Livros e Documentos Esotéricos Lakhsmi Daimon



Baixar 0,49 Mb.
Página1/17
Encontro31.12.2017
Tamanho0,49 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   17

Livros e Documentos Esotéricos
Lakhsmi Daimon
As Jóias do Dragão Amarelo - Tomo III

Apresentação



A vida de uma pessoa pode mudar completamente de um momento para outro. Num só instante se pode transformar radicalmente o curso da existência de um ser humano. Basta um milésimo de segundo, uma fração infinitamente pequena de tempo para que se acenda a luz em nosso interior e nossa vida nunca mais volta a ser a que foi até este momento. Num instante, tão só num instante o que se necessita para ver como desaparecem para sempre as trevas sobre nosso entendimento e nos mantêm perdidos nos mais baixos níveis de inconsciência, para que um raio de luz penetre até nossa consciência e ilumine nossa compreensão.
Porque este instante é a única explicação válida e a única razão certa de nossa existência, o porquê viemos a este mundo e ter um corpo físico. Este instante aguarda por nós sempre e para sempre os interstícios mais recônditos de nossa consciência e na altura profunda do desconhecido. Porque este instante é o tempo que não é o tempo, aquilo que pode ridicularizar a mente se ela tenta alguma vez medi-lo, pois é a razão de Ser e a razão do Ser, somente ele a conhece. Nada pode ser maior, mais glorioso, mais onipotente, pois estes momentos, estes momentos é... DEUS.
Como pode se viver estes instantes? Como pode ser aquilo? De que cor, forma ou tamanho? Quais são suas dimensões, comprimento, largura e profundidade? Que posso fazer para conseguir submergir neste eterno agora, navegar neste lago da imensidade que tudo contém, voar neste céu infinito que tudo alcança? Onde esta a porta de entrada? Quem poderia ajudar-me a guiar meus passos, mostrar-me a senda, dar-me a mão para cruzar o poente, guiar meu barco para cruzar o rio, facilitar-me a chave dar-me forças para empurrar o portão? Quem? Quem?
Sem dúvida nenhuma sou eu mesmo que devo buscar as respostas, ninguém pode experimentar, palpar e viver a realidade disto por mim, esta prerrogativa é individual de cada um, ninguém pode alugar, emprestar ou ganhar de presente. É minha e de mais ninguém, assim não poderia repassar esta responsabilidade para os outros, pensar que é a outro que cabe exercer este direito a alcançar o cume por mim. Creio que se algo aprendi dos “amados Mestres da Bendita Loja Branca” dos “Instrutores da Humanidade” e entre ele “Glorioso, Bendito e Venerável Mestre Lakhsmi”, é que este caminho não existe, se constrói ao caminhar.
É disso que falamos. De encontrar um orientador, um prático, ou seja, um instrutor que oferece as ferramentas mais idôneas que teremos que utilizar obrigatoriamente para percorrer o caminho. Que nos ensine a acender um pavio para fazer a luz e abrir caminho entre as trevas. Com suficiente experiência para oferecer as técnicas precisas para vencer os obstáculos que acontecem no caminho, ou que se interpõe impedindo o avanço na Senda. Alguém que saiba a psicologia e tenha suficiente habilidade para entregar sua sabedoria milenar, a qual poderia chegar, se nos propormos, até o fundo de nossa consciência e despertar esta inquietude espiritual, este anelo interno de buscar aquilo, esta vontade invulnerável para descobrir nossa verdade.
Tudo isso chega em nossas mãos no Volume II das Jóias do Dragão Amarelo o V.M. Lakhsmi, vemos os ensinamentos entregues a humanidade por este “Grandioso Ser”, nas Jóias de sabedoria que vão deste a 21 até a 26. E para que vocês saibam do que estamos falando, observem que a primeira desta série se trata de desvelar as técnicas e o mistério que encerra a “Chave Sol” Podem imaginar? Acreditam que existe outra fórmula mais preciosa, ou outra via mais certa para chegar ao Ser que não seja através da “auto-observação”, da integração total consigo mesmo, vale dizer, com a “intima recordação de si mesmo?”.
Na Jóia 21 o Mestre vai a realidade do diário viver, nos detalhes do cotidiano, aprofunda nas coisas que acontece com qualquer pessoa para tirar dali a sabedoria mais profunda, capaz de mostrar que fomos incapazes de aprender com os cinco sentidos, apesar de estar envolto nela. Na Chave Sol aprendemos outros níveis do “Ensinamento Gnóstico” que complementam as técnicas outrora colocadas em nossas mãos o “Cristo Vermelho de Aquário” o V.M. Samael Aun Weor. O “S” do “Fogo” que deve chegar a nossa consciência como chega até o ventre do “Absoluto”(“O”), para emanar novamente uma “Luz”, (“L”) porque precisamente é onde ela reside.
Ainda neste livro maravilhoso encontramos outra “Gema Preciosa” da Sabedoria que somente um Ser iluminado pode desvelar. Se trata da Jóia nº 22 que desvela o mistério do “Exército da Voz”, dos “Elohim” dos “Exércitos Celestiais do Senhor Jeová” Não esqueçam que o evangelho de João começa dizendo-nos que: “Em principio era o verbo e o verbo estava com Deus e o verbo era Deus. Este era no principio com Deus. Todas as coisas por ele foram feitas e sem ele nada do que foi feito teria sido feito. Nele estava a vida e a vida era a luz dos homens. A luz nas trevas resplandece e as trevas não prevaleceram contra elas (João 1,1-5)”.
O verbo de ouro do V.M. Lakhsmi se acende novamente para falar da sabedoria de todos os tempos, para sair da aurora do universo e desvelar-nos “O Mistério dos Aeons” Jóia nº 23. Neste período estelar da humanidade, só ele pode sair da mesma origem da criação deste universo, indagar as memórias da natureza para extrair o que nenhum outro mortal pode fazer pois as “Jóias do Dragão Amarelo” é uma missão especial que coube ao Mestre realizar e está cumprindo em sua totalidade. Vocês podem ver as alturas que se encontra este trabalho.
Assim, na nossa humilde opinião, V.M. Lakhsmi se agiganta cada dia para sua gloria, sua sabedoria parece ser infinita cada vez que nos oferece uma cátedra a altura da Jóia nº 24, onde nos desvela os mistérios do “Templo de Salomão” conduzindo-nos ao entendimento se algum dia existiu um “Grande Ser” cujo nome interno fosse “Salomão”. Todo autêntico “Iniciado nos Mistérios da Luz” da “Divina Gnosis” deve compreender que “Salomão é nosso Ser Interno”.
Todos nós, a humanidade inteira, autênticos “Filhos de Deus”, quisemos alguma vez “comer e beber a carne e o sangue do nosso Senhor o Cristo”, que distantes estamos, se acreditamos que simplesmente comer do “Pão consagrado” e beber o “Vinho do altar” já somos parte dele. Para surpresa nossa e assombro de quem ler a Jóia nº 25, compreenderá que não é de todo assim. Tinha que ser um “Enviado de Deus”, o próprio “Cristo” que fosse nos fazer compreender totalmente, e assim foi: o V.M. Lakhsmi nos desvela neste “Diamante Cristalino” da “Sabedoria Gnóstica” que o “Corpo do Cristo” é sua doutrina e que seu “Sangue” tomamos realmente com a “Transmutação”.
Quando lerem, analisarem e compreenderem o conteúdo da Jóia nº 26 vocês testemunharam, como eu o fiz tantas vezes, do manancial infinito de sabedoria que emana do “Verbo florido” do V.M. Lakhsmi. “Esforça-te em dizer sempre a verdade” Esforça-te... Esforça-te... Em minha vida não havia encontrado uma orientação mais precisa para viver plenamente a essência da “Gnosis’ e para satisfazer nossa sede de sabedoria, meu Mestre me ajuda a compreender o que desde o princípio vem com a minha essência, o que realmente tenho de Deus, desvelando-nos que o primeiro que descendeu do mais alto, foi a “Luz”, logo chegou a existir a “Vida”, quando apareceu um veículo para expressar-se, então chegou o “Amor”, para que deste modo pudesse chegar e pousar a “Justiça” e por último chegar a “Vontade”. Tudo o resto são “agregados”.
Porém não devo adiantar-me e expor satisfação e o gozo espiritual que se experimente ao ler as páginas que seguem. Devo deixar que sejam vocês que tomem em suas mãos este livro, ou melhor, estas “Jóias de Sabedoria” dando “testemunho” de haver conhecido antes, “algo mais grandioso, mais transcendental, mais divino”, que os ensinamentos plasmados nas páginas que seguem.
Deixo-lhe com o V.M. Lakhsmi.

Eleutério Martinez



Prólogo

As Jóias do Dragão Amarelo são, sem dúvida alguma, ensinamentos que pertencem aos Mistérios de Lúcifer e da Segunda Montanha da Iniciação. Poucos conseguem entender as Mensagens que inevitavelmente devem ser captadas pela consciência, não pela Mente imperfeita atual do ser humano.


A Mente Universal é um plano de consciência onde o Elemento Fogo atua com rapidez, consumindo as imperfeições que se apresentam; é o habitat dos Deuses imortais, que dali controlam a evolução da Natureza, e por lógica, dos humanos.
Lamentavelmente isto não ocorre em nossa mente, que se transformou, atualmente, na morada fatal dos piores defeitos e elementos desumanos que podem existir.
A falta do elemento purificador, vindo do sábio uso das energias criadoras, permitiu que este maravilhoso mundo, se convertesse num reino de terror e indignidade.
A primeira montanha se trabalha com o Fogo, a Segunda com a Luz e ninguém poderia revelar os Mistérios da Luz se não consegue vencer a Lúcifer, quem possui os ensinamentos que necessitamos para tornarmos adeptos, a um passo da auto-realização.
Para nós, a Auto-realização é algo quase impossível de alcançar, contudo, é importante saber que existem mundos evoluídos onde a auto-realização é normal entre todos os seres viventes: para eles o que vale é melhorar este estado que apenas nos dá o direito de ser chamados “homens”.
A finalidade real de todo verdadeiro homem do espaço ou do Círculo da Humanidade Consciente é transformar-se em super homem, capaz de aperfeiçoar o estado genético de sua própria constituição interna, herdada pelos processos da evolução consciente da Natureza Interior de cada um de nós. Ninguém poderia transformar nossa genética, senão nós mesmos, ninguém poderia despejar tudo, nosso mundo interno das trevas e do mal, senão nosso esforço e trabalho constante em prol da Obra: ninguém poderia transformar seus pensamentos, sem o reto pensar e reta forma de atuar; ninguém poderia conseguir sua edificação interna sem a justa utilização de sua própria matéria prima, o ens seminis.
Os ensinamentos contidos nas Jóias do Dragão Amarelo são muitas vezes incompreensíveis para nós; porém, nos permitem entender que a doutrina gnóstica é muito mais profunda do que, às vezes, nós imaginamos.
Não existe a menor duvida de que elas nos impulsionam ativamente até nosso aperfeiçoamento espiritual; nos induz a esforçarmos para poder algum dia, conquistar o nível que hoje possui o V.M. Lakhsmi, cuja parte humana se formou, nos atuais tempos, sob as mais diversas experiências; onde sua vida se enriqueceu dos mais estranhos feitos, produto de múltiplas forças existentes no planeta, que fizeram dele um verdadeiro Sábio, confundindo-se com sua infinita simplicidade, com as expressões mais desconhecidas e surpreendentes da sabedoria Universal, misturada com a valentia irrebatível de um ser capaz de impulsionar o timão do navio entre as ondas embravecidas do tempestuoso Oceano do Universo, com o luxo de haver domado, até transformando-o em um manso Dragão, o condutor invencível da Luz, através das trevas da Humanidade.
A este insigne escritor, poeta, humanista e Mestre vai nosso agradecimento por nos desvelar tantos Mistérios que nos assombram, nos maravilham e nos nutrem para o bem de nosso despertar.

Juan Capasso

Vigésima Primeira Jóia do Dragão Amarelo
A Chave Sol

Nos ensina, o Mestre Samael, uma prática que se chama “Chave S.ºL”. A Chave S.O.L. é Sujeito, Objeto e Lugar, mas é necessário conhecer três aspectos que ela possui. O Mestre nos fala de: Sujeito, a Pessoa; Objeto, o que está fazendo e Lugar, onde se encontra. Essa é a parte, que poderíamos dizer, elementar e cada um de nós deve dar-lhe a profundidade que tem que ter, para poder identificar aquele ou identificar-se dentro daquele.


O Mestre Lakhsmi diz: Sujeito: O que está aqui. Que sujeito está pensando quando estamos nos observando? A melhor forma de observar-se é sem poses, sem nenhuma classe de espetacularidade. Quem está pensando? Esse é o indivíduo que nós devemos estar observando. Estamos nos observando com o coração ou estamos nos observando com a mente? Percebem, irmãos? Quantos começam a dar o saltinho no astral? Dando o saltinho, esse é um Eu que está pensando, não se está sentindo no Astral, que é outra coisa. Eu não estou sentindo no Astral e estou no Astral. Deus me ampare, me livre e me favoreça de todo o mal e de todo perigo, mas se me ponho a imaginar-me que estou roubando um carro ou que estou matando alguém, estou matando! Não vêem que a pessoa é o que pensa até quando não se entrega lá na mão do Todo Poderoso, o que pensa é o que é. O que é?
- Sujeito: quem está pensando;
- Objeto: o que estou fazendo;
- Lugar: meu coração.
Temos que gravitar ao redor de nosso coração, não ao redor de nossa mente, nem das emoções, quando fazemos um ato sério de arrependimento, de negação e de renúncia. De negação, por quê? Observem que se a mim dissessem os Colombianos querem que eu seja o Vigário daqui, e creio que ao menos a metade deles diriam que sim, eu lhes diria que não, porque não posso e não devo. O irmão Vigário, o dia que já esteja a um nível, que chegará com o favor do céu como vão as coisas, dentro de um tempo não muito distante, lhe digo: “não vai haver mais Vigário, não mais Vigário”; não porque ele não seja idôneo, senão porque o trabalho de uma pessoa tem que se expandir ao povo e já não é porque sou da Venezuela; eu sou daqui, eu sou de lá, porque já se está se voltando um povo. Depois que se volte um povo, já não pode estar com os seus, está onde está o Cristo, e ali tem que estar.
Irmãos, eu lhes peço como amigos, como irmãos e como companheiros que busquem o despertar por esta via, que por aí é. Não se ponham a seguir sonhando em um despertar, só porque já tem: clarividência, polividência, telepatia, clariaudiência, e não sei o quê, esse não é o despertar, esse é o despertar de um poder, mas não de uma pessoa.
Não estou promovendo ninguém, mas aqui está um filho meu, um rapaz que teve clarividência toda a vida e a tem e conheço por aí alguns que também a têm, mas têm o Ego. Por que não está desperto? Porque tem o Ego, e se não, já estaria desperto. A nós o que importa é o Despertar da Consciência, não o Despertar de um poder.
As pessoas dizem: “Eu não quero fulano porque tal... Vamos tirá-lo”. Não! Vamos melhorar o que temos. Porque a ele estão dando o que lhes estão dando? Porque teve o valor de acompanhar-me durante o processo de sua adolescência.
Quando se aprende aqui, dentro deste conglomerado, aqui está Raimundo e Todo mundo, está aqui e aqui está o pobrezinho. Vamos pintar um homem. Aqui ele está vivendo Sujeito, Objeto e Lugar, alerta percepção.
Espaço que lhe cai na mente, lutando e dizendo: “Ai! O que faço com esta mente?” Sai o sapateiro, sai o que vende enxerto, sai o que gosta de refrigerante, sai o que gosta de cigarro e pode comer. Ai, esta mente! Como deixa de pensar? Apenas a mente está pensando muito. “Ah, venha filhinha, vamos rezar! Venha para cá rezar! Venha para que estude! Não, mãezinha, deixe-me aqui, estou brincando com areinha!”. Mas se não lhe damos atenção: “Mamãe, eu quero um refrigerante; eu quero não sei o quê; eu quero a televisão; eu quero tal coisa!”
A mente é assim. Ponham trabalho para a mente. Venha para cá! Vamos falar: “Minha Mãe me perdoa, Mãe; Cristo Ígneo, salva-me; meu Pai, Pai nosso que estás nos céus, santificado seja teu nome”... O que tenha insônia ponha-se a rezar o Pai Nosso, ao chegar na metade, já. Ponham trabalho para a mente e ela se aquieta; não ponham trabalho e verão que ela vive trazendo informações de todas as partes. Nós não temos tempo para perder; temos tempo para fazer a Obra; para fazer a Obra temos todo o tempo necessário, mas para perder, não! Mesmo que não sejam vocês uns pensadores. Quando pensarem, que seja porque se necessite, porque queiram localizar algo através desse intelecto, algo, mas não que seja um pensador que sai a um e a outro e outro, porque assim nunca vão despertar.
À medida que vamos nos formando nessa Auto disciplina: muita oração, muita localização, muita reflexão, seriedade, seriedade sobretudo, então vamos nos sublimando. Isto é parte da regeneração, a regeneração não é praticar o Arcano todos os dias, a regeneração em nós é: mudar a forma de sentir, a forma de pensar, a forma de atuar, a forma de nos alimentar, tomar prana, sensibilizar-nos com as coisas boas, fazer Obras, muitas Obras de caridade, viver! Viver para servir! Então esta Personalidade fica dentro deste conglomerado e então nos recordamos dos demais, não nós. Alguns dizem: “Ui! O Dr. Barrios sim era bom”. E o que importa ao Dr. Barrios que lhe digam que era bom! Se nele, o bom que tem é seu Ser e não está identificado com nada. Coroas de louros por todas as partes, é bonito, mas isso é para o Ser, que é quem faz a Obra, esse é meu Ser, o que está fazendo a Obra, a mim o que importa! Eu não valho um nada! Eu a qualquer momento morro e se não me queimam, os vermes me tragam, e quê! Isso é maior. Por isso é bonito quando a pessoa às vezes pega uma caroninha, que sai ao Astral e quando vai voltar novamente ao físico, vê semelhante coisa tão decomposta e não quisera fazê-lo. Tudo isso vai dando à pessoa muitas razões para dizer que verdadeiramente a grandeza está em Deus e não dentro desta matéria.
À medida que essa pessoa se sublima, então tem os pés postos dentro deste tempos ou acompanhando com estes pés vai e vem por sua comida, com seus amigos, com seus irmãos, porém sua cabeça está fora, a cabeça a tem fora, então esse Sujeito, Objeto e Lugar se converteu na chave S.O.L., em que sentido?
- O “S” é o Fogo;
- O “O” é o Absoluto;
- O “L” é a Luz.
Já se converteu em uma criação, uma criação. Quando a “Roda do Samsara” gire aqui e trague a Raimundo e Todo o Mundo, o que tem a cabeça fora estará a salvo; me explico! Essa é a Chave para entrar na Era de Aquário e no Êxodo. Tudo o que está aqui se resolve; o que ficou com a cabeça fora, unicamente vê a catástrofe, porém a catástrofe não o traga. Temos que viver o que o Mestre nos ensina, aqui; nos ensinou o Mestre Samael aqui, para agora. Samael segue a seqüência de Quetzacoatl, contudo, nos deu as práticas para agora, para aqui e olhem, é aqui. A mim falam de Astrologia, de muitas coisas eu lhes digo: “Olhem, a Chave é o Despertar, ponhamo-nos a despertar”. Vamos a concretizar-nos aqui e agora.

P.: V. Mestre, não sei se estou confuso. O sujeito é a mente ou o pensamento?


R.: De acordo com o V. Samael, como ele o deu, para que fôssemos entrando; o sujeito é a pessoa. Nós dizemos: Sujeito, quem é? O que está pensando? Sim, é a mesma Tônica; a mesma, exatamente igual. Quem está pensando? Enquanto estamos pensando, temos que identificar o pensador.
P.: V. Mestre, qual seria o Objeto, então?
R.: Sujeito: O que está pensando. Objeto: a pessoa. Lugar: o coração, porque é onde temos que manter o centro de gravitação, para identificar-nos verdadeiramente com a Obra e conosco, dentro dessa Chave. Esta é a chave para que não sejamos atingidos pelo giro da Roda. Temos que nos desligar de tudo. Nós aqui, onde temos os pés, vamos em um carro novo, nos colocando um traje bom, comemos um bom almoço, porém a cabeça a temos fora, fora. Ali, ninguém está nos segurando. Fora, porque fora é onde está a Tábua de Salvação.
O Filho de Deus tem tudo. Tudo! Façamo-nos Filhos de Deus e vocês perceberão inclusive o dia que já fica como testemunho. Este é um Filho de Deus! É uma Cerimônia que lhe fazem na Santa Igreja Gnóstica, nos Mundos Internos. Este é Filho de Deus! Lhe entregam uma bola, bem grande, simbólica; nessa bola vem capital, mulheres (se é homem), na destra e na esquerda vem amigos à esquerda e à direita, vem de tudo!
Cuidem-se disso, porque os leva ao não trabalho. Façamo-nos Filhos de Deus e esqueçamos se o dólar vale mil pesos, se vale cinco pesos ou se vale cem pesos; o dólar não é o que nos faz fracassar é o não trabalho em si mesmo. Vai o momento para dizer-lhes que temos a orientação dos Veneráveis Guias da Humanidade de que toda pessoa que tenha mais de 20 anos na Gnosis e tenha-se mantido firme, será declarado “Companheiro”, “Companheiro”. A palavra “Companheiro”, no esoterismo quer dizer fiel, por isso dizemos: “Este é meu Companheiro”, é o amigo fiel, esse é o “Companheiro”. Serão declarados através de circulares e espero que todos os Vigários me façam chegar, a partir de 4 de Fevereiro, a lista dos que se mantiveram ininterruptamente, porque alguns saíram e não recordam. Companheiro de quem? Do Cristo, do Cristo.
Segundo: as pessoas que tenham mais de 3 anos serão declarados “Neófitos”. Neo, quer dizer o quê? Estudante. Quem tenha mais de três anos. Com conduta reta e tudo isso, tem direito a Terceiras Câmaras, porque é um estudante que já passou; é um “Neófito” que já passou a meta ou a área que tem um estudante, um “Neófito”. Isto estamos dando a conhecer para que vejam que do céu não escapa nada, não escapa nada.
Os que tenham mais de 1o anos nas filas lutando e que se viu o afinco, serão declarados “Iniciados”. Percebem que o “Companheiro” está mais além? E o que tenha mais de 30 anos, que há mostrado essa classe, essa classe de pessoa, será considerado “Cavalheiro”. Esta é a ordem que o Mestre Samael deixou, isso o Mestre Samael estabeleceu, essa é uma hierarquia interna da pessoa, é um mérito da pessoa.
P.: V. Mestre, o que quer dizer com isto?
R.: Bom, queridos irmãos, alguns pensam que a meta é chegar todos a ser Mestres. Eu quero ser Mestre! Lógico, quem não quer chegar a ser Mestre; sim, essa é a meta que todos perseguimos? Através disto, do Companheiro, do Neófito, do Iniciado e do Cavalheiro, necessitamos chegar a ter a dignidade para que o Mestre Real se expresse em nós, e isso é tudo.
P.: V. Mestre, de onde vem a palavra exército?
R.: A palavra “Exército” vem do Senhor Jehová, Exército da Voz, desde que se formou o mundo. A palavra “Exército” é um desdobramento do sânscrito e significa exercer poder, de cuido, de respeito, de fazer respeitar e é o exército da voz, equilíbrio do mundo. Antes que existisse o soldado, já existia um Elohim com uma espada e uma trombeta, levanta-te! Porque lhe cabe esse sentir e a espada pronta para combater a quem ataque esse Cristo.
Quem tire a cabeça, está salvo, porque estamos afogando e quem coloca a cabeça fora vem e a coloca no oceano, “O que ouve, mano?”, “Aqui, ótimo, ótimo, tomando oxigênio”, porém quem coloca a cabeça abaixo, nada mais quando esteja na boa, porque não revolucionou a Consciência. Quando a consciência se revoluciona diz: “Até morro de fome e o que me importa?”. A Bíblia diz: “Bem aventurado o que por mim perde a vida, porque será salvo”. O que me importa! Ausentes de Revolução de Consciência. Pobre não é o que tem pouco, senão o que aspira mais do que tem, esse é o pobre. Revolucionam-se, irmãos; revolucionemo-nos todos. Saiamos dos Sistemas! Estudem a Gnosis, que a Gnosis tem conselhos para todos, tem claridade para todos.
Temos que ser livres, daí vem a palavra Liberal, porém não de partidos políticos, a política é uma coisa nauseabunda. Saiam disso! A Gnosis não está com isso, a Gnosis não está com isso. Eu lhes digo, que miserável! Porém, que importante porque conhecemos todas as idiotices que cometem cheios de boas intenções. Uns dirão: “Há que derrubar o capitalismo, há que tornar-se comunistas”. Vejam vocês Cuba, a escravidão do povo cubano. Onde está a liberdade?
Nós viemos formar Comunidades e nas comunidades se viverá de acordo com os cânones Cristãos. Dependeremos de uma unidade que se chama o Altar; partiremos a Santa Ceia com nossos irmãos, com o corpo e sangue e testemunho do Cristo. Essa é a comunidade! Isso é o que necessitamos. Quando não se pode ter Comunidades no campo, se tem nos Lumisiais, porém há que viver em Comunidade. Esses irmãos que não fazem senão criticar o Sacerdote, a Ísis, o Guardião, dizer que os mantêm isolados, isso é mentira, isso são irmãos enganados pelo “Ego”, pelo “Orgulho”, pelo “Amor Próprio”, por uma série de fantasmas mentais. Há que sair disso, eu lhes digo aos irmãos Mestres: “Não se metam com Instituições, guiem o povo”. O triunfo de vocês é meu triunfo, o fracasso pode ser o fracasso de vocês, porém, sem dúvida, cada um viva a sua vida. Eu tenho a minha cabeça fora porque tenho que ver como é que vou conduzir o resto de uma Obra e o Povo Gnóstico.


  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   17


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal