Life priolo



Baixar 5,71 Mb.
Página24/32
Encontro01.07.2018
Tamanho5,71 Mb.
1   ...   20   21   22   23   24   25   26   27   ...   32

 Anexos:

Actas das 20 Reuniões da Comissão Executiva do projecto LIFE Priolo

3.5.3. Acção F3 – Assegurar a consultoria científica do projecto através de uma Comissão Consultiva

Responsável pela Acção: Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves

Concluída em 2008

As medidas de recuperação do habitat a implementar na ZPE Pico da Vara / Ribeira do Guilherme implicam conhecimentos científicos e técnicos adequados à complexidade da situação. Do mesmo modo, a grave situação em que o Priolo se encontra requer um acompanhamento muito forte associado a um programa de monitorização adequado.

Foi criada uma comissão de especialistas em diversas áreas que ao longo do projecto acompanhou e complementou o trabalho da equipa de projecto. A Comissão Consultiva do projecto teve como principais atribuições, enquanto órgão neutral, reunir uma vez por ano para propor métodos adequados de monitorização das várias acções do projecto, analisar o progresso dos trabalhos e os resultados obtidos, e propor ajustes na monitorização das acções do projecto em função do conhecimento científico actual e dos resultados entretanto obtidos pelo projecto.

A Comissão foi coordenada pelo especialista sobre Priolo e autor do Plano de Acção para a espécie, Dr. Jaime Ramos (IMAR), sendo que para os restantes membros da Comissão existiu alguma rotatividade. Esta comissão, teve por diversas ocasiões o contributo de especialistas externos que possibilitaram uma avaliação do trabalho feito, bem como importantes contribuições em determinadas áreas chave da conservação do Priolo e gestão do seu habitat.

Um exemplo desta contribuição externa foi a realização do workshop científico “Priolo e a Floresta de Laurissilva” em Maio de 2007 na Vila de Nordeste em São Miguel. Este evento foi promovido pela Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA), com o financiamento da Direcção Regional de Ciência e Tecnologia e Direcção Regional de Turismo dos Açores, e com a colaboração da Câmara Municipal de Nordeste e da Estalagem dos Clérigos. O principal objectivo foi avaliar e divulgar os resultados apurados pelo projecto LIFE Priolo e definir objectivos para a futura monitorização e sustentabilidade da ZPE Pico da Vara/Ribeira do Guilherme.

Participaram neste workshop 27 técnicos e investigadores (das áreas de botânica, ornitologia, ecologia, estatística e economia) de diversas instituições como a Universidade de Lisboa, a Universidade de La Laguna (Tenerife, Espanha), a Universidade dos Açores, a Universidade de Coimbra e a Royal Society for the Protection of Birds (RSPB, Reino Unido).

Outros especialistas colaboraram pontualmente ao longo do projecto em áreas específicas como o controlo e monitorização de ratos (Dr. Peter McClelland, do governo neozelandês), valorização de serviços de ecossistemas (Dr. Ian Dickie, RSPB), ecologia florestal (Dr. Adrian Newton, Universidade de Bournemouth), amostragem à distância (Dr. Tiago Marques, Universidade Lisboa), entre outros.

Foram realizadas 5 reuniões da Comissão Científica, sempre associadas a trabalhos e verificações no terreno, nas datas abaixo indicadas:



Reuniões da Comissão Consultiva do projecto LIFE Priolo

1ª 22-23 de Outubro de 2003

4ª 28-29 de Outubro de 2006

2ª 2 de Outubro de 2004

5ª 8-11 de Maio de 2007

3ª 21-22 de Outubro de 2005




Em cada reunião foi lavrada uma acta onde constam os assuntos tratados, os quais são apresentados em anexo e são sumariados de seguida:

    • A primeira reunião decorreu aquando da primeira reunião da Comissão Executiva onde a Comissão Cientifica delineou os principais aspectos do projecto a monitorizar e sugeriu linhas orientadoras para os implementar.

    • Na segunda reunião, que decorreu a 2 de Outubro de 2004, a Comissão analisou a primeira etapa dos planos de monitorização e efectuou recomendações específicas acerca dos seguintes aspectos: a) monitorização da regeneração da floresta utilizando quadrados a avaliar antes e após os trabalhos de remoção de plantas invasoras, b) marcação de plantas invasoras para monitorizar a eficácia dos herbicidas na sua eliminação, c) recolha e germinação de sementes no viveiro, d) mortalidade das espécies vegetais plantadas no campo, e) avaliação do uso de alimentadores artificiais, f) monitorização da erosão do solo e da qualidade da água (eventual contaminação por herbicidas), g) monitorização da população de Priolo e h) avaliação da densidade de ratos (nova ameaça entretanto encontrada).

    • A terceira reunião decorreu a 21 e 22 de Outubro de 2005 após a visita de um ecólogo florestal da Universidade de Bournemouth, Dr. Adrian Newton, que preparou um relatório independente acerca das várias acções de monitorização a decorrerem bem como sobre o andamento geral do projecto (em anexo). Esta reunião teve em consideração o relatório anteriormente referido e serviu sobretudo para discutir e efectuar algumas modificações nos planos de monitorização entretanto implementados e para avaliar os dados recolhidos no ano anterior. Foi ainda delineado um protocolo experimental para executar a acção C2 (Corte experimental de Criptoméria) e delineados alguns protocolos para aumentar o conhecimento sobre a ecologia alimentar e de uso do espaço pelo Priolo. Para tal foram apresentadas algumas ideias, devendo o projecto procurar bolseiros financiados por outrem para executar estas tarefas.

    • A quarta reunião decorreu a 28 e 29 de Outubro de 2006, e serviu sobretudo para comentar os resultados entretanto obtidos. A Comissão constatou que as várias acções de monitorização estavam a demonstrar bem a eficácia do herbicida utilizado e do aumento da população de espécies de plantas nativas.

    • A quinta reunião, decorreu de 8 a 11 de Maio de 2007. No seguimento de todo o trabalho realizado pela Comissão Científica, tal como planeado, foi então organizado um workshop científico mais amplo, designado “Priolo e a Floresta de Laurissilva” e que teve lugar na Vila de Nordeste. Este evento excedeu o previsto no projecto original para esta acção, tendo por isso contado com o apoio da Direcção Regional de Ciência e Tecnologia e Direcção Regional de Turismo dos Açores, e com a colaboração da Câmara Municipal de Nordeste e da Estalagem dos Clérigos. O principal objectivo foi divulgar os resultados apurados pelo Projecto LIFE Priolo e definir objectivos para a futura monitorização e sustentabilidade da ZPE Pico da Vara / Ribeira do Guilherme, pelo que este workshop foi também crucial para preparação do conteúdo da acção F8 (ver Acção F8). Participaram neste workshop 27 técnicos e investigadores (das áreas de botânica, ornitologia, ecologia, estatística e economia) de diversas instituições como a Universidade de Lisboa, a Universidade de La Laguna (Tenerife, Espanha), a Universidade dos Açores, a Universidade de Coimbra e a Royal Society for the Protection of Birds (RSPB, Inglaterra). Foi produzido um relatório final com as principais conclusões resultantes deste workshop científico (ver Acção F8).

Em resumo, a Comissão Cientifica decorreu tal como previsto, foi importante para delinear os planos de monitorização e para avaliar a eficácia das várias acções do projecto. Várias tarefas, tais como o workshop de especialistas efectuado em Maio de 2007 e estudos entretanto sugeridos como oportunos pela Comissão foram efectuados dado que o projecto obteve financiamentos adicionais.

Anexos:

  • Actas das 5 Reuniões da Comissão Consultiva do projecto LIFE Priolo

  • Relatório ‘Report of visit to Azores Bullfinch Project’ do Dr Adrian Newton apresentado à Comissão Científica em 2005

3.5.4. Acção F4 – Avaliação da Sensibilidade da população em geral e da Administração relativamente à problemática do Priolo e da vegetação nativa

Responsável pela Acção: Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves

Concluída em 2008

Esta acção tem como objectivo a avaliação do sucesso das acções de Sensibilização Ambiental cujo principal objectivo consistiu na criação de um público informado, sensibilizado e competente no processo de implementação das medidas de conservação do Priolo e respectivo habitat natural. A Avaliação da Sensibilização Ambiental da população em geral e da administração para a problemática do Priolo e importância da vegetação nativa foi desenvolvida em duas fases, a avaliação ex-ante, levada a cabo entre Março e Abril de 2005, e a avaliação ex-post, levada a cabo entre Fevereiro e Março de 2008, tendo-se aplicado o inquérito à população e agentes da ilha de São Miguel.

A principal conclusão que se pode tirar é que, em geral, as acções de divulgação foram eficazes entre a população em geral (Figura 3.28). Contudo, verifica-se que as pessoas ainda confundem conceitos básicos (nativo/exótico) essenciais para perceber correctamente a problemática do Priolo. Ainda há muito trabalho de divulgação para conseguir um nível de sensibilização satisfatório.

O conhecimento da população é imprescindível na continuidade, a longo prazo, da vontade política de conservação e recuperação do Priolo e do seu habitat natural. Alguns erros nas respostas de grupos-alvo teoricamente melhor informados lembra-nos que a divulgação e educação ambientais têm de ser contínuos e levados a cabo de forma eficaz, algo já previsto pela SPEA e que levou à criação do Centro Ambiental do Priolo que continuará as acções de educação e sensibilização ambiental após o término do projecto LIFE Priolo.









1   ...   20   21   22   23   24   25   26   27   ...   32


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal