Levantamento de dados históricos do Instituto de Artes, a partir de documentos do Arquivo Central/siarq



Baixar 129,52 Kb.
Encontro27.10.2017
Tamanho129,52 Kb.

Levantamento de dados históricos do Instituto de Artes, a partir de documentos do Arquivo Central/SIARQ.

Inicialmente previsto nos Estatutos, baixados pelo Decreto 52.255/69, o Instituto de Artes teve início em 1970 como Escola de Música. Os estudos para a implantação de um departamento de música iniciaram-se no 1º semestre de 1970. Durante um primeiro momento, aconteceram atividades de divulgação musical, como por exemplo o início das atividades do Coral Unicamp, em 29.04.71 (sob a regência do maestro Benito Juarez) e um Curso de Extensão Universitária de Música, oferecido de 24.06 a 01.07.1971. Posteriormente, de acordo com a Portaria GR 102, de 30.08.71, foi criada uma comissão (formada pelos professores Rogério Cezar de Cerqueira Leite, Friedrich Gustav Brieger, Marcelo Damy de Souza Santos e José Aristodemo Pinotti, sob coordenação do primeiro) para implantar definitivamente o Departamento de Música, núcleo do futuro Instituto de Artes.

Em 1979 iniciou-se o curso de Música com as modalidades Composição e Regência e, a partir de 1983, teve início o oferecimento da modalidade Instrumento. Dessa forma, com o oferecimento do curso de Música no ano de 1979 o IA foi finalmente oficializado como unidade de ensino e pesquisa (Processo 361/83, fls.354-355, volume II).

Em 13.02.1984, foi baixada a Portaria GR 35/84, que instituiu uma Comissão Especializada para examinar propostas de estrutura administrativa advindas das unidades universitárias e demais órgãos da Unicamp. Esta Comissão examinou a proposta de Estrutura Administrativa do IA e a aprovou, numa reunião realizada em 06.12.1985. Dessa forma, pela Portaria GR 46/86, de 04.03.1986, foi definida a Estrutura Administrativa do IA, órgão diretamente subordinado à Reitoria, tendo por finalidade desenvolver o ensino, a pesquisa e a prestação de serviços à comunidade, conforme disposto no Regimento Geral da Universidade (Processo 01 P 5882/84).

Hoje, mais que promover o estudo e a interpretação das artes, o Instituto tem como meta formar profissionais e promover o diálogo entre artistas e cientistas. Além dos cursos regulares, o Instituto ministra cursos livres de extensão nas especialidades de seus departamentos e, paralelamente às atividades de ensino, pesquisa e extensão, grupos de teatro, dança e música são formados durante a permanência do aluno na instituição, muitos dos quais chegam a se profissionalizar.

O Instituto conta com uma galeria de arte, laboratórios e estúdios nas áreas de vídeo, som, cinema, fotografia, computação gráfica e uma biblioteca especializada. Abrange os seguintes departamentos: Música, Artes Plásticas, Artes Cênicas, Multimeios e Artes Corporais, nos níveis de graduação e pós-graduação.



Os atuais departamentos foram assim constituídos:

  1. DEPARTAMENTO DE MÚSICA:-


  • Informação, 10.08.1970 – do Presidente Interino da Comissão de Planejamento (COPLAN), Prof. Dr. Friedrich Gustav Brieger, relatando um encontro que aconteceu em 05.08.1970 e no qual estiveram presentes o próprio Brieger, o Prof. Dr. Rogério Cezar de Cerqueira Leite e o Maestro Prof. Hans Joachim Koellreutter, para tratarem de assuntos relacionados ao Departamento de Música que se pretendia implantar na Universidade Estadual de Campinas (UEC). Processo 2013/70, fl.19.




  • Ofício CGI 355/70, 13.08.1970 – do Coordenador Geral dos Institutos, Prof. Dr. Brieger, ao Maestro Prof. Koellreutter, informando-lhe que foi estabelecido um esquema de ação para implantação do Departamento de Música em três etapas, além de convidá-lo para ministrar um Curso de Composição na UEC e de comunicá-lo sobre a possibilidade dele vir a ser diretor de tal departamento. Processo 2013/70, fls.25-26.




  • Carta, 06.09.1970 – do Maestro Prof. Koellreutter ao Coordenador Geral dos Institutos, Prof. Dr. Brieger, aceitando o convite para continuar colaborando com a UEC nos assuntos relacionados à organização e estruturação do futuro Departamento de Música. Processo 2013/70, fl.27.




  • Projeto de um Departamento de Música para a UEC, elaborado pelo Maestro Prof. Koellreutter e enviado ao Prof. Dr. Brieger em 06.09.1970. Processo 2013/70, fls.28-30.




  • Carta, 09.09.1970 – do Maestro Prof. Koellreutter ao Arquiteto João Carlos Bross, enviando uma relação provisória das salas e divisões que ele considerava necessárias para o Departamento de Música que estava sendo planejado. Processo 2013/70, fls.31-32.




  • Ofício CGI 403/70, 15.09.1970 - do Presidente Interino da COPLAN e Coordenador Geral dos Institutos, Prof. Dr. Brieger, ao Prof. Natan Schwartzman, informando-lhe sobre a implantação de um Departamento de Música na UEC e convidando-o para colaborar na organização de um conjunto de instrumentos e na organização de concertos. Processo 2013/70, fls.35-36.




  • Ofício CGI 404/70, 15.09.1970 - do Presidente Interino da COPLAN e Coordenador Geral dos Institutos, Prof. Dr. Brieger, ao Maestro Prof. Benito Juarez de Souza, informando-lhe sobre o término da fase de estudos preliminares do planejamento de implantação do Departamento de Música e convidando-o para organizar um coro universitário. Processo 2013/70, fls.33-34.




  • Programação do início da implantação do Departamento de Música do futuro Instituto de Artes da UEC. Processo 2013/70, fls.44-45.




  • Ofício 07/71, 19.01.1971 – do Presidente Interino da COPLAN, Prof. Dr. Brieger, ao Magnífico Reitor da UEC, Prof. Dr. Zeferino Vaz, informando-lhe a respeito da implantação das atividades artístico-culturais para o 1º semestre de 1971 na UEC. Processo 2013/70, fls.54-55.




  • Ofício 11/71, 20.01.1971 - do Presidente Interino da COPLAN, Prof. Dr. Brieger, ao Maestro Prof. Koellreutter, informando-lhe que o Departamento de Música ocuparia algumas salas do Prédio Bento Quirino, no centro da cidade, provisoriamente. Processo 2013/70, fl.57.




  • Ofício 363/71, 12.02.1971 – do Presidente Interino da COPLAN, Prof. Dr. Brieger, ao Magnífico Reitor da UEC, Prof. Dr. Zeferino Vaz, informando-lhe a respeito do novo cronograma de atividades artístico-culturais para o 1º semestre de 1971 na UEC, elaborado pelos professores Benito Juarez e Natan Schwartzman. Processo 2013/70, fl.64.




  • Ofício 122/71, 26.05.1971 - do Presidente Interino da COPLAN, Prof. Dr. Brieger, ao Magnífico Reitor da UEC, Prof. Dr. Zeferino Vaz, submetendo-lhe um relatório sobre os primeiros passos tomados visando a implantação do Departamento de Música. Processo 2013/70, fls.70-74.




  • Ofício 127/71, 02.06.1971 – do Presidente Interino da COPLAN, Prof. Dr. Brieger, ao Magnífico Reitor da UEC, Prof. Dr. Zeferino Vaz, informando-lhe a respeito da implantação das atividades artístico-culturais para o 2º semestre de 1971 e para o ano de 1972, na UEC. Processo 2013/70, fls.76-77.




  • Informação SG 291/71, 22.06.1971 – em sessão de 15.06.1971 o Conselho Diretor aprovou a realização do Curso de Extensão Universitária de Música que seria ministrado pelo Maestro Prof. Koellreutter. Processo 2013/70, fl.78.




  • Relação dos alunos que freqüentaram e receberam certificados do Curso de Extensão Universitária de Música, realizado no período de 24.06 a 01.07.1971, ministrado pelo professores Hans Joachim Koellreutter e Margarita Schack-Koellreutter. Processo 2013/70, fls.79-85.




  • Modelos dos certificados do Curso de Extensão Universitária de Música, ministrado pelo professores Hans Joachim Koellreutter e Margarita Schack-Koellreutter no período de 24.06 a 01.07.1971. Processo 2013/70, fls.86-87.




  • Ofício 166/71, 18.08.1971 - do Presidente Interino da COPLAN, Prof. Dr. Brieger, ao Magnífico Reitor da UEC, Prof. Dr. Zeferino Vaz, propondo um grupo de trabalho (formado pelos professores Friedrich Gustav Brieger, Marcelo Damy de Souza Santos, José Aristodemo Pinotti e Rogério Cezar de Cerqueira Leite) para a implantação do Departamento de Música como primeiro núcleo do Instituto de Artes e enviando um relatório com sugestões para a implantação de tal departamento. Processo 2013/70, fls.112-120.




  • Portaria GR 102/71, 30.08.1971 – do Reitor da UEC, Prof. Dr. Zeferino Vaz, designando os professores Rogério Cezar de Cerqueira Leite, Friedrich Gustav Brieger, Marcelo Damy de Souza Santos e José Aristodemo Pinotti, para, sob coordenação do primeiro, instituírem uma comissão incumbida de organizar, planejar e incrementar as atividades musicais na UEC. Processo 2013/70, fl.123.




  • Ofício 07/71, 19.10.1971 – do Coordenador do Departamento de Música, Prof. Dr. Rogério Cezar de Cerqueira Leite, ao Magnífico Reitor da UEC, Prof. Dr. Zeferino Vaz, sugerindo a implantação de atividades de Musicologia com formação profissional no referido Departamento e indicando o Prof. Gerard Behague, da Universidade de Illinois/EUA/ para desenvolver tais atividades. Processo 2013/70, fls.127-132.




  • Ofício 132/73, 07.05.1973 – do Coordenador do Instituto de Artes, Prof. Dr. Rogério Cezar de Cerqueira Leite, ao Magnífico Reitor da UEC, Prof. Dr. Zeferino Vaz, encaminhando o ante-projeto do Departamento de Música da Universidade Estadual de Campinas, elaborado pelo Prof. Levy D. Cozzella. Processo 4977/73, juntado ao Processo 2013/70, fls.145-149.




  • Parecer CE 553/73, 11.12.1973 – da Comissão de Ensino, favorável à constituição de uma comissão para elaborar o ante-projeto de um Curso de Música e uma proposta de estruturação para o Departamento de Música. Foram sugeridos os nomes dos professores Rogério Cezar de Cerqueira Leite, Benito Juarez, Levy D. Cozzella, Leopold Hartman, Natan Schwartzman e Rubens G. Lintz, sob a presidência do primeiro. Processo 4977/73, juntado ao Processo 2013/70, fl.151.




  • Ofício 02/74, 10.01.1974 - do Coordenador do Instituto de Artes, Prof. Dr. Rogério Cezar de Cerqueira Leite, ao Magnífico Reitor da UEC, Prof. Dr. Zeferino Vaz, solicitando permissão para a execução do ante-projeto arquitetônico do Departamento de Artes, que seria o primeiro prédio do futuro Instituto de Artes. Processo 214/74, fl.02.




  • “Esboço e sugestões para o projeto do prédio do Departamento de Música da UEC” (sem o nome do responsável pelo esboço e pelo projeto). Processo 214/74, fls.03-07.




  • Carta, 06.03.1974 – do Arquiteto João Carlos Bross ao Coordenador do Instituto de Artes, Prof. Dr. Rogério Cezar de Cerqueira Leite, informando que recebeu o “Esboço e sugestões para o projeto do prédio do Departamento de Música da UEC” e apresentando algumas considerações sobre tal projeto. Processo 214/74, fls.11-13.




  • Carta, 13.05.1974 - do Arquiteto João Carlos Bross ao Engenheiro João Carlos Lopes da Silva, do Escritório Técnico de Construção e Obras da Unicamp (ESTEC), encaminhando o Estudo Preliminar arquitetônico do edifício do Departamento de Música e solicitando que o mesmo fosse repassado ao Coordenador do Instituto de Artes, Prof. Rogério Cezar de Cerqueira Leite para apreciação e parecer. Processo 214/74, fls.19-27.




  • Carta, 05.08.1974 - do Arquiteto João Carlos Bross ao Engenheiro João Carlos Lopes da Silva, do Escritório Técnico de Construção e Obras da Unicamp (ESTEC), encaminhando o novo Estudo Preliminar para o Departamento de Música, uma vez que no primeiro estudo elaborado foram apresentadas algumas modificações pelo Prof. Rogério Cezar de Cerqueira Leite. Processo 214/74, fls.30-37.




  • Ordem de Serviço 52/74, 03.12.1974 – do Escritório Técnico de Construção e Obras da Unicamp (ESTEC), para execução dos projetos arquitetônicos do edifício do Departamento de Música. Processo 214/74, fl.57.




  • Carta, 10.11.1976 – do Arquiteto Arnaldo Villares de Oliveira a Paulo Gomes Romeo, encaminhando a alteração solicitada em relação ao projeto arquitetônico do Departamento de Música (projeto substitutivo), no sentido de tornar a obra mais econômica. Processo 214/74, fls.137-146.




  • Ofício DM/IA 09/96, 05.02.1996 – do Chefe do Departamento de Música, Prof. Benito Juarez, à Diretora do Instituto de Artes, Profa. Dra. Regina Polo Müller, solicitando abertura do processo de “Implantação do Departamento de Música do Instituto de Artes”, aprovado pelo Conselho Departamental em reunião de 05.02.1996. Processo 2055/96, fl.02.




  • Parecer 02/96, 13.02.1996 – da Congregação do Instituto de Artes, em sua 66ª Reunião Ordinária realizada em 12.02.1996, aprovando a implantação definitiva do Departamento de Música. Processo 2055/96, fl.85.




  • Ofício IA 37/96, 13.02.1996 – da Diretora do Instituto de Artes, Profa. Dra. Regina Polo Müller, ao Magnífico Reitor da Unicamp, Prof. Dr. José Martins Filho, encaminhando documentos pertinentes à implantação definitiva do Departamento de Música. Processo 2055/96, fl.86.




  • Deliberação CONSU 73/96, 01.04.1996 – do Conselho Universitário, em sua 46ª Sessão Ordinária realizada em 26.03.1996, aprovando a implantação do Departamento de Música do Instituto de Artes. Processo 2055/96, fl.88.



  1. DEPARTAMENTO DE ARTES PLÁSTICAS:-

  • Ofício 93/83, 27.04.1983 – do responsável pelo expediente do Instituto de Artes, Prof. José Antonio Rezende de Almeida Prado, ao Magnífico Reitor da Unicamp, Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti, informando a instalação do Departamento de Artes Plásticas e a indicação do Prof. Bernardo Caro para a chefia do mesmo. Processo 2432/83, fl.02.







  • Relatório de atividades do Departamento de Artes Plásticas, 20.06.1983. Processo 2432/83, fls.06-32 (anexos: fotografias – fls.33-40, planta baixa do espaço físico – fl.41, curriculum vitae dos professores que integravam o Departamento – fls.42-499).




  • Parecer (19.08.1983) do relator da Câmara Curricular, Prof. Dr. Ernesto José Dottaviano, considerando o Departamento de Artes Plásticas em fase de implantação, uma vez que o mesmo não cumpria todas as exigências dos Estatutos e do Regimento Geral da Unicamp. Quando o mesmo estivesse totalmente de acordo com os Estatutos e o Regimento deveria, então, ser considerado definitivamente implantado pelo Conselho Diretor da Universidade. Processo 2432/83, fl.500.




  • Resolução CC 117/83 e Parecer SG 604/83, 01.09.1983 – da Câmara Curricular, considerando o Departamento de Artes Plásticas do Instituto de Artes em fase de implantação, conforme o parecer do relator Prof. Dr. Ernesto José Dottaviano. Processo 2432/83, fl.501.




  • Informação SG-I 641/83, 28.09.1983 – do Conselho Diretor, aprovando a resolução da Câmara Curricular, favorável à criação do Departamento de Artes Plásticas em fase de implantação. Processo 2432/83, fl.504.




  • Portaria do Reitor P. 1175/86, 14.10.1986 – Relação do pessoal docente lotado no Departamento de Artes Plásticas. Processo 2432/83, fl.512.




  • Portaria do Coordenador dos Recursos Humanos P. 4081/86, 15.10.1986 – Relação dos servidores do Departamento de Artes Plásticas. Processo 2432/83, fl.513.

Obs.: Há, ainda, o Processo 17 P 21681/99 – Criação do Departamento de Artes Plásticas, que está em andamento e, no momento, não pode ser consultado.



  1. DEPARTAMENTO DE ARTES CÊNICAS:-

  • Obs. O Processo 3581/83 – Criação do Departamento de Artes Cênicas, está extraviado.



  1. DEPARTAMENTO DE MULTIMEIOS:-

  • Obs. O Processo 1760/84 – Criação do Departamento de Multimeios, está extraviado.



  1. DEPARTAMENTO DE ARTES CORPORAIS:-

  • Ofício IA 62/85, 31.01.1985 – do responsável pelo expediente do Instituto de Artes, Prof. José Antonio Rezende de Almeida Prado, ao Magnífico Reitor da Unicamp, Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti, encaminhando para aprovação o projeto de criação do Departamento de Artes Corporais com implantação de um curso de graduação em Dança, elaborado pela Profa. Antonieta Marilia de Oswald de Andrade. Processo 1276/85, fl.02, volume I.




  • Projeto para o Departamento de Artes Corporais, elaborado pela Profa. Antonieta Marilia de Oswald de Andrade. Processo 1276/85, fls.03-20, volume I.




  • Parecer, 15.02.1985 – do relator Prof. Dr. Eduardo Chaves, favorável a que a proposta de criação do Departamento de Artes Corporais com implantação de um curso de graduação em Dança tenha continuidade e que seja aprovada pela Câmara Curricular (o curso principalmente). Processo 1276/85, fls.21-24, volume I.




  • Informação do Reitor, 22.02.1985 – do Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti, Reitor da Unicamp, dizendo que tomou conhecimento do parecer do Prof. Dr. Eduardo Chaves e determinando que a proposta de implantação do Departamento de Artes Corporais e do curso de graduação em Dança fosse encaminhada aos Profs. Ubiratan D’Ambrósio e José Antonio Rezende de Almeida Prado, para parecer e análise, após o que deveria retornar a ele. Processo 1276/85, fl.25, volume I.




  • Ofício CGI 34/85, 09.05.1985 – do Coordenador Geral dos Institutos, Prof. Ubiratan D’Ambrósio, ao Magnífico Reitor da Unicamp, Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti, informando ser favorável à aprovação da proposta em pauta. Processo 1276/85, fl.26, volume I.




  • Informação PG 04/85, 13.05.1985 – do Procurador Geral, Guido Ivan de Carvalho, ao Magnífico Reitor da Unicamp, Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti, informando que a Procuradoria Geral nada tem a opor quanto à continuidade da tramitação do processo, lembrando apenas que tanto a criação do Departamento de Artes Corporais quanto o curso de graduação em Dança devem ter apreciação do Conselho Diretor. Processo 1276/85, fl.27, volume I.




  • Ata da 1ª Reunião da Congregação do Instituto de Artes, 21.05.1985 – a Congregação foi favorável à criação do Departamento de Artes Corporais com implantação do curso de graduação em Dança. Processo 1276/85, fls.28-29, volume I.




  • Ofício IA 382/85, 17.06.1985 – do responsável pelo expediente do Instituto de Artes, Prof. José Antonio Rezende de Almeida Prado, ao Presidente da Câmara Curricular, Prof. Dr. Nivaldo Lemos Cupini, encaminhando a listagem dos professores e técnicos especializados que comporiam o Departamento de Artes Corporais e o relatório das atividades de ensino e pesquisa de dança desenvolvidas pela Profa. Dra. Antonieta Marilia de Oswald de Andrade desde 1982. Processo 1276/85, fls.31-49, volume I.




  • Resolução CC 68/85, 28.06.1985 – da Câmara Curricular, aprovando a criação e implantação do Departamento de Artes Corporais. Processo 1276/85, fl.51, volume I.




  • Informação SG-I 1050/85, 21.08.1985 – do Conselho Diretor, em sua 246ª Sessão realizada em 20.08.1985, aprovando a aprovou a criação e implantação do Departamento de Artes Corporais. Processo 1276/85, fl.54, volume I.




  • Relatório da Implantação do Departamento de Artes Corporais, 1985-1990 - elaborado pela Profa. Dra. Antonieta Marilia de Oswald de Andrade. Processo 1276/85, fls.57-244, volume I.




  • Parecer, 11.12.1990 – do Conselho Provisório do Departamento de Artes Corporais, aprovando o Relatório da Implantação do Departamento de Artes Corporais apresentado pela Profa. Dra. Antonieta Marilia de Oswald de Andrade e solicitando o andamento do processo de “Criação do Departamento de Artes Corporais” para que fosse efetivada a sua implantação definitiva. Processo 1276/85, fl.245, volume I.




  • Relatório de Atividades, 1991 – do Departamento de Artes Corporais, sendo chefe do referido Departamento o Prof. Eusébio Lôbo da Silva. Processo 1276/85, fls.248-299, volume I, e fls.02-84, volume II.




  • Relatório de Atividades, 1993-1995 - do Departamento de Artes Corporais, sendo chefe do referido Departamento o Prof. Eusébio Lôbo da Silva. Processo 1276/85, fls.85-106, volume II.




  • Parecer 53/95, 31.05.1995 – da Congregação do IA, em Reunião Ordinária realizada em 29.05.1995, aprovando a implantação definitiva do Departamento de Artes Corporais. Processo 1276/85, fl.108, volume II.




  • Deliberação CONSU 360/95, 28.09.1995 – do Conselho Universitário, em sua 44ª Sessão Ordinária realizada em 26.09.1995, aprovando a implantação definitiva do Departamento de Artes Corporais. Processo 1276/85, fl.111, volume II.

GRADUAÇÃO:-



  1. Bacharelado em Música -

A) Modalidades em Composição e Regência e Instrumento:

  • Informação SG-I 1395/78, 27.12.1978 – do Conselho Diretor, em Sessão realizada em 19.12.19878, aprovando os Pareceres SG 2318/78 e 2319/78, exarados respectivamente pela Câmara Curricular e Coordenadoria Geral da Universidade, favoráveis à implantação do curso de Bacharelado em Música – modalidades em Composição e Regência, que seria oferecido a partir do ano letivo de 1979. Processo 361/83, fl.12., volume I




  • Relação dos candidatos aprovados no 1º Concurso Vestibular para os cursos de graduação em Composição e Regência do Departamento de Música do IA, s.d. Processo 361/83, fls.112-113, volume I.




  • Informação SG-I 1102/82, 21.12.1982 - do Conselho Diretor, em Sessão realizada em 21.12.1982, aprovando o funcionamento da modalidade Instrumento do curso de Bacharelado em Música a partir do ano de 1983. Processo 361/83, fl.352, volume II.




  • Ofício SG/2 - 281/82, 28.12.1982 – do Magnífico Reitor da Unicamp, Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti, ao Presidente do Conselho Estadual de Educação, Prof. Dr. Moacyr Expedito Marret Vaz Guimarães, encaminhando a documentação para o reconhecimento do curso de Bacharelado em Música – modalidades em Composição e Regência e Instrumento, ministrado pelo Instituto de Artes. Processo 361/83, fl.04, volume I.




  • Ofício GP 308/84, 20.03.1984 – do Presidente do Conselho Estadual de Educação, Prof. Dr. Célio Benevides de Carvalho, ao Magnífico Reitor da Unicamp, Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti, encaminhando cópia do Parecer CEE 349/84, aprovado em 14.03.1984, favorável ao reconhecimento do curso de Bacharelado em Música – modalidades Composição e Regência e Instrumento. Processo 361/83, fl.362, volume II.

  • Parecer CEE 349/84, 14.03.1984 (publicado no D.O.E de 17.03.1984) – do Conselho Estadual de Educação, favorável ao reconhecimento do curso de Bacharelado em Música – modalidades Composição e Regência e Instrumento. Processo 361/83, fl.370, volume II.




  • Portaria MEC 196/84, 07.05.1984 (publicada no D.O.U de 10.05.1984) – do Ministério de Educação e Cultura, concedendo reconhecimento ao curso de Bacharelado em Música – modalidades Composição e Regência e Instrumento. Processo 361/83, fl.372, volume II.


B) Modalidade em Música Popular:

Primeiro do gênero no Brasil, o curso de Música Popular da Unicamp é hoje uma referência na área. Desde 1989, ano de ingresso de sua primeira turma, seus alunos vêm ocupando posições de destaque no cenário musical brasileiro. O curso forma profissionais aptos a atuarem no mercado de música popular em suas mais diversas especialidades: instrumentistas, arranjadores, produtores musicais, pesquisadores e educadores.




  • Deliberação CONSU-A 13/88, 08.07.1988 - criou a Habilitação em Música Popular, no Curso de Graduação em Música, junto ao Instituto de Artes. http://www.unicamp.br/pg




  1. Artes Cênicas: Bacharelado em Interpretação Teatral -

  • Ofício IA 499/84, 07.11.1984 – do responsável pelo expediente do Instituto de Artes, Prof. José Antonio Rezende de Almeida Prado, ao Magnífico Reitor da Unicamp, Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti, solicitando providências para a criação do curso de graduação em Artes Cênicas, bacharelado em Interpretação Teatral. Processo 6343/84, fl.02.




  • Proposta para instalação do curso de graduação em Artes Cênicas, bacharelado em Interpretação Teatral. Processo 6343/84, fls.08-121.

  • Resolução CC 276/84, 26.12.1984 – da Câmara Curricular, em sua 306ª Reunião realizada em 20.12.1984, aprovando a estrutura curricular do curso de graduação em Artes Cênicas, bacharelado em Interpretação Teatral, sendo que o seu funcionamento estaria vinculado à implantação e funcionamento do respectivo departamento. Processo 6343/84, fl.141.




  • Informação SG-I 773/85, 04.07.1985 – do Conselho Diretor, em sua 245ª Sessão realizada em 25.06.1985, aprovando a Resolução CC 276/84, da Câmara Curricular, favorável ao currículo pleno do curso de bacharelado em Artes Cênicas, habilitação em Interpretação Teatral. Processo 6343/84, fl.150.




  • Ofício IA 418/90, 11.12.1990 – do Diretor do Instituto de Artes, Prof. Dr. Március César Soares Freire, ao Pró-Reitor de Graduação, Prof. Dr. Adalberto Bassi, encaminhando o processo do curso de bacharelado em Artes Cênicas, habilitação em Interpretação Teatral para fins de reconhecimento junto ao Conselho Estadual de Educação e, posteriormente, ao Ministério da Educação. Processo 6343/84, fl.223.




  • Ofício GR 62/91, 28.01.1991 – do Reitor da Unicamp, Prof. Dr. Carlos Vogt, ao Presidente do Conselho Estadual de Educação, Prof. João Gualberto de Carvalho Meneses, encaminhando para apreciação a documentação para o reconhecimento do curso de bacharelado em Artes Cênicas, habilitação em Interpretação Teatral. Processo 6343/84, fl.226.




  • Ofício GP 421/92, 03.04.1992 – do Presidente do Conselho Estadual de Educação, Prof. João Gualberto de Carvalho Meneses, ao Magnífico Reitor da Unicamp, Prof. Dr. Carlos Vogt, informando sobre o Parecer CEE 1962/91, favorável ao reconhecimento do curso de bacharelado em Artes Cênicas. Este parecer foi homologado pela Resolução SE de 14.01.1992 e remetido ao Ministério da Educação. Processo 6343/84, fl.229.




  • Portaria MEC 961/92, 24.06.1992 – do Ministério de Educação e Cultura, concedendo reconhecimento ao curso de bacharelado em Artes Cênicas, com habilitação em Interpretação Teatral, ministrado pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas. Processo 6343/84, fl.232.




  1. Bacharelado e licenciatura em Educação Artística: habilitação Artes Plásticas -

  • Ofício IA 141/83, 16.06.1983 – do responsável pelo expediente do Instituto de Artes, Prof. José Antonio Rezende de Almeida Prado, ao Magnífico Reitor da Unicamp, Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti, solicitando providências para a criação do curso de graduação em Educação Artística, bacharelado e licenciatura em Artes Plásticas. Processo 3583/83, fls.02-04.




  • Proposta para instalação do curso de graduação em Educação Artística, bacharelado e licenciatura em Artes Plásticas. Processo 3583/83, fls.06-14, mais 91 páginas de anexos à proposta.




  • Resolução CC 120/83 e Parecer SG 701/83, 15.09.1983 – da Câmara Curricular, favorável à implantação do curso de graduação em Educação Artística, bacharelado e licenciatura em Artes Plásticas. Processo 3583/83, fl.44.




  • Memorando CC 14/83, 18.10.1983 – do Presidente da Câmara Curricular, Prof. Dr. Carlos Eduardo do Nascimento Gonçalves, à Secretária Geral Arlinda Rocha Camargo, informando a nova denominação do curso do Departamento de Artes Plásticas: bacharelado e licenciatura em Educação Artística - habilitação Artes Plásticas. Processo 3583/83, fl.46.




  • Informação SG-I 752/83, 27.10.1983 – do Conselho Diretor, em sua 215ª Sessão realizada em 25.10.1983, aprovando a proposta de instalação e de funcionamento do curso de bacharelado e licenciatura em Educação Artística - habilitação Artes Plásticas, a partir de 1984. Processo 3583/83, fl.51.




  • Portaria GR 298/83, 27.10.1983 – dispõe sobre o concurso vestibular de 1984, do curso de Educação Artística. Processo 3583/83, fls.54-55.

4. Bacharelado e Licenciatura em Dança -

O Curso de Dança é ministrado em período integral e o aluno pode receber os títulos de:


  • Bacharel: é o profissional preparado para atuar como dançarino ou pesquisador, com campo de ação nas área de Artes Cênicas (Teatro, Ópera, Dança), Cinema e Televisão. Estará preparado para dar um enfoque inovador à arte da dança, privilegiando temas e formas que ressaltem a tradição cultural brasileira. Poderá atuar como professor universitário.

  • Licenciado: é o profissional preparado para atuar como dançarino e para dedicar-se ao magistério e à pesquisa. Seu campo de ação poderá ser o ensino e a pesquisa em Dança, podendo atuar como professor do ensino fundamental e médio.




  • Portaria MEC 1476/92, 13.10.1992 – Reconhecimento do curso de graduação em Dança. http://www.iar.unicamp.br

PÓS-GRADUAÇÃO:

1. Mestrado em Artes -

Foi implantado em agosto de 1989, e recomendado pelo GTC-CAPES em reunião ocorrida a 07 de abril de 1994. Como resposta ao apelo cada vez mais premente do mundo moderno, de que as Universidades criem espaços dialogais concretos entre artistas e cientistas, rompendo a atual e rígida polarização existente entre o fazer e a reflexão teórica, o Mestrado em Artes da UNICAMP entende como sua principal tarefa o rompimento dessa polarização, oferecendo aos profissionais envolvidos com o ensino e a pesquisa em Artes uma formação acadêmica diretamente voltada para um fazer artístico, conjugado sempre e necessariamente à sua reflexão.

O Curso de Mestrado em Artes se propõe a formar e qualificar profissionais, docentes e pesquisadores que se expressem tanto na prática artística como na reflexão teórica; fomentar uma perspectiva interdisciplinar de pesquisa, como base de trabalhos artísticos; capacitar pessoal para docência em nível superior, no conjunto dessas perspectivas.

O curso pretende fundamentalmente, oferecer aos alunos um quadro integrativo de reflexão entre as Artes e as Ciências. Os planos de trabalho deverão situar-se, presentemente, nas seguintes áreas:


  • Artes Cênicas


  • Artes Musicais

  • Artes Visuais

2. Mestrado e doutorado em Multimeios –



O Programa de Pós-Graduação em Multimeios, através de seus cursos de Mestrado e Doutorado, se propõe a fomentar uma perspectiva interdisciplinar de pesquisa, explorando a dimensão epistêmica da utilização dos diversos meios audiovisuais em campos de pesquisa das ciências humanas, exatas e biológicas; pesquisar, dentro de uma perspectiva histórica e/ou teórica, os diferentes meios audiovisuais (cinema, fotografia, vídeo e suporte digital) como forma de expressão artística; formar e qualificar pessoal para a utilização de recursos audiovisuais (fotografia, cinema, vídeo e suporte digital) na criação artística e na pesquisa.


  • Parecer 29/97, 17.02.1997 – da Congregação do Instituto de Artes, aprovando a criação do Doutorado em Multimeios, em sua 71ª Reunião Ordinária realizada em 17.02.1997. Processo 13702/99, fl.02.




  • Regulamento dos cursos de pós-graduação em Multimeios do Instituto de Artes da Unicamp, fev.1997. Processo 13702/99, fls.03-13.




  • Deliberação CONSU-A 18/97, 30.09.1997 - Dispõe sobre a criação do Curso de Pós-Graduação em Multimeios, em nível de Doutorado. http://www.unicamp.br/pg

EX-DIRETORES:-


  1. Rogério Cezar de Cerqueira Leite:

- Portaria GR 102/71, de 30.08.1971 - indicado para ser o coordenador do Departamento de Música. Esta portaria foi revogada pelo Ato do Reitor de 27.12.1979. Processo 2013/70, fl.123 e 136, respectivamente.


  1. Yaro Burian Junior:

- Ato do Reitor 917/79, de 27.12.1979 - de Plínio Alves de Moraes, designando o Prof. Yaro para responder pelo expediente do Instituto de Artes da Unicamp. Processo 2013/70, fl.137 e SG/AH III, cx.01 – mç.05.


  1. José Antonio Rezende de Almeida Prado:

- Ato do Reitor A 787/81, 21.10.1981 (publicado no D.O de 24.10.1981) – de Plínio Alves de Moraes, designando o Prof. Almeida Prado para responder pelo expediente do Instituto de Artes. Processo 3864/74, fl.236, volume I.
- Portaria GR 409/86, 14.11.1986 (publicada no D.O de 15.11.1986) – de Paulo Renato Costa Souza, designando o Prof. Almeida Prado para exercer a função de Diretor do Instituto de Artes. Processo 3864/74, fl.249, volume I.
- Portaria do Reitor P. 110/87-D (publicada no D.O de 19.03.1987) – de Paulo Renato Costa Souza, cessando os efeitos da Portaria publicada no D.O de 24.10.1981, que designou o Prof. Almeida Prado para responder pelo expediente do Instituto de Artes. Processo 3864/74, fl.251, volume I.
- Portaria do Reitor P. 561/87-D (publicado no D.O de 18.12.1987) – de Paulo Renato Costa Souza, cessando os efeitos da portaria que designou o Prof. Almeida Prado para a função de Diretor do Instituto de Artes. Processo 5953/82, fl. 144.


  1. Bernardo Caro:

- Portaria do Reitor P. 563/87-D, 08.12.1987 – de Paulo Renato Costa Souza, designando o Prof. Bernardo Caro para responder pelo expediente da Diretoria do Instituto de Artes, a partir de 01.12.1987. Processo 5953/82, fl.146.
- Portaria do Reitor P. 180/88 (publicado no D.O de 11.06.1988) – de Paulo Renato Costa Souza, cessando os efeitos da portaria que designou o Prof. Bernardo Caro para responder pelo expediente da Diretoria do Instituto de Artes. Processo 5953/82, fl.152.
- Portaria P. 149/88, 29.03.1988 – de Paulo Renato Costa Souza, designando o Prof. Bernardo Caro para que exercesse a função de Diretor do Instituto de Artes. Processo 5953/82, fl.150.


  1. Március César Soares Freire:

- Portaria do Reitor P. 525/91-D (publicado no D.O de 13.07.1991) – de Carlos Vogt, designando o Prof. Március para que exercesse a função de Diretor do Instituto de Artes, a partir de 02.06.1991. Processo 3493/86, fl.247, volume 1.


  1. Regina Aparecida Polo Müller:

- Portaria do Reitor P. 510/95-D (publicado no D.O de 04.08.1995) – de José Martins Filho, designando a Profa. Regina Müller para que exercesse a função de Diretora do Instituto de Artes, no período de 03.07.1995 a 02.07.1999. Processo 7199/87, fl.45, volume 2.


  1. Helena Jank:

- Portaria do Reitor P. 464/99, 30.06.1999 – de Hermano Tavares, designando a Profa. Helena Jank para que exercesse a função de Diretora do Instituto de Artes, a partir de 03.07.1999. Processo 4100/75, fl.10, volume 2.

FOTOS:-

  1. Vista geral de uma audição de cravo no Departamento de Música do Instituto de Artes da Unicamp. Campinas, jan.1976. SG/P.13.65(1)




  1. Vista geral de um cravo de dois teclados e três cordas, construído pelo laboratório de acústica musical do Departamento de Música, com madeira brasileira, em estilo francês do séc. XVIII. Campinas, já.1976. SG/P.13.66(1)




  1. Homem tocando uma flauta doce barroca, feita no Instituto de Física da Unicamp. Campinas, jan.1976. SG/P.13.67(1)




  1. Vista geral do equipamento Expectrum Analysis, do Departamento de Música. Campinas, jan.1976. SG/P.13.68(1)




  1. Apresentação de um coral. s.l.d. SG/P.15.93(2)




  1. Conjunto de seis fotos, com a orquestra apresentando o espetáculo Carmina Burana, regida por Benito Juarez. s.l., jun.1973. SG/P.15.94(6)




  1. Fotos de uma apresentação sob a regência de Benito Juarez. s.l.d. SG/P.15.95(2)




  1. Natan Schwartzman, tocando violino. s.l.d. SG/P.15.96(1)




  1. Primeiro Concerto Oficial do Coral da Unicamp, realizado na Catedral Metropolitana de Campinas (22 fotografias). Campinas, nov.1971. ZV.II/P.95




  1. Visão geral de um cravo (instrumento musical), pertencente ao Departamento de Música. Campinas, década de 70. ZV.II/P.95


NOTÍCIAS NA IMPRENSA:-

  1. Correio Popular, 23.04.1971 – “Departamento de Música da UEC: terça-feira é dia de ir à Catedral ver o Coral da USP”. Processo 2013/70, fl.88.




  1. Correio Popular, 28.04.1971 – “Coral USP, o sucesso do Departamento de Música da Universidade Estadual”. Processo 2013/70, fl.89.




  1. Diário do Povo, 05.05.1971 – “UEC promove cursos de música”. Processo 2013/70, fl.91.




  1. Correio Popular, 11.05.1971 – “Hoje, Natan Schwartzman no Centro de Ciências”. Processo 2013/70, fl.96.




  1. Correio Popular, 12.05.1971 – “Promoção do Departamento de Música da UEC: o grande sucesso de Natan Schwartzman”. Processo 2013/70, fl.98.




  1. Correio Popular, 13.05.1971 – “Cursos de atualização musical na Unicamp”. Processo 2013/70, fl.100.




  1. Correio Popular, 14.05.1971 – “Um super-musicólogo: Hans Koellreutter vem aí. Quem traz é a UEC”. Processo 2013/70, fl.101.




  1. Correio Popular, 26.05.1971 – “Hoje, recital do barítono Eládio Pérez-Gonzales no Centro de Ciências”. Processo 2013/70, fl.104.




  1. Diário do Povo, 10.06.1971 – “Está surgindo o laboratório de acústica musical da UEC”. Processo 2013/70, fl.108.



FONTES PESQUISADAS:-


  1. http://www.iar.unicamp.br




  1. http://www.unicamp.br/pg




  1. SG/AH III: cxs.01-02. Localização: AC/AP.




  1. Processo 01 P 2013/70: Organização de um Departamento de Música. Localização: AC/AP, 01-1-1-1414/93.




  1. Processo 01 P 4977/73: Ante-projeto do Departamento de Música. Juntado ao Processo 2013/70 em 15.07.1996. Localização: AC/AP, 01-1-1-1414/93.




  1. Processo 01 P 214/74: Ante-projeto do Departamento de Música. Localização: AC/AP, 01-1-1-1417/93.




  1. Processo 01 P 3864/74: Vida Funcional de José Antonio Rezende de Almeida Prado (02 volumes). Localização: Seção de Contagem de Tempo/Aposentadoria (CT/APOS.).




  1. Processo 01 P 4100/75: Vida Funcional de Helena Jank (02 volumes). Localização: RH/Expediente/IA.




  1. Processo 01 P 5953/82: Vida Funcional de Bernardo Caro. Localização: AC/AI, 01-2-1-533/99.




  1. Processo 01 P 361/83: Reconhecimento do curso de bacharelado em Música – modalidades em Composição e Regência e Instrumento (02 volumes). Localização: AC/AI, 01-3-1-22/95.




  1. Processo 01 P 2432/83: Criação do Departamento de Artes Plásticas. Localização: AC/AI, 01-1-1-981/95.

  2. Processo 01 P 3583/83: Curso de graduação Educação Artística – bacharelado e licenciatura em Artes Plásticas. Localização: AC/AI, 01-3-1-56/95.




  1. Processo 01 P 5882/84: Estrutura Administrativa do Instituto de Artes. Localização: AC/AI, 01-1-1-841/95.




  1. Processo 01 P 6343/84: Curso de graduação em Artes Cênicas – habilitação bacharelado em Interpretação Teatral. Localização: AC/AI, 01-3-1-61/95.




  1. Processo 01 P 1276/85: Criação do Departamento de Artes Corporais (02 volumes). Localização: SAA/IA.




  1. Processo 01 P 3493/86: Vida Funcional de Március César Soares Freire (02 volumes). Localização: RH/Expediente/IA.




  1. Processo 01 P 7199/87: Vida Funcional de Regina Aparecida Polo Müller (02 volumes). Localização: RH/Expediente/IA.




  1. Processo 17 P 2055/96: Implantação do Departamento de Música. Localização: SAA/IA.




  1. Processo 17 P 13702/99: Regulamento dos cursos de pós-graduação em Multimeios. Localização: RH/Expediente/IA.




  1. Catálogo de Fotografias do Fundo Secretaria Geral/SG.




  1. Catálogo de Fotografias do Fundo Zeferino Vaz/ZV.

Serviço de Arquivo Permanente do Arquivo Central/SIARQ.



Maria de Lourdes Pinheiro, março/2000.






©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal