Missionários com maria no ano da misericórdia rosário da misericórdia para as famílias apresentaçÃO



Baixar 95,24 Kb.
Encontro31.07.2018
Tamanho95,24 Kb.

MISSIONÁRIOS COM MARIA

NO ANO DA MISERICÓRDIA
ROSÁRIO DA MISERICÓRDIA PARA AS FAMÍLIAS
APRESENTAÇÃO
Neste Ano Santo da Misericórdia, Deus nos concedeu mais uma graça especial: a Exortação Apostólica Pós-Sinodal Amoris Laetitia sobre o amor na família, do Papa Francisco. Como discípulos missionários, acolhemos com alegria este documento e queremos que ele surta os efeitos desejados pelo Santo Padre na nossa diocese.

Por isso, elaboramos este subsídio, a fim de que contribua com o fortalecimento espiritual de nossas famílias e de nossa Igreja diocesana e nos mostre um pouco das propostas que o sucessor de Pedro nos apresenta para superarmos os graves problemas da família no mundo de hoje.



ORAÇÃO INICIAL
Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém
Oferecimento

Divino Jesus, eu Vos ofereço este Terço que vamos rezar contemplando os mistérios de nossa Redenção. Concedei-me, pela intercessão de Maria, Vossa Mãe Santíssima, as virtudes que me são necessárias para bem rezá-lo e a graça de ganhar as indulgências anexas a esta devoção.

 

Profissão de fé

Creio em Deus Pai todo-poderoso, criador do céu e da terra; e em Jesus Cristo, seu único Filho, Nosso Senhor; que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; nasceu na Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos; ressuscitou ao terceiro dia; subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos; creio no Espírito Santo, na santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.


Pai nosso

Três Ave- Marias

Glória
CONTEMPLAÇÃO DOS MISTÉRIOS
SEGUNDAS FEIRAS E SÁBADOS:

MISTÉRIOS DA ALEGRIA (Gozosos)

  

1º Mistério – A anunciação do Anjo a Maria

O Papa Francisco nos diz: “O Concílio Ecuménico Vaticano II ocupou-se, na Constituição pastoral Gaudium et spes, da promoção da dignidade do matrimônio e da família (cf. n.º 47-52). “Definiu o matrimônio como comunidade de vida e amor (cf. n. 48), colocando o amor no centro da família (...). O ‘verdadeiro amor entre marido e mulher’ (n. 49) implica a mútua doação de si mesmo, inclui e integra a dimensão sexual e a afetividade, correspondendo ao desígnio divino (cf. n.º 48-49). Além disso sublinha o enraizamento dos esposos em Cristo: Cristo Senhor ‘vem ao encontro dos esposos cristãos com o sacramento do matrimônio’ (n.º 48) e permanece com eles. Na encarnação, Ele assume o amor humano, purifica-o, leva-o à plenitude e dá aos esposos, com o seu Espírito, a capacidade de o viver, impregnando toda a sua vida com a fé, a esperança e a caridade. Assim, os cônjuges são de certo modo consagrados e, por meio duma graça própria, edificam o Corpo de Cristo e constituem uma igreja doméstica (cf. Lumen gentium, 11), de tal modo que a Igreja, para compreender plenamente o seu mistério, olha para a família cristã, que o manifesta de forma genuína”. (Amoris Laetitia n.º 67)
Instantes de reflexão
Rezemos este mistério pedindo a Deus a graça de que cada família assuma a fé, a esperança e a caridade.

Pai Nosso

Dez Ave-Marias

Glória
Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.


Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.
2º Mistério – A visita de Maria a sua prima Isabel

O Papa Francisco afirma que devemos “Ter gestos de solicitude pelo outro e demonstrações de carinho. O amor supera as piores barreiras. Quando se pode amar alguém ou quando nos sentimos amados por essa pessoa, conseguimos entender melhor o que ela quer exprimir e fazer-nos compreender”. (Amoris Laetitia n.º 140)


Instantes de reflexão
Vamos rezar este mistério pedindo a Deus a graça de que todos os membros das famílias sejam mais solícitos uns com os outros.
Pai Nosso

Dez Ave-Marias

Glória
Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.
Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.
3º Mistério – O Nascimento de Jesus

O Papa Francisco nos diz o seguinte: “A encarnação do Verbo numa família humana, em Nazaré, comove com a sua novidade a história do mundo. Precisamos mergulhar no mistério do nascimento de Jesus, no sim de Maria ao anúncio do anjo, quando foi concebida a Palavra no seu seio; e ainda no sim de José, que deu o nome a Jesus e cuidou de Maria; na festa dos pastores no presépio; na adoração dos Magos; na fuga para o Egito, em que Jesus participou no sofrimento do seu povo exilado, perseguido e humilhado; na devota espera de Zacarias e na alegria que acompanhou o nascimento de João Batista; na promessa que Simeão e Ana viram cumprida no templo; na admiração dos doutores da lei ao escutarem a sabedoria de Jesus adolescente”. (Amoris Laetitia n.º 65)


Instantes de reflexão
Vamos rezar este mistério pedindo a Deus a graça de sermos capazes de mergulhar cada vez mais no mistério do Natal.
Pai Nosso

Dez Ave-Marias

Glória

Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.


Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.
4º Mistério – A apresentação de Jesus no Templo

O Papa Francisco nos diz o seguinte: “Na história dum casal, a aparência física muda, mas isso não é motivo para que a atração amorosa diminua. Um cônjuge enamora-se pela pessoa inteira do outro, com uma identidade própria, e não apenas pelo corpo, embora este corpo, independentemente do desgaste do tempo, nunca deixe de expressar de alguma forma aquela identidade pessoal que cativou o coração. Quando os outros já não podem reconhecer a beleza desta identidade, o cônjuge enamorado continua a ser capaz de a individuar com o instinto do amor, e o carinho não desaparece. Reitera a sua decisão de lhe pertencer, volta a escolhê-lo, e exprime esta escolha numa proximidade fiel e cheia de ternura. A nobreza da sua opção pelo outro, por ser intensa e profunda, desperta uma nova forma de emoção no cumprimento desta missão conjugal”. (Amoris Laetitia n.º 164)


Instantes de reflexão
Vamos rezar este mistério pedindo a Deus as graças necessárias para que nossas famílias sempre cumpram sua missão conjugal.
Pai Nosso

Dez Ave-Marias

Glória
Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.
Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.
5º Mistério – A perda e o reencontro do menino Jesus em Jerusalém

O Papa Francisco nos diz o seguinte: “Um casal de esposos, que experimenta a força do amor, sabe que este amor é chamado a sarar as feridas dos abandonados, estabelecer a cultura do encontro, lutar pela justiça”. (Amoris Laetitia n.º 183)


Instantes de reflexão
Vamos rezar este mistério pedindo a Deus a graça de cultivar a cultura do encontro.
Pai Nosso

Dez Ave-Marias

Glória
Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.
Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.
TERÇAS E SEXTAS FEIRAS:

MISTÉRIOS DA DOR (Dolorosos)
1º Mistério – A agonia de Jesus no Horto das Oliveiras

O Papa Francisco nos diz o seguinte: “No matrimônio, convém cuidar a alegria do amor. Quando a busca do prazer é obsessiva, encerra-nos numa coisa só e não permite encontrar outros tipos de satisfações. Pelo contrário, a alegria expande a capacidade de desfrutar e permite-nos encontrar prazer em realidades variadas, mesmo nas fases da vida em que o prazer se apaga. Por isso, dizia São Tomás que se usa a palavra ‘alegria’ para se referir à dilatação da amplitude do coração. A alegria matrimonial, que se pode viver mesmo no meio do sofrimento, implica aceitar que o matrimônio é uma combinação necessária de alegrias e fadigas, de tensões e repouso, de sofrimentos e libertações, de satisfações e buscas, de aborrecimentos e prazeres, sempre no caminho da amizade que impele os esposos a cuidarem um do outro: ‘prestam-se recíproca ajuda e serviço’”. (Amoris Laetitia n.º 126)


Instantes de reflexão
Vamos rezar este mistério pedindo a Deus a graça de fazermos do sofrimento uma caminho de crescimento no amor e de santificação das famílias.
Pai Nosso

Dez Ave-Marias

Glória
Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.
Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.
2º Mistério – A flagelação de Jesus atado à coluna

O Papa Francisco nos diz o seguinte: “Mencionou-se também a toxicodependência como um dos flagelos do nosso tempo que faz sofrer muitas famílias e, não raro, acaba por destruí-las. Algo semelhante acontece com o alcoolismo, os jogos de azar e outras dependências”. (Amoris Laetitia n.º 51)


Instantes de reflexão
Vamos rezar este mistério pedindo a Deus a graça de superarmos os flagelos do nosso tempo que tanto afetam a família.
Pai Nosso

Dez Ave-Marias

Glória
Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.
Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.
3º Mistério – A coroação de espinhos

O Papa Francisco nos diz o seguinte: “Panta hypoménei significa que suporta, com espírito positivo, todas as contrariedades. É manter-se firme no meio dum ambiente hostil. Não consiste apenas em tolerar algumas coisas molestas, mas é algo de mais amplo: uma resistência dinâmica e constante, capaz de superar qualquer desafio. É amor que apesar de tudo não desiste, mesmo que todo o contexto convide a outra coisa. Manifesta uma dose de heroísmo tenaz, de força contra qualquer corrente negativa, uma opção pelo bem que nada pode derrubar. Isto lembra-me Martin Luther King, quando reafirmava a opção pelo amor fraterno, mesmo no meio das piores perseguições e humilhações: ‘A pessoa que mais te odeia, tem algo de bom nela; mesmo a nação que mais odeia, tem algo de bom nela; mesmo a raça que mais odeia, tem algo de bom nela. E, quando chegas ao ponto de fixar o rosto de cada ser humano e, bem no fundo dele, vês o que a religião chama a imagem de Deus, começas, não obstante tudo, a amá-lo. Não importa o que faça, lá vês a imagem de Deus. Há um elemento de bondade de que nunca poderás livrar-te. (...) Outra forma de amares o teu inimigo é esta: quando surge a oportunidade de derrotares o teu inimigo, aquele é o momento em que deves decidir não o fazer. (...) Quando te elevas ao nível do amor, da sua grande beleza e poder, a única coisa que procuras derrotar são os sistemas malignos. Às pessoas que caíram na armadilha deste sistema, tu ama-las, mas procuras derrotar o sistema. (...) Ódio por ódio só intensifica a existência do ódio e do mal no universo. Se eu te bato e tu me bates, e eu te devolvo a pancada e tu me devolves a pancada, e assim por diante… obviamente continua-se até ao infinito; simplesmente nunca termina. Nalgum ponto, alguém deve ter um pouco de bom senso, e esta é a pessoa forte. A pessoa forte é aquela que pode quebrar a cadeia do ódio, a cadeia do mal. (...) Alguém deve ter bastante fé e moralidade para a quebrar e injetar dentro da própria estrutura do universo o elemento forte e poderoso do amor’”. (Amoris Laetitia n.º 118)


Instantes de reflexão

Vamos rezar este mistério pedindo a Deus a graça de suportar com espírito positivo todas as humilhações.


Pai Nosso

Dez Ave-Marias

Glória
Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.
Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.
4º Mistério – Jesus carrega a Cruz para o Calvário

O Papa Francisco nos diz o seguinte: “Se a família consegue concentrar-se em Cristo, Ele unifica e ilumina toda a vida familiar. Os sofrimentos e os problemas são vividos em comunhão com a Cruz do Senhor e, abraçados a Ele, pode-se suportar os piores momentos. Nos dias amargos da família, há uma união com Jesus abandonado, que pode evitar uma ruptura. As famílias alcançam pouco a pouco, ‘com a graça do Espírito Santo, a sua santidade através da vida matrimonial, participando também no mistério da cruz de Cristo, que transforma as dificuldades e os sofrimentos em oferta de amor’” (Amoris Laetitia n.º 317)

Instantes de reflexão
Vamos rezar este mistério pedindo a Deus as graças necessárias para que as famílias assumam os seus sofrimentos em comunhão com a cruz do Senhor.

Pai Nosso

Dez Ave-Marias

Glória
Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.


Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.
5º Mistério – Crucificação, sofrimento e morte de Jesus

O Papa Francisco nos diz o seguinte: “Um amor frágil ou enfermiço, incapaz de aceitar o matrimônio como um desafio que exige lutar, renascer, reinventar-se e recomeçar sempre de novo até à morte, não pode sustentar um nível alto de compromisso. Cede à cultura do provisório, que impede um processo constante de crescimento. Mas “prometer um amor que dure para sempre é possível, quando se descobre um desígnio maior que os próprios projetos, que nos sustenta e permite doar o futuro inteiro à pessoa amada”. Para que este amor possa atravessar todas as provações e manter-se fiel contra tudo, requer-se o dom da graça que o fortalece e eleva”. (Amoris Laetitia n.º 124)


Instantes de reflexão
Vamos rezar este mistério pedindo a Deus a graça do fortalecimento das famílias.
Pai Nosso

Dez Ave-Marias

Glória
Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.
Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.
QUARTAS FEIRAS E DOMINGOS:

MISTÉRIOS DA GLÓRIA (Gloriosos)
1º Mistério – A Ressurreição de Jesus

O Papa Francisco nos diz o seguinte: “Panta elpízei: não desesperar do futuro. Ligado à palavra anterior, indica a esperança de quem sabe que o outro pode mudar; sempre espera que seja possível um amadurecimento, um inesperado surto de beleza, que as potencialidades mais recônditas do seu ser germinem algum dia. Não significa que, nesta vida, tudo vai mudar; implica aceitar que nem tudo aconteça como se deseja, mas talvez Deus escreva direito por linhas tortas e saiba tirar algum bem dos males que não se conseguem vencer nesta terra. (Amoris Laetitia n.º 116)


Instantes de reflexão

Vamos rezar este mistério pedindo a Deus a graça de cultivar sempre a busca da vivência completa da vontade de Deus com alegria e confiança.


Pai Nosso

Dez Ave-Marias

Glória
Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.
Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.
2º Mistério – A Ascensão de Jesus ao Céu

O Papa Francisco nos diz o seguinte: Aqui aparece a esperança no seu sentido pleno, porque inclui a certeza duma vida para além da morte. Aquela pessoa, com todas as suas fraquezas, é chamada à plenitude do Céu: lá, completamente transformada pela ressurreição de Cristo, cessarão de existir as suas fraquezas, trevas e patologias; lá, o verdadeiro ser daquela pessoa resplandecerá com toda a sua potência de bem e beleza. Isto permite-nos, no meio das moléstias desta terra, contemplar aquela pessoa com um olhar sobrenatural, à luz da esperança, e aguardar aquela plenitude que, embora hoje não seja visível, há de receber um dia no Reino celeste” (Amoris Laetitia n.º 117).


Instantes de reflexão
Vamos rezar este mistério pedindo a Deus a graça do cultivo da esperança de chegar às moradas eternas.
Pai Nosso

Dez Ave-Marias

Glória
Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.
Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.
3º Mistério – A descida do Espírito Santo sobre os apóstolos

O Papa Francisco nos diz o seguinte: “O hino à Caridade, de São Paulo, permite-nos avançar para a caridade conjugal. Esta é o amor que une os esposos, amor santificado, enriquecido e iluminado pela graça do sacramento do matrimônio. É uma ‘união afetiva’, espiritual e oblativa, mas que reúne em si a ternura da amizade e a paixão erótica, embora seja capaz de subsistir mesmo quando os sentimentos e a paixão enfraquecem. O Papa Pio XI ensinava que este amor permeia todos os deveres da vida conjugal e ‘detém como que o primado da nobreza’. Com efeito, este amor forte, derramado pelo Espírito Santo, é reflexo da aliança indestrutível entre Cristo e a humanidade que culminou na entrega até ao fim na cruz. ‘O Espírito, que o Senhor infunde, dá um coração novo e torna o homem e a mulher capazes de se amarem como Cristo nos amou. O amor conjugal atinge assim aquela plenitude para a qual está interiormente ordenado: a caridade conjugal’”. (Amoris Laetitia n.º 120)


Instantes de reflexão
Vamos rezar este mistério pedindo a Deus as graças necessárias para que cada família se aprofunde sempre mais na caridade conjugal.
Pai Nosso

Dez Ave-Marias

Glória
Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.
Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.
4º Mistério – A assunção de Maria ao Céu

O Papa Francisco nos diz o seguinte: Se aceitarmos a morte, podemos preparar-nos para ela. O caminho é crescer no amor para com aqueles que caminham conosco, até ao dia em que ‘não haverá mais morte, nem luto, nem pranto, nem dor’ (Ap 21, 4). Deste modo preparar-nos-emos também para reencontrar os nossos entes queridos que morreram. Assim como Jesus entregou o filho que tinha morrido à sua mãe (cf. Lc 7, 15), de forma semelhante procederá conosco. Não gastemos energias, detendo-nos anos e anos no passado. Quanto melhor vivermos nesta terra, tanto maior felicidade poderemos partilhar com os nossos entes queridos no céu. Quanto mais conseguirmos amadurecer e crescer, tanto mais poderemos levar-lhes coisas belas para o banquete celeste. (Amoris Laetitia n.º 258)


Instantes de reflexão
Vamos rezar este mistério pedindo a Deus a graça de sonharmos com a nossa felicidade no encontro definitivo que acontecerá na casa do Pai.
Pai Nosso

Dez Ave-Marias

Glória
Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.
Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.
5º Mistério – A coroação de Maria como Rainha do Céu

O Papa Francisco nos diz o seguinte: “Quando uma pessoa que ama pode fazer algo de bom pelo outro, ou quando vê que a vida está a correr bem ao outro, vive isso com alegria e, assim, dá glória a Deus, porque ‘Deus ama quem dá com alegria’ (2 Cor 9, 7), nosso Senhor aprecia de modo especial quem se alegra com a felicidade do outro. Se não alimentamos a nossa capacidade de rejubilar com o bem do outro, concentrando-nos sobretudo nas nossas próprias necessidades, condenamo-nos a viver com pouca alegria, porque – como disse Jesus – ‘a felicidade está mais em dar do que em receber’ (At 20, 35). A família deve ser sempre o lugar onde uma pessoa que consegue algo de bom na vida, sabe que ali se vão congratular com ela”. (Amoris Laetitia n.º 110 )

Instantes de reflexão
Vamos rezar este mistério pedindo a Deus a graça de lutar sempre pela felicidade dos seus membros e das demais famílias.
Pai Nosso

Dez Ave-Marias

Glória
Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.
Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.

QUINTAS-FEIRAS:

MISTÉRIOS DA LUZ (Luminosos)
1º Mistério – O Batismo no rio Jordão

O Papa Francisco nos diz o seguinte: “A educação dos filhos deve estar marcada por um percurso de transmissão da fé, que se vê dificultado pelo estilo de vida atual, pelos horários de trabalho, pela complexidade do mundo atual, onde muitos têm um ritmo frenético para poder sobreviver. Apesar disso, a família deve continuar a ser lugar onde se ensina a perceber as razões e a beleza da fé, a rezar e a servir o próximo. Isto começa no batismo, onde – como dizia Santo Agostinho – as mães que levam os seus filhos ‘cooperam no parto santo’ Depois tem início o percurso de crescimento desta vida nova. A fé é dom de Deus, recebido no batismo, e não o resultado duma ação humana; mas os pais são instrumentos de Deus para a sua maturação e desenvolvimento”. (Amoris Laetitia n.º 287)


Instantes de reflexão
Vamos rezar este mistério pedindo a Deus as graças necessárias para que os pais assumam as responsabilidades decorrentes do batismo de seus filhos e filhas.
Pai Nosso

Dez Ave-Marias

Glória
Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.
Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.
2º Mistério – A auto revelação nas Bodas de Caná

O Papa Francisco nos diz o seguinte: “A postura de Jesus é paradigmática para a Igreja (...). Ele inaugurou a sua vida pública com o sinal de Caná, realizado num banquete de núpcias (cf. Jo 2, 1-11). (…) Compartilhou momentos diários de amizade com a família de Lázaro e suas irmãs (cf. Lc 10, 38) e com a família de Pedro (cf. Mt 8, 14). Escutou o pranto dos pais pelos seus filhos, restituindo-os à vida (cf. Mc 5, 41; Lc 7, 14-15) e mostrando assim o verdadeiro significado da misericórdia, a qual implica a restauração da Aliança (cf. João Paulo II, Dives in misericordia, 4). Vê-se isto claramente nos encontros com a mulher samaritana (cf. Jo 4, 1-30) e com a adúltera (cf. Jo 8, 1-11), nos quais a noção do pecado é avivada perante o amor gratuito de Jesus”. (Amoris Laetitia n.º 64)


Instantes de reflexão
Vamos rezar este mistério pedindo a Deus a graça de descobrirmos a importância da convivência familiar a partir da pessoa e da mensagem de Jesus.
Pai Nosso

Dez Ave-Marias

Glória
Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.
Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.
3º Mistério – O anúncio do Reino com o convite à conversão

O Papa Francisco nos diz o seguinte: “O olhar de Cristo, cuja luz ilumina todo o homem (cf. Jo 1, 9; Gaudium et spes, 22), inspira o cuidado pastoral da Igreja pelos fiéis que simplesmente vivem juntos, que contraíram matrimônio apenas civil ou são divorciados que voltaram a casar. Na perspectiva da pedagogia divina, a Igreja olha com amor para aqueles que participam de modo imperfeito na vida dela: com eles, invoca a graça da conversão; encoraja-os a fazerem o bem, a cuidarem com amor um do outro e colocarem-se ao serviço da comunidade onde vivem e trabalham.”. (Amoris Laetitia n.º 78)


Instantes de reflexão
Vamos rezar este mistério pedindo a Deus a graça de lutarmos pela nossa conversão pessoal e contribuirmos para a conversão das famílias.
Pai Nosso

Dez Ave-Marias

Glória
Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.
Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.
4º Mistério – A transfiguração no Monte Tabor

O Papa Francisco nos diz o seguinte: “Sempre falamos da inabitação de Deus no coração da pessoa que vive na sua graça. Hoje podemos dizer também que a Trindade está presente no templo da comunhão matrimonial. Assim como habita nos louvores do seu povo (cf. Sl 22/21, 4), assim também vive intimamente no amor conjugal que Lhe dá glória. (Amoris Laetitia n.º 314)

Instantes de reflexão
Vamos rezar este mistério pedindo a Deus a graça de darmos glória a Deus através do amor conjugal.
Pai Nosso

Dez Ave-Marias

Glória
Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.
Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.
5º Mistério – A instituição da Eucaristia

O Papa Francisco nos diz o seguinte: “Sabemos que, no Novo Testamento, se fala da ‘igreja que se reúne em casa’ (cf. 1 Cor 16, 19; Rm 16, 5; Col 4, 15; Flm 2). O espaço vital duma família podia transformar-se em igreja doméstica, em local da Eucaristia, da presença de Cristo sentado à mesma mesa. Inesquecível é a cena descrita no Apocalipse: ‘Olha que Eu estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, Eu entrarei na sua casa e cearei com ele e ele comigo’ (3, 20). Esboça-se assim uma casa que abriga no seu interior a presença de Deus, a oração comum e, por conseguinte, a bênção do Senhor. Isto mesmo se afirma no Salmo 128, que nos serviu de base: ‘Assim vai ser abençoado o homem que obedece ao Senhor. O Senhor te abençoe do monte Sião!’ (vv. 4-5)”. (Amoris Laetitia n.º 15)


Instantes de reflexão
Vamos rezar este mistério pedindo a Deus a graça de fazer com que nossas famílias se tornem verdadeiras comunidades eucarísticas.
Pai Nosso

Dez Ave-Marias

Glória
Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno. Levai as almas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.
Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.
ORAÇÃO FINAL

Infinitas graças Vos damos, Soberana Rainha, pelos benefícios que todos os dias recebemos de Vossas mãos liberais. Dignai-Vos, agora e sempre, tomar-nos debaixo de Vosso poderoso amparo, e para mais Vos obrigar, Vos saudamos com uma Salve Rainha:

Salve, Rainha, mãe de misericórdia, vida, doçura, esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, Ó clemente, ó piedosa, ó doce sempre Virgem Maria.

Rogai por nós santa Mãe de Deus.

Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
ORAÇÃO NAS INTENÇÕES DO SANTO PADRE, O PAPA FRANCISCO, PARA LUCRAR AS INDULGÊNCIAS DA ORAÇÃO DO TERÇO
Pai Nosso

Ave Maria



Glória ao Pai.
Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal