Manual de procedimentos básicos em microbiologia



Baixar 1,03 Mb.
Página5/26
Encontro10.02.2018
Tamanho1,03 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   26

INFECÇÕES DE OSSOS E ARTICULAÇÕES



INTRODUÇÃO


O tecido ósseo normal apresenta resistência natural às infecções, que, no entanto, podem ocorrer quando este tecido é traumatizado, sua nutrição comprometida, pela presença de inóculo microbiano significativo e/ou presença de corpo estranho. Um processo infeccioso agudo do tecido ósseo caracteriza a osteomielite aguda, que na ausência de tratamento ou tratada de forma inadequada evolui a partir de 10 dias para osteomielite crônica, com necrose tecidual, processo inflamatório, presença de pus, seqüestro ósseo, podendo comprometer partes moles e podendo drenar através de fístula, com evolução lenta por semanas meses ou anos.


O inóculo bacteriano comumente é introduzido pelo trauma, contigüidade (úlceras), via hematogênica (bacteremia ou êmbolo), introdução de corpo estranho (próteses) e quebra de barreiras (procedimentos cirúrgicos), etc.
A correta identificação do agente etiológico e seu teste de sensibilidade aos antimicrobianos é de fundamental importância para as perspectivas de sucesso terapêutico. Não se recomenda fazer avaliação microbiológica com base em material obtido com swab do orifício de drenagem de fístula, de ferida, úlcera, etc.
A amostra clínica para o isolamento do agente deve ser obtida por procedimento cirúrgico ou por punção biópsia aspirativa com técnica asséptica e material suficiente para:

  • Bacterioscopia pelo Gram, equando indicado coloração de Ziehl Neelsen

  • Exame histopatológico (recomendável)

  • Cultura para bactérias aeróbias e facultativas

  • Caso indicado cultura para fungos, micobactérias e anaeróbios.


MICRORGANISMOS MAIS FREQÜENTES



Osteomielite



HematogênicaStaphylococcus aureus, Staphylococcus spp., S. agalactiae (recém-nascido), Salmonella spp., Pseudomonas aeruginosa, Candida spp. (cateter).
Associação com quadros clínicos


Pós-trauma

Streptococcus spp., Propionibacterium spp., Pseudomonas spp., Enterobactérias, Staphylococcus spp., bactérias anaeróbias.

Pós-operatório

Fixação de fratura: Coliformes, Pseudomonas aeruginosa e Staphylococcus aureus Esternotomia: Staphylococcus aureus e S. epidermidis Colocação de próteses: S. epidermidis, S. aureus, Enterobactérias e Pseudomonas spp..

Pós-mordida de animal

Pasteurella multocida, Eikenella corrodens.

Insuficiência vascular

Enterobactérias, anaeróbios.

Anemia falciforme

Salmonella spp. e Streptococcus pneumoniae.

Pé diabético e úlcera de decúbito

Streptococcus spp., Anaeróbios, Gram negativos.

Infecção por HIV

Bartonella henselae

Imunossuprimidos

Aspergillus spp., Complexo M. avium, Candida spp.

Usuários de droga endovenosa e pacientes que fazem hemodiálise crônica

Staphylococcus aureus, Pseudomonas aeruginosa

Locais onde as doenças tem alta prevalência

M. tuberculosis, Brucella spp.,

Infecção hospitalar

Enterobactérias e Pseudomonas aeruginosa



Artrite séptica





  • Neisseria gonorrhoeae

  • Staphylococcus aureus

  • Streptococcus pyogenes

  • Streptococcus pneumoniae

  • Streptococcus spp.

  • Enterococcus spp.

  • Enterobactérias




Crônica e monoarticular

Brucella spp., Nocardia spp., Mycobacterium spp., Fungo

Por faixa etária

Até 3 meses: S. aureus, Enterobacterias, S. agalactiae (grupo B) e Neisseria gonorrhoeae.

3 meses a 14 anos: S. aureus (27%), S. pyogenes (14%), S. pneumoniae (14%), Haemophilus influenzae (3%), bacilos Gram negativos (6%), Neisseria gonorrhoeae e N. meningitidis (14%) e desconhecida (36%).

Adultos: N. gonorrhoeae, S. aureus, Streptococcus spp., raramente bacilos gram negativos.



Próteses articulares





  • S. aureus

  • Staphylococcus spp (coagulase negativos)


Artrite reacional ou Sindrome de Reiter
Pode ocorrer após semanas infecção por: Chlamydia trachomatis, Yersinia enterocolitica, Campylobacter jejuni, Shigella, Salmonella.
Poliartrite assimétrica que pode acompanhar de uretrite, conjuntivite, uveite e rash cutâneo. É importante lembrar como diagnóstico diferencial de artrite migratória causada pela febre reumática, pós-infecção, por Streptococcus pyogenes.




1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   26


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal