Lista de exercícios – roma – prof. David nogueira 1



Baixar 80,61 Kb.
Encontro13.07.2018
Tamanho80,61 Kb.

LISTA DE EXERCÍCIOS – ROMA – PROF. DAVID NOGUEIRA


1. (Uespi 2012) O assassinato de César abalou a sociedade romana e forçou a organização do segundo triunvirato. Havia muitas intrigas políticas e dificuldades de administrar culturas de grande diversidade. César, que havia sido ditador perpétuo, conseguiu popularidade e:

a) deu importância à reestruturação das finanças romanas, preocupando-se em construir obras públicas, para aproveitar os trabalhadores desempregados.

b) fez reformas eleitorais significativas, diminuindo o poder do Senado e seguindo exemplo dos governos democráticos gregos.

c) inibiu as muitas rebeliões que havia no exército, concentrou poderes no Senado mas não controlou o problema do desemprego.

d) efetivou reformas administrativas para evitar crises políticas e proibiu a escravidão nas províncias romanas mais populosas.

e) ampliou a cidadania, transformando hábitos religiosos e respeitando as culturas dos povos dominados com suas crenças politeístas.

2. (Ufpe 2012) A história das crenças religiosas revela seus significados para as culturas do mundo antigo e do mundo atual. Na Roma Antiga, o advento do Cristianismo:

( ) favoreceu os defensores dos governos republicanos, quebrando tradições e melhorando a vida, de imediato, dos grupos que viviam na pobreza.

( ) não afetou a ordem sociopolítica, pois defendia valores que já eram aceitos por todos, desde os tempos da monarquia.

( ) trouxe propostas de mudanças sociais que alteraram valores culturais e condenaram a condição de escravo.

( ) deu continuidade ao poder da religião oficial dos romanos, preservando os princípios politeístas dominantes.

( ) conseguiu abalar costumes e relações sociais, com ideais que objetivavam a adesão dos menos favorecidos.

3. (Unesp 2012) A escravatura [na Roma antiga] foi praticada desde os tempos mais remotos dos reis, mas seu desenvolvimento em grande escala foi consequência das guerras de conquista […].


(Patrick Le Roux. Império Romano, 2010.)
Sobre a escravidão na Roma antiga, é correto afirmar que

a) assemelhava-se à escravidão ocorrida no Brasil colonial, pois era determinada pela procedência e pela raça.

b) aumentou significativamente durante a expansão romana pelo Mar Mediterrâneo.

c) atingiu o auge com a ocupação romana da Germânia e de territórios na Europa Central.

d) diminuiu bastante após a implantação do Império e foi abolida pelos imperadores cristãos.

e) diferenciava-se da escravidão ocorrida no Brasil colonial, pois os escravos romanos nunca podiam se tornar livres.

4. (Ufpr 2011) O cristianismo católico tornou-se religião oficial do Império Romano no ano de 380 d.C., data da edição do famoso édito de Tessalônica, outorgado pelo Imperador Teodósio. Desde a sua criação até este momento, a caminhada foi dura e difícil para os seguidores de Cristo. Exemplo disso foram as perseguições movidas por alguns imperadores romanos, eternizadas pelos relatos fantásticos e emotivos de vários escritores e historiadores cristãos.
Podemos apontar como principais causas dessas perseguições:

a) O ódio e a intolerância tanto das autoridades como da população pagã do mundo romano, que viam na figura de Cristo e na comunidade cristã uma ameaça ao poder do Imperador.

b) A constante penetração de elementos cristãos tanto nas filas do exército imperial romano como em cargos administrativos de elevada importância, que poderiam servir de “mau exemplo” tanto em termos políticos como ideológicos.

c) Aspectos de índole moral, na medida em que os cristãos eram acusados pelos pagãos de realizarem orgias e assassinatos de crianças em seus rituais.

d) A associação entre os cristãos e os inimigos bárbaros que punha em risco a estabilidade política e religiosa interna do mundo imperial romano.

e) A necessidade de oferecer à população de Roma “pão e circo”, com os cristãos sendo sacrificados na arena do Coliseu para minimizar a ameaça de revoltas populares contra as autoridades imperiais.

5. (Ufrgs 2011) Durante a República Romana, a escravidão aumentou consideravelmente sua importância na sociedade e na economia, contribuindo para a crescente dependência da República Romana em relação à mão de obra escrava.
A dependência da mão de obra escrava na República Romana devia-se

a) à expansão das grandes propriedades e ao aniquilamento da pequena propriedade rural.

b) às guerras de conquista empreendidas por Roma, as quais contribuíram decisivamente para predomínio dessa relação de trabalho.

c) à inexistência de mão de obra livre e ao desinteresse da população pelos trabalhos manuais.

d) aos conflitos entre patrícios e plebeus na luta pela terra.

e) à necessidade de ampliação da oferta de mão de obra para o desenvolvimento do artesanato.

6. (Unicamp 2010) Os impérios desenvolveram diferentes estratégias de inclusão. O império romano permitia a multiplicidade de crenças, desde que a lealdade política estivesse assegurada. Espanha e Portugal, entretanto, apesar de terem incorporado povos de línguas e culturas diversas sob seus governos, impuseram uma uniformidade legal e religiosa, praticando políticas de intolerância religiosa como caminho preferencial para assegurar a submissão e a lealdade de seus súditos.

(Adaptado de Stuart B. Schwartz, Impérios intolerantes: unidade religiosa e perigo da tolerância nos impérios ibéricos da época moderna, em R. Vainfas & Rodrigo B. Monteiro (orgs.), Império de várias faces. São Paulo: Alameda, 2009, p. 26.)

a) A partir do texto, diferencie o império Romano dos impérios ibéricos modernos.

b) Quais as políticas praticadas pelas monarquias ibéricas na Era Moderna que caracterizam a intolerância religiosa?

7. (Ufrgs 2008) A história da civilização romana foi pautada por seu caráter expansionista, um dos pilares de uma complexa economia baseada nas riquezas oriundas da exploração sistemática dos povos conquistados.

Considere as afirmações a seguir, relacionadas com as estratégias de expansão e submissão adotadas pelos romanos.

I - Os inimigos derrotados eram obrigados a pagar multas e resgates, e a arcar com pesados tributos após a anexação.

II - Os romanos criaram uma vasta rede de abastecimento alimentício entre as províncias e Roma, evitando as tensões sociais decorrentes do flagelo da fome.

III - Os "negotiatores" atuavam como elos comerciais entre Roma e as províncias, e enriqueceram as custas de empréstimos abusivos para os autóctones.

Quais estão corretas?

a) Apenas I.

b) Apenas II.

c) Apenas I e III.

d) Apenas II e III.

e) I, II e III.

8. (Enem 2000) "Somos servos da lei para podermos ser livres."

Cícero
"O que apraz ao príncipe tem força de lei."

Ulpiano
As frases acima são de dois cidadãos da Roma Clássica que viveram praticamente no mesmo século, quando ocorreu a transição da República (Cícero) para o Império (Ulpiano).


Tendo como base as sentenças acima, considere as afirmações:
I. A diferença nos significados da lei é apenas aparente, uma vez que os romanos não levavam em consideração as normas jurídicas.

II. Tanto na República como no Império, a lei era o resultado de discussões entre os representantes escolhidos pelo povo romano.

III. A lei republicana definia que os direitos de um cidadão acabavam quando começavam os direitos de outro cidadão.

IV. Existia, na época imperial, um poder acima da legislação romana.


Estão corretas, apenas:

a) I e III.

b) I e III.

c) Il e III.

d) II e IV.

e) III e IV.

9. (Unb 1999) Grécia e Roma constituíram, na Antiguidade Clássica, muito do que se pode entender como os fundamentos civilizacionais do Ocidente. A esse respeito, julgue os itens que se seguem.

(1) A noção de democracia praticada em Atenas, desaparecida na Roma imperial e por toda a Idade Média, ressurgiu no mundo contemporâneo, mantendo intactos seus elementos essenciais: o caráter representativo e a universalidade, ou seja, a não-distinção entre seus habitantes.

(2) A inexistência do Estado centralizado na antiga Grécia foi compensada pela presença da polis como marco definidor da estrutura político-administrativa do país, situação igualmente vivida por Roma em toda sua história.

(3) O uso de expressões latinas na linguagem jurídica, tão comum ainda hoje, reflete a força da influência de um dos maiores legados culturais romanos: o direito.

(4) Elaborado no governo do imperador bizantino Justiniano, o Corpus Juris Civilis, monumental trabalho de codificação das leis herdadas de Roma, tornou-se o grande veículo de transmissão do direito romano à cultura ocidental.

10. (Unb 1998) A civilização romana finaliza o período histórico denominado Antiguidade Clássica. Acerca dessa civilização, julgue os itens abaixo.

(1) Durante a Realeza, patrícios e plebeus constituíam as principais categorias sociais, mas os plebeus eram desprovidos de direitos políticos, religiosos e civis.

(2) À época republicana, os romanos iniciaram as conquistas militares e expandiram a utilização da mão de obra escrava, fato este que provocou uma crescente ociosidade dos plebeus.

(3) Com o estabelecimento do Império, a sociedade romana conseguiu o equilíbrio entre as forças políticas, pois restabeleceu os poderes do Senado.

(4) A crise do século III deveu-se às insurreições dos escravos, à rejeição da doutrina religiosa católica pelos patrícios e à disseminação, entre os bárbaros, do direito romano.

11. (Unb 1998) "Com a introdução do trabalho escravo em larga escala, o número de plebeus desocupados aumentou. A esta legião de desocupados somou-se o grande número de pequenos agricultores arruinados que se dirigiram para as cidades, especialmente Roma".

(Maurice Crouzet. "História Geral das Civilizações".)

Com o auxílio das informações do texto acima, julgue os itens seguintes, relativos à antiguidade romana.

(1) A massa dos trabalhadores escravos foi obtida por meio das conquistas militares, que se iniciaram à época da República.

(2) A substituição do trabalho plebeu pelo trabalho escravo possibilitou aos plebeus tornarem-se pequenos produtores agrícolas, que abasteciam as feiras urbanas.

(3) As diversões foram um dos expedientes adotados pelos governantes para apaziguar as populações desocupadas: era o "pão e circo".

(4) O Estado assumiu o ônus de abrigar a grande maioria dos desocupados, enquanto a minoria abastada controlava as instituições políticas e dirigia o exército.

12. (Unb 1997) Nada possui tanta força como o progresso de um regime municipal, cuja tendência, triunfante aliás, para a uniformidade, deve-se à generalização do ideal por ele representado e ao prêmio de que dispõe o Imperador de conferir o direito de cidade.

Julgue os itens que se seguem, relativos à história do Alto Império Romano.

(1) A ordem senatorial apresentou, em número crescente, membros saídos das elites provinciais.

(2) A construção, a multiplicação e o embelezamento das cidades, o desenvolvimento de uma elite abastada, que tinha gosto pelo luxo e pela cultura intelectual, constituíam uma tendência que já começara a se desenvolver com os reinos helenísticos.

(3) O edito de Caracala, do início do século III, conteve os progressos do "regime municipal" e do "direito de cidade", alcançados durante os dois primeiros séculos do Império.

(4) Apesar de o "direito de cidade" ter sido oferecido aos povos das províncias orientais, seus deuses mantiveram-se isolados da religião romana imperial.

13. (Unb 1997) "Para ganhar o favor popular, o candidato deve conhecer os eleitores por seu nome, elogiá-los e bajulá-los, ser generoso, fazer propaganda e levantar-lhes a esperança de um emprego no governo. (...) A generosidade é um tema amplo. Talvez sua renda privada não possa atingir todo o eleitorado, mas seus amigos podem ajudá-lo a agradar a plebe. Ofereça banquetes e providencie que seus amigos façam o mesmo, procurando atingir os eleitores ao acaso e o eleitorado específico de cada tribo. (...) Faça com que os eleitores falem e pensem que você os conhece bem, que se dirige a eles pelo nome, que sem parar e conscienciosamente procura seu voto, que você é generoso e aberto, que, mesmo antes do amanhecer, sua casa está cheia de amigos, que todas as classes são suas aliadas, que você fez promessas para todo mundo e que as cumpriu, realmente, para a maior parte das pessoas".

(Cícero, NOTAS SOBRE AS ELEIÇÕES, versículos 41, 50, 52, 54, apud: P. Mackendrick,

THE ROMAN MIND AT WORK, p. 178-9.)

Com o auxílio das palavras de Cícero (106-43 a. C.), julgue os itens a seguir, relativos à história da Roma antiga.

(0) As práticas clientelistas eram inexistentes no mundo político republicano, sendo a amizade e o compadrio relações que não ultrapassavam a esfera do privado.

(1) O Tribunal Eleitoral romano geralmente punia os abusos do poder econômico com a cassação dos candidatos infratores.

(2) Na época de Cícero e mesmo depois, com a política do pão e circo, o povo, a plebe ou a massa, constituía um elemento a ser cativado e não coagido.

(3) A propaganda eleitoral da República visava principalmente mulheres e escravos, que formavam percentagem considerável do colégio de votantes.

14. (Unb 1996) Leia o texto, extraído de uma carta de Plínio, o Moço, ao imperador Trajano, datada de 112 d.C.

(...) Nesse ínterim, segui os seguintes procedimentos com relação aos que se me apresentaram como cristãos. Perguntei-lhes, pessoalmente se eram cristãos. Aos que confessavam, perguntei-lhes duas, três vezes. Os que não voltaram atrás foram executados. Qualquer que fosse o sentido da sua fé, sabia que sua pertinácia e obstinação tinham de ser punidos. Outros, possuidores da cidadania romana, mantiveram-se na loucura e foram enviados para julgamento em Roma (...). Os que negavam serem, ou terem sido cristãos, se evocassem os deuses, segundo a fórmula que lhes ditava, e se sacrificassem, com incenso e vinho, diante da sua imagem, que trazia comigo para tanto, juntamente com estátuas de outras divindades; se, além disso, blasfemassem Cristo - atitudes que, diz-se, não são possíveis de obter de verdadeiros cristãos - considerei apropriado liberar... A questão pareceu-me digna da sua atenção, em particular devido ao número de envolvidos. Há muita gente, de toda idade, condição social, de ambos os sexos, que estão ou estarão em perigo. Não apenas nas cidades, como nos vilarejos e no campo, expande-se o contágio dessa superstição. Parece-me, entretanto, que se possa delimitá-la e corrigi-la.

Carta de Plínio, o Moço, ao imperador Trajano, de 112 d.C. Cartas (10.96)

Com o auxílio das informações contidas no texto, julgue os seguintes itens.

(0) Na época de Trajano, o chamado culto ao imperador já havia desaparecido por completo do mundo romano.

(1) O cristianismo, que se expandia pelo mundo romano no século II, era uma religião seletiva, admitindo, como convertidos, somente cidadãos.

(2) Plínio mostra como o sacrifício, o culto a imagens e os rituais com incenso e vinho foram empréstimos culturais feitos pelo paganismo ao cristianismo.

(3) Por ser uma religião oriunda das regiões ocidentais do Império, o cristianismo era velho conhecido de Trajano, que nascera na chamada Roma Hispânica.

15. (Unicamp 1995) Os princípios do cristianismo chocaram-se com os valores romanos, em especial a partir do momento em que os imperadores passaram a ser vistos como divindades.

Entre os séculos I e III, as perseguições aos cristãos foram constantes.

a) Cite três características do cristianismo naquele período.

b) Explique por que os princípios cristãos eram uma ameaça ao poder político dos imperadores romanos.

16. (Unesp 1995) "O vínculo entre os legionários e o comandante começou progressivamente a assimilar-se ao existente entre patrão e cliente na vida civil: a partir da época de Mário e Sila, os soldados procuravam os seus generais para a reabilitação econômica e os generais usavam os soldados para incursões políticas."

(Perry Anderson, "PASSAGEM DA ANTIGUIDADE AO FEUDALISMO".)

O texto oferece subsídios para a compreensão:

a) da crise da República romana.

b) da implantação da monarquia etrusca.

c) do declínio do Império Romano.

d) da ascensão do Império Bizantino.

e) do fortalecimento do Senado.

17. (Fuvest 1994) Sobre as invasões dos "bárbaros" na Europa Ocidental, ocorridas entre os séculos III e IX, é correto afirmar que:

a) foi uma ocupação militar violenta que, causando destruição e barbárie, acarretou a ruína das instituições romanas.

b) se, por um lado, causaram destruição e morte, por outro contribuíram, decisivamente, para o nascimento de uma nova civilização, a da Europa Cristã.

c) apesar dos estragos causados, a Europa conseguiu, afinal, conter os bárbaros, derrotando-os militarmente e, sem solução de continuidade, absorveu e integrou os seus remanescentes.

d) se não fossem elas, o Império Romano não teria desaparecido, pois, superada a crise do século III, passou a dispor de uma estrutura sócio-econômica dinâmica e de uma constituição política centralizada.

e) os Godos foram os povos menos importantes, pois quase não deixaram marcas de sua presença.

18. (Unesp 1993) O Estado Romano edificou-se, passando por transformações prolongadas no tempo. A Monarquia cedeu lugar à República, que sofreu modificações por cinco séculos. O regime Imperial começou a ser estruturado a partir do ano 27 a.C. Ofereça subsídios que possibilitem a compreensão do processo de desagregação da República Romana e advento do regime Imperial.

19. (Fuvest 1993) O mundo greco-romano e o mundo ocidental moderno criaram colônias ultramarinas e usaram o trabalho escravo.

Indique as diferenças entre esses dois períodos históricos no que se refere à colonização e à escravidão.

20. (Unicamp 1992) "Os jovens eram educados para serem fortes para a guerra. No Campo de Marte, perto de Roma, aprendiam a manejar a espada, a lançar o disco e as lanças, a correr, saltar, nadar e cavalgar. Aprendiam a obedecer para depois saberem mandar."

(Bruna R. Cantele, HISTÓRIA DINÂMICA ANTIGA E MEDIEVAL)

Com base no texto, responda:

a) qual era a função da educação romana?



b) qual foi a sua importância na expansão do império?


Gabarito:
Resposta da questão 1:
[A]
A centralização do poder na época de Julio Cesar foi possível graças ao confronto com o Senado, que teve suas atribuições reduzidas. Essa situação deveu-se ao fortalecimento do exército, centralizado, e à grande popularidade de Cesar perante à plebe, em grande parte devido aos benefícios econômicos concedidos, como parte do saque das regiões conquistas e a geração de empregos através de obras públicas.
Resposta da questão 2:
F - F - V - F - V.
O cristianismo, religião monoteísta de origem judaica, se desenvolveu durante o período imperial e não no período republicano da história romana. Foi responsável por subverter a ordem instituída, tanto do ponto de vista cultural como institucional, pois os romanos começaram a compreender o imperador como uma divindade. Pode ser considerado uma religião universalista, que procurou atrair indivíduos de povos e camadas sociais diferentes.
Resposta da questão 3:
[B]
Durante o período monárquico em Roma, encontramos a escravidão por dívida, mas em pequena dimensão. Foi no período republicano, com a política expansionista dos romanos a partir das Guerras Púnicas, que se desenvolveu o escravismo como meio de produção. Parte dos povos dominados era enviado à Roma, e o desenvolvimento da escravidão determinou a marginalização da plebe.
Resposta da questão 4:
[D]
Muitos alunos tendem a maçar a letra B nesta questão. Não se esqueça de que o cristianismo era uma religião que ganhou em princípio o povo, e não a elite romana. A associação de que a letra D fala não se trata de uma união entre ambos, mas de uma associação de fatores. Ao mesmo tempo em que o cristianismo crescia entre o povo, os bárbaros pressionavam militarmente o Império. As autoridades romanas – e não a população – viam os cristãos e o cristianismo como uma ameaça, não apenas porque eram elementos de províncias dominadas, mas porque defendiam uma concepção de mundo universalista, que se opunha a superioridade romana em relação a outros povos; ao mesmo tempo, a crença em um Deus único, celeste, sem forma, chocava-se com o caráter divino dado ao Imperador, questionando indiretamente seu poder.
Resposta da questão 5:
[B]
Durante o período republicano (509 – 27 a.C.) os romanos empreenderam diversas guerras, conquistaram vastas regiões e subjugaram muitos povos, sendo que parcela significativa desses povos foi submetido à escravidão. Milhares de escravos foram enviados à Roma e às regiões próximas e trabalharam nas mais diversas atividades, destacando-se a agricultura nas propriedades da elite patrícia. O desenvolvimento do escravismo determinou a retração do trabalho livre e a marginalização da maior parte dos plebeus.
Resposta da questão 6:
a) Desde a origem de Roma, os romanos já cultuavam vários deuses e ao longo dos séculos, assimilaram diversas influências religiosas. A expansão territorial e o advento do Império levaram à incorporação de cultos orientais, além daqueles de origem helenística. O cristianismo sofreu perseguições, pois os cristãos negavam o caráter divino do imperador.

Quanto aos impérios ibéricos, durante sua formação, Portugal e Espanha eram leais à Igreja Católica e empenhavam-se no propósito cruzadista de expansão da fé católica impondo a religião aos povos de seus domínios.

b) Nas áreas conquistadas e colonizadas pelos países ibéricos, o catolicismo foi imposto aos nativos por meio da catequese realizada por missionários, sobretudo os jesuítas. Também foram significativas a atuação da Inquisição como instrumento de combate às eventuais práticas consideradas heréticas e prática dos espanhóis de construírem igrejas sobre as ruínas de templos das civilizações pré-colombianas.
Resposta da questão 7:
[C]
Resposta da questão 8:
[E]
A primeira afirmação está ERRADA, pois as leis sempre foram importantes na História romana, mesmo no período de maior centralização política. Também ERRADA a segunda afirmação, pois no período imperial, apesar de haver eleição para o Senado, esta instituição estava subordinada ao poder imperial.

No período republicano, a ideia de cidadania atingiu sua expressão máxima, decaindo posteriormente com o estabelecimento do Império.


Resposta da questão 9:
F F V V
Resposta da questão 10:
V V F F
Resposta da questão 11:
V F V V
Resposta da questão 12:
V V F F
Resposta da questão 13:
F F V F
Resposta da questão 14:
F F F F
Resposta da questão 15:
a) Religião proibida, oferecia-se uma cosmovisão e era praticada principalmente por escravos e os mais pobres.

b) Pois não aceitavam o imperador como divindade, acarretando uma desobediência política.


Resposta da questão 16:
[A]
Resposta da questão 17:
[D]
Resposta da questão 18:
As conquistas imperiais, o êxodo rural e as crises de abastecimento geraram conflitos civis e constantes convocações de ditadores, generais e triunviratos (centralização do poder).
Resposta da questão 19:
Na antiguidade as colônias tinham autonomia política e eram pontos estratégicos como bases militares e(ou) comerciais. Eram pontos de afluxo migratório de excedentes populacionais. A escravidão, de modo geral, era resultante de dívidas ou produto de guerras. Os escravos eram utilizados no setor produtivo e doméstico. Muitos escravos gregos se notabilizaram por tomarem parte importante na educação dos filhos de senhores romanos.

Na época moderna as colônias são parte fundamental na política econômica mercantilista. São fornecedores obrigados de produtos para a metrópole e são mercados consumidores forçados de produtos da metrópole. A escravidão foi praticada contra os índios americanos e negros africanos. Foram utilizados na produção em grandes propriedades. O comércio e o tráfico de escravos poderia ser também um fator de enriquecimento da metrópole.


Resposta da questão 20:
a) Formar um exército disciplinado e bem treinado.

b) Foi a base do império, o exército romano foi responsável pelo último e maior império da antiguidade.




Página de





©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal