Mestres e discípulos da arte



Baixar 30,39 Kb.
Encontro11.09.2017
Tamanho30,39 Kb.


MESTRES E DISCÍPULOS DA ARTE

Exposição discute como a relação entre os artistas e seus professores interferiu em suas produções. Obras pertencem ao acervo do MAB-FAAP e podem ser apreciadas, gratuitamente, até junho

Pedro Alexandrino, famoso por suas ‘naturezas-mortas’, ensinou a Tarsila do Amaral a arte do desenho e da pintura. A artista, que é figura central da pintura brasileira e da primeira fase do movimento modernista ao lado de Anita Malfatti, foi professora de Tuneu, que hoje se dedica ao magistério. Essa relação entre mestres e discípulos pode ser conferida na próxima exposição do Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Alvares Penteado (MAB-FAAP). Gratuita, a mostra “Artes Visuais: experiência e transformação” fica em cartaz até 30 de junho.

Compõem a exposição 51 obras do acervo do MAB-FAAP, entre pinturas e gravuras, produzidas por artistas de gerações diferentes que em algum momento tiveram seus caminhos cruzados, seja como mestre ou como discípulo. “A partir de Alexandrino, pontuamos por meio das obras momentos do século XX e da primeira década do século XXI. E vamos mostrar algumas das muitas relações possíveis: alguns artistas desenvolveram as propostas de seus mestres e outros tomaram caminhos totalmente opostos”, explica a curadora da exposição e diretora do MAB, profª Maria Izabel Branco Ribeiro.


A prof.ª Maria Izabel acrescenta que a exposição apresenta o mestre de várias formas, como aquele que foi professor em sala de  aula, o orientador em atelier ou o incentivador dedicado. “Alguns alunos, inclusive, se converteram em mestres e mantiveram em marcha o processo da arte, mostrando que a experiência não é só o conhecimento e sabedoria, mas a possibilidade de testar e propor transformações” esclarece.
Acervo
A obra ‘Natureza Morta’, de Pedro Alexandrino - em que o artista mostra a habilidade em trabalhar as texturas das frutas e os brilhos dos metais em contraste com as tonalidades do resto da composição – está na exposição.
A mostra apresenta também três obras representativas de momentos distintos de Tarsila do Amaral: ‘O Retrato de Oswald de Andrade (1923), com heranças de seu aprendizado com os cubistas; ‘O Sapo’ (1928), representativo do seu grande interesse na época pela cultura e aspectos do Brasil; e o ‘Retrato de Verinha, filha de Vera Vicente de Azevedo’ (1937), realizado em momento em que a atenção da artista se voltava para assuntos diversos, inclusive temas de fases anteriores.
O público poderá conferir ainda obras de Anita Malfatti, como o estudo feito para a obra "A Boba" (1915/16), pintura de expressionismo vigoroso, do tempo em que a pintora estudou nos Estados Unidos, e ‘Homem das 7 cores’ (1915/16), que integrou a exposição da Semana de Arte Moderna de 1922.
Estarão presentes ainda produções de Alberto Alexandre Martins, Aldo Bonadei, Alice Brill, Anatol Wladyslaw, Anna Letycia, Antonio Gomide, Arthur Luiz Piza, Axl Von Leskosche, Cássio Michalany, Charlotta Adlerová, Chen Kon Fang, Djanira da Mota e Silva, Emiliano Di Cavalcanti e Evandro Carlos Jardim.
Também integram a exposição obras de Feres Khoury, Georg Fischer Elpons, Hélio Vinci, Jandyra Waters, Jorge Mori, Laurita Salles, Lívio Abramo, Luise Weiss, Luiz Claudio Mubarac, Luiz Paulo Baravelli, Marcelo Grassmann, Marco Burti, Maria Bonomi, Maria Helena Vieira da Silva, Maria Tomaselli, Oswaldo Goeldi, Regina Katz, Samson Flexor, Tuneu, Wega Nery, Wesley Duke Lee e Yoshida Takaoka.

A exposição pode ser conferida de terça a sexta-feira, das 10h00 às 20h00, e aos sábados, domingos e feriados, das 13h00 às 17h00. O MAB-FAAP é fechado às segundas-feiras, inclusive quando feriado. A entrada é gratuita e o agendamento de visitas educativas pode ser feito pelo telefone (11) 3662-7200.



Sobre o MAB-FAAP

Em 10 de agosto de 1961, com a mostra “Barroco no Brasil”, o Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Alvares Penteado (MAB-FAAP) abriu suas portas ao público pela primeira vez. Desde então, tem abrigado exposições marcantes para a história da cultura do País. Sempre gratuitas, as mostras ressaltam tanto a arte e a cultura brasileira, como a arte internacional através de grandes exposições trazidas dos principais museus do mundo.  Desde 1995, a FAAP também realiza exposições em Brasília em parceria com importantes instituições, como a Presidência da República, o Ministério das Relações Exteriores, o Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal (STF), a Escola Superior do Ministério Público (ESMPU) e o Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP).

O Museu tem um acervo próprio de arte brasileira, que conta com cerca de 2.800 obras de arte a partir do final do século XIX, de autoria de 573 artistas, entre eles Anita Malfatti, Brecheret, Di Cavalcanti, Goeldi, Lasar Segall, Pancetti, Portinari, Volpi, Cícero Dias, Tomie Ohtake, Arcângelo Ianelli, Lygia Clark, Burle-Marx, entre outros. Um painel de vitrais de 230 metros quadrados também integra o acervo de obras do MAB-FAAP.

O Museu já foi contemplado com importantes prêmios do setor. O mais recente foi concedido em 2010 pela Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA) às exposições ‘Memórias Reveladas’ e ‘Tékhne’.

Exposição “Artes Visuais: experiência e transformação”

Período: até 30/06/2013

Horário: De terça a sexta-feira, das 10h00 às 20h00

Aos sábados, domingos e feriados, das 13h00 às 17h00



(Fechado às segundas-feiras, inclusive quando feriado)

Local: MAB-FAAP  - Sala Annie Penteado           

Endereço: Rua Alagoas, 903 - Higienópolis

Informações: (11) 3662-7198         

Visitas Educativas: (11) 3662-7200

INFORMAÇÕES: FAAP / WN&P COMUNICAÇÃO


Sala de Imprensa: www.faap.br/imprensa

Tel: (11) 3662-7270/ 7271 – Fax: (11) 3662-7271


Jornalistas: Fabiana Dourado (fabiana.dourado@wnp.com.br)

Iracema Carvalho (iracema.carvalho@wnp.com.br)


SP 02/2013





©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal