Jhg khglgl kgkljgljhg ljhg ooliug gpoiuh oygohghgo htgou ghuogouy ytg ougljhoiuyg ougouytgouy uyt ouytouytoyutpou



Baixar 83,78 Kb.
Encontro19.05.2018
Tamanho83,78 Kb.




Campeonato Paranaense de Motovelocidade

2007
Regulamento Técnico


ART. 1 - MOTOCICLETAS E CLASSES
500cc 4T - 2 cilindros - Motos homologadas pela CBM e vendidas no comercio nacional.

STREETBIKE – 2 ou mais cilindros livre a cilindrada. (motos de rua)

SUPERSPORT – 2 ou mais cilindros de até 600 cc - homologadas pela CBM e/ou FIM.

SUPERBIKE – 2 ou mais cilindros acima de 601 cc - homologadas pela CBM e/ou FIM.
Para efeito de identificação, as motocicletas, tanto nos treinos oficiais como nas provas, deverão possuir o numero em três espaços; dianteiro e laterais direita e esquerda. Fica obrigatório que, o dianteiro, se não colocado no centro, deverá ser colocado voltado para o lado da torre de cronometragem.

A numeração deverá seguir o ranking da FPrM, ou um número reservado, fora dos já atribuídos.

.

As cores de fundo e numerais devem seguir o seguinte padrão:


500cc 4T - fundo amarelo (1003) - numero preto (9005)

STREETBIKE - Fundo branco (9010) – numero azul escuro (5010)

SUPERSPORT - fundo branco (9010) - numero azul escuro (5010)

SUPERBIKE - fundo azul escuro (5010) - numero branco (9010)


ART. 2 - PARTE TÉCNICA COMUM A TODAS AS CLASSES (exceto streetbike)


  1. É OBRIGATÓRIA A RETIRADA DE:




  1. Farol.

  2. Pisca dianteira e traseira.

  3. Espelhos retrovisores.

  4. Cavalete central e lateral.

  5. Pedaleiras traseiras (garupa).

  6. Alça traseira

  7. Lanterna traseira

  8. Cobre corrente

  9. Velocímetro (ou cobertura do display)

  10. Buzina

  11. Porta luvas (porta ferramentas)

  12. Para-barro

  13. Travas de guidão.

  14. Travas de capacete.


  1. ALTERAÇÕES OBRIGATÓRIAS:




  1. Lacrar bujão do óleo e tampa de óleo.

  2. Colocar reservatório no respiro do motor com capacidade mínima de 250 ml. (As motos com respiro no filtro de ar não precisam do reservatório)

  3. Os eixos de roda devem ser travados ou possuírem porcas auto-blocantes.

  4. Pedaleiras, guidão e manetes arredondadas nas extremidades.

C) PROIBIÇÕES




  1. Eliminar o corta corrente no guidão da moto. Obs: O mesmo deve estar colocado ao alcance da mão do piloto em posição na manopla

  2. Uso de etilenoglicol ou qualquer outro aditivo no radiador

  3. Retirar o pára-lama dianteiro

  4. Retirar e/ou desligar o alternador.

D) ALTERAÇÕES OPCIONAIS:




  1. Pedal de cambio.

  2. Pedal de freio

  3. Substituição das mangueiras de óleo.

  4. Carburador; corpo e componentes internos inclusive borboletas, devem ser originais. Giclês e agulha, livres.

  5. Carenagem original ou copia fiel, devendo-se manter fechadas às aberturas do farol e piscas.

OBS: As bordas expostas da bolha e carenagem devem ter curvatura de acabamento.

  1. Cabos elétricos desnecessários poderão ser removidos.

  2. Conta-giros, medidor de temperatura e painel poderão ser substituídos por similares.

E) COMBUSTÍVEL

Gasolina.
F) LÍQUIDOS

Fluidos e lubrificantes são livres, porém nas motocicletas com radiador è obrigatório o uso de água sem qualquer aditivo.


G) PNEUS

Os homologados por categoria

Quando DOT deverão ter no mínimo 2,5 mm de sulco na vistoria anterior a corrida.
H) ESCAPAMENTO

Esportivo, com abafador de ruído. (proibido escape direito ou remover o mesmo).




ART. 5 - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – 500CC 4T

Motos originais sem preparação. Vendidas no comercio nacional com rede de assistência técnica.




  1. Parte elétrica: deverão ser mantidos; motor de partida, alternador ligado e corta corrente. O motor de partida deve funcionar antes e depois da corrida por ocasião das vistorias. É facultativa a retirada da ventoinha do radiador.

  2. Poderá ser retirado o elemento do filtro de ar.



  1. Sistema de escapamento somente esportivo com silenciador. (proibido escape direito ou remover o mesmo).

  2. Poderá inverter o pedal de marcha.

  3. E permitido o uso de calços nas molas de suspensão.

    1. É permitido o trabalho interno das suspensões desde que mantido o curso.

  4. É obrigatório o uso de carenagem, cujas bordas expostas devem ter curvatura de acabamento de raio mínimo de 4 mm, sendo proibido o uso de fibra de carbono.

  5. É permitido o re-trabalho de cabeçote.

  6. Pneus com medidas originais.

  7. É permitido o uso de acelerador de punho rápido.

  8. É permitido o uso de manete e manicoto de embreagem reguláveis.


TODOS OS COMPONENTES E ITENS DA MOTOCICLETA NÃO MENCIONADOS DEVEM PERMANECER COMO ORIGINAIS.

FICA TERMINANTEMENTE PROIBIDO: LIMAR, DESBASTAR, ACRESCENTAR, POLIR OU RETIRAR QUALQUER TIPO DE MATERIAL, DE QUALQUER COMPONENTE DO MOTOR OU DA MOTOCICLETA.

ART. 6. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – SUPERSPORT

Motos de 600cc com peso mínimo de 167 Kg.

O procedimento de pesagem atenderá o padrão FIM


  1. Conjunto de motor e cambio devem permanecer originais do modelo, NÃO sendo permitida a retirada de rebarbas de produção, NÃO sendo permitido o polimento dos dutos, nem alteração das medidas originais. Quaisquer peças e conjuntos NÃO mencionados abaixo deverão ser mantidos como ORIGINAIS, CONFORME MANUAL.

  2. A retífica dos ângulos de sedes de válvulas é permitida desde que não seja alterado o diâmetro das mesmas, nem a profundidade das sedes.

  3. Cabeçote: livre seu re-trabalho.

  4. É permitido o re-enquadramento dos comandos de válvulas originais, desde que não altere a duração de abertura ou fechamento das válvulas, sendo permitida a substituição da engrenagem e/ou sua fixação.

  5. As tampas de alternadores poderão ser re-trabalhadas.

  6. Ficam liberadas as cornetas de carburadores, desde que fixas.

  7. E liberado o CDI nas motos carburadas e a utilização do “Flash RAM” nas motos injetadas.

  8. Motor de partida deve funcionar antes e depois da corrida por ocasião das vistorias, art. 2

  9. O sistema de escapamento poderá ser esportivo com silenciador ou abafador. (proibido escape direito ou remover o mesmo).

  10. Flexíveis - LIVRES

  11. Pastilhas de freio - LIVRES

  12. Amortecedor de direção – LIVRE

  13. A suspensão dianteira pode ser re-trabalhada desde que conservados os tubos e bengalas originais.

  14. Carenagem original ou copia fiel, devendo tampar as aberturas do farol e piscas.

OBS: As bordas expostas da bolha e carenagem devem ter curvatura de acabamento.

  1. Amortecedor traseiro - LIVRE

  2. Guidão – LIVRE (não o cilindro de freio)

  3. Pneus - DOT, categoria V ou Z com 2,5 mm de sulco mínimo na vistoria antes da corrida.


  1. Para corrida sob chuva serão autorizados os pneus de chuva homologados.(não mistos)

  2. Permitida a retirada de: ventoinha do radiador, elemento do filtro de ar, tampa do pinhão ou re-trabalho da mesma, mangueiras não utilizadas.

  3. Ficam permitidos acessórios de proteção lateral.


TODOS OS COMPONENTES E ITENS DA MOTOCICLETA NÃO MENCIONADOS DEVEM PERMANECER COMO ORIGINAIS.

FICA TERMINANTEMENTE PROIBIDO: LIMAR, DESBASTAR, POLIR OU RETIRAR QUALQUER TIPO DE MATERIAL, DE QUALQUER COMPONENTE DO MOTOR OU DA MOTOCICLETA.

É PERMITIDO O POLIMENTO ESTÉTICO DO CHASSI E DE SUAS PARTES.


ART. 7. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – SUPERBIKE

Motos acima de 601cc com peso mínimo de 175 Kg.

O procedimento de pesagem atenderá o padrão FIM.
01 Conjunto de motor e cambio devem permanecer originais do modelo, NÃO sendo permitida a retirada de rebarbas de produção, NÃO sendo permitido o polimento dos dutos, nem alteração das medidas originais. Quaisquer peças e conjuntos NÃO mencionados abaixo deverão ser mantidos como ORIGINAIS, CONFORME MANUAL.


  1. A retífica dos ângulos de sedes de válvulas é permitida desde que não seja alterado o diâmetro das mesmas, nem a profundidade das sedes.

  2. Cabeçote: livre seu re-trabalho

04 É permitido o re-enquadramento dos comandos de válvulas originais, desde que não altere a duração de abertura ou fechamento das válvulas, sendo permitida a substituição da engrenagem e/ou sua fixação.
05 As tampas de alternadores poderão ser re-trabalhadas.

06 Ficam liberadas, as cornetas de carburadores, desde que fixas.


07 E liberado o CDI nas motos carburadas e a utilização do “Flash RAM” nas motos injetadas.

08 Motor de partida deve funcionar antes e depois da corrida por ocasião das vistorias, art. 2

09 O sistema de escapamento somente esportivo com silenciador. (proibido escape direito ou remover o mesmo).

10 Flexíveis - LIVRES

11 Pastilhas de freio - LIVRES

12 Amortecedor de direção – LIVRE

13 A suspensão dianteira pode ser re-trabalhada desde que conservados os tubos e bengalas originais.

14 Carenagem original ou copia fiel, devendo tampar as aberturas do farol e piscas.



OBS: As bordas expostas da bolha e carenagem devem ter curvatura de acabamento.

15 Amortecedor traseiro - LIVRE

16 Guidão – LIVRE (não o cilindro de freio)

17 Pneus - DOT, categoria V ou Z com 2,5 mm de sulco mínimo na vistoria antes da corrida.

18 Para corrida sob chuva serão autorizados os pneus de chuva homologados.(não mistos).

19 Permitida a retirada de: ventoinha do radiador, elemento do filtro de ar, tampa do pinhão ou re-trabalho da mesma, mangueiras inutilizadas.

20 Ficam permitidos acessórios de proteção lateral.
TODOS OS COMPONENTES E ITENS DA MOTOCICLETA NÃO MENCIONADOS DEVEM PERMANECER COMO ORIGINAIS.

FICA TERMINANTEMENTE PROIBIDO: LIMAR, DESBASTAR, POLIR OU RETIRAR QUALQUER TIPO DE MATERIAL, DE QUALQUER COMPONENTE DO MOTOR OU DA MOTOCICLETA.

É PERMITIDO O POLIMENTO ESTÉTICO DO CHASSI E DE SUAS PARTES.


ART. 8. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA –STREETBIKE
Obs. São motos originais de linha de montagem e carenagens originais,

Motor: de 600cc a 1300cc Livre seu preparo.

Suspensão dianteira: pode ser re-trabalhada desde que conservados os tubos e bengalas originais.

Amortecedor traseiro - LIVRE

Permitidos acessórios de proteção lateral.
ART. 9. CONHECIMENTO

Este regulamento, após sua publicação será entregue aos pilotos filiados, que desta forma, reconhecem e acatam suas normas, não sendo aceito em nenhuma hipótese o argumento do desconhecimento.




ART. 10. CASOS OMISSOS


Os casos omissos no regulamento serão resolvidos pelo Júri da Prova. Os itens não especificados devem permanecer como no modelo original.


ART. 11. ALTERAÇÕES


O presente regulamento não esgota o assunto podendo ser complementado ou retificado por meio de adendos homologados pela CBM.

ART. 12. SINAIS OFICIAIS


Os sinais oficiais devem ser feitos por meio de uma bandeira medindo aproximadamente 750 mm X 600 mm, como segue:



Bandeira

Significado

Vermelha, Agitada:

Parada Imediata, no pit-lane.

Preta e um Quadro com o número do piloto

Piloto indicado deve parar no

Pit-stop


Preta com circulo laranja e quadro c/ numero do piloto.

Parada no Box para receber instruções

Amarela, Agitada:

Perigo devagar, Não ultrapassar.

Azul, Agitada:

Atenção dê passagem.

Branca

Pessoal ou veículo de serviço médico na pista.

Verde

Pista Livre.

Quadriculada Preta e Branca, Agitada:

Fim de Prova ou Treino.

A bandeira verde só poderá ser utilizada por um oficial de largada durante o procedimento de largada.

A bandeira azul deve ser usada por oficiais de sinalização suplementares, especializados para esta bandeira somente.

Gilberto Rosa



Presidente – FPrM



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal