher os ovos, ele notava que estavam faltando uma ou duas galinhas. Seus esforços para encontrar o predador fo­ram inúteis até que alguém mencionou que algumas martas ti­nham sido vistas na vizinhança. Ele tentou fazer com que elas caíssem em uma armadilha, mas sem sucesso. Então um vizi­nho o aconselhou a acrescentar um casal de gansos ao grupo. Aquilo resolveu o problema. As martas têm um saudável res­peito pelos gansos e ficam tão longe deles quanto possível.

Uma certa ave pernalta chamada phalaropus tem um pro­blema. Ela gosta de se alimentar de camarões, mas às vezes esses saborosos bocados estão em lugares mais fundos e essa ave praiana não consegue alcançá-los. A ave pernalta tem uma maneira nova de resolver o dilema. Ela começa a girar na água como um pião. Rodando seu corpo à velocidade de uma volta completa por segundo, ela cria um redemoinho que suga

o camarão para cima de uma profundidade de um metro.

Um biólogo da UCLA, William N. Hamner, diz que "a phalaropus detecta a presa, dá o impulso, agarra, transporta e engole em menos de meio segundo, numa proporção de 180 bicadas por minuto".28

Graças ao talento da phalaropus, ela pode ter suas refei­

ções entregues em casa.

Uma orelha da coruja aponta para a frente, a outra para trás. Isso dá a ela a habilidade de detectar de onde o som vem. Sua audição é tão precisa que, mesmo que lhe seja colocada um venda nos olhos, ela consegue localizar um camundongo correndo no feno dentro de um celeiro.




1   2   3   4   5   6


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal