Jornal eletrônico da associaçÃo dos ex-alunos do instituto benjamin constant



Baixar 231,58 Kb.
Página1/5
Encontro07.11.2018
Tamanho231,58 Kb.
  1   2   3   4   5

CONTRAPONTO
JORNAL ELETRÔNICO DA ASSOCIAÇÃO DOS EX-ALUNOS DO INSTITUTO BENJAMIN CONSTANT

ANO 5


OUTUBRO DE 2010

44ªEdição

Legenda:

"Enquanto houver uma pessoa discriminada, todos nós seremos discriminados , porque é mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito"...

Patrocinadores:
(ASSOCIAÇÃO DOS EX-ALUNOS DO IBC)
Editoração eletrônica: MARISA NOVAES

Distribuição: gratuita

CONTATOS:

Telefone: (0XX21) 2551-2833

Correspondência: Rua Marquês de Abrantes 168 Apto. 203 - Bloco A

CEP: 22230-061 Rio de Janeiro - RJ

e-mail: contraponto@exaluibc.org.br

Site:exaluibc.org.br

EDITOR RESPONSÁVEL: VALDENITO DE SOUZA

e-mail: contraponto@exaluibc.org.br


EDITA E SOLICITA DIFUSÃO NA INTERNET.

SUMÁRIO:
1. EDITORIAL:

* O Sufrágio de Outubro
2.A DIRETORIA EM AÇÃO:

* Projeto "I B C: histórias que a história não conta (Crônicas e Contos)"- premiação

* Visita guiada de ex-alunos ao IBC

* Confraternização no sítio Bumerangue, em Itaguaí

* Colegiado Moderador de nossa lista de discussões
3 . O IBC EM FOCO # VICTOR ALBERTO DA SILVA MARQUES:

* Olhares contemporâneos sobre o IBC:

Retificação

O IBC se projeta socialmente a serviço da inclusão educacional

O IBC e o futuro próximo em face do processo eleitoral
4.DV EM DESTAQUE# JOSÉ WALTER FIGUEREDO:

* Inauguração de Biblioteca Braile

* Fundação Dorina Nowill oferece curso de audiodescrição

* “Paralela 2010” amplia acesso à arte a público com deficiência


5.DE OLHO NA LEI # MÁRCIO LACERDA :

* 21 de setembro – Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência

* TST decide sobre cota para portadores de deficiência
6.TRIBUNA EDUCACIONAL # SALETE SEMITELA:

* Os sete Pecados Capitais dos Educadores (continuação)


7.ANTENA POLÍTICA # HERCEN HILDEBRANDT:

* Os educadores e a realidade da educação


8. GALERIA CONTRAPONTO #:

* Hélio Bezerra do Amaral


9.ETIQUETA # RITA OLIVEIRA:

* Cultive um ambiente de trabalho saudável


10.PERSONA # IVONETE SANTOS:

* Entrevista com Professor de Informática José Antônio Borges


11.DV-INFO # CLEVERSON CASARIN ULIANA:

* Fugindo dos bugs do horário de verão


12. O DV E A MÍDIA # VALDENITO DE SOUZA:

* Educação : Quando a aula chega à Rede

* Lya Luft – Livro Eletrônico

*Universia Livros

* Stevie Wonder e a Acessibilidade

*Desenvolvimento de software vira história de amor


13.REENCONTRO # :

* Genezio Fernandes Vieira.


14. PANORAMA PARAOLÍMPICO # SANDRO LAINA SOARES:

* Copa Brasil Série B de Futebol de 5;

* Campeonato baiano de Futebol de 5;

* Estrangeiro competirá por Equipe Brasileira no Futebol de 5;

* Rapidinhas Paraolímpicas
15.TIRANDO DE LETRA #:

* O Homem Que Fazia Chover

*Minha Última Prece para a tua Partida
16.BENGALA DE FOGO #:

* Uma veneranda senhora e sua super muleta


17.SAÚDE OCULAR #:

*Piora a visão de crianças em idade escolar após as férias de verão


18.CLASSIFICADOS CONTRAPONTO #:

* Curso de Espanhol pela Internet

* Teamspeak, o batepapo por voz para cegos pela internet

* Super Exame ao alcance

* Ambulância Solidária

* Curso: Leitura e escrita musical em Braille- Capacitação para professores

19. FALE COM O CONTRAPONTO#: CARTAS DOS LEITORES
--
ATENÇÃO:

"As opiniões expressas nesta publicação são de inteira responsabilidade de seus

colunistas"...

#1. EDITORIAL


NOSSA OPINIÃO:
O Sufrágio de Outubro

As urnas deste outubro/2010, mais que nunca, deverão expressar as esperanças do nosso segmento, na nossa incansável caminhada rumo à tão sonhada cidadania...

Avaliar os avanços, questionar as falhas das políticas implantadas em prol do segmento, cobrança de ações afins, todas estas coisas deverão ser devidamente mensuradas, antes do eleitor, de forma cívica e democrática, exercitar seu direito/dever de cidadão nas urnas...

O contexto da ordem social vigente, onde nos deparamos com uma sociedade cada vez

mais competitiva, exige de nós, eleitores, um "olhar" crítico, analítico, onde a "ideologia de ocasião" deverá dá lugar a ações que ratifiquem os avanços conseguidos até aqui e continue avançando neste sentido, visando sempre à " afirmação do nosso segmento."...

#2. A DIRETORIA EM AÇÃO


ASSOCIAÇÃO DOS EX-ALUNOS DO INSTITUTO BENJAMIN CONSTANT
A Comissão Julgadora do projeto "I B C: histórias que a história não conta (Crônicas e Contos)" já encaminhou à Diretoria da Associação os resultados da avaliação dos trabalhos apresentados pelos participantes.

Brevemente informaremos aos interessados. A premiação realizar-se-á na sala 251 do IBC, às 15:30 h do dia 02 de dezembro. Aproveitaremos a oportunidade para comemorar os aniversários de Xavier Sigaud e D. Pedro II.

Contamos com sua presença.
Aliás, como já informamos, a visita guiada de ex-alunos ao IBC, que vimos tentando realizar há alguns meses sem contar com a compreensão dos companheiros, também está marcada para 02 de dezembro, mas às 08:30 h.

Infelizmente, segundo a professora Vera Ferraz, responsável pelas visitas, essa era a única data disponível no calendário da Instituição.

Nos últimos anos, o IBC vem sofrendo grandes modificações. Precisamos conhecê-lo. Não se trata, portanto, de um passeio. Mais que gratidão ao IBC pelos serviços que nos prestou, a luta pela permanência da única escola estatal especializada para nós é fundamental para o futuro do segmento social a que pertencemos. Vale a pena o esforço. Confirme sua presença pelo endereço: diretoria@exaluibc.org.br.
Nossa Comissão de Eventos convida todos os associados para uma agradável confraternização no sítio Bumerangue, em Itaguaí, no dia 19 de dezembro próximo.

O local tem vasta área de lazer, piscina e sala de jogos.

Haverá café da manhã e almoço para os participantes. Para os companheiros adimplentes, será cobrada uma taxa de R$ 40,00 (quarenta reais). Para os demais, a taxa será de R$ 80,00 (oitenta reais). Os interessados deverão confirmar presença até o dia 10 de novembro e efetuar o pagamento até o dia 19 do mesmo mês.

O companheiro Maurício Lima, Tesoureiro da Associação, receberá as inscrições e fornecerá maiores esclarecimentos pelos telefones: 3872-7918 (residencial) e

8751-2033 (celular) e pelo e-mail tesouraria@exaluibc.org.br.

A Comissão enviará correspondência aos associados informando os detalhes do

passeio. A página do sítio é www.sitiobumerangue.com.br.
Conforme já informamos, o Colegiado Moderador de nossa lista de discussões é constituído pelos companheiros Regivaldo Figueiredo, Valdenito de Sousa e Vitor Marques, sendo o último o seu coordenador.

Todas as notas e informes da Moderação da lista, portanto, serão assinados por Vitor.


Para contatos com a Associação

Telefone da Presidência: 8623-1787.


Endereços eletrônicos

- Presidência: diretoria@exaluibc.org.br;

- Conselho Deliberativo: deliberativo@exaluibc.org.br;

- Conselho Fiscal: fiscal@exaluibc.org.br;

- Tesouraria: tesouraria@exaluibc.org.br;

- Secretaria: secretaria@exaluibc.org.br;

- Departamento de Tecnologia e Gerenciamento da Informação:

tecnologia@exaluibc.org.br;

- Jornal Contraponto: contraponto@exaluibc.org.br;

- Rádio Contraponto: radio_contraponto@exaluibc.org.br;

- Departamento de Desportos: desportos@exaluibc.org.br;

- Departamento de Atenção aos Associados: socios@exaluibc.org.br;

- Departamento Cultural: cultura@exaluibc.org.br;

- Departamento de Patrimônio: patrimonio@exaluibc.org.br;

- Departamento Jurídico: juridico@exaluibc.org.br;

- Departamento de Ação político-Educacional: educativo@exaluibc.org.br;

- Comissão de Eventos: eventos@exaluibc.org.br.
Associação dos Ex-Alunos do Instituto Benjamin Constant
Hercen Hildebrandt

Presidente


Os nossos problemas só terão solução quando nós tivermos consciência de que eles são de todos nós.

#3. O IBC EM FOCO


Colunista: VITOR ALBERTO DA SILVA MARQUES ( vt.asm@oi.com.br)
Olhares contemporâneos sobre o IBC
Vamos dividir esta matéria em partes.
- Retificação

A título de colaboração, o colega Jonir Bechara Cerqueira, professor aposentado do nosso IBC, e coordenador do Projeto Memória, veio em meu socorro, corrigindo uma informação fornecida por mim, há dois números atrás, relativa à primeira revista publicada na América Latina.

Na verdade, a primeira revista foi Hacia La Luz, revista Argentina, publicada a partir de 1927, ainda em circulação, embora precariamente.

Pela correção da informação, Fico grato.


- O IBC se projeta socialmente a serviço da inclusão educacional

No dia 21 de outubro, quinta-feira passada, um grupo de alunos do último ano do Ensino Fundamental, alguns funcionários, professores e a Direção Geral do IBC estiveram presentes no salão do Jóquei Clube, Centro do Rio de Janeiro, em evento promovido pela Folha Dirigida, Associação Brasileira de Imprensa e Associação Brasileira de Educação para, em nome de nossa instituição, após votação expressiva dos membros dessas 3 entidades, receber o título de Personalidade Educacional do ano. Além do IBC, receberam esse título mais duas entidades: a Academia Nacional de Medicina e o CAP da UERJ. Como se pode constatar, o IBC ombreia com entidades educacionais historicamente reconhecidas e altamente qualificadas nesse campo.

Esse acontecimento, ao mesmo tempo que nos dá um certo alento, em face do que realizamos em defesa de uma educação de qualidade, voltada para o Ensino de crianças cegas e de baixa visão, nos passa maior responsabilidade na manutenção de uma imagem favorável diante da sociedade, cujas demandas se tornam a cada dia mais complexas.
- O IBC e o futuro próximo em face do processo eleitoral.

No próximo dia 23 de novembro, uma terça-feira, a comunidade do IBC, formada por alunos a partir de 16 anos, reabilitandos, com matrícula há pelo menos um ano de curso, médicos residentes, igualmente a partir de um ano de matrícula, funcionários e docentes na ativa, tendo os segmentos pesos diferenciados, conforme referidos já em número anterior, terá a oportunidade de eleger nova direção, no caso, nova diretora, já que

apenas se apresentaram duas candidatas, a despeito de ser requerida lista tríplice. Segundo as regras estabelecidas pela comissão eleitoral, teremos dois encontros com as candidatas, o primeiro para apresentação da plataforma, e o segundo para um debate com a comunidade, uma espécie de sabatina, oportunidade em que poderão ser

colocadas, certamente, as questões vinculadas à forma de gestão do IBC, com o foco

predominante das questões educacionais pendentes, e que não são poucas!

Em parte, o futuro do IBC também depende de cada um de nós, servidores.


VITOR ALBERTO DA SILVA MARQUES

#4. DV EM DESTAQUE


Colunista: JOSÉ WALTER FIGUEREDO (jowfig@gmail.com)
Biblioteca Braile será inaugurada nesta quinta-feira
Ao todos são 174 títulos de literatura, religiosos e didáticos. Alguns livros foram produzidos através do projeto "Visão de Liberdade", outros foram doações

Maringá passa a contar com uma Biblioteca Braille. A inauguração será na próxima quinta-feira, dia 21 de outubro, às 9h00, na sede da Associação de Deficientes

Visuais de Maringá (Adevimar). A criação da biblioteca é uma iniciativa do Centro de Apoio Pedagógico (CAP) e Associação Maringaense dos Amigos do CAP (Amacap).

Ao todos são 174 títulos, sendo livros de literatura, religiosos e didáticos. Alguns livros foram produzidos através do projeto "Visão de Liberdade", outros foram doações. A biblioteca será na sede da Adevimar e deverá funcionar de segunda a sexta-feira, com horário a ser definido.

Junto com a inauguração, o Conseg irá realizar a entrega de aparelhos MP4 para crianças com deficiência visual. Com o aparelho, as crianças poderão ouvir as histórias dos livros falados, que são produzidos através do projeto Visão de Liberdade. Os MP4s foram doados pela Receita Federal.
O projeto

Através do Visão de Liberdade, 16 presos da Penitenciária Estadual de Maringá (PEM) produzem materiais de apoio para os deficientes visuais, como livros em braille e livros falados. Os internos trabalham seis horas por dia na produção dos materiais. Desde o início do projeto, foram produzidos mais de sete mil materiais didáticos adaptados, sendo que o projeto conta com aproximadamente cem títulos já digitados em braile, que podem ser impressos sempre que solicitados.

Já os livros falados demandam mais tempo na produção: de dois a três meses para serem totalmente concluídos. O diferencial do material produzido são as vozes e a sonoplastia, que dão finalização mais dinâmica aos áudios. De cada livro falado são feitas 150 cópias, que são distribuídas para os Centros de Apoio Pedagógico para Atendimento às pessoas com Deficiência Visual (CAPs) de todo Brasil e para a Biblioteca Nacional de Lisboa, em Portugal.
Fonte: HNews
***
Fundação Dorina Nowill oferece curso de audiodescrição
Foco será o uso do recurso dentro de atividades culturais, como cinemas e teatros

“Introdução à Audiodescrição em Produtos Culturais e de Comunicação” será tema do curso realizado pela Fundação Dorina Nowill para Cegos, em parceira com a "Museus Acessíveis", com o objetivo de capacitar profissionais a desenvolverem projetos de inclusão e acessibilidade cultural em espaços culturais com os recursos de audiodescrição.

Segundo a coordenadora do curso Viviane Sarraf , a audiodescrição apresenta, por meio da linguagem descritiva clara e objetiva, informações que compreendemos visualmente e que não estão contidas nos diálogos, como, por exemplo, expressões faciais e corporais que comuniquem algo. O recurso também traz elementos importantes para a melhor compreensão da pessoa com deficiência visual como: ambiente, figurinos, efeitos especiais, mudanças de tempo e espaço, além da leitura de créditos, títulos e qualquer informação escrita na tela.

A audiodescrição permite que o usuário receba a informação contida na imagem ao mesmo tempo em que esta aparece, possibilitando que a pessoa desfrute integralmente

da obra, seguindo a trama e captando a subjetividade da narrativa, da mesma forma que alguém que enxerga. Outro aspecto relevante é que a audiodescrição traz uma metodologia para algo que era feito informalmente, graças à sensibilidade e boa vontade de algumas pessoas.

O curso, que acontecerá nos dias 4 e 5 de novembro, na sede da Fundação Dorina em São Paulo, tem como objetivo apresentar e analisar as principais tendências e boas práticas nacionais e internacionais nessa nova área. A partir de reflexões teóricas, práticas e do contato direto com usuários dos produtos com audiodescrição, pretende oferecer subsídios que beneficie seu público alvo – as pessoas com deficiência visual.

Em São Paulo, este recurso pode ser conferido no Museu do Futebol, na Galeria Tátil de Esculturas da Pinacoteca do Estado e em algumas exposições do Museu de Arte Moderna de São Paulo – MAM, que oferece áudio-guia com descrição de todas as obras e educadores capacitados para guiar visitas educativas descritivas.

A maioria das instalações também proporciona a percepção por outros sentidos como tato e olfato.

Inscrições podem ser feitas pelo endereço: http://migre.me/Pgjf
Fonte: Rede Saci

***
Com recursos de acessibilidade, “Paralela 2010” amplia acesso à arte a público com deficiência

A mostra fica aberta até 28 de novembro e conta com educadores e monitores

especialmente treinados para atender a todos os visitantes


Com o objetivo de ampliar o acesso à arte a pessoas com deficiência, a exposição “Paralela 2010 - A Contemplação do Mundo”, dispõe de diferentes recursos

de acessibilidade, além de monitores treinados para receberem todos os tipos de público. O evento tem a participação de 82 artistas e está em cartaz no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo até 28 de novembro.

Educadores profissionais e alunos do Liceu que atuam como monitores na exposição passaram por treinamentos pontuais sobre cada deficiência. Fizeram workshops de orientação e mobilidade para guiar visitantes com deficiência visual, de acessibilidade comunicacional para atendimento ao público com deficiência intelectual e participaram de palestra sobre a Cultura Surda, sendo iniciados no aprendizado de LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais).

Eles também tiveram uma oficina de audiodescrição com a professora Lívia Motta, a partir da qual criaram pré-roteiros das obras, que agora estão sendo finalizados pela audiodescritora Jô Moraes, e gravados pelos alunos, cujas vozes foram selecionadas por um grupo de cegos.

Para acompanhar a audiodescrição das obras, as pessoas com deficiência visual terão à disposição um aparelho de MP3 ou o auxílio dos monitores devidamente preparados.

A exposição também oferece várias oportunidades táteis. Sob orientação e o acompanhamento dos monitores, os visitantes podem tocar as obras ou suas réplicas.

Piso tátil de alerta foi instalado nos principais pontos de obstáculo nos galpões do Liceu, que conta com um espaço reservado para as necessidades, alimentação

e água de cães-guia. O texto do curador Paulo Reis sobre a mostra ganhará uma versão em áudio e vídeo com interpretação em LIBRAS dentro dos próximos dias.

Para o público com deficiência física ou mobilidade reduzida, a Paralela 2010 é 99% acessível, ficando de fora apenas uma sala de vídeo. Agendamento e inscrições para atendimento pelo e-mail paralela2010@prata.art.br ou telefone    (11) 3229-9389  .

A entrada é gratuita.


Fonte: Paralela 2010
***
Tribunal Superior do Trabalho impede flexibilização da Lei de Cotas
"Quem escolheu a via judiciária para retardar as contratações pode ter surpresas", diz coordenador do Espaço da Cidadania

São Paulo e o Brasil podem abrir mais oportunidades de trabalho às pessoas com deficiência. Muitas empresas já se destacam por sua responsabilidade social e são lembradas quando o assunto é inclusão. Já aquelas que só lembram do tema quando o auditor fiscal chega em sua porta ou quando o Ministério Público do Trabalho resolve agir devem se preocupar.

Quem escolheu a via judiciária para retardar as contratações pode ter surpresas. Recente decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST) já é um indicativo de que a lei deve ser cumprida por todos. E o recado está chegando aos tribunais inferiores (primeira e segunda instância), porque não basta ser juiz, é necessário estar atualizado.

Em 4 de outubro, o TST pôs um ponto final em nove anos de insegurança jurídica que permitia que o banco ABN AMRO (adquirido pelo grupo espanhol Santander) ganhasse tempo para cumprir a Lei de Cotas conforme previsto em lei.

O banco chegou a obter vitória nos julgamentos da questão na 57ª Vara do Trabalho e junto à 8ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo (2ª Região), que considerou que a base de cálculo para as cotas legais deveria ser a unidade da empresa, não o tamanho total da empresa, compreendendo apenas uma fração do total de funcionários. Se essa lógica fosse colocada em prática, o cálculo poderia ser realizado por agência bancária, reduzindo drasticamente o número de contratados.

Diante dessa ameaça, o TST acolheu o recurso apresentado pelo Ministério Público do Trabalho de São Paulo. De acordo com o relator Ministro Vieira de Mello Filho, quando a lei fala de “empresa” diz respeito à atividade desenvolvida pelo tomador dos serviços, do contrário, bastaria que o empresário distribuísse seus empregados em estabelecimentos com menos de 100 trabalhadores para que pudesse burlar o comando legal.

Ainda de acordo com o relator, a lei visou à proteção do mercado de trabalho das pessoas que, em virtude de dificuldades físicas, mentais ou sensoriais, tenham dificuldades de adquirir ou manter o seu posto de trabalho. Desse modo, a norma limita o poder do empregador, uma vez que a dispensa de empregados reabilitados ou portadores de deficiência só pode ocorrer após a contratação de substituto em condições semelhantes.
Mais informações: http://www.sintese.com/noticia_integra_new.asp?id=170867
Comentário:
Juiz tem que julgar com base na lei. Para mudar a lei ou ser advogado de defesa de qualquer parte é essencial que a Toga fique de lado.

Nove anos se passaram até que a instância máxima da Justiça do Trabalho restabelecesse aplicação correta da Lei de Cotas neste caso.

Neste período foram pagos salários e funcionamento da máquina judiciária com dinheiro que é arrecadado dos impostos que a população paga.

Estamos percebendo na leitura de alguns processos ainda em tramitação que, quando o assunto é Lei de Cotas, alguns juízes transferem seus preconceitos culturais ou mesmo ignorância sobre o assunto nas sentenças que proferem.

Já vimos juiz afirmar que cego não consegue trabalhar em teleatendimento. E temos Desembargador Federal cego atuando no TRT do Paraná.

Já vimos juiz publicar sentença contra multa da Lei de Cotas e reutilizá-la (copiando e colando) em outro processo de ramo de atividade diferente, dez meses depois. Estes processos continuam em tramitação na justiça do trabalho paulista.


Em tempo:

O Brasil tem cerca de 17 milhões de pessoas com deficiência em idade de trabalhar.

A Lei de Cotas garante vagas para cerca de 900.000 pessoas se for cumprida realmente. Os registros oficiais beiram a 200.000 vagas ocupadas.
Clemente

Coordenador do Espaço da Cidadania


Fonte: Espaço da Cidadania
***

Senado poderá imprimir livros com letra ampliada para portadores de baixa visão


Estudos técnicos a respeito serão iniciados após determinação na 29ª Feira do Livro de Brasília

Foto de deficientes visuais recebendo doações de livros em braille na 29ª Feira do Livro de Brasília

Durante entrega de publicações em braille, nesta sexta-feira (15), na 29ª Feira do Livro de Brasília, o diretor-geral do Senado, Haroldo Tajra, determinou que sejam iniciados estudos para a impressão de livros com letra ampliada. A edição desse novo formato de publicação atenderia às pessoas com baixa visão.

A Feira do Livro de Brasília prosseguiu até domingo (17) no Pavilhão de Feiras e Exposições do Parque da Cidade Sarah Kubitschek (ExpoBrasília).


Quem sugeriu à Secretaria Especial de Editoração e Publicações (SEEP) do Senado a impressão de títulos com as fontes em tamanho ampliado foi Bernardo Silva, presidente da Associação dos Amigos do Deficiente Visual. Ele disse que as pessoas que sofrem com a baixa visão encontram dificuldade semelhante à do cego no momento em que procuram livros adequados à sua deficiência.

Logo que Haroldo Tajra indagou sobre a possibilidade de o pedido ser atendido, o diretor da SEEP, Florian Madruga, agendou com o subsecretário industrial, José Farias Maranhão, o início dos estudos técnicos para viabilizar a impressão dos livros com a letra ampliada. O diretor-geral destacou a importância do trabalho que o Senado desenvolve em favor das pessoas com deficiência visual.

- Esse serviço de doação de publicações em braille é importante porque contribui para a valorização dos portadores de deficiência visual, para o exercício de sua cidadania e sua inserção social. Além disso, através da impressão desse tipo de livro, o Senado ncentiva a leitura - afirmou Haroldo Tajra.

As publicações doadas na Feira do Livro de Brasília foram o Guia do Passageiro, a Legislação Eleitoral e Política, a Lei de Responsabilidade Fiscal, Direitos Humanos, Eu Senadoro um Passeio, Legislação Desportiva, Lei Antidrogas, Lei de Falências, Senado Federal e a Lei Orgânica do Distrito Federal. Receberam os livros a Biblioteca Braille Dorina Nowill, a Associação dos Amigos do Deficiente Visual e o Centro de Ensino Fundamental 02, de Brazlândia.



  1   2   3   4   5


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal