Modelo de Trabalho de Conclusão cico



Baixar 7,33 Mb.
Página4/48
Encontro01.07.2018
Tamanho7,33 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   48

Exemplos


Esta seção aborda as principais redes sociais utilizadas no mundo em termos de número de usuários, conforme demonstrado na Tabela 2 .1, destacando as redes Facebook, Foursquare7, Twitter8 e LinkedIn9, apontando suas características e evidenciando os pontos em que essas redes diferem do modelo proposto neste trabalho.

Tabela 2.1 - Redes Sociais por número de usuários



Rede social

URL

Número usuários

Objetivo

Facebook

https://www.facebook.com/

1.490.000.000

Compartilhamento de fotos e vídeos.

WhatsApp

https://web.whatsapp.com/

800.000.000

Troca de mensagens.

Twitter

https://twitter.com/

316.000.000

Microblog.

Google+

https://plus.google.com/

300.000.000

Compartilhamento de fotos e vídeos.

Instagram

https://instagram.com/

300.000.000

Compartilhamento de fotos e vídeos.

LinkedIn

https://www.linkedin.com/

97.000.000

Contato profissional.

Fonte: Obtido através de: http://www.statista.com/statistics/272014/global-social-networks-ranked-by-number-of-users/, em: nov. 2015.
      1. Facebook


O surgimento da rede social Facebook está vinculado à origem do Facemash, um site disponibilizado por Mark Zuckerberg em 2003, o qual permitia aos usuários que o utilizassem, avaliar a pessoa mais atraente baseado em duas fotos de estudantes colocadas lado a lado, oriundas da base de dados dos alunos da Universidade de Harvard, instituição onde Zuckerberg estudava. Poucos dias após o lançamento, o Conselho de Administração desativou o Facemash, alegando violação de regras de segurança e invasão de privacidade (SCHWARTZ, 2003; ZEEVI, 2013 apud CORREIA; MOREIRA, 2014). O Facebook, que inicialmente chamava-se Thefacebook, foi lançado em 2004, sendo considerado um dos sistemas com maior base de usuários existentes no mundo (RECUERO, 2009, p. 184). Tendo como sua missão “oferecer às pessoas o poder da partilha, tornando o mundo mais aberto e interligado”, pode-se confirmar que tal objetivo está sendo cumprido, uma vez que em junho de 2013, o Facebook atingiu cerca de 1.150 milhões de usuários (CORREIA; MOREIRA, 2014).

Através de um clique, o sistema oferece formas para que um usuário possa interagir com outro de maneira fácil e rápida. Um pedido de amizade, por exemplo, dá-se pela ação de um usuário enviar tal pedido para outro indivíduo da rede, cabendo ao destinatário aceitar ou não o convite. No momento em que o convite é aceito, os usuários envolvidos passam a ser considerados amigos dentro do ambiente do Facebook (FACEBOOK, 2013d apud CORREIA; MOREIRA, 2014). Diante deste contexto, pode-se considerar que o modelo de geração de vínculos de amizades proposto neste trabalho, em comparação com o processo de estabelecimento de amizade do Facebook, tende a retratar de forma mais fidedigna os vínculos constituídos no mundo real.


      1. Foursquare


O Foursquare foi idealizado por Dennis Crowley e Naveen Selvadurai em 2008, entretanto, seu lançamento ocorreu somente em 2009. A principal finalidade da aplicação está em possibilitar aos usuários que compartilhem os locais em que os mesmos estão presentes. Mesmo havendo um site para visualização e edição de informações referentes a conexões e locais, a maioria das interações dos usuários da rede ocorrem através de seus dispositivos móveis, os quais lhes permitem acesso à serviços baseados em localização (PELLANDA, 2011). Tal serviço é indispensável para a utilização do aplicativo, visto que a localização do usuário é determinada para que o mesmo realize o check-in na aplicação, esta ação corresponde ao usuário enviar um comando através do dispositivo móvel informando que está visitando um local cadastrado na base de dados do sistema (PRADO, 2013).

Através dos check-ins realizados na aplicação, é evidenciado o conceito de gamificação no Foursquare, onde no momento em que o usuário atingir o maior número de check-ins em um determinado local, o mesmo passa a ser considerado como prefeito deste mesmo local. Entretanto, o indivíduo permanece no cargo até que outro usuário ultrapasse o seu número de check-ins em tal localidade, incentivando assim, a utilização do aplicativo (ALVES et al., 2012). Além de realizar check-ins, a aplicação disponibiliza aos usuários informações referentes aos locais de acordo com dados fornecidos por outros indivíduos que já tenham visitado tal local, o que geralmente expressam algum tipo de recomendação sobre o serviço prestado em determinada localidade. Estabelecimentos do ramo alimentício exemplificam isso através de sugestões de pratos servidos e do atendimento prestado. Pensando nisso, empresas tentam criar estratégias de marketing, como promoções, para usuários que realizarem check-ins em seu estabelecimento (PRADO, 2013).

A partir das informações do modelo de interação dos usuários com o aplicativo Foursquare apresentado, verifica-se as diferenças com relação ao modelo proposto neste trabalho, visto que há uma dependência da direta interação do usuário com o aplicativo para captura dos locais visitados, enquanto este trabalho propõe uma captura automática dos locais em que o usuário estiver presente, considerando o tempo de permanência ao invés de check-ins para registro dos locais pelos quais o indivíduo encontra-se localizado.

      1. Twitter


A rede social Twitter, também denominada microblog, foi lançado em 2006, pela empresa Obvious. Este serviço disponibiliza aos usuários a possibilidade da postagem de mensagens curtas, com um limite de 140 caracteres, onde a grande vantagem sobre as demais redes sociais estava no fato de poder submeter as mensagens através de dispositivos móveis dos utilizadores da rede. Além da instantânea troca de mensagens, o serviço também permite que um usuário busque, na base de dados do sistema, outros usuários para comporem a sua lista de contatos, os quais são denominados seguidores. Nessa rede social, há o conceito de estabelecimento de diálogos em grandes grupos de forma assíncrona, ou seja, a sequência de interações dos indivíduos pode-se dar da mais variada forma. Com isso, o Twitter pode atuar como uma ferramenta para a realização de cobertura de um evento ao vivo ou até mesmo para a comunicação de pessoas de um mesmo grupo (MARTINS; GOMES; SANTOS, 2009).

Embora o Twitter tenha seu foco direcionado à disseminação da informação entre seus utilizadores, sendo assim uma proposta diferente do que abordado neste trabalho, pode-se verificar que o modo de estabelecimento de vínculos na rede se dá de forma completamente explícita, ou seja, puramente através de ações executadas pelos usuários, diferentemente do que está sendo proposto neste trabalho, onde a sugestão para o estabelecimento de vínculos se dará com base em informações coletadas de forma implícita, ou seja, sem que o usuário as informe de maneira direta.


      1. LinkedIn


O LinkedIn teve seu início em 2002 pelo americano Reid Hoffman, contudo, seu lançamento ocorreu em 2003. Seu intuito é conectar profissionais de todo o mundo, ajudando os mesmos a se tornarem mais produtivos e obterem sucesso. Atualmente a rede conta com mais de 300 milhões de usuários espalhados em mais de 200 países, conforme pode ser observado nas estatísticas disponibilizadas pelo site10. Diferentemente do foco dado em outras redes sociais, que priorizam a interação social entre os indivíduos, o LinkedIn trata principalmente de negócios, disponibilizando aos seus usuários a possibilidade de publicar suas completas informações profissionais e acadêmicas, além de constituir uma lista de contatos com outros profissionais. Essa rede social pode ser utilizada como uma ferramenta para alavancar carreiras profissionais, mantendo contato com os demais profissionais da rede, bem como realizar pesquisas sobre oportunidades de trabalho ou de negócios. Empresas utilizadoras do sistema, podem divulgar as competências necessárias para que uma pessoa possa candidatar-se à uma vaga de trabalho, assim como também pode pesquisar, dentre os perfis da rede, aquele que se enquadre dentro das especificações de tal cargo (NASCIMENTO, 2011).

Apesar do intuito da rede social LinkedIn conectar pessoas através de seus perfis profissionais, que o difere da maioria das redes sociais, a forma de estabelecimento de vínculos entre as pessoas utilizadoras da rede se constitui de forma semelhante à forma presente na maioria das demais redes sociais, onde os usuários determinam os vínculos através de convites realizados na aplicação, diferindo assim, do modelo proposto neste trabalho, que busca o estabelecimento de padrões em perfis de usuários que apresentem semelhança entre si para estabelecer tais vínculos.


    1. Análise de Redes Sociais


A análise de redes sociais surgiu a partir de estudos de matemáticos e físicos, os quais começaram a aplicar os conceitos da Teoria do Grafos com o intuito de definir medidas que poderiam ser utilizadas para responder questionamentos sobre cada indivíduo pertencente à uma rede social. O objetivo da análise é coletar e identificar possíveis padrões, geralmente implícitos, encontrados nos relacionamentos e também na forma como a informação flui dentro da rede. Tal análise pode ser utilizada em várias áreas, como por exemplo na área médica, onde é possível a identificação de como algumas doenças se espalham, na área administrativa a posição dos atores dentro da rede pode refletir na definição da hierarquia organizacional de uma empresa, na área de propaganda, a análise se torna uma ferramenta para mensurar a aceitação de um produto e como realizar a promoção do mesmo (PIMENTEL; FUKS, 2011, p. 56-59).

A partir da ideia proposta neste trabalho conclui-se que, analisando a estrutura de rede formada através dos vínculos estabelecidos com base nos tempos coletados de cada indivíduo nos locais que os mesmos frequentam, é possível verificar a concentração de usuários em determinadas áreas, possibilitando assim a identificação de padrões com relação à permanência de indivíduos em locais comumente frequentados. Baseadas em tais informações coletadas a partir da proposta deste trabalho, diversas estratégias podem ser definidas como por exemplo, ações de marketing dirigido, tendo como base locais que os indivíduos da rede tendem a frequentar com maior frequência. Também é possível criar estratégias que atuem na área de segurança, proporcionando aos usuários que tenham o hábito de frequentar uma localidade que, por sua vez, possa ser considerada uma área de risco à segurança do indivíduo.


  1. SISTEMAS DE RECOMENDAÇÃO


Este capítulo descreve sistemas de recomendação, abordando suas principais características. Posteriormente, são apresentados os principais métodos aplicados à tais sistemas, assim como exemplos de aplicações que utilizam estes sistemas em sua concepção. Finalmente, apresenta a utilização de sistemas de recomendação no cenário de redes sociais.


1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   48


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal