No princípio apresentaçÃO



Baixar 2,45 Mb.
Página4/32
Encontro03.05.2017
Tamanho2,45 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   32

008 – LÚCIFER COMEÇA A ESPALHAR SUTILMENTE A SEMENTE DA DÚVIDA ENTRE OS ANJOS. ELES FICAM ALARMADOS E ALGUNS INSTAM COM LÚCIFER A MUDAR DE PENSAMENTO

[1858-1SG] Spiritual Gifts, Vol. 1 {1/17/1d}

Until this time all heaven was in order, harmony and perfect subjection to the government of God.

Até então todo o Céu tinha estado em ordem, harmonia e perfeita sujeição ao governo de Deus.
[1864-3SG] Spiritual Gifts, Vol. 3 {2/36/1c}

Until his rebellion all Heaven was in harmony, and perfect subjection to the government of God.

Até sua rebelião todo o Céu tinha estado em ordem, harmonia e perfeita sujeição ao governo de Deus.

[1882-EW] Early Writings of Ellen G. White {33/145/2} | Primeiros Escritos {33/145/2a}

Until this time all heaven had been in order, harmony, and perfect subjection to the government of God.

Até então todo o Céu tinha estado em ordem, harmonia e perfeita sujeição ao governo de Deus.
[1888-GC88] The Great Controversy {29/494/2a} | O Grande Conflito {29/494/2a}

All Heaven had rejoiced to reflect the Creator's glory and to show forth his praise. And while God was thus honored, all had been peace and gladness.

O Céu todo se regozijava com refletir a glória do Criador e celebrar o Seu louvor. E, enquanto Deus assim fora honrado, tudo era paz e alegria.
[1888-GC88] The Great Controversy {29/494/2b} | O Grande Conflito {29/494/2b}

But a note of discord now marred the celestial harmonies. The service and exaltation of self, contrary to the Creator's plan, awakened forebodings of evil in minds to whom God's glory was supreme. The heavenly councils pleaded with Lúcifer.



Uma nota dissonante, porém, deslustrava agora as harmonias celestiais. O serviço e exaltação em prol do eu, contrários ao plano do Criador, despertavam prenúncios de males nas mentes para as quais a glória de Deus era suprema. Os concílios celestiais instavam com Lúcifer.
[1890-PP] Patriarchs and Prophets {1/35/3a} | Patriarcas e Profetas {1/35/3a}

Now the perfect harmony of heaven was broken. Lúcifer's disposition to serve himself instead of his Creator aroused a feeling of apprehension when observed by those who considered that the glory of God should be supreme. In heavenly council the angels pleaded with Lúcifer.

Quebrantou-se então a perfeita harmonia do Céu. A disposição de Lúcifer para servir a si em vez de ao Criador, suscitou um sentimento de apreensão ao ser observada por aqueles que consideravam dever a glória de Deus ser suprema. No conselho celestial os anjos insistiam com Lúcifer.
[1884-4SP] The Spirit of Prophecy, Vol. 4 {24/317/2a}

The heavenly councils admonished Lúcifer to change his course.

Os conselhos divinos admoestaram a Lúcifer a mudar seu curso.
009 - O FILHO DE DEUS ADVERTE A LÚCIFER

[1884-4SP] The Spirit of Prophecy, Vol. 4 {24/317/2b}

The Son of God warned and entreated him not to venture thus to dishonor his Maker, and bring ruin upon himself.

O Filho de Deus o advertiu e pediu para ele não se aventurar a desonrar seu Criador, e assim trazer ruína sobre ele.

[1888-GC88] The Great Controversy {29/494/2c} | O Grande Conflito {29/494/2c}

The Son of God presented before him the greatness, the goodness, and the justice of the Creator, and the sacred, unchanging nature of his law. God himself had established the order of Heaven; and in departing from it, Lúcifer would dishonor his Maker, and bring ruin upon himself. But the warning, given in infinite love and mercy, only aroused a spirit of resistance. Lúcifer allowed jealousy of Christ to prevail, and he became the more determined.



O Filho de Deus lhe apresentava a grandeza, a bondade e a justiça do Criador, e a natureza sagrada e imutável de Sua lei. Deus mesmo havia estabelecido a ordem do Céu; e, afastando-se dela, Lúcifer desonraria a seu Criador, trazendo sobre si a ruína. Mas a advertência, feita com amor e misericórdia infinitos, unicamente suscitou espírito de resistência. Lúcifer permitiu que prevalecesse a inveja para com Cristo, e mais decidido se tornou.
[1890-PP] Patriarchs and Prophets {1/35/3b} | Patriarcas e Profetas {1/35/3b}

The Son of God presented before him the greatness, the goodness, and the justice of the Creator, and the sacred, unchanging nature of His law. God Himself had established the order of heaven; and in departing from it, Lúcifer would dishonor his Maker and bring ruin upon himself. But the warning, given in infinite love and mercy, only aroused a spirit of resistance. Lúcifer allowed his jealousy of Christ to prevail, and became the more determined.



O Filho de Deus apresentou perante ele a grandeza, a bondade e a justiça do Criador, e a natureza imutável, sagrada de Sua lei. O próprio Deus estabelecera a ordem do Céu; e, desviando-se dela, Lúcifer desonraria ao seu Criador, e traria a ruína sobre si. Mas a advertência, feita com amor e misericórdia infinitos, apenas despertou espírito de resistência. Lúcifer consentiu que prevalecessem seus sentimentos de inveja para com Cristo, e se tornou mais decidido.
O Pai tudo criou através do Filho, e Este credita ao Pai o Ato Criador. O Pai É o Grande Legislador. Em tudo o Filho O Acompanha e Se submete ao Pai. Nada faz de Si mesmo.

Lúcifer aos poucos vai expulsando de si mesmo o espírito divino. Aos poucos está desenvolvendo um outro espírito, maligno, pecaminoso, em oposição ao espírito de Deus, que é santo. Está substituindo o Espírito Santo por outro, que EGW passará a chamar de “espírito maligno” e, com mais freqüência, de “espírito iníquo”.


010 - A RENITÊNCIA DE LÚCIFER EM DESAFIAR A SUPREMACIA DO FILHO DE DEUS

[1890-PP] Patriarchs and Prophets {1/36/1} | Patriarcas e Profetas {1/36/1}

To dispute the supremacy of the Son of God, thus impeaching the wisdom and love of the Creator, had become the purpose of this prince of angels. To this object he was about to bend the energies of that master mind, which, next to Christ's, was first among the hosts of God. But He who would have the will of all His creatures free, left none unguarded to the bewildering sophistry by which rebellion would seek to justify itself. Before the great contest should open, all were to have a clear presentation of His will, whose wisdom and goodness were the spring of all their joy.

Disputar a supremacia do Filho de Deus, desafiando assim a sabedoria e o amor do Criador, tornara-se o propósito desse príncipe dos anjos. Para tal objetivo estava ele a ponto de aplicar as energias daquela mente superior, que, abaixo da de Cristo, era a primeira dentre os exércitos de Deus. Mas Aquele que queria livres as vontades de todas as Suas criaturas, a ninguém deixou desprevenido quanto ao sofisma desconcertante por meio do qual a rebelião procuraria justificar-se. Antes que se iniciasse a grande luta, todos deveriam ter uma apresentação clara a respeito da vontade dAquele cuja sabedoria e bondade eram a fonte de toda a sua alegria.
Lúcifer era a 3ª mente superior do céu, abaixo apenas das mentes do Pai e do Filho.
011 - DEUS CONVOCA UMA REUNIÃO COM TODO O CONSELHO CELESTIAL PARA CONFIRMAR A QUÁDRUPLA HONRA ANTERIORMENTE CONFERIDA AO FILHO

[1870-1SP] The Spirit of Prophecy, Vol. 1 {1/17/2} | História da Redenção {1/13/2}

The great Creator assembled the heavenly host, that he might in the presence of all the angels confer special honor upon his Son. The Son was seated on the throne with the Father, and the heavenly throng of holy angels was gathered around them. The Father then made known that it was ordained by himself that Christ, his Son, should be equal with himself; so that wherever was the presence of his Son, it was as his own presence. The word of the Son was to be obeyed as readily as the word of the Father. His Son he had invested with authority to command the heavenly host. Especially was his Son to work in union with himself in the anticipated creation of the earth and every living thing that should exist upon the earth. His Son would carry out his will and his purposes, but would do nothing of himself alone. The Father's will would be fulfilled in him.



O grande Criador convocou os exércitos celestiais para, na presença de todos os anjos, conferir honra especial a Seu Filho. O Filho estava assentado no trono com o Pai, e a multidão celestial de santos anjos reunida ao redor. O Pai então fez saber que, por Sua própria decisão, Cristo, Seu Filho, devia ser considerado igual a Ele, assim que em qualquer lugar que estivesse presente Seu Filho, isto valeria pela Sua própria presença. A palavra do Filho devia ser obedecida tão prontamente como a palavra do Pai. Seu Filho foi por Ele investido com autoridade para comandar os exércitos celestiais. Especialmente devia Seu Filho trabalhar em união com Ele na projetada criação da Terra e de cada ser vivente que devia existir sobre ela. O Filho levaria a cabo Sua vontade e Seus propósitos, mas nada faria por Si mesmo. A vontade do Pai seria realizada nEle.
[1890-PP] Patriarchs and Prophets {1/36/2} | Patriarcas e Profetas {1/36/2}

The King of the universe summoned the heavenly hosts before Him, that in their presence He might set forth the true position of His Son and show the relation He sustained to all created beings. The Son of God shared the Father's throne, and the glory of the eternal, self-existent One encircled both. About the throne gathered the holy angels, a vast, unnumbered throng--"ten thousand times ten thousand, and thousands of thousands" (Revelation 5:11.), the most exalted angels, as ministers and subjects, rejoicing in the light that fell upon them from the presence of the Deity. Before the assembled inhabitants of heaven the King declared that none but Christ, the Only Begotten of God, could fully enter into His purposes, and to Him it was committed to execute the mighty counsels of His will. The Son of God had wrought the Father's will in the creation of all the hosts of heaven; and to Him, as well as to God, their homage and allegiance were due. Christ was still to exercise divine power, in the creation of the earth and its inhabitants. But in all this He would not seek power or exaltation for Himself contrary to God's plan, but would exalt the Father's glory and execute His purposes of beneficence and love.



O Rei do Universo convocou os exércitos celestiais perante Ele, para, em sua presença, apresentar a verdadeira posição de Seu Filho, e mostrar a relação que Este mantinha para com todos os seres criados. O Filho de Deus partilhava do trono do Pai, e a glória do Ser eterno, existente por Si mesmo, rodeava a ambos. Em redor do trono reuniam-se os santos anjos, em uma multidão vasta, inumerável - "milhões de milhões, e milhares de milhares" (Apoc. 5:11), estando os mais exaltados anjos, como ministros e súditos, a regozijar-se na luz que, da presença da Divindade, caía sobre eles. Perante os habitantes do Céu, reunidos, o Rei declarou que ninguém, a não ser Cristo, o Unigênito de Deus, poderia penetrar inteiramente em Seus propósitos, e a Ele foi confiado executar os poderosos conselhos de Sua vontade. O Filho de Deus executara a vontade do Pai na criação de todos os exércitos do Céu; e a Ele, bem como a Deus, eram devidas as homenagens e fidelidade daqueles. Cristo ia ainda exercer o poder divino na criação da Terra e de seus habitantes. Em tudo isto, porém, não procuraria poder ou exaltação para Si mesmo, contrários ao plano de Deus, mas exaltaria a glória do Pai, e executaria Seus propósitos de beneficência e amor.
Cristo é o UNIGÊNITO de Deus, o FILHO de Deus desde a eternidade; Ele O é no Princípio; Ele O é na economia celestial; isso tudo independente do Plano da Redenção. Ele já era conhecido pelos anjos como O UNIGÊNITO e FILHO de Deus. Isso muito antes da economia do Plano da Redenção, da ENCARNAÇÃO. O Plano da Redenção era ainda o “mistério de Deus”, guardado na mente Divina. Portanto, não é apoiada pela Verdade a teoria de que Cristo é “Filho”, somente de forma figurada, somente sob a ótica do Plano da Redenção.

AMBOS (both): somente DOIS no trono.

Somente o Filho “poderia penetrar inteiramente em Seus propósitos”.

O TERCEIRO elemento NO TRONO é a Luz da Glória do Pai que envolve a Divindade (Pai e Filho) e daí é derramada sobre os anjos.
012 – AINDA NA REUNIÃO, LÚCIFER, SOB A INFLUÊNCIA DO SANTO ESPÍRITO QUE DA PRESENÇA DE DEUS SE ESPALHA ENTRE OS ANJOS, JUNTAMENTE COM TODOS ELES, CURVA-SE PERANTE CRISTO. MAS O ESPÍRITO INÍQUO É DESPERTADO, SUBSTITUI O ESPÍRITO SANTO EM SEU CORAÇÃO E ELE SE REVOLTA

[1890-PP] Patriarchs and Prophets {1/36/3a} | Patriarcas e Profetas {1/36/3a}

The angels joyfully acknowledged the supremacy of Christ, and prostrating themselves before Him, poured out their love and adoration. Lúcifer bowed with them, but in his heart there was a strange, fierce conflict. Truth, justice, and loyalty were struggling against envy and jealousy. The influence of the holy angels seemed for a time to carry him with them. As songs of praise ascended in melodious strains, swelled by thousands of glad voices, the spirit of evil seemed vanquished; unutterable love thrilled his entire being; his soul went out, in harmony with the sinless worshippers, in love to the Father and the Son.

Os anjos alegremente reconheceram a supremacia de Cristo, e, prostrando-se diante dEle, extravasaram seu amor e adoração. Lúcifer curvou-se com eles; mas em seu coração havia um conflito estranho, violento. A verdade, a justiça e a lealdade estavam a lutar contra a inveja e o ciúme. A influência dos santos anjos pareceu por algum tempo levá-lo com eles. Ao ascenderem os cânticos de louvores, em melodiosos acordes, avolumados por milhares de alegres vozes, o espírito do mal pareceu subjugado; indizível amor fazia fremir todo o seu ser; em concerto com os adoradores destituídos de pecado, expandia-se-lhe a alma em amor para com o Pai e o Filho.
Somente o Pai e o Filho são louvados pelos anjos.
[1870-1SP] The Spirit of Prophecy, Vol. 1 {1/18/1} | História da Redenção {1/14/1}

Satan was envious and jealous of Jesus Christ. Yet when all the angels bowed to Jesus to acknowledge his supremacy and high authority and rightful rule, Satan bowed with them; but his heart was filled with envy and hatred. Christ had been taken into the special counsel of God in regard to his plans, while Satan was unacquainted with them. He did not understand, neither was he permitted to know, the purposes of God. But Christ was acknowledged sovereign of Heaven, his power and authority to be the same as that of God himself. Satan thought that he was himself a favorite in Heaven among the angels. He had been highly exalted; but this did not call forth from him gratitude and praise to his Creator. He aspired to the height of God himself. He gloried in his loftiness. He knew that he was honored by the angels. He had a special mission to execute. He had been near the great Creator, and the ceaseless beams of glorious light enshrouding the eternal God, had shone especially upon him. Satan thought how angels had obeyed his command with pleasurable alacrity. Were not his garments light and beautiful? Why should Christ thus be honored before himself?

Lúcifer estava invejoso e enciumado de Jesus Cristo. Todavia, quando todos os anjos se curvaram ante Jesus reconhecendo Sua supremacia e alta autoridade e direito de governar, ele curvou-se com eles, mas seu coração estava cheio de inveja e rancor. Cristo tinha sido introduzido no especial conselho de Deus, na consideração de Seus planos, enquanto Lúcifer não participara deles. Ele não compreendia, nem lhe fora permitido conhecer, os propósitos de Deus. Mas Cristo era reconhecido como o soberano do Céu; Seu poder e autoridade eram os mesmos de Deus. Lúcifer pensou em si mesmo como o favorito entre os anjos no Céu. Tinha sido grandemente exaltado, mas isto não despertou nele louvor e gratidão ao seu Criador. Aspirava à altura do próprio Deus. Gloriava-se na sua altivez. Sabia que era honrado pelos anjos. Tinha uma missão especial a executar. Tinha estado perto do grande Criador e o resplendor incessante da gloriosa luz que cercava o eterno Deus tinha brilhado especialmente sobre ele. Pensava como os anjos tinham obedecido a seu comando com grande entusiasmo. Não era seu vestuário belo e brilhante? Por que devia Cristo ser assim honrado acima dele?
[1888-GC88] The Great Controversy {29/495/1} | O Grande Conflito {29/495/1}

Pride in his own glory nourished the desire for supremacy. The high honors conferred upon Lúcifer were not appreciated as the gift of God, and called forth no gratitude to the Creator. He gloried in his brightness and exaltation, and aspired to be equal with God. He was beloved and reverenced by the heavenly host. Angels delighted to execute his commands, and he was clothed with wisdom and glory above them all. Yet the Son of God was the acknowledged sovereign of Heaven, one in power and authority with the Father. In all the counsels of God, Christ was a participant, while Lúcifer was not permitted thus to enter into the divine purposes. "Why," questioned this mighty angel, "should Christ have the supremacy? Why is he thus honored above Lúcifer?"



O orgulho de sua própria glória alimentava o desejo de supremacia. As elevadas honras conferidas a Lúcifer não eram apreciadas como um dom de Deus, e não despertavam gratidão para com o Criador. Ele se gloriava em seu resplendor e exaltação, e almejava ser igual a Deus. Era amado e reverenciado pela hoste celestial. Anjos deleitavam-se em executar suas ordens, e, mais que todos eles, estava revestido de sabedoria e glória. Todavia, o Filho de Deus era o reconhecido Soberano do Céu, igual ao Pai em poder e autoridade. Em todos os conselhos de Deus, Cristo tomava parte, enquanto a Lúcifer não era assim permitido entrar em conhecimento dos propósitos divinos. "Por que", perguntava o poderoso anjo, "deveria Cristo ter a supremacia? Por que é Ele desta maneira mais honrado do que Lúcifer?"
[1890-PP] Patriarchs and Prophets {1/36/3b} | Patriarcas e Profetas {1/36/3b}

But again he was filled with pride in his own glory. His desire for supremacy returned, and envy of Christ was once more indulged. The high honors conferred upon Lúcifer were not appreciated as God's special gift, and therefore, called forth no gratitude to his Creator. He glorified in his brightness and exaltation and aspired to be equal with God. He was beloved and reverenced by the heavenly host, angels delighted to execute his commands, and he was clothed with wisdom and glory above them all. Yet the Son of God was exalted above him, as one in power and authority with the Father. He shared the Father's counsels, while Lúcifer did not thus enter into the purposes of God. "Why," questioned this mighty angel, "should Christ have the supremacy? Why is He honored above Lúcifer?"



De novo, porém, achou-se repleto de orgulho por sua própria glória. Voltou-lhe o desejo de supremacia, e uma vez mais condescendeu com a inveja de Cristo. As altas honras conferidas a Lúcifer não eram apreciadas como um dom especial de Deus, e, portanto, não provocavam gratidão para com o seu Criador. Ele se gloriava em seu brilho e exaltação, e almejava ser igual a Deus. Era amado e reverenciado pelo exército celestial, anjos se deleitavam em executar suas ordens, e estava ele revestido de sabedoria e glória mais do que todos eles. Contudo, o Filho de Deus era mais exaltado do que ele, sendo um em poder e autoridade com o Pai. Partilhava dos conselhos do Pai, enquanto Lúcifer não penetrava assim nos propósitos de Deus. "Por que", perguntava este poderoso anjo, "deveria Cristo ter a primazia? Por que é Ele mais honrado do que Lúcifer?"
Os Conselhos Divinos são claramente formados pelo Pai e pelo Filho.
[1902.07.23-ST] The Signs of the Times {4}

"Why," he questioned, "should Christ have the supremacy? Why is he honored above Lúcifer?"

"Por que", ele questionou, “Cristo deveria ter a supremacia? Por que ele é honrado acima de Lúcifer?”
[1897.09.07-RH] Review and Herald {2a}

Satan resolved to make an effort to overthrow the government of God, and set up a kingdom of his own.

Satanás resolveu fazer um esforço para subverter o governo de Deus, e elevar um reino para si próprio.
013 - APÓS A REUNIÃO COM DEUS, LÚCIFER CONVOCA OS EXÉRCITOS CELESTIAIS PARA OUTRA REUNIÃO E ESPALHA O ESPÍRITO DE DESCONTENTAMENTO. ATAQUE À LEI DIVINA

[1870-1SP] The Spirit of Prophecy, Vol. 1 {1/18/2a} | História da Redenção {1/14/2}

He left the immediate presence of the Father, dissatisfied, and filled with envy against Jesus Christ. Concealing his real purposes, he assembled the angelic host. He introduced his subject, which was himself. As one aggrieved, he related the preference God had given Jesus to the neglect of himself. He told them that henceforth all the sweet liberty the angels had enjoyed was at an end. For had not a ruler been appointed over them, to whom they from henceforth must yield servile honor? He stated to them that he had called them together to assure them that he no longer would submit to this invasion of his rights and theirs; that never would he again bow down to Christ; that he would take the honor upon himself which should have been conferred upon him, and would be the commander of all who would submit to follow him and obey his voice.

Ele deixou a imediata presença do Pai, insatisfeito e cheio de inveja contra Jesus Cristo. Dissimulando seu real propósito, convocou os exércitos angelicais. Introduziu seu assunto, que era ele mesmo. Como alguém agravado, relatou a preferência que Deus dera a Jesus em prejuízo dele. Contou que, dali em diante, toda a doce liberdade que os anjos tinham desfrutado estava no fim. Pois não havia sido posto sobre eles um governador, a quem deviam de agora em diante render honra servil? Declarou que os tinha reunido para assegurar-lhes que ele não mais se submeteria à invasão dos direitos seus e deles; que nunca mais ele se prostraria ante Cristo; que assumiria a honra que lhe devia ter sido conferida e que seria o comandante de todos aqueles que se dispusessem a segui-lo e obedecer a sua voz.
[1884-4SP] The Spirit of Prophecy, Vol. 4 {24/317/2c}

But instead of yielding, Satan represented to those who loved him, that he had been wrongly judged, that his dignity was not respected, and that his liberty was to be abridged.

Mas em vez de render-se, Satanás representou a esses que o amavam, que ele tinha sido julgado injustamente, que a sua dignidade não foi respeitada, e que sua liberdade seria abreviada.
Acusa a Deus de uma futura retaliação. Que tudo isso não passa de um complô entre o Pai e o Filho para humilhá-lo e derrubá-lo pelo que ele já fez.
[1884-4SP] The Spirit of Prophecy, Vol. 4 {24/319/1a}

Satan had excited sympathy in his favor by representing that God had dealt unjustly with him in bestowing supreme honor upon Christ.

Satanás estimulou simpatia em seu favor apresentando que Deus tinha lidado injustamente com ele dando honra suprema a Cristo.



1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   32


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal