Natural de Santa Egrácia, antiga freguesia do Concelho de Lisboa, Edgardo Rodrigues Xavier chegou ao Brasil ainda jovem, com 28 anos de idade, em julho de 1951



Baixar 12,47 Kb.
Encontro27.09.2018
Tamanho12,47 Kb.



CMPA – Fl. 0|__
PROC. Nº 2081/17

PLL Nº 228/17

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

Submeto aos nobres pares o presente Projeto de Lei, que objetiva denominar Rua Edgardo Rodrigues Xavier o logradouro público cadastrado conhecido como Rua Cinco Mil e Vinte e Três, localizado no Bairro Aberta dos Morros, em homenagem ao senhor Edgardo Rodrigues Xavier, com base na Lei Complementar nº 320, de 2 de maio de 1994, e alterações posteriores.

Natural de Santa Egrácia, antiga freguesia do Concelho de Lisboa, Edgardo Rodrigues Xavier chegou ao Brasil ainda jovem, com 28 anos de idade, em julho de 1951. Em 1º de setembro daquele ano, conseguiu seu primeiro emprego como comerciário na loja Mundo das Louças, na cidade do Rio de Janeiro.

Em setembro de 1952, foi convidado para assessorar a embaixada francesa em razão de falar vários idiomas. Isso, juntamente à sua assídua frequência em livrarias, lhe proporcionou a indicação para representar a prestigiada editora parisiense Hachette, o que o motivou a se mudar para Porto Alegre.

em Porto Alegre, estabeleceu sua própria livraria, a Leonardo da Vinci, e a editora Novo Rumo, tornando-se conceituado livreiro e um dos fundadores da Feira do Livro de Porto Alegre em 1955.

Profissional dedicado, como livreiro abrangeu a literatura nacional e internacional. Contribuiu para lançamentos de novos autores, tais como Lya Luft e Moacyr Scliar, além de exposições como as da jovem pintora Clara Pechanski, cujas obras ilustraram capas de livros como os do autor Moacyr Scliar.

Em 1956, foi um dos fundadores da Feira do Livro de Pelotas. Suas viagens ao interior do Estado do Rio Grande do Sul renderam participações em eventos culturais.

Sempre lúcido e ativo, exerceu suas atividades até os seus 92 anos de idade, tendo contribuído na escolha de livros e auxiliado revisores em novas edições.

Foi agraciado com diversas homenagens em vida, tanto na Câmara Municipal de Porto Alegre como em outras localidades.

Quando paciente do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, a referida instituição o homenageou denominando o prêmio do concurso de literatura com seu nome, estimulando em seu meio o despertar de novos escritores.



Faleceu em 09 de fevereiro de 2015, deixando a esposa, Jurema Ida Vebber, e as filhas Marie Anne e Ana Paula, nascidas do seu primeiro matrimônio com a senhora Maria T.C. Xavier, além de netos e bisnetos.
Sala das Sessões, 31 de julho de 2017.
VEREADOR MÔNICA LEAL

PROJETO DE LEI


Denomina Rua Edgardo Rodrigues Xavier o logradouro público cadastrado conhecido como Rua Cinco Mil e Vinte e Três, localizado no Bairro Aberta dos Morros.

Art. 1º Fica denominado Rua Edgardo Rodrigues Xavier o logradouro público cadastrado conhecido como Rua Cinco Mil e Vinte e Três, localizado no Bairro Aberta dos Morros, com base na Lei Complementar nº 320, de 2 de maio de 1994, e alterações posteriores.
Parágrafo único. As placas denominativas conterão, abaixo do nome do logradouro, os seguintes dizeres: Livreiro e um dos fundadores da Feira do Livro de Porto Alegre.
Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

/JGF



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal