IntroduçÃo ao evangelho de lucas



Baixar 17,45 Kb.
Encontro26.07.2018
Tamanho17,45 Kb.

INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE LUCAS

1. Entrar no Livro do Evangelho de Lucas é como entrar numa cidade e ser hospedado num bairro recém-reformado, melhorado e de cara nova. Aqueles buracos nas ruas, aquela lama diante de casa, aquele mato tomando conta de tudo, aquele abandono... já era.

Em Lucas é a mesma coisa: novos profetas, belas notícias, mulheres novas e valorizadas, Lei nova do amor, esperança reavivada, discípulos esclarecidos, missionários mais entusiasmados, cegos enxergando, oprimidos libertos, hipocrisia desmascarada, o tentador acorrentado e a Boa Noticias anunciada aos pobres.

2. O Evangelho de Lucas nos ajuda a descobrir a ação do Espírito Santo na vida do discípulo missionário e na vida das Comunidades, fortalece a esperança para os missionários anunciarem com mais coragem a alegria do Reino de Deus.

3. Para ter uma visão geral do Evangelho de Lucas, pense num mundo que está de pernas para o ar e ninguém se dá conta disso. Neste evangelho, descobrimos Jesus, uma Luz brilhante, que nos faz perceber que esta situação está errada e não vai dar certo e nos aponta o caminho para que tudo retorne ao seu devido lugar.

4. Lucas tem um Objetivo Geral nesta sua obra, como a nossa Diocese também tem, porque ninguém deve fazer nada a toa, sem rumo, só por fazer. Para não esquecer o objetivo de Lucas em seu trabalho de evangelista, vamos ler todos juntos o Objetivo de Lucas que o mesmo Jesus proclama em Lc 4,16-21.



Começou na sinagoga /a ensinar afinal/E ele sempre pregava com aplauso universal. Veio então pra Nazaré, sua cidade natal.

Como era de costume em um sábado entrou/ na sinagoga de lá,/ e pra ler se levantou. O Livro de Isaías alguém a Ele entregou/ Jesus pegou o volume e pra ler se levantou./

E um trecho do profeta/Ele logo descobriu: “O Espírito de Deus está sobre mim, me ungiu/ pra que eu a Boa Nova aos povos fosse pregar/ a liberdade aos cativos/fosse anunciar/ pra que a vista dos cegos/eu fosse recuperar.

A todos os oprimidos liberdade dar eu vou/ e um ano cheio de graça/mandado pelo Senhor”. Fechou o Livro Sagrado,/ entregou-o, e se sentou./



E todos na sinagoga/para Ele estavam a olhar. E Jesus lhes disse: “ O que acabam de escutar/ Agora nesse momento/ está a se realizar”.


Com este Objetivo bem proclamado, Jesus inicia sua missão, consagrado pelo Espírito, para levar a Boa Nova aos pobres. Esta missão traz conflitos, desperta a incompreensão de muita gente até hoje. O estudo do Evangelho de Lucas vai ajudar o Discípulo Missionário da Diocese de Rio Branco, como ajudou os missionários das Comunidades que Lucas chamava de “Teófilo” que significa “amigo de Deus”.

Conheça as Comunidades de Lucas que elaboraram este Evangelho.

a) São Comunidades, sobretudo urbanas. A palavra “cidade” aparece 40 vezes em Lucas, enquanto em Marcos apenas oito vezes.

b) São Comunidades nas quais participam ricos e pobres. Lucas é o único que narra a conversão de Zaqueu, que era rico e a parábola do pobre Lázaro. Lucas é veemente em apontar os perigos da riqueza, insistindo muito na necessidade da partilha.

c) São Comunidades freqüentadas por diferentes categorias sociais: há cristãos que se converteram, mas continuaram funcionários do Império Romano, há publicanos e soldados que acorrem à pregação de João Batista. Há líderes judeus e oficiais romanos que juntos condenaram Jesus e este os perdoa “porque não sabem o que fazem

d) São Comunidades em que as mulheres têm uma atuação de destaque, numa época em que a mulher era marginalizada e não contava. Lucas destaca a atuação das mulheres pela presença marcante na igreja que se reunia nas casas.

e) São Comunidades que pelos anos de 85, data que este Evangelho foi escrito, atravessavam uma crise muito forte e havia uma situação de desânimo. Os cristãos eram uma minoria sujeita a todo tipo de repressão e ameaça. Muitos estavam abalados em sua fé em Jesus e não se sentiam seguros na vida fraterna e solidária da comunidade. Era preciso renovar a fé na presença de Jesus ressuscitado e destacar o valor da partilha. O episódio dos discípulos de Emaús é significativo da situação das Comunidades da época.

f) São Comunidades que querem conhecer Jesus e então Lucas apresenta Jesus como: - Salvador 2,30-32; - Libertador dos pobres, oprimidos e marginalizados 4,18-19; - Senhor 1,43; - Revelador da Misericórdia do Pai 15,1-32; - Profeta de Deus 24,19; - Homem de muita oração 3,21.

g) São Comunidades que querem conhecer o caminho do discipulado e assim Lucas mostra também que, para ser discípulo de Jesus, é preciso decidir-se firmemente 9,57-62; ser perseverante e confiar 11,5-13; - despojar-se de tudo 14,25-33, - ser misericordioso 10,29-37, - ser vigilante 12,35-48.

O que as Comunidades de Lucas querem comunicar às nossas Comunidades de Rio Branco:

1. É o Evangelho do Espírito. O grande protagonista é o Espírito Santo que guia Jesus em sua Missão continua guiando os discípulos de ontem e de hoje para serem missionários atuantes e atualizados.

2. É o Evangelho da Misericórdia. Jesus se comove com a dor da viúva de Naim, perdoa a pecadora que lhe unge os pés, conta a parábola do Bom samaritano, da ovelha perdida, da moeda perdida, do filho perdido.

3. É o Evangelho dos pobres e marginalizados, dos pecadores e perdidos. O perdão de Deus transforma as pessoas em fonte de generosidade. Num mundo onde existe pobreza, a riqueza é uma injustiça. No banquete do Reino os principais convidados são os pobres.

4. É o Evangelho da valorização da mulher. Jesus dá grande atenção às mulheres. Maria é “cheia de graça”, Isabel é “repleta de Espírito Santo”. Há mulheres que “muito amam” que são discípulas e comparáveis ao próprio Pai do Céu (13,21). Em pleno caminho do Calvário Jesus se mostra atento às mulheres.

5. É o Evangelho do “Caminho” para o discípulo aprender e caminhar com Jesus da Galiléia a Jerusalém e na via dolorosa da Paixão e Morte que será coroada pela ressurreição.

6. É O Evangelho da “casa”. Nas casas acontecem os eventos principais; a anunciação, os nascimentos, as visitas, os milagres, os encontros, os ensinamentos, as refeições, as conversões.

COMO NASCEU O EVANGELHO DE LUCAS.

1. Pesquisas entre as testemunhas. Lucas não conheceu Jesus pessoalmente, mas pesquisou sobre Jesus entre os membros de sua Comunidade, entre os apóstolos e missionários com que ele conviveu e, sobretudo conversando muito com a Virgem Maria, de que fala com muitos detalhes e descreve com muito amor e admiração. Por causa das preciosas informações que colheu pela boca de Maria, escreveu os dois primeiros Capítulos, chamados de “O Evangelho da Infância”. Nesta sua primeira parte, Lucas nos deixa o mais belo “retrato” da mãe de Jesus, a virgem cheia de graça, modelo de fé, de humildade, de obediência, simplicidade, pureza, disponibilidade e espírito contemplativo.

2. Pesquisa no Evangelho de Marcos. Luca teve acesso também ao Evangelho de Marcos que foi escrito cerca de uns 15 anos antes e dele aproveitou 350 Versículos.

3. Pesquisa na fonte Q. Lucas, como também Mateus, teve acesso a um documento de relatos sobre Jesus, (hoje perdido), chamado de fonte Q. ( “Quelle” em alemão significa Fonte primária) e dela aproveitou 240 versículos.

Realmente Lucas com sua Comunidade, andou trabalhando mesmo para elaborar esta obra que tem como objetivo preparar os discípulos para serem missionários perseverantes, persistentes e fiéis.






©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal